História Clony no RIO - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os 13 Porquês (13 Reasons Why)
Personagens Clay Jensen, Hannah Baker, Tony Padilla
Tags 13rw, Clay, Clony, Tony
Visualizações 16
Palavras 1.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um Ep Fresquinho! Aêee!
Espero que gostem!

Capítulo 9 - A Troca.


Fanfic / Fanfiction Clony no RIO - Capítulo 9 - A Troca.


POV Tony


A Sra Jensen então decidiu preparar um jantar para todos nós. Vi que ela não estava nem um pouco satisfeita com a situação. Hannah e Clay eram os únicos animados. Apesar de estar aflito com toda a situação, o fato de ver o meu bebê saudável e bem já me enchia de alegria. Então não importava com o que pensavam de nós.
- Ei Tony, vem aqui! - Disse Hannah
Então me aproximei dele, ela estava com um sorriso bobo no rosto. Parecia que estava muito animada para fazer algo.
- Oi Hannah o que houve? 
Estava passando pelos corredores dos dormitórios e Hannah estava em seu quarto que provavelmente era o quarto de hóspedes. Então fui puxado para dentro.
- Tenho um surpresa pra você e o Clay hoje no Jantar. 
- Que surpresa? - Perguntei sorrindo.
Ela então pegou em suas coisas no armário uma caixinha aveludada azul e me entregou. Dentro haviam duas alianças douradas.
- O que? tá me pedindo em casamento? Clay vai ficar com ciúmes. - Disse rindo.
Ela então riu junto comigo e me bateu no ombro.
- Claro que não! - Disse. - Acontece que eu ganhei isso de um ex namorado. Ele achava que eu queria algo sério com ele... - Disse ela pensativa. - Tadinho... Mas ele era gente boa.
- Quer dizer que você destrói corações? - Disse rindo.
- Claro que não, eu sou um anjo na terra.
Então não pude deixar de rir.
- Eu quero que você fique com essas alianças e entregue uma pro Clay hoje no Jantar, Quero que você peça ele oficialmente em namoro.
- Mas acontece que já estamos namorando. - Disse.
- Eu sei ele já me disse. 
- O que? - Disse rindo sem acreditar.
- O Clay me conta tudo. - Disse ela.
- Mas eu não posso... - Disse. - Isso provavelmente é do preço da minha casa, não posso aceitar...
- É... provavelmente é caro... Mas eu quero que vocês usem. - Disse ela. - Está sem utilidade comigo.
- Você tem certeza?
- Claro! - Disse ela sorrindo. - Clay vai ficar muito feliz.
- A Sra Jensen que não vai ficar...
- É, isso tenho que concordar...
Então pude ver uma sobra magricela se aproximando. Era o Clay é Claro.
- O que estão fazendo ai sem mim?
Então rapidamente coloquei a caixa em meu bolço. Clay então se aproximou de mim e colocou os seus braços sobre o meu ombro.
- Nada de mais, estava vendo esse gatinho aqui dando sopa e quis perguntar se ele tem Whatsapp. - Disse Hannah. Todos rimos.
- Acho bom procurar outro Hannah. - Disse ele. - Por o Tony já tem dono.
- Bem Clay... era sobre isso que queria te falar. - Disse sério. - Acontece que ela mora na austrália... Ela vai me levar pra lá, então infelizmente nosso namoro vai ter que dar um tempo. 
- Ah então é assim? - Disse ele rindo.
- É claro que não, eu te amo. - Disse. Então dei um selinho nele.
- Vocês são muito fofos, mas acho que tá na hora de descer. - Disse Hannah. 
Então todos nós fomos até a sala de Jantar. O Pai do Clay era bem extrovertido. Conversava sobre tudo e parecia ser bem simpático. Diferente da sua mãe que mal conversou com todos nós. Clay estava realmente muito feliz de todos nós estarmos ali, podia ver a alegria em seus olhos. 
Durante a sobremesa já não aguentava mais os olhares de Hannah esperando uma ação minha. Acontece que estava suando frio, não conseguia pegar as alianças em meu bolso. Não por causa do Clay, e sim pelos seus pais. Não sabia qual seria a reação deles. Mas não podia mas enrolar, pois todos estavam quase acabando os seus pratos. Então tirei do meu bolso a caixa.
- Eu preciso falar uma coisa pro Clay... - Disse completamente sem graça.
- Uma coisa? Que coisa? - Perguntou o seu pai.
- Na verdade, preciso pedir. - Então me virei e peguei sua mão. Pois ele estava ao meu lado.
Seu sorriso logo apareceu em sua boca. Acho que ele já imaginava o que iria acontecer. Então amostrei para ele a caixa e logo a abri revelando as duas alianças. E Clay colocou uma das mãos na boca em total descrença. Hannah estava tirando fotos com o seu Celular. O Pai de Clay estava sorrindo brincando com o filho, somente a Sra Jensen estava mais séria. Mas ela esboçava alguns sorrisos de vez em quando.
- Clay Jensen... - Disse. - Agora diante dos seus pais....
- Não esquece de mim! - Gritou Hannah do outro lado da mesa.
- E da Hannah... - Disse rindo. - Você quer ser meu namorado?
- É o que? meu filho vai desencalhar? Eu não acredito! - Disse o seu pai rindo junto com Hannah.
- Vocês não existem! - Disse Clay rindo. - E Sim Tony! Eu Quero!
Eu então tirei as alianças e coloquei uma em seu dedo e ele colocou no meu. logo depois Hannah quis fazer uma sessão de fotos. Todos nos divertimos, até mesmo a Sra Jensen. 
- Eu te amo Jensen! - Disse o abraçando.
- Eu te amo Tony. - Disse ele com um sorriso contagiante.
Depois de mais algum tempo decidi que era hora de ir embora, pois iria trabalhar no dia seguinte.
- Clay eu preciso ir...
- Ah não! - Disse ele. - Dorme aqui comigo! Estamos praticamente de lua de mel. 
Não consegui evitar de rir com o seu comentário.
- Infelizmente não posso. - Disse. - Mas o fim de semana está chegando, prometo que vou te compensar.
- Tudo bem. - Disse ele fazendo uma cara de cachorro que caiu da mudança.
Então o beijei durante um tempo.
- Amanhã cedo você tem terapia? - Perguntei.
- Tem se eu resolver aparecer... - Disse ele revirando os olhos.
- Então você tem sim! - Disse.
- Tudo bem... - Disse ele. - Mas vou aceitar só porque quero te ver o mais rápido possível. 
- Então eu passo aqui de manhã ok?
- Certo. - Disse ele se curvando para que eu o beijasse. E não tinha como negar isso a Clay Jensen.
Era complicado o beijar com ele na cadeira pois tinha que me abaixar sempre, mas se tudo der certo daqui a algum tempo tudo aquilo iria acabar.
- Então eu já vou, até amanhã. - Disse. - Te amo.
- Também te amo baixinho! - Disse ele.

 


Notas Finais


O Próximo EP sai JÁJÁ
então até a próxima!
Deixe seus coments!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...