História Claxa- Minha Idiota - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Costia, Dra. Abigail "Abby" Griffin, Echo, Emori, Indra, Jasper Jordan, John Murphy, Lexa, Lincoln, Marcus Kane, Maya Vie, Octavia Blake, Personagens Originais, Raven Reyes
Tags Claker, Claker X Lexa, Claxa, Lexa, Lexa X Claker, The 100
Visualizações 26
Palavras 557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi. 🍖🍇🍞

Capítulo 7 - Tiro.


Lexa:

Já haviam se passado 4 meses desde a chegada da garota do trem, e a cada dia em que eu via aqueles lindos par de olhos azuis eu me apaixonou cada vez mais. Eu sei quando estou apaixonada, ao contrário de várias pessoas, talvez seja pelo fato de eu não me apaixonar fácil, e essa sensação estranha não vem do nada. Voltando ao foco, seu rosto, não tenho palavras suficientes para descrever o quão seu rosto é incrivelmente lindo.

Não sei oque deu em mim para beija-la, se é que aquilo pode ser chamado de beijo, melhor chamar de selinho, pois eu só encostei os lábios na boca dela. Não o que ela pensou sobre isso, mas pelo menos não demonstrou que foi algo ruim, talvez ela não tenha nem reparado.

Quando finalmente me desvi de meus pensamentos perceber que estava correndo em direção a sala de aula enquanto segurava fortemente a mão da garota do trem. Abrir a porta e como de custume me dirigir a minha carteira, em seguida Claker se senta ao meu lado.

[...]

A aula se passa rapidamente, quando vi no relógio já eram 1:00 PM (Pós Meio-Dia), mãe Infra estava resolvendo umas coisas no escritório, fiquei andando sozinha sem rumo pelinstituição,  enquanto passava pelo lado de fora, observei, Claker sentada na calçada, provavelmente esta esperando Raven. Me aproximei e me sentei ao seu lado na calçada e perguntei.

- Tudo bem?- Perguntei me aproximando dela.

-Sim-Respondeu ela olhando para minha boca- Só que Raven está demorando a chegar.-Terminou de falar abaixando a cabeça.

-Calma, ela vaparecer, só precisa ter paciência- Falei tentando tranquilizar ela, o que funcionou muito bem.

-Você deve ter razão, Lexa- Falou ela possisonando a sua cabeça em meu ombro esquerdo, acho fofo esse seu carinho por mim, fico admirada por como ela se sente confortável com minha presença. E assim ficamos por mais ou menos uma hora, nada foi pronunciado nesse meio tempo, e nem precisava, somente aquele silêncio era suficiente.

[...]

Depois que se passou uma hora, vimos o carro de Raven, porém quem o dirige é Octávia. Pelo jeito (Modo) de como ela dirigia, pude perceber que ela está nervosa.

- Octávia.. Onde está Raven?, pensei que seria ela que viria me buscar.- Argumentou Claker.

-Depois conversamos, sobre isso Falou Octávia, seus olhos estam lacrimejando (Ou seja, chorando).

-Tudo bem, tchau Lexa- Falou  Claker dando um selinho, de alguma forma, sinto que isso será uma forma de demonstrar nossa amizade, e também é uma forma de eu sentir o gosto de seus lábios.

-Tchau Claker- Falei medespedindo dela.

Octávia:

O trajeto foi feito quase todo em silêncio, também como que eu poderia explicar para Claker oque aconteceu. Porém tirei coragem o suficiente para não chorar e disse: Raven levou um tiro. Deixei ela em casa e fui direto ao hospital

[...]

Chegando ao hospital, estacionei o carro e corri entrando as presas. Falei com recepsonista, ela disse para eu esperar na sala de espera. Fiquei ali por mais ou menos uma hora esperando.

[...]

Finalmente a recepsonista, me atendeu.

-Senhorita, oque a senhora é da paciente, amiga, irmã, prima, parente?- Perguntou ela.

-Namorada- Respondie vi sua expressão de surpresa.

- Já pode entrar, a médica terminou os exames, ela está estável, porém está dormindo.

-Obrigada- Respondi.

 Abrir a porta do quarto onde Raven está, tentei fazer o minimo barulho. Me sentei em uma cadeira e fique lá observando, encostei minha cabeça em seu peito e adormecido junto a ela.

-Viva



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...