História Closer - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jimin, Jin, Romance, Suga
Visualizações 259
Palavras 1.509
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Leiam as notas finais, obrigada 🌼

Boa leitura 💘

Capítulo 16 - If everything goes wrong...


 

Acordei e não senti mais Leah ao meu lado. Seu cheiro estava impregnado no lençol e travesseiro que estava usando. Um sorriso bobo surgiu em meu rosto ao lembrar da noite anterior.

 

“ — Leah? — Iria pergunta-la, precisava ter a certeza de algo.

—...? 

— Agora nós podemos ficar juntos, não é mesmo? — Eu temia por um não e ansiava por um sim. 

— Sim.” 

 

Coloquei minhas mãos sobre o rosto tentando esconder a vergonha, mesmo que não fosse preciso já que não havia ninguém no quarto. 

Quando ouvi aquela resposta de Leah, uma alegria enorme preencheu meu ser e eu comecei a transbordar. Não aguentaria se dissesse um não na minha cara. Me sentiria muito ruim e não saberia o que fazer, talvez fosse beber e acordaria no outro dia em meu apartamento sem me lembrar de nada. Provavelmente estaria cheirando a algum perfume de garota, o que me deixaria mais agoniado, pois eu não iria querer isso.

 

— Já acordou? — Retirei a mão do rosto e olhei para a porta, vendo Leah parada vestindo apenas uma camisola preta. Seu cabelo estava solto e usava um óculos, talvez fosse de grau. Em uma de suas mãos estava um livro e na outra uma xícara — Por que está me olhando desse jeito? 

— Não posso mais te olhar? 

— Que pergunta. — Revirou os olhos e veio se sentar na cama, ficando ao meu lado.

— Não vai trabalhar? 

— Se esqueceu que hoje é feriado? — Colocou a xícara no criado mudo e abriu seu livro. 

— Eu não me lembrava disso. — Fiquei sem graça pela frieza dela ao me responder — Está tudo bem? — Respirou fundo e deixou o livro de lado, olhou para mim com uma expressão triste. 

— Eu só estou ocupando minha cabeça com algumas coisas para não deixar que pensamentos voltem.

— Que tipo de pensamentos? — Ela virou o rosto e algumas mechas de cabelo esconderam sua face. 

— Sabe, Jeon — Por que ele de novo? — e eu tivemos um relacionamento bom, muito bom quando finalmente conseguimos ficar juntos. Entende o que eu quero dizer? 

— Não Leah, eu não entendi.

— Min, você sabe mesmo o que nós tivemos que abdicar para podermos ficar juntos? Sabe o que passamos? Foram tantas humilhações de todos, eu não quero passar por isso de novo. Não quero te fazer sofrer por minha causa... — Fiz ela virar seu rosto para me olhar e seus olhos já estavam cheios de água. 

— Me escute Leah, eu não sou Jungkook-

— Sim, você não é ele. — A primeira lágrima deslizou pela sua face e um sentimento de tristeza me atingiu por algum motivo — É por isso que me preocupo. Você não é como ele.

— O que quer dizer? 

— Jeon era do tipo que tinha medo das pessoas, mas não se importava com as consequências de seus atos. Não era nenhum tolo e sabia que iria passar por aquilo, eu o avisei, da mesma forma que estou te avisando Min. Ele ignorou e disse que tudo ficaria bem, que não deveria me preocupar com este tipo de coisa. Contudo, quando meu pai soube de Jeon, imediatamente quis vê-lo, eu sabia o que iria acontecer, mas ele não se importava. Quando chegou até meu pai, foi horrível. Eu nunca vi alguém humilhar tanto uma pessoa daquela forma e eu nunca tinha visto Jungkook chorar daquele jeito, não na frente de meu pai pois ele manteve seu orgulho intacto, mas depois quando veio me ver, ele desabou. Já você é o oposto, tem medo mas confronta todos os que te negam algo. Não sei se chora, nunca o vi assim. É orgulhoso mas parece que desaba com pouca coisa. Você é muito mais sensível do que Jeon, não suportaria tudo o que ele passou. 

— O que você teve que passar? — Ela me olhou assustada — Você me disse o que Jeon passou, mas e você? O que te fizeram? 

— Consegue imaginar uma mulher de 21 anos sendo agredida diariamente pelo próprio pai na onde trabalha? Sendo xingada de todos os nomes horrendos que você possa imaginar? Tendo as costas de seus amigos viradas e fugindo, com medo do que o pai dela poderia fazer se tentassem ajuda-la? Consegue me imaginar sendo abusada por um cara que meu próprio pai contratou para que eu aprendesse a ter bons modos e respeitasse meu sobrenome afim de ter uma boa imagem nesta droga de sociedade?! Ele me machucou muito, nem ao menos posso ter filhos por causa dele! Eu não vou aguentar isso de novo, você não vai aguentar isso! — Ela já se encontrava chorando alto. Eu não sabia o que ela havia passado, Jeon nunca me falou sobre isso, ele se queixava que Leah dizia que sabia a dor dele por conta das humilhações que ele passava mas que na verdade ela só dizia aquilo para conforta-lo. Ela nunca contou sobre isso? Por quê? 

— Leah...

— Me perdoe por ter dito que poderíamos ficar juntos! Por favor, se afaste de mim! Eu não quero que você se machuque dessa forma horrenda, não quero! — Ela tentava inutilmente me empurrar para que eu fosse embora. Mas nas condições em que ela estava, eu não me perdoaria se deixasse ela assim. — Por favor Min... — Me ajeitei na cama e a puxei para perto, envolvi seu corpo com meus braços e a abracei — Não faça isso consigo mesmo... Não se machuque assim... 

— Eu escolhi ficar com você Leah. Eu não vou deixar que encostem em você e te machuquem dessa forma novamente. Nenhum ser humano merece passar por isso, nenhum Leah. Eu nunca soube de algum caso parecido, porque é algo surreal, nem um louco faria uma coisa dessa. Você precisa ir até a polícia, não pode deixar seu pai fazer isso com você. 

— Eu não posso ir. Não se trata somente de mim, mas sim de Taehyung também. Ele foi o único que se posicionou contra tudo que meu pai fez e por isso teve seu nome retirado de todos os registros da família e agora é tratado como lixo por muitos. Não quero fazer meu irmão sofrer também. Eu não sei mais o que pode acontecer se meu pai souber que estou tendo novamente um relacionamento com uma pessoa que ele não reconhece. 

— Você é uma mulher de 24 anos, sabe o que é certo e o que é errado. Não precisa depender de seu pai para algo. Você tem maturidade e é responsável, saberia se virar sem as custas de seu pai. 

— Eu sou formada em direito por causa do meu pai, ele tem muitas empresas em seu nome, acha que seria fácil arrumar um emprego? 

— Definitivamente não. — Soltei o ar pela boca — Poderia fazer uma outra coisa, trabalhar em algum escritório pequeno ou até mesmo em uma universidade como professora de direito. Há tantas coisas que você pode fazer... 

— Meu pai me deserdaria, me colocaria para fora de casa nua, sem nada. 

— Poderia ficar comigo. 

— Yoongi, até agora eu não sei como se sustenta. Você não rouba e não trafica drogas, como consegue se manter?

— Meu pai é dono de uma emissora de televisão, eu trabalho com ele, mas por conta dessas enormes denúncias em meu nome ele me demitiu temporariamente. — Pude notar Leah suspirar. Seu choro havia diminuído.

— Min, você tem certeza absoluta que quer mesmo ficar comigo mesmo depois de saber o que irá passar? 

— Tenho Leah, você não vai passar por aquilo de novo. Eu vou te proteger de tudo que possa fazer mal a você. — A apertei mais nos meus braços e ela retribuiu me abraçando. 

— Se tudo der errado, somente se der errado, você promete que irá sumir daqui e da minha vida? — Havia um certo receio em suas palavras, por mais que aquilo fosse certo, ela não queria se afastar. 

— Eu irei tentar cumprir isso se algo vier a acontecer. 

— Min...

— Vai ficar tudo bem Leah, vai ficar tudo bem... — Mesmo que eu não tivesse a certeza absoluta de que tudo iria realmente ficar bem, eu queria dar segurança para Leah, ela não suportaria ouvir que algo poderia dar errado — Nós estamos aqui e é isso que importa agora...

 

**Leah**

 Não Min, o que importa agora não é isso e sim a criança que carrego. Não direi a você sobre ela, não contarei a ninguém. O destino dela já está traçado, eu irei perdê-la. Será doloroso, eu já senti a dor da perda quando engravidei de Jeon. Eu terei que ser forte para tudo o que está por vir, mas ainda tenho medo do que possa acontecer... Se alguma coisa der errado novamente e eu venha perder você e tudo o que eu tenho, farei uma enorme besteira...

Morrer, era isso que iria acontecer, eu iria morrer se tudo desse errado novamente.


Notas Finais


Vocês se lembram do final do capitulo 13 né? Se não, vai lá que você vai descobrir como a Leah tá grávida.

Nt: Não tem cena Hot, sorry </3

Nt: Vou dar oportunidade de escolha para vocês, somente dessa vez, então escolham bem. Querem que a Leah fique grávida ou não? Dependendo do que escolherem, a situação na história vai mudar drasticamente em ambas as escolhas. Se a maioria for sim, eu vou deixar como esta. Se a maioria for não, eu excluo essa última parte da Leah neste capítulo!

Só isso mesmo, apenas escolham bem e se eu ver que não tem comentário algum com decisões ou as escolhas estiverem divididas, eu irei colocar na história o que eu achar melhor. 💘

Até o próximo capítulo, Beijos 🌼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...