História Closer (One-Shot C.H). - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, One Direction
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, Calum Hood
Exibições 35
Palavras 2.407
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaa Terráqueos. Tudo bem?

•Bem está não é a primeira Fic/One que escrevo, mas é a primeira que eu tenho coragem de postar.

•Ela é inspirada na música Closer (The Chainsmokers feat. Halsey).

•Ela se passa quando Calum já tem 22 anos.

•Na One é citado que a "Where We Are Tour" começa em março mas oficialmente ela começou em abril de 2014.

•Boa Leitura, espero que gostem!

Xoxo.

Capítulo 1 - Closer.


Fanfic / Fanfiction Closer (One-Shot C.H). - Capítulo 1 - Closer.

Cheguei no bar de um hotel que alguns amigos meus estavam hospedados, como todos os dias desde que as férias chegaram. A fama veio muito cedo e com ela diversas garotas, bebidas, e se não fosse pela pouca consciência que ainda tenho, eu poderia estar perdido em drogas ilícitas também, na verdade nem é minha consciência e sim uma promessa que fiz para uma pessoa alguns anos atrás.

Alguns rostos desconhecidos vieram me cumprimentar e diversas groupies se jogar em cima de mim, até mesmo porque, eu sou Calum Hood, o tão adorável Calum Hood do 5 Seconds Of Summer, é tão chato de vez em quando ser taxado só como um integrante de uma banda. Até mesmo porque antes de 5 Seconds Of Summer sempre existiu um Calum Thomas Hood. Às vezes sinto falta do tempo em que era apenas um garoto em busca de um sonho. Era mais fácil. Não tinha sempre que estar com um sorriso no rosto enquanto minha vontade era simplesmente mandar todo mundo pro inferno.

Fui para a área de fumantes ao lado de fora da bar, precisava de um cigarro para me acalmar, espairecer. Mas óbvio que não fui sozinho, sempre tem alguém que me acompanha, duas garotas ficaram se esfregando em mim enquanto fumava.

Fiquei com as duas já que elas não me deixariam em paz antes disso e avisei que não passaria disso. Não estava afim de transar com groupies hoje. Elas voltaram para dentro provavelmente procurando outro cara rico ou famoso para se jogar em cima, patéticas.

Voltei para dentro e comecei a beber, depois do quinto ou sexto copo de uma das bebidas mais fortes da festa, decidi curtir um pouco.

Me levantei rapidamente e acabei esbarrando em alguém, nossos olhos se encontraram e não pude acreditar em quem estava vendo.

*Flashback On*

Era março de 2014, nosso quinto show de abertura na Where We Are Tour, com One Direction, eu estava achando totalmente incrível. Desde 2013 estamos acompanhando eles na estrada e não poderia estar mais feliz.

Estávamos fazendo uma sessão de autógrafos algumas horas antes do show, então o segurança anunciou que era a última pessoa.

Eu estava de boa até uma garota de hipnotizantes olhos verdes entrar na pequena sala super tímida e com olhos marejados.

*(♪Hey, I was doing just fine before I met you♪)*

-Oi. -falei dando um sorriso fofo pra ela que não aguentou e começou a chorar. A bancada não permitia que eu a abraçasse, então segurei forte sua mão e pedi pra ela me olhar e respirar fundo porque estava tudo bem.  

-Oi! -ela respondeu depois de alguns segundos. -Desculpa. -terminou e o Mike fingiu limpar a garganta, me acordando dos meus devaneios e pelo visto a acordando também.

Todos os meninos assinaram o Cartão-Divulgue de She Looks So Perfect e ela ia saindo.

-EI, EU AMO VOCÊS. -Ela gritou antes do segurança a retirar da sala. E eu sorri.

-”olha pra mim e respira fundo” -Luke disse tentando imitar minha voz.

-”oi… desculpa” -Mike falou afinando a voz. E os dois começaram a rir.

-Deixem ele, meninos. -Ash falou mas acabou caindo na gargalhada junto deles e eu apenas revirei os olhos.

*Flashback Off*

-Oi -falei meio torto por conta da bebida. Não estava bêbado apenas um pouco alto.

-Você está bêbado? -ela gritou por conta da música alta.

-Eu bebo demais e isso é um problema, mas estou bem. -falei

*(♪I drink too much and that's an issue, but I'm okay♪)*

-Eu sei que está -ela disse -você sempre está.

-Nem sempre. -falei e alguns amigos dela vieram até nós, me cumprimentaram e falaram algo no ouvido dela.

-eles querem falar um negócio comigo. Se incomoda? -ela perguntou.

-você volta? -perguntei.

-Você me espera? -ela disse olhando nos meus olhos e dei de ombros.

-ei -a chamei antes dela sair - diga aos seus amigos que foi legal conhecê-los, mas espero nunca mais os ver. -Disse e ela sorriu daquele jeito que eu conhecia bem. Um sorriso triste que recebia quando falava algo que ela não gostava.

*(♪Hey, tell your friends it was nice to meet them. But I hope I never see them again.♪)*

*Flashback On*

-Eu preciso saber quem é ela. -falei me jogando no sofá da área que compartilhamos com os meninos da One Direction.

-Ela quem? -Niall perguntou, sempre curioso.

-A garota que foi na sessão de autógrafos. -Ash respondeu por mim.

-encantado por uma fã? -Liam perguntou meio desconfiado.

-Talvez -respondi.

-Ela tem olhos lindos. -Mike disse e concordei.

-Mike só está dizendo isso porque eram da cor dos dele. -Luke disse recebendo uma almofadada na cabeça, a mesma tinha sido arremessado pelo Mike.

-Não precisa ficar com ciúmes de olhos verdes Lukezito, azuis são bem mais bonitos -Louis disse pausando FIFA que jogava com o Zayn.

-Vamos entrar em uma guerra agora -Harry disse -Verdes são bem melhores. -Falou.

-Que comece a Guerra -Zayn disse rindo.

-Como faço para acha-la? Tem tipo 25 mil pessoas do lado de fora. -falei.

-Só te desejo sorte. -Liam disse. -será bem difícil.

-Talvez não. Se ela estava na sessão provavelmente ela está de cadeira numerada. -Ash disse.

-Isso faz sentido. - Harry disse. -Ela não iria ficar num péssimo lugar no show só para passar 20 segundos com quatro idiotas como vocês. -ele completou.

-Ei. -Luke disse tacando a almofada no Harry. -mais respeito.

-Não me agride Hemmings. -Harry disse tacando a almofada de novo que Luke desviou e bateu diretamente na cabeça de Niall.

-Ei. -ele gritou tacando a almofada de novo e então começamos uma guerra até dizerem que teríamos que entrar no palco.

Por sorte, Ashton estava certo. Ao olhar para parte das cadeiras numeradas a minha frente, a vi, cantando e pulando. Fingi que iria beber um pouco de água enquanto os meninos falavam com o público, e pedi para um segurança ficar de olho nela no fim do show do One Direction para não a deixar sair. Pedi para ele a levar para uma das salas do estádio porque ela seria uma das pré selecionadas de uma falsa promoção.

Ela foi, e então apareci lá. Ela não entendeu nada de começo até eu explicar pra ela. Descobri que seu nome era Madson mas ela preferia ser chamada apenas de Mad, ela tinha 17 anos. Pedi seu número depois de algum tempo de conversa e dela ter me dito que seus pais ficariam preocupados se ela não ligasse para eles a pegarem no show, sendo que o mesmo já havia acabado a mais ou menos uma hora. Depois de muitas conversas por SMS e ligações durante as madrugadas, um mês e meio depois, nos encontramos novamente e então roubei meu primeiro beijo que se transformou em varios em seguida. Até mantermos um namoro secreto até dezembro do mesmo ano. E que posso dizer foram sem dúvidas os melhores meses da minha vida. Mesmo tendo passado um bom tempo longe. Tínhamos nossas brigas como todo casal, óbvio, mas a maioria era por medo dela que em uma dessas baladas eu acabasse indo pelo caminho errado, ela me fez prometer que nunca usaria drogas ilícitas e pretendo cumprir. Ela tinha mais medo de me ver usando droga do que se de repente eu a traísse, coisa que nunca aconteceu.

*Flashback Off*

-Voltei -ela disse pouco depois.

-desculpa -disse por fim. -eu sei que isso parte seu coração. -falei lembrando de todas as vezes que já tinha dito isso. -mas desde que você saiu de Los Angeles para Nova York naquele carro velho dos seus pais algumas coisas mudaram. -falei me aproximando dela. Aqueles olhos sempre foram um grande imã para mim.

-Foram 4 anos sem nenhum contato. -ela disse envolvendo os braços em meu pescoço. Ela era meu ponto fraco, eu sempre fui o dela.

*(♪I know it breaks your heart. Moved to the city in a broke down car and 4 years, no calls♪)*

Acabei com o resto de espaço que tinha entre nós com um beijo, tão necessitado, que poderia facilmente esquecer de tudo menos do ar já que precisava dele para poder sobreviver.

Ela abaixou a cabeça quando nos separamos.

-Desculpa -falei -mas eu sinceramente não consegui me controlar. Você aparece depois de 4 anos linda num bar de hotel e eu não consigo parar -falei por fim.

-Não -ela disse -Eu… eu… -gaguejou algumas vezes -eu não posso parar. -ela falou me puxando para outro beijo.

*(♪Now you're looking pretty in a hotel bar and I-I-I can't stop. No, I-I-I can't stop♪)*

-Meu carro está parado no estacionamento do hotel. -falei entre beijos. -vamos sair daqui. -falei grudando nossas testas.

-Vamos -ela disse e entrelacei nossos dedos a puxando até meu Rover. Antes de dar partida dei um beijo nela que ia esquentando. Pulamos para o banco de trás, onde mordi a tatuagem de infinito que ela tinha no ombro descoberto. Lembro do dia em que ela a fez. Foi no mesmo dia em que fiz a pena. A mesma que ela escolheu o que seria e eu escolhi a dela. O infinito para mostrar que independente do que acontecesse nós sempre seremos infinitos. A pena, primeiro porque ela dizia que as asas dos anjos eram feitas de penas e ela dizia que eu era seu anjo, e segundo por ser uma herança indígena com vários significados como por exemplo pureza, esperança e liberdade.

-Vamos sair logo daqui -falei ofegante -antes que eu não consiga mais parar. -ela assentiu. Acabamos indo para o apartamento dela já que era mais próximo, e novamente me senti completo. Nossos gemidos abafados por beijos, respiração falha. Eu não sabia dizer o que estava sentindo. Só sabia que me sentia 100℅ completo.

*(♪So baby, pull me closer In the back seat of your Rover. That I know you can't afford. Bite that tattoo on your shoulder♪)*


Ela estava deitada em meu peito traçando uma linha imaginária pelo meu abdômen descoberto enquanto eu a rodeava fazendo carinho em seu braço. A temperatura do nosso corpo já estava diminuindo então com uma das mãos tateei o chão a procura de uns dos cobertores que jogamos para fora da cama enquanto matávamos os desejos um do outro nos cobrindo em seguida.

-esse colchão nem era meu. -ela disse rindo quebrando o silêncio.

-Não? -perguntei mas isso realmente não importa. Ela estando lá era o que me importava.

-era de uma colega de quarto enquanto passei um ano em Boulder. Ela saiu dois meses antes de mim e acabei trazendo o colchão quando voltei pra cá. Ele é confortável. -ela falou e eu sorri. Esta era a Mad que eu conhecia.

-as vezes eu acho que nós nunca vamos envelhecer. -disse agora mexendo no cabelo dela.

-Nós nunca vamos envelhecer. -ela repetiu

-Sim, nós nunca vamos envelhecer. -repeti de novo.

*(♪Pull the sheets right off the corner. Of that mattress that you stole. From your roommate back in Boulder. We ain't ever getting older. We ain't ever getting older. We ain't ever getting older♪)*

-Você está tão lindo, como no dia em que te conheci. -ela disse olhando para mim e suspirei.

-Você não pensou isso quando terminou comigo. -falei. -dizendo que não dava mais para aguentar a distância. -ela colocou o indicador no meu lábio e sussurrou um “Shiu”

-esquece o motivo deu ter te largado. Eu estava louca. -ela disse voltando a se deitar no meu peito.

-Eu acho que eu preciso ir. -falei.

-Não. -ela pediu entrelaçando nossos dedos e sabia que eu realmente não teria forças para sair. -Fica por favor, Cal -ela disse com aqueles olhos verdes pidões que eu nunca conseguia negar nada. -põe aquela música do Blink-182.

-aquela que nós costumávamos ouvir e cantar loucamente? -perguntei rindo.

-sim -ela disse. -aquela.

-o que eu não faço por você? -eu disse e por sorte eu tinha deixado meu celular no criado mudo.

*(♪You look as good as the day I met you. I forget just why I left you, I was insane. Stay and play that Blink-182 song. That we beat to death in Tuscon, okay♪)*

All The Small Things invadiu as paredes do quarto e eu comecei a cantarolar pra ela.

All the small things

*Todas as pequenas coisas*

True care, truth brings

*a verdade traz confiança*

I'll take one left

*eu pegarei uma carona*

Your ride best trip

*seu passeio melhor classe*

Always, I know

*Sempre, eu sei*

You'll be at my show

*você estará no meu show*

Watching, waiting, commiserating

*Assistindo, esperando, solidarizando*

Say it aint so, I will not go

*diga que não é, eu não irei*

Turn the lights off, carry me home

*Desligue as luzes, leve-me para casa*

Na, na, na, na… 3x

Late night, come home

*tarde da noite venha para casa*

Work sucks, I know

*trabalho é um saco, eu sei*

Cantei e percebi que ela estava caindo no sono.

She left me roses by the stairs

*ela me deixou rosas na escada*

Surprises let me know she cares

*surpresas me fazem saber que ela se importa*

Say it aint so, I will not go

*diga que não é, eu não irei*

Turn the lights off, carry me home

*Desligue as luzes, leve-me para casa*

Na, na, na, na…  3x

Say it aint so, I will not go

*diga que não é, eu não irei*

Turn the lights off, carry me home

*Desligue as luzes, leve-me para casa*

-Cal? -ela disse sonolenta.

-Oi -continuei fazendo carinho na sua cabeça.

-Promete que vai estar aqui amanhã quando eu acordar? -ela perguntou.

-Prometo que vou estar com você pra sempre. -disse e vi um sorriso nascer em seu rosto. O mesmo sorriso sincero daquela garota de 17 anos que um dia me apaixonei perdidamente e ao vê-la novamente todo esse sentimento voltou a tona.

Keep your head still, I'll be your thrill

*mantenha seus lábios ainda, eu serei sua emoção*

The night will go on,my little windmill

*a noite vai continuar, meu pequeno moinho de vento*.

Continuei cantar até o fim e depois fiquei observando-a até as primeiras luzes do sol invadir a janela que havia ficado aberta durante a noite. E sorri, porque sabia que aquele é meu lugar. Sabia que ao lado dela eu nunca envelheceria, porque ela faz eu me sentir um garoto. E sei que quero continuar me sentindo assim para sempre.

*We ain't ever getting older*

*We ain't ever getting older*

*No, we ain't ever getting older*


Notas Finais


•Eu realmente não sei se ficou bom por ser a primeira que posto, quem puder comentar e me dizer o que achou eu ficarei muito agradecida, tanto elogio quanto crítica, tudo é bem vindo.

•Eu queria agradecer 4 pessoas que sempre me apóiam e dizem que gostam das coisas de doido que escrevo, Caah, Maah, Myn e em especial a Mar que fez a capa e a Sinopse para mim. Obrigado do fundo do coração por me apoiarem tanto em tudo. Realmente amo vocês.

•Ps: eu não sei ser fofa em despedida. ALGUÉM ME AJUDA.

•Ps²:Obrigado realmente a todos que leram!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...