História Clichê inverso - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P
Personagens Bang Yongguk, Daehyun, Himchan, Jongup, Youngjae, Zelo
Exibições 42
Palavras 1.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Parte 4


Daehyun caminhou pelo corredor até parar de frente para uma porta vermelha. Ele me olhou por cima dos ombros e senti um pouco de medo do que encontraria ali dentro.

- O que tem aí dentro? - pergunto receoso.

- Meu quarto. - ele respondeu e destrancou a porta. Um tanto hesitante, eu entrei junto de Daehyun.

Era um quarto normal, porém com uma decoração muito bonita, tinha um filtro dos sonhos pendurado no teto, luzes de pisca-pisca na cabeceira da cama, havia um abajur ao lado da mesma, que era bastante espaçosa, iluminando o quarto e o ambiente tinha o cheiro do perfume dele.

- Ok... E agora? - perguntei estranhando o fato de estarmos naquele quarto tão bem arrumado - Vai me dizer o que estamos fazendo aqui? - ele, que até então estava de costas para mim, se virou na minha direção e olhou nos meus olhos. Continuou calado. - E então... O que você quer? - perguntei aflito.

- Sexo. - respondeu simples.

- O-o que? - eu meio que me engasguei. Como assim ele queria sexo?! - A-acho que não entendi.

- Eu quero fazer sexo... - respondeu novamente simples.

- E o que eu tenho a ver com isso? - questiono completamente confuso.

- Não é óbvio? - ele desvia o olhar - eu quero que faça comigo. - não preciso nem dizer que eu congelei. Oi? Que história é essa? Meu cérebro parecia se recusar a processar a informação.- Eu quero transar com você idiota! - ele disse alto.

- Que papo é esse Daehyun? - comecei a ficar nervoso.

- Olha - ele se aproximou de mim ficando a centímetros de distância - eu sei que você fica com garotos, então não haja como se fosse a pior coisa. Ok? - cruzou os braços e fez bico, não sei por que mas senti vontade de beija-lo e aquilo me apavorou mais ainda.

- O que?! Não, isso só pode ser uma brincadeira! - eu disse colocando as mãos na cabeça. - Isso é uma piada -  Ele me olhou sério. - Não... - abaixei as mãos - você não está brincando. Não é...? - ele olhou para o chão e mordeu o lábio.

- Eu quero isso Youngjae... De verdade. - me olhou nos olhos.

- Como... - aquilo era inacreditável - você... Você faz da minha vida um verdadeiro inferno e agora me vem com isso... Onde está com a cabeça, garoto? - o segurei pelos ombros.

- Esse é o preço Youngjae, se não quiser você já sabe o que vai acontecer. - ele respondeu irritado.

- Aí Jesus... - fiquei mais nervoso e o larguei - o que eu vou fazer?

- Bom... - ele caminhou até a cama - enquanto você se decide eu vou ficar aqui e seja breve, não gosto de esperar. - dito isto ele se deitou e ficou de bruços. Mais uma vez eu levei as mãos à cabeça.

Após um cinco minutos eu vou até a cama meio desnorteado e me sento ao seu lado, ele me olha mordendo os lábios.

- Tá... - começo a falar - eu vou esquecer por alguns instantes quem é você e... Vamos fazer... - respiro fundo.

- Ótimo - ele se levanta da cama para em seguida se sentar em meu colo, me abraça pelo pescoço e quando percebo a língua dele já está dentro da minha boca. CA RA LHO que loucura! Eu estou chocado demais para conseguir me mover ou se quer retribuir o beijo sendo assim ele para.

- Será que pode pelo menos fazer isso direito? - me encara e eu permaneço de olhos arregalados. Mais uma vez ele me beijou e novamente fiquei estático. - Desisto! - ele levanta do meu colo e faz menção de sair do quarto. Mas logo eu volto ao que está acontecendo e seguro sua mão, ele me olha bravo, levanto da cama e o puxo para mim. Depois de encará-lo por alguns segundos, lentamente, eu o beijo.

Nossas bocas se encaixam e eu percebo que estamos em uma sincronia perfeita. Eu aperto Daehyun em meus braços e ele se agarra a mim. Devagar nos deitamos na cama, fico entre as pernas grossas dele e as aperto. Porra, ele é gostoso, não dá pra resistir. Aos poucos fomos cessando o beijo e seus lábios seguem para meu pescoço, onde ele morde e chupa deixando marcas. Dessa forma começo a ficar excitado e meu deus! Isso é uma puta de uma loucura, mas eu tava amando.

Calmamente ele começou a tirar minha roupa, ele estava ofegante e parecia nervoso, aquilo me excitava mais ainda. Quando eu estava só de cueca ele nos trocou de posição ficando por cima. Desceu até ficar de frente com meu pênis onde, rapidinho, tirou minha boxer e o pegou com suas delicadas mãos. A princípio ele massageou meu membro me deixando completamente duro e assim começou a me chupar e puta que pariu... Foi meu fim, eu comecei a gemer igual vagabunda de cabaré e pela expressão fodidamente sexy que fazia ele tava adorando aquilo.

Eu gemia, mordia os lábios, suava, me agarrava aos lençóis da cama... Caralho, ele fazia aquilo muito bem, eu tava quase gozando, daí o filha da puta vai lá e para, obviamente eu xinguei ele que deu um sorrisinho e tirou a roupa. Pronto. Era uma vez Youngjae... Meu coração quase parou quando eu vi aquele garoto nú. Ele era um puta de um tesudo, sentou sobre as próprias pernas e mordeu lábio fazendo movimentos no próprio pênis que estava tão duro quanto o meu.

- Youngjae... - gemeu - me come... - falou me olhando nos olhos. E sim, é claro que eu quase tive um infarto ali mesmo, na hora eu  o agarrei e o deitei abaixo de mim.

Comecei a chupar e mordiscar todo o corpo dele. Cara, eu tava perdido no corpo dele, queria bagunçar aquele garoto todinho. Tava com uma vontade muito louca de ter ele pra mim. A aquela altura eu já não ligava para as coisas horríveis que ele já tinha me causado, eu só queria toca-lo e era o que eu estava fazendo. Eu fazia questão de apertar aquela cintura, quadril, coxas e bunda gostosa. Além do mais, ele era uma delícia que estava nos meus braços pedindo manhosamente para eu o foder. Como eu poderia negar?

Em instantes ele pegou o lubrificante ao lado do abajur e me entregou. Mordeu os lábios e ficou de bruços, eu não pude deixar de sorrir bem sacana, logo puxei seu quadril enquanto seu rosto estava junto dos travesseiros. Aquilo era perfeito. Após dar uns dois ou três tapas naquele bumbum deliciosamente grande, passei o lubrificante nos dedos e fui colocando dentro dele aos poucos. Ele era bem apertado, confesso, e parecia desconfortável, por um momento tive impressão que era a primeira vez dele, mas não levei tal pensamento muito a sério. Me concentrei em prapará-lo, logo ele já estava gostando então tratei de passar lubrificante no meu membro e entrei nele devagar, pra ser sincero eu não sei dizer porque estava sendo tão cuidadoso já que geralmente eu saio fodendo com força sem ligar com nada, mas sei lá... Com ele era... Diferente.

Por fim, esperei que ele se acostumasse com a dorzinha para então continuar... Meu deus quando eu comecei a movimentar, caralho. Parecia que eu tava no paraíso, puta garoto gostoso. E olha que eu ainda estava me mexendo consideravelmente devagar.

Quando ele pediu pra aumentar a velocidade, filho... Eu quase me acabo. Comecei a ir rápido, nós dois gemiamos, eu tava quase me debatendo de tanto tesão. E Daehyun gritava, rebolava, dizia um monte de sacanagem. Ainda bem que não tinha vizinhos ali perto.

Eu estapeava aquela bunda gostosa, ele já estava todo marcado. Cada vez que eu batia ou puxava seus cabelos ele gemia mais e mais. Até que chegamos há um momento que não aguentamos mais, aí foi... A gente gozou. E então eu me dei conta que... Aquela foi a safadeza mais gostosa que eu fiz na minha vida. 

Eu saí de dentro dele e fiquei deitado ao lado de Daehyun, eu estava radiante, com um puta de um sorriso enorme no rosto. Eu o olhei e ele ainda estava ofegante, ele se virou ficando de lado e me encarou, parecia tenso. Eu me joguei em cima dele e taquei o foda-se se ele não ia querer me beijar depois do sexo e ataquei aquela boca linda, ele pareceu meio surpreso mas logo retribuiu o beijo, passou os braços em volta de mim e acariciou minhas costas. O beijo foi se acalmando até pararmos, abrimos os olhos e ficamos nos encarando, seus olhos eram tão magníficos... De repente voltei a realidade e sai de cima dele meio que num pulo, me sentei na cama e coloquei as mãos no rosto, ele me olhou confuso. Tá, que porra foi essa?

- Tá ok... Era isso o que você queria? - perguntei aflito e ele confirmou com a cabeça. - Certo, então já chega! - falo alto meio desesperado - me leva pra cidade de volta. - ele apenas me olha estranho e eu me levanto da cama e visto minha roupa, saio do quarto rápido indo até sala. Lá eu me sento em um dos sofás e começo a refletir sobre o que acabou de acontecer.

Eu escutei um barulho de chuveiro e após uns 30 minutos Daehyun apareceu na sala, ele não falou nada comigo nem me olhou, mas eu pude notar seus olhos vermelhos e levemente inchados, como se estivesse... Chorando. Eu não sei o que é mais estranho, a ideia de Daehyun chorando depois do sexo, ou o fato de ter feito sexo com ele. Nossa, isso é tipo... Nossa!

Ele pega a chave do carro e da porta. Logo abre a mesmo e com um aceno me manda sair, ao passar por ele percebo o resto de maquiagem escura borrada no seu rosto e os cabelos molhados estão bagunçados e sua face não parece muito... Feliz.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...