História Close your eyes - camren - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren G!p
Exibições 70
Palavras 1.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi

Capítulo 7 - Let me love you


Fanfic / Fanfiction Close your eyes - camren - Capítulo 7 - Let me love you

 

Era tarde da noite, mas assim como os outros eu estava longe de me sentir cansada. Camila estava de frente ao meu corpo, cantava em plenos pulmões o refrão de Someday, ela estava linda ali na minha frente, os braços para o alto como se de alguma forma pudesse chegar ate as pessoas que estavam no palco.

_Someday, somehow, gonna make it alright but not right now - cantavamos todos juntos em uma so voz, envolvidos pela voz de Chad. Minhas mãos estavam na cintura da Camila, eu precisava segura-la, ou era capaz de cair sozinha em meio a aquelas pessoas. Seus cabelos estavam soados e seu perfume estava grudado em meu nariz, eu não reclamava de forma alguma, eu amava aquele perfume com todas as minhas forças.

Podia parecer simples aos olhos de qualquer outra pessoa, mas sinceramente...aquilo estava sendo incrivelmente epico, levar Camila a um show em especial estava em minha lista de planos antes mesmo de saber oque eram planos, era uma sensação tão boa estar ali com ela, ficando presas em algo que era so nosso, apenas teoricamente, ja que estavamos cercadas por outras pessoas na mesma situação.

_Meu deus isso é perfeito! - disse ela ao se virar de frente ao meu corpo, sorri junto a ela ao ver sua felicidade explicita não me contendo ao beija-la de forma imediata - obrigada, obrigada.. - dizia como um mantra enquanto me abraçava com força.

_Esta sendo ainda melhor para mim, acredite. - falei ao apoiar meu queixo em seu ombro, Camila riu de maneira fofa ao segurar minhas mãos por cima das suas, esses meses foram os melhores da minha vida, eu não podia negar que tudo estava indo as mil maravilhas, agora a gente precisa se formar, ir ate Amsterdam, pedi-la em casamento, e sucessivamente, nos nos casamos em uma praia em Tulum.

Quando chegamos em casa, eu me sentia feliz, me sentia leve...e ligeiramente enjoada, eu nunca havia bebido nada que tivesse alcool em sua composição, sinceramente eu gostava de minha distancia desse tipo de bebida, mas acompanhei Camila numa dessas de virar um copo de alguma coisa rosa e forte.

_Hoje pode ter sido a melhor noite da minha vida. - disse ela ao ficar em minha frente enquanto segurava o pano do meu moletom por entre seus dedos - eu te amo tanto. - seus labios logo cobriram os meus em um beijo certamente desesperado.

_Vamos...tomar...banho - eu dizia de maneira pausada no intervalo de cada beijo que ela me dava, eu sabia bem oque ao certo aquilo podia significar, nós eramos virgens, isso não era bem uma novidade, nunca passamos disso, por medo de nos duas, não era bem medo...mas sim um receio.

Eu não sabia o minimo do que deveria fazer, ja é um claro sinal de panico.
Quando desci ate a cozinha para pegar um comprimido para Camila, retornei em poucos minutos e ela ja havia adormecido.

_Eu sabia que isso iria acontecer - disse baixo ao me colocar ao seu lado da cama, beijei suavemente sua testa, sentindo seu corpo junto ao meu em um forte abraço, eu levava a vida perfeita ao lado de quem amava, isso é tudo.

(....) 

Era um dia frio, assim como todos os outros. So havia a diferença que meu pai havia me levado para o colegio aquela manhã, a psicologa disse que seria bom para nós dois se convivessemos mais, eu não dava muita importancia para isso, mas eu tambem não queria total distancia do meu pai, tudo isso ainda era muito dificil pra mim.

_Oque você vai fazer hoje ? - perguntou ele enquanto parava o carro proximo a escola, olhando atraves dos vidros escuros do carro eu pensava em algo coerente para se dizer.

_Bem..o de sempre, ficar em casa com Camila. - disse com a voz baixa ao firmar minhas mãos em meus joelhos, vi meu pai concordar lentamente com a cabeça, assim como eu, pensando em algo para dizer.

_Oque acha de ir ao Impero hoje a noite ? - vi um meio sorriso em seus labios e me senti triste por isso, meu pai estava se esforçando para que conseguisse de volta a minha amizade, e eu como uma boa idiota não tinha muitas estruturas para ceder a isso. 

Ali naquele carro com cheiro de lavanda, os olhos de meu pai brilhavam com a esperança de ouvir um sim de minha boca, meu amor por ele não diminuiu, não se desfez, ele continuava ali dentro, esperando a oportunidade certa para ser novamente exposto, suspirando longamente eu levei a mão ate a maçaneta da porta, vendo de relance o sorriso dele morrer.

Droga Lauren!

_Pode me buscar as sete. - disse de maneira baixa antes de virar o rosto em sua direção vendo novamente um sorriso nascer em seu rosto aparentemente cansado - tchau, pai.

Assim que sai do carro pude respirar novamente sem nenhuma dificuldade, para mim em particular, era dificil sentir arrependimento, como dizia a minha vó, o arrependimento é a vergonha do orgulhoso. Mas no futuro, eu não queria ter que voltar para consertar as coisas, com tudo e com todos, o melhor a se fazer no minimo é a coisa que seu coração acha certo, e meu coração achava certo perdoa-lo, mesmo que fosse dificil.

Eu caminhava em meio aquela aglomeração de pessoas querendo chegar logo ao meu destino, parecia que toda aquelas pessoas decidiram estar no mesmo lugar ao mesmo tempo.

Uma de minhas importantes decisões foi não ficar nos dormitorios da escola, eu não gosto da ideia de ter que conviver diariamente com pessoas da qual eu não conheço, logo cedo algumas garotas transitavam com poucas roupas pelos corredores e isso seria o suficiente para deixar minha namorada com os nervos a flor da pele, Camila não estudava na mesma escola que eu, ela frequentava uma das escolas publicas por opção propria, Camila era bem teimosa quando queria.

_Hey Marsh! Poderia me informar quanto custa a hora ? - disse um dos garotos enquanto chegava perto da garota, os outros perto de si apenas davam risadas como se aquilo fosse algo realmente engraçado, apressei meus passos em direção a eles que logo trataram de seguir na direção oposta, malditos.

_Hey...você esta bem ? - perguntei baixo ao parar ao seu lado, ela bateu a porta de seu armario com força antes de respirar de maneira pesada.

_Eu não suporto mais isso. 

_Eu posso te ajudar, sei que posso, você so precisa confiar em mim.

_Não! eu não preciso de ajuda. - gritou com lagrimas nos olhos - não preciso da sua caridade. - foi questão de segundos ate ela me dar as costas e apressar seus passos em direção a alguma sala no corredor, me escorei em um dos armarios respirando de maneira pesada, tudo aquilo era dificil, eu sei que era, eu queria poder ajuda-la, oque era dificil devido a todo o seu medo.

 


Notas Finais


Tchau


Bjoney <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...