História Clexa - Alvorecer Sombrio - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Clarke Griffin, Lexa
Exibições 46
Palavras 1.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Raiva a primeira vista


Clarke estava perdida, andava de um lado para o outro.

‘’ Será que ela é aquela pessoa infeliz que vi através do mundo espiritual? Impossível, parece ser uma garota normal, apesar de seu olhar obscuro... Certo, cá entre nós, ela não tem cara de ser uma menininha.’’ - Clarke conversava com si mesma tentando achar uma conclusão para isso.

Aos poucos lembrou de todos os sentimentos negativos que sentiu e viu que essa guerreira assustadora nunca tinha amado, nunca provou a bondade nunca sentiu afeição por ninguém.

‘’Vou fazer ela gostar de mim! Assim não vai invadir meu reino! AHÁ! Sou uma gênia terei uma amiga valentona... Nunca tive amigas diferentes, que não seja daqui.’’ Acho que estou sendo um pouco infantil, porém tem um fundo verdadeiro nisso, irei mostrar a ela o amor e ela vai querer viver em paz. Aposto! ‘’

Depois de tanto caminhar pra lá e pra cá, ela decidiu por seu plano em prática, porém não sabia por onde começar, lembrou então que a melhor coisa a se fazer quando está nervosa, com raiva, depressiva, ou triste, é comer. Uma guerreira como Lexa não teria parado para provar um delicioso docinho em sua vida, essa seria a primeira jogada.

-Arthur? Onde está nossa convidada? –Disse sorrindo e caminhando em direção a ele.

-Sua inocência me preocupa, que sorriso é esse, Majestade? –seu olhar não era nada animador. –Bom, ela está no quarto para hóspedes, seu ferimento já foi tratado. –Ele suspirou se deu por vencido e falou apontando para o quarto.

Clarke deu uma batida na porta e a empurrou.

-Olá? Estou atrapalhando algo? – Ela passou a cabeça primeiro, procurando Lexa, e logo colocou o corpo todo.

Lexa estava olhando a estante de livros que estava com um vaso de flor do lado.

-Não. É um quarto muito bonito, obrigada por cuidar de mim. –A atuação de Lexa não estava convencendo Clarke.

‘’Tão mal, tao perversa e tentando ser meiga... Tento ser legal, porém a presença dela... quando estou próxima, eu sinto dor no fundo da minha alma. Eu me controlo para que meus sentimentos não transpareçam.

-Estou feliz por você está aqui, é difícil eu receber convidados... – Falei chegando mais perto dela e a olhando nos olhos.

-Todos devem gostar de você, afinal é a princesa... –Aquele olhar sereno de Lexa, deixava Clarke perdida, apesar de saber que de sereno não tem nada, mais parece ser tão controlado como se estivesse em paz, como alguém fica em paz na guerra? – Clarke se perguntava.

-Bom eu não tenho amigos, só servos, todos agem como se eu mandasse em tudo, mais não, eu apenas quero que eles vivam bem...

-Muito nobre de sua parte.

-Já passou pela sua mente, fugir do destino que te pertence?

-Não. –Ela foi direta, que arrepiou Clarke, pois sabia que o seu futuro era tenebroso.

-Será que você aceitaria provar as deliciosas receitas do nosso cozinheiro comigo?

Lexa  pairou o olhar por alguns segundos, tentando compreender a situação, afinal ninguém nunca a convidou para comer.

-Olá? –Comer – Comida – Comigo, aceita? –Clarke perguntou novamente ao ver a expressão de confusa.

-Sim, claro! –Lexa soltou um sorriso ao falar, um sorriso que quase fez Clarke esquecer seus motivos.

-Siga-me, vamos para um lugar especial, o jardim!

-Jardim... –Lexa falou não muito feliz, deixou sua falta de animação a mostra, foi um erro, ela não queria isso.

-Você não quer? –Clarke toda receptiva.

-É que estou cansada, sabe, ferida... longa caminhada.

-Verdade, eu devia ter pensando nisso, desculpe. –Clarke fez que compreendia, porem com sua cara de tristeza.

-Bom... – Lexa respirou fundo, sabia que não iria conhecer melhor o reino, sem antes conhecer a princesa. –O que eu to falando? É claro que vamos comer, nunca me convidaram para comer, ainda mais em um castelo!

-Serio? É sua primeira vez? Então terá de ser algo especial! –A animação de Clarke irritava Lexa profundamente.

‘’Garota mimada! Sonsa, nunca vai notar que estou aqui por outros motivos? Ah se eu pudesse matá-la e dominar isso aqui de uma vez, com aqueles guerreiros que ela tem eu sozinha acabava com eles.’’

Clarke sentia uns arrepios em sua pele, e só sentia isso quando havia muita maldade próxima, foi então que ela percebeu, Lexa poderia não estar gostando.

Ela se virou triste e a encarou nos olhos.

-Desculpe, eu não posso fazer isso. –Clarke estava perturbada, queria fazer amizade com uma alma tão sombria que nunca aceitaria algo assim. Ela queria voltar para seu quarto o mais rápido possível, e fingir que nunca tinha convidado ela.

-O que? –Lexa não compreendia o que acontecia ali.

-Eu preciso me retirar por alguns instantes, há algo que tenho que fazer, vamos comer depois? –Clarke ia refletir se focar novamente, pois tinha perdido já. Arthur irá te acompanhar por uma visita ao castelo.

-Eu prefiro fazer só.

-Não, ele vai com você, afinal ele é um ótimo guia turístico.

‘’ Fala logo que não confia em mim. Essa garota me estressa mais que qualquer um’’

Clarke correu para a ala secreta onde meditava.

-Eu sei que você não é de confiança, Lexa. –Arthur a intimava enquanto andavam pelo castelo.

-Serio? Eu também não fui com a sua cara.

-O que me intriga é que Clarke sabe de você, não sei se você já percebeu, mais ela sente as coisas, e ela sente sua obscuridade de longe, você assombra seus sonhos, e transforma seus dias em nevoa!

-Que poeta, já pensou em escrever longos textos em pergaminhos e queima-los no fogo só por diversão? Assim me deixaria em paz.

‘’ Clarke sente as coisas? Como? Será que foi por isso que ela voltou atrás na hora que íamos comer? Ela sentiu meus pensamentos de ódio? Impossível, se não ela sentiria isso desde a hora que entrei aqui... Na primeira vista já quis matá-la. Além do mais ela aparenta ser uma garota tão inocente...

‘’Se eu matá-la, seus planos nunca irão se cumprir, e sua trajetória carregando o mal acabara, mais eu não posso fazer isso, ela pode mudar eu sei! Todos podemos! Tantas dúvidas na minha mente, queria que as coisas fossem mais fáceis. Lexa, Lexa, Lexa... ‘’

Lexa percebeu que naquele reino ninguém negociava.

‘’Quer dizer que ninguém tinha ambição, como eles vivem assim?’’ -  Então maquinou algo, ia fazer o próprio reino se auto destruir, mais antes precisaria infiltrar alguns homens.

‘’Vai ser um prazer enorme ver o reino ser destruído e um maior prazer vai ser ver Clarke sofrendo por perder seu precioso bem e sua segurança, garota mimada.’’



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...