História Clichê - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Breaden, Decaulion, Derek Hale, Jennifer Blake, Jordan Parrish, Kira Yukimura, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Dylan O'brien, Malia Tate, Marrish, Scallisson, Shelley Hennig, Stalia, Stiles Stilinski
Exibições 158
Palavras 1.978
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Três meses sem atualização por aqui, em? Sentiram minha falta? Porque eu senti a de vocês <3

Não vou tomar muito o tempo de vocês. Só quero justificar minha ausência, e é o de sempre, faculdade, trabalho, Igreja e etc...

Para quem acompanha minhas outras histórias, sabe como tem sido difícil postar, mas eu não vou abandonar o barco, e espero que vocês também não abandonem!

Vejo vocês nos comentários, filhotinhos *--------*

Capítulo 10 - Ten


“É, já tá ficando chato, né?

A encheção de saco, pois é

Prepara que eu já tô me preparando

Enquanto cê tá indo eu tô voltando

E todo esse caminho eu sei de cor

Se eu não me engano agora vai me deixar só

O segundo passo é não me atender

O terceiro é se arrepender

Se o que dói em mim doesse em você

 

Deixa, deixa mesmo de ser importante

Vai deixando a gente pra outra hora

Vai tentar abrir a porta desse amor

Quando eu tiver jogado a chave fora

 

Deixa, deixa mesmo de ser importante

Vai deixando a gente pra outra hora

E quando se der conta já passou

Quando olhar pra trás já fui embora”

 

(Eu Sei de Cor - Marília Mendonça)

 

 

Lydia entrou no quarto escuro a passos determinados e escancarando todas as cortinas, deixou os raios solares invadirem o quarto, vendo Malia se encolher com os olhos apertados.

-Hale, eu juro pela minha vó, que está no céu, que se você não se levantar agora dessa cama, vou jogar um balde de agua fria em você.  Alertou, irritada, puxando o cobertor da mulher

-Lydia, eu não quero sair daqui agora. Murmurou, com a voz rouca, puxando o cobertor de volta

-Você está me falando a mesma coisa há uma semana. Que se dane aquele imbecil, você vai agora para aquela escola. Ordenou, conseguindo arrancar o cobertor da mulher e o jogando no chão em seguida

-Eu nunca mais volto ali e não existe discussão pra isso. Afirmou, amarga, ajeitando a alça de sua camisola

-Ah, mas você vai e ainda vai fazê-lo pagar caro pelo o que fez. Rebateu, caminhando para o closet da mulher, pegando algumas peças de roupa

-Lydia, eu não sei se você lembra do que eu te contei há uma semana, mas vou refrescar sua memória. Ele me expulsou da sua casa depois de me levar para a cama, como se eu fosse uma vadia traidora que o desvirtuou. Acredite, isso é motivo o suficiente para que eu nunca mais volte naquele lugar. Explicou, magoada, se sentando na beirada da cama, desembaraçando os cabelos com os dedos

-E é exatamente por isso que você vai lá e vai fingir que nada te afetou. Declarou, jogando para a morena um short jeans e uma blusa branca de moletom curtinha

-Eu não posso fingir algo do tipo, Lydia. Foi humilhante. Confessou, em um sussurro embargado, desviando o olhar embaçado por lagrimas da amiga

-Eu sei e o mataria por te deixar quebrada assim, se não achasse que a morte é algo muito leve perto do que ele merece. Garantiu, segurando o rosto da amiga entre as mãos, com os olhos também cheios de lágrimas

-O que quer eu faça? Chegue lá e o trate como uma amiga?

-Não. Quero que vá lá e seja a antiga Malia. Pediu, fazendo a mulher a encarar como se fosse um alien

-Você enlouqueceu? Eu achando que você está falando sério, e ai me solta uma dessas. Comentou, cansada, se levantando da cama e indo para o banheiro

-Ah qual é, Malia? Nós duas sabemos bem que você já não é a mesma há algum tempo. Ele te tornou alguém sorridente e até mesmo doce. Rebateu, escorada no batente da porta, observando a amiga lavando o rosto com a agua gelada da pia

-Mais um motivo de não querer olhar para ele. Garantiu, em voz baixa, pegando sua escova de dente e pasta dental

-Acontece que eu não vou deixar você sucumbir nesse quarto, nem vou deixar ele ficar pensando que tem poder sobre você.

-E qual o seu plano?  Perguntou, enxugando a boca com uma toalha

-Seu noivo está na sua sala, esperando você. Respondeu, fazendo Malia a encarar, alarmada

-Ficou louca? A última pessoa que quero ver é ele. Respondeu, deixando a ruiva sozinha no banheiro

-Malia, você se lembra que seu noivado é uma farsa e que não traiu ninguém, certo? Questionou, irritada, seguindo a morena pelo quarto

-Me deixe ficar quieta por aqui, Lydia. Pediu, suplicante, se sentando na beirada da cama novamente

-Te deixar aqui, assim, não é uma opção. Garantiu, caminhando até Malia a passos decididos e a ajudando tirar a camisola por cima da cabeça

-O que está fazendo? Será que não entende que não quero ir a lugar algum? Perguntou, irritada, vendo a ruiva jogar em sua cama desodorante e perfume

-Se arrume ou eu vou arrumar. Ameaçou, com o dedo apontado em riste

-Eu já disse que não vou me mover daqui. Lembrou, dando de ombros, fazendo a ruiva bufar antes de erguer o braço da mulher aplicando o desodorante

Lydia puxou a mulher pelo braço, a fazendo ficar de pé, assim que acabou o processo de passar o desodorante e o perfume na amiga. Colocou a blusa de moletom e o short, enquanto a morena parecendo inerte, não se manifestava de forma alguma, nem mesmo para impedir a ruiva. O processo de maquiar a morena foi, se possível, mais silencioso ainda, mas Lydia não permitiu que isso a impedisse de cobrir com cuidado as olheiras da amiga, nem que desse mais vida ao seu rosto agora mais pálido.

Quando terminou de arrumar Malia, ouviu uma batida na porta, a fazendo largar o estojo de maquiagem na cama e ir abrir a porta.

-Ah, oi Theo! Cumprimentou, dando espaço para o rapaz entrar no quarto

-Como ela está? Perguntou, baixo, fazendo Malia o olhar, alarmada

-Contou pra ele? Perguntou, se levantando da cama

-Claro que sim. Não tem problema seu noivo saber que você não queria ver ele por ter pegado um grande resfriado, quase uma pneumonia. Respondeu, dando um olhar significativo para a amiga, que soltou o ar, aliviada

-Qual o problema ela ter me contado? Você me deixou, realmente, preocupado. Garantiu, segurando a morena pelos ombros, a fazendo o encarar com culpa

-Desculpe. Sussurrou, o olhando nos olhos, se referindo a coisas mais profundas que o homem imaginava

-Tudo bem. Eu vou levar você pra ver a cidade, assim você pode se lembrar como é a vida fora desse quarto. Comentou, divertido, fazendo a mulher sorrir

-Então parece que meu trabalho aqui já foi feito. Não esqueça de levar a Malia na escola de noivas para deixar as lições da semana feitas, explique para eles, por favor, que ela não pôde ir por ter adoecido e que ainda está um pouco debilitada. Pediu, entregando o homem as apostilas da amiga

-Ela ainda está bem abatida. Comentou, docemente, acariciando o rosto da mulher com o polegar, surpreendendo Malia com o carinho

-Acho que deixei minha bolsa no banheiro. Comentou, saindo, precisando

-Obrigada por fazer o que eu pedi. Disse Lydia, suspirando cansada

-Não precisa agradecer. Eu não fazia ideia que ela estava tão mal. Admitiu, coçando a cabeça, em um claro sinal de desconforto

-Não foi sua culpa. Você sabe como ela é, não gosta de parecer fraca. Comentou, dando de ombros

-Eu devo estar mesmo doente. Afirmou Malia, encarando a dupla

-Não sei o por que dessa afirmação, eu não odiava ele tanto assim. Rebateu Lydia, arrancando um sorriso da amiga

-Vamos? Chamou Theo, a guiando pelo braço como se fosse uma boneca de porcelana

-Sabe, eu não preciso de ajuda para caminhar. Comentou Malia, com um humor melhor, observando Theo abrindo a porta do carro para ela

-Eu sei bem do que a senhorita é capaz. Respondeu, sorrindo de canto, se concentrando agora na estrada

-Por que parece realmente preocupado? Questionou, depois de alguns minutos de silencio

-Porque eu realmente me preocupei. Lydia disse que você estava mal e que não sabia nem que dia estaria disposta para sair e foi estranho não ter você me enchendo essa semana toda. Respondeu, sem olha-la, fazendo a mulher rir

-Sabia que aquela história de me odiar era só fachada. Comentou, encarando a paisagem pela janela, enquanto colocava seus óculos escuros.

-Vamos? Chamou, ao estacionar na New Bride

-Eu não sei se quero entrar lá. Disse, recebendo um olhar curioso de Theo. – Não quero que me vejam tão abatida. Sabe que eu tenho uma reputação. Se retratou, fazendo o homem gargalhar

-Não seja boba. Eu prometo ficar o tempo todo com você. Garantiu, a pegando pela mão e a tirando do carro

-Você não pode levar as apostilas pra mim? Perguntou, desanimada, o vendo travar o carro

-Não, não posso. Respondeu, sorrindo, enquanto a puxava para a abraçar pelo ombro

-Theo, acha que se as coisas não tivessem acontecido com aconteceram, nós teríamos sido amigos? Perguntou, caminhando abraçada ao homem

-Talvez eu até gostasse de você. Respondeu, sorrindo docemente, antes de desviar o olhar

O silêncio no elevador era confortável e por incrível que pareça permanecer abraçada ao noivo não era estranho, menos ainda desconfortável. Naquele momento, abraçar o rapaz, estava lhe trazendo paz.

-Para onde devemos ir agora? Perguntou, interessado ao descer no andar indicado por Malia

Britt saia nesse momento da sala de aula, com algumas pastas na mão, e olhando para Malia de cima a baixo, sorrindo com ironia enquanto balançava a cabeça em negativo, passou sem nada dizer. Seu olhar a acusando de seu pecado cometido há poucos dias, fazendo seu interior borbulhar com ódio de si mesma e do maldito professor que a havia transformado naquele ser fraco e desprezível.

-Tudo bem? Perguntou Theo, parando de caminhar para encara-la

-Tudo. Podemos ir naquela sala? Chamou, apontando para onde Britt tinha acabado de sair

-Não está tendo aula agora? Perguntou, confuso

-Sim, está. Confirmou, o batendo na porta

-Pode entrar, Britt. Chamou Stiles, fazendo a mulher sentir o gosto ácido de bile na boca

-Malia! Exclamou Alisson, animada, fazendo Stiles erguer o olhar das pastas em sua mesa rapidamente

-Malia não pôde vir nas ultimas aulas por ter adoecido, mas como está um pouco melhor, resolvemos trazer seus exercícios feitos hoje. Disse Theo, entrando na sala timidamente, arrancando suspiros das mulheres presentes

-Theo Raeken! Exclamou Érica, com o olhar malicioso

-Boa tarde, meninas! Cumprimentou, abraçando Malia pelos ombros novamente

-Pode deixar comigo esses exercícios. Pediu Stiles, totalmente desconfortável, tentando ver os olhos da mulher que atormentou seus sonhos nos últimos dias

-Espero que minha noiva não perca o curso todo por ter se ausentado nesses dias. Acredito que tenha entendido que ela estava impossibilitada. Comentou, puxando Malia, para lhe dar um beijo carinhoso na testa

-Entendo perfeitamente. Se sente melhor, Malia? Perguntou, chamando atenção da mulher

-Não poderia me sentir melhor, senhor Stilinski. E mesmo se ainda estivesse doente como nos últimos dias, com o noivo maravilhoso que tenho, logo passaria. Respondeu, com a voz friamente cortante, fazendo o homem se encolher em sua cadeira em culpa

-Ah eles não são um casal maravilhoso? Perguntou Alisson, emocionada, acariciando a protuberância em seu ventre

-Olha a forma que ele a encara. Comentou Hayden, sorrindo encantada, fazendo Malia olhar para o noivo, que deu de ombros desconfortável

-Queremos ver um beijo do casal! Gritou Tracy, do fundo da sala, fazendo todas concordarem e Stiles encarar Malia em expectativa

-Nós temos que ir. Chamou Theo, entrelaçando seus dedos com os de Malia, a fazendo encarar as mãos dadas e seu coração se encher de segurança para o que faria em seguida

-Vamos dar a elas o que querem. Comentou, determinada demais para a surpresa de Theo

-Malia? Sussurrou, procurando em seus olhos qualquer sinal de incerteza

A mulher não disse nada, usando ódio e a dor de ser rejeitada, ditar suas atitudes, a morena colocou as mãos na nuca do noivo e aconteceu algo que nem mesmo a desastrosa noite que causou o noivado forçado fez acontecer, ela o beijou e por mais incrível que pareça, gostou do que sentiu. Diferente de Stiles, que sentia seu coração se partindo em milhões de pedaços, enquanto evitava olhar para a morena de olhos tempestuosos que agora se concentrava onde deveria desde o começo, em seu noivo.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...