História Closer - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jimin, Jin, Romance, Suga
Exibições 66
Palavras 1.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIEOIE GENTE, TUDO BEM COM VOCÊS?

Tem um avisinho nas notas finais, acho bom ler hsyshs é bem curtinho

Boa leitura ♡

Capítulo 20 - I love you


 

Após deixar o sapato de Leah na porta e verificar como ela estava, fui até o banheiro e liguei o chuveiro. Me despi e entrei nele, deixando a água fria tocar meu corpo. Lágrimas atrás de lágrimas deslizavam pela minha face. Após essa notícia de que Leah está grávida, meu psicológico se quebrou. 

Eu tenho medo de não conseguir protegê-la. Tenho medo de não chegar a tempo caso algo aconteça a ela e a essa criança. Eu não quero perde-la, não quero ir embora e deixar ela sofrendo. Agora Jungkook está aqui. O que está acontecendo? Por que a vida odeia tanto a Leah? Já não basta o tanto que ela sofreu, por que fazê-la sofrer mais ainda? Deveríamos ir embora deste lugar. Deixar todas as coisas de ruim em Seul e começar uma nova vida em uma outra cidade. O único problema seria ela aceitar isso. Leah tem medo do que possa acontecer caso ela vá embora. Mas as circunstâncias estão diferentes, e no momento, para o próprio bem dela e da criança, deveríamos ir embora.

Agora, eu não sei o que fazer a respeito de Jeon. Minhas últimas lembranças dele não são as melhores, afinal, dois dias antes daquele acidente, nós havíamos brigado.

 

**Flashback On**

 

Adentrei o apartamento de Jeon e fui direto para seu quarto, encontrando ele dormindo em sua cama. 

 

— Yoongi? — Seus olhos estavam semiabertos, ainda estava sonolento, mas tratou de sentar-se na cama e acordar— O que faz aqui? 

— O que eu faço aqui Jungkook?! Está falando sério?! 

— Sim, eu estou falando sério. 

— Você viu o que fez ontem naquela festa?! Como pode tratá-la daquela maneira?! — Jeon se levantou e ficou próximo de mim.

— Que eu saiba ela é minha namorada e eu sei o que fiz ontem. Já pedi desculpas para ela. 

— Desculpas? E ela aceitou não é? — Soltou o ar pela boca — Quando é que vai parar de ser assim? Ela ama você.

— E eu também a amo. 

— Não é o que parece.

— Olha Yoongi, eu bebi de mais e fiz aquela besteira ontem. Eu não tinha consciência do que estava fazendo. 

— Poderia ter evitado aquilo. Eu, Namjoon, todos disseram para você parar de beber. Mas o idiota quer se achar o foda e acabou fazendo uma besteira daquela. Olha, eu sinceramente não sei como a Leah não terminou com você ainda.

— Já chega disso! Eu já pedi desculpas para ela. Estou cansado de ter que ouvir você falando o que devo fazer e me dando lição de moral. 

— Deve ser porque você ainda é imaturo de mais para continuar um relacionamento com uma mulher. Afinal, você ainda é uma criança. — Jeon não hesitou quando me deu um soco no rosto. 

E eu também não hesitei em bater nele. 

 

**Flashback Off**

 

Após aquilo, eu não falei com ele ou toquei no assunto da festa. Eu não achava que estava errado em falar aquilo para ele, e talvez não estivesse. Mas meu sangue ferveu de raiva quando ele me acertou, não pude evitar de retribuir o murro. Porém, ele está aqui novamente e eu não sei como ficar. Foi um tiro quando disseram que ele havia morrido. Eu fiquei completamente sem chão. Mas ninguém sabia que eu havia brigado com ele. Precisei de muito consolo do meu pai e de Namjoon para conseguir ir até o enterro. O que mais me doeu aquele dia, foi ver Leah daquela forma; Sem vida alguma.

Seu olhar, sua aparência, nem ao menos conseguia derramar uma lágrima. Ela estava detonada psicologicamente e fisicamente. Nunca havia tido uma conversa decente com ela, apenas me conhecia por conta das festas que Jungkook insistia que eu fosse e ela estava presente. Mas mesmo assim, doía vê-la ali. 

E agora, após presenciar tudo isso, não quero vê-la assim novamente. Farei o possível do impossível para que ela se sinta bem e não se machuque novamente. E agora que ela está grávida, o cuidado vai ter que ser dobrado. 

Só de pensar que eu vou ser pai, uma felicidade me atinge. É como se todas as coisas ruins sumissem e só ficasse o que é bom. Eu darei muito amor a essa criança e farei ela muito feliz, assim como a mãe dela. 

Após alguns instantes, senti um certo incomodo com relação a água gelada do chuveiro, então tratei de tomar logo o banho, ensaboando meu corpo rapidamente e retirando o sabão logo em seguida. Lavei meu rosto e meu cabelo e após terminar o banho, fechei o registro. Peguei uma toalha branca que estava pendurada e enxuguei meu corpo, passando ela no meu cabelo para retirar o excesso de água. Peguei um roupão preto que estava pendurado atrás da porta e o vesti, amarrando a fita na cintura para fechá-lo. Calcei uma pantufa que estava do lado e abri a porta, indo direito para o quarto.
Quando cheguei lá, Leah não estava mais na cama. Olhei mais uma vez o cômodo e ela não estava ali. Vasculhei os outros dois quartos e ela também não se encontrava. Procurei no outro banheiro e também não estava. Fui até a sala e nenhum sinal dela. O medo já havia tomado conta do meu ser. Cogitei ligar para alguém, mas quem exatamente? Eu não sabia como era o número dos amigos ou de seu irmão. 

 

— Droga...

 

Eu não sabia o que fazer, no entanto, eu havia esquecido de procurar em um lugar. Andei calmamente até uma porta e abri ela devagar, respirando aliviado ao ver aquilo. A mesa da cozinha estava com um pote enorme de sorvete de creme, que acabava rapidamente por causa de Leah. Seus pés balançavam no ar por conta da cadeira ser grande por causa da mesa ser alta. Comia o sorvete como se fosse o alimento mais delicioso que já comeu. 

 

— Minha cabeça... — Colocou a mão na testa e voltou a comer. Estava comendo rápido de mais.

 

Abri a porta por completo tendo seus olhos direcionados para mim, acompanhado de um sorriso gentil. Me aproximei dela e a puxei para um abraço apertado. 

Eu não iria deixar nada acontecer com ela e com essa criança. Protegeria as duas com minha própria vida se fosse preciso. Pois eu a amo de mais para deixar algo de ruim acontecer. 

 

— Leah, eu te amo...


Notas Finais


O fim está próximo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...