História Closer - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias X-Men
Personagens Emma Frost (Rainha Branca), Jean Grey (Garota Marvel / Fênix), Scott Summers (Ciclope)
Tags Jean Grey, Jott, Scott Summers
Exibições 18
Palavras 1.523
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey amorzinhos! Como estão vocês?

Para quem me conhece, sabe que de todas as histórias já postadas, 95% é de Teen Wolf. Mas hoje eu resolvi trazer pra vocês uma historia de um casal que amo de paixão e como tem anos que eu não escrevo sobre eles, resolvi matar a saudade e compartilhar com vocês minha nostalgia.

Vou deixar o link da música do capitulo nas notas finais, ok? E sobre a capa, foi eu mesma que fiz, então não reparem ;)

Espero sinceramente que gostem <3

Capítulo 1 - Capitulo Único


“Eu ainda estou aqui

Perdido em mil versões irreais de mim

Estou aqui por trás de todo o caos

Em que a vida se fez

 

 

Scott sabia que a vida podia surpreender. Tudo era possível em um mundo de mutantes, certo? Mas nada havia o preparado para as inúmeras voltas que sua vida estava dando nos últimos anos. A viagem do tempo feita por Logan havia mudado coisas demais. Seu casamento com Jean, o nascimento de Rachel, o aparecimento de Emma, sua traição, a morte de sua esposa, seu relacionamento com sua ex amante e agora a ressurreição da mulher que sempre fora dona de seu coração e mente. E aqui estavam eles, tendo que fingir não passar de desconhecidos que tem uma filha juntos, na varanda da mansão que cresceram e amadureceram juntos, observando os fogos de artificio iluminarem os céus em uma noite de ano novo. Jean não demonstrava raiva, nem rancor do homem que a encarava com devoção quando pensava que ninguém estava percebendo, mas só ele sabia o quanto ser alvo de sua raiva lhe confortaria no momento. Desde sua ressurreição e descoberta do relacionamento de Scott com Emma, não havia lhe dirigido a palavra além do necessário. E o impacto disso em seu coração assombrava o homem.

Não. Ele não a havia superado. Ela ainda era a única dona de seu coração, mente e corpo. Mas agora ele tinha que lidar com as consequências de sua decisão tomada há alguns anos. Emma não precisava usar sua telepatia para saber que a volta da ruiva atormentava seu companheiro. Depois que a mulher cruzou a porta da mansão e Scott paralisou a encarando com os olhos transbordando amor e desespero para a pegar em seus braços, ele havia mudado. Agora ele a beijava e se relacionava apenas de olhos fechados e ela sabia o motivo. Scott apertou o braço ao redor de Emma e fechou os olhos, absorvendo o perfume dos cabelos da mulher, mas nem de longe isso a agradava. Ela sabia que naquele momento, não era ela que ele tinha nos braços. Era a ruiva que tanto lhe incomodava.

 

 

Tenta me reconhecer no temporal

Me espera

Tenta não se acostumar

Eu volto já

Me espera

 

O mutante já havia perdido as contas de quantas vezes já havia pensado em abandonar tudo e fugir dali com sua mulher e filha. Sim, ela ainda era sua mulher e sempre seria. A única que conseguia lhe tirar a razão, a única que tinha o poder de leva-lo do céu ao inferno em segundos, a única que o fazia se sentir sem controle sobre o próprio corpo e mente, uma das últimas coisas restantes que ainda podiam o ferir. Ela não tinha noção do quão profundo ainda era seu amor por ela, e pela forma que agora agia, ela não parecia se importar mais com a intensidade dos sentimentos do homem que todas as noites dormia abraçado com Emma, a imaginando ali.

 

 

Eu que tanto me perdi

Em sãs desilusões

Ideais de mim

Não me esqueci

De quem eu sou

E o quanto devo a você

 

Emma não merecia aquilo e Scott tinha plena consciência disso. Eles erraram no passado, mas ela esteve ali para ele quando mais precisou. Foi ela que o segurou e o acalentou em seus braços durante os meses seguidos de pesadelos e lagrimas pela morte de Jean. Foi ela que o incentivou a se reerguer e a voltar a lutar e ele sempre seria grato. Ela era digna de todo o amor que ele poderia dar e ele sabia que ela o amava, mas não era algo que ele pudesse controlar. Apenas o perfume de Jean era o suficiente para descarrilhar todo o autocontrole desenvolvido por ele ao longo dos anos e por mais assustador que pudesse ser, ele não pensaria duas vezes antes de se jogar de cabeça novamente no abismo profundo que era seu relacionamento com Jean. Ela só precisaria olhar para ele e então ele o faria, sem pestanejar.

 

 

Tenta me reconhecer no temporal

Me espera

Tenta não se acostumar

Eu volto já

Me espera

 

 

O barulho dos fogos cessou e com isso os pensamentos do homem foram interrompidos. Seus olhos abriram devagar e a primeira coisa que viu, foi Jean se abaixando para pegar Rachel no colo, enquanto lhe dava um beijo casto em sua testa. Era incrivelmente assustador notar que nem mesmo sua filha de seis anos podia lhe encarar depois de suas últimas escolhas. Ele se lembrava com clareza do olhar quebrado da menina em sua direção, ao vê-lo chegar no enterro de Jean de mãos dadas com Emma. A dor chegou a ser física em todos os dias seguintes em que ele teve que lidar com a frieza da menina e dos outros de sua equipe. Seu coração estava quebrado e a culpa o matava lentamente, mas agora ele não teria ela para lhe consolar ou confortar. Não, ele a tinha perdido de vez agora. E pensar nisso era como se afogar lentamente sabendo que nunca voltaria a superfície. Não haveria segundas chances. Ele não veria mais o sorriso dela, nem o brilho no olhar ao ser pega o admirando durante os treinos, nem sentiria mais os braços dela lhe envolver em um abraço reconfortante após algum pesadelo. Além de não ter nada disso, agora ela era a razão de seus pesadelos e ele simplesmente não era forte o suficiente para lidar com isso sozinho.

 

 

Mesmo quando me descuido

Me desloco

Me deslumbro

Perco o foco

Perco o chão

E perco o ar

Me reconheço em teu olhar

Que é o fio pra me guiar

De volta

De volta

 

 

Aceitar a morte dela e a ajuda de Emma para voltar a respirar foi a única saída do homem e ele chegou a pensar ter superado. Mas quando a mulher entrou pela porta e o encontrou de mãos dadas com Emma, foi o suficiente para todos os seus muros serem derrubados e aquela parte de seu coração que ele havia adormecido, voltou a funcionar desesperada o mostrando a realidade de seus sentimentos. Desde então, seu coração parecia determinado em lhe lembrar quem realmente era a dona de seus sentimentos e saber que provavelmente nunca teria volta e que ela não o perdoaria por suas decisões o matava um pouco todos os dias.

-Papai, pode me colocar na cama essa noite com a mamãe? – Perguntou Rachel, sonolenta, surpreendendo o homem

Scott engoliu em seco e olhou nos olhos de Emma, desesperado por sua aprovação, recebendo apenas um aceno de volta com um fraco sorriso, antes de ver a loira entrar de volta na mansão

-Me desculpe por atrapalhar sua noite com Emma. Eu não sei o que deu em Rachel. – Comentou Jean, ajeitando a criança em seus braços

-Ela é minha filha também. Coloca-la para dormir nunca foi um problema. – Respondeu, encarando o rosto da mulher como se quisesse gravar aquele momento em sua mente

 

 

Tenta me reconhecer no temporal

Me espera

No temporal

Me espera

Tenta não se acostumar

Eu volto já

Me espera

 

 

Após ajeitar a menina na cama, Jean lhe deu um beijo carinhoso na testa e a cobriu até os ombros, se afastando em seguida para que Scott se aproximasse receoso. Já nem sabia qual havia sido a última vez que a criança tinha conversado com ele sem ser obrigada, menos ainda quando foi a última vez que havia pedido para ele lhe colocar na cama e ele tinha que confessar que aquela atitude havia lhe dado mais esperanças que o saudável para sua sanidade. Ter as duas ali naquele quarto era como voltar no tempo. Era como voltar para época em que eles eram uma família feliz.

-Boa noite, querida. – Desejou, antes de lhe dar um beijo na testa e fazer menção de se afastar. A menina então segurou a mão do pai e o puxando para perto novamente, sussurrou em seu ouvido

-Ela sabe como se sente. – Afirmou, cedendo um pequeno sorriso ao pai o fazendo sentir o estomago dar um nó e suas mãos começarem a suar

-Trocando segredos? – Perguntou Jean, tentando disfarçar a curiosidade com um tom descontraído

-Não é nada demais. – Garantiu, sustentando o olhar da filha que indicou a mãe com a cabeça, sugerindo que ele se aproximasse

-Boa noite! – Desejou a criança, sorrindo esperta para o pai, antes de fechar os olhos delicadamente e se virar para dormir

Felicidade não era um termo bom o suficiente para que o homem sentia naquele momento. Seu coração batia tão rápido que ele estava começando a desconfiar que Jean podia escuta-lo de onde estava. Sua filha havia armado toda aquela situação e ele tinha que se lembrar de encontrar uma forma de agradece-la depois por te lhe dado um dos melhores momentos de sua vida. Lentamente, ele se ergueu da cama e se virou, encontrando o olhar de Jean. Ali ela refletia mais do que saudade, refletia o amor que sempre teve por ele e então ele soube, que não era o único que ainda se importava e que talvez, só talvez, o fim deles não era tão irreversível assim.

 

Eu ainda estou aqui”

 


Notas Finais


Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=zBUurckfIiE (Sandy feat. Tiago Iorc - Me espera)

Vejo vocês nos comentários?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...