História Close To You - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Johnny Depp
Personagens Johnny Depp, Personagens Originais
Tags Johnny Depp, Melancolia, Romance, Veneza
Exibições 47
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais um capítulo galera ^^

Capítulo 44 - Preconceito


Fanfic / Fanfiction Close To You - Capítulo 44 - Preconceito

Ana olhava o amigo abismada ou pelo menos tentando acreditar no que observava. Era insano.

— Me diga logo o que aconteceu! — Chorou ainda mais quando André lhe acompanhou com lágrimas de tristeza e lhe abraçou.

Ficaram assim por alguns instantes até entrarem para a casa pequena e lá ela encontrou mais uma vez o amigo misterioso do rapaz, seu nome era Rafael e o mesmo estava pousado no sofá compartilhando a feição de tristeza de ambos.

Só então Ana pode ter a oportunidade de entender o que havia acontecido, o rapaz foi até o sofá onde estava o outro e sentou-se ao lado dele tomando-lhe uma das mãos com carinho.

— Ele é meu namorado Ana. — Explicou tentando conter um pouco das lágrimas que escorriam involuntariamente.

A garota arregalou olhos com a revelação, mas foi algo passageiro, pois logo lembrou-se de questiona-lo sobre os ferimentos na face.

— Quem te machucou? — A angústia pairou seu coração, ver o amigo, justo ele que tanto lhe ajudou e encheu de conselhos daquela maneira era desesperador.

— Foi o preconceito... — Não terminou, parece que relembrar o que havia acontecido havia de ser muito duro.

Levantou rapidamente e foi para o quarto em prantos.

Ana não o seguiu, precisava saber o que havia acontecido com ele, olhou no mesmo instante para Rafael que lançou-lhe de imediato um olhar sofrido. Baixou a cabeça.

— Me diz por favor o que aconteceu. — Suplicou.

— Ele apanhou do meu pai... — Revelou envergonhado.

— O que? E você deixou? — Retrucou indignada.

— Não pense que fui negligente! — Tratou de explicar — Eu havia saído de casa para morar com André, já tínhamos resolvido tudo, mas meu pai ficou inconformado e pegou ele na saída do trabalho e lhe deu essa surra. — A voz ficou embargada.

— A gente vai na polícia agora! — Lhe pegou pela mão e o conduziu até o quarto chegando a presença de André — And levante que vou leva-los a polícia, você precisa prestar queixa!

— Aninha não é tão fácil assim... — Falava enquanto sentado na cama, a menina reparou no local só então, haviam algumas roupas espalhadas pelo cômodo.

— Você não precisa ter medo, eu vou com você! — Se ajoelhou pousando as mãos nas pernas dele.

— Como vou prestar queixa contra o pai do Rafa? Eu o amo e não quero vê-lo sofrendo porque seu pai está preso por minha culpa...

Ela então entendeu a situação, era mais delicada do que pensava, entregar o agressor era a mesma coisa que levar o filho junto, no entanto não podia deixar que aquilo passasse despercebido.

— Mas a culpa não foi sua! And eu sei que é difícil para você...e para o Rafael também...—Olhou para o outro sentado na cama — Mas precisamos fazer alguma coisa, não vou deixar que ele fique impune!

— Ana eu não lhe chamei aqui para me queixar de nada, queria te fazer um pedido. — Revelou limpando as lágrimas.

A jovem ouviu atenta o pedido que ele lhe faria, algo que surpreendeu até mesmo Rafael que mostrou não saber do que se tratava.

— Peça o que quiser!

— Leve o Rafa e o proteja para mim! — O outro em questão se assustou com o pedido do amado.

— And eu não vou te deixar... — Pareceu desesperado.

— Olha Rafa... — Segurou no rosto do mesmo com carinho — Você vai com ela e vai me prometer que ficará bem e mesmo que seu pai venha atrás de você ele não te achará, depois disso vamos para Milão como havíamos planejado! — Concluiu e lhe selou os lábios com amor.

— Não André isso é muito arriscado, quem garante que ele não vai te machucar de novo?

— Eu sei me defender...ele me pegou de surpresa por isso me deixou com tantas marcas. — Interveio.

— Não pense que vai me convencer André Riggoni! — Falou firme —Eu tenho uma ideia!

Os rapazes se entreolharam enquanto ela levantou-se da posição que ficara por minutos. Estava determinada.

 

(...)

 

Johnny já estava começando a ficar preocupado com Ana, sua filha partiria hoje mesmo já que o trabalho a chamava para mais uma temporada na França, e a namorada não chegava para se despedir dela.

— Já liguei pra Ana, mas ela não atende. — Dizia ainda com o celular em mãos.

— Tudo bem, diga a ela que deixei um beijo e vê se não vai mais aprontar tá? — Lhe deu um abraço longo e um beijo na bochecha.

— Tá certo "bebê". — Sorriu ouvindo a recomendação dela lhe apertando a ponta do nariz.

— Não vou poder esperar mais, meu vôo está marcado para as sete.

— O Jerry vai te acompanhar até lá, você sabe que se eu for, uma simples chegada ao aeroporto se transforma num evento né?

— Tô sabendo. — Sorriu e lhe beijou pela última vez se despedindo.

Johnny fez questão de leva-la até o carro, foram abraçados até lá.

— Diga para o seu irmão que quando ele puder que venha me visitar, sei que a escola lhe toma muito tempo.

— Eu falo sim.

— Mande um beijo para sua mãe também.

A jovem sorriu e abraçou o pai antes de entrar no carro e seguir para casa.

— Tome cuidado e quando já tiver chegado me ligue! — Recomendou por fim e fechou a porta do carro para ela avistando o mesmo seguir em direção ao aeroporto.

Assim que o veículo tomou distância olhou para o relógio de pulso conferindo o horário, já estava começando a se preocupar com a namorada, ela não costumava ficar tanto tempo fora sem dar algum sinal de vida. Olhou para o horizonte a fim de vê-la chegando, mas tudo o que pode ver foi o sol começando a se pôr. Virou-se frustrado para o prédio e entrou novamente.

De longe também era observado pelo homem, o mesmo que vinha prestando atenção em Ana, talvez fosse a descrição que o deixava imperceptível aos olhos dos mais curiosos. Há semanas vinha observando a rotina do casal e em breve poderia pegar Ana desprevenida. Bertrand a queria.


Notas Finais


Se você chegou até aqui obrigado!
Segue minhas redes sociais caso queiram entrar em contato:

Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100005457785676
Twitter: @isahcris13
Instagram: IsahChris
Página do Johnny: https://www.facebook.com/conexaodepp/
Página do meu projeto: https://www.facebook.com/cogumelopopoficial/

Beijos doces e até mais ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...