História Clube Da Luta - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Exibições 204
Palavras 2.079
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Hentai, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Que vergonha!!!! O.O
Mas, é isso aí. Boa leitura ^-^

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Clube Da Luta - Capítulo 1 - Capítulo Único


-Soltem ela! - disse o rapaz com os cabelos castanhos lisos nos olhos.
-Por que faríamos isso? -perguntou o homem asqueroso.
Este segurava o braço de uma mulher de estatura mediana, o cabelo dela pendia solto e estavam um pouco bagunçados por causa da sua luta para se soltar do aperto forte do cara. Eram três  homens no total, cada um com uma barriga enorme de cerveja, eram nojentos e repugnantes. Estavam em um beco escuro nos fundos de um bar.
O rapaz se aproximou, a mulher o olhou alarmada.
-Não me façam repetir. Agora, vamos fazer isso como bons amigos, vocês a soltam e eu não machuco ninguém. Okay? - falou, abrindo um sorriso travesso, como se oferecesse um cheque de ouro para os homens.
O homem que prendia a garota soltou uma gargalhada e estalou os dedos, os dois homens que o acompanhavam foram para cima do rapaz.
-Dêem uma lição nessa criança, para ele aprender a respeitar os mais velhos.
-NÃO! -gritou a mulher.
O homem a prendeu em um abraço, ela se debatia para se soltar. Taehyung, o jovem rapaz, imobilizou o primeiro cara com facilidade, porém o segundo acertou um soco em seu queixo pegando-o desprevenido. Tae, soltou o cara e cambaleou para trás quase caindo.
-Wow! Belo soco! -riu sarcasticamente massageando a área atingida e foi para cima do homem que o havia acertado; um chute na barriga o derrubou no chão, o outro tentou pegá-lo por trás, mas ele acertou seu queixo com o cotovelo com força o suficiente para que ele caísse com força no chão e desmaiasse ao bater a cabeça no asfalto. O homem que havia levado um chute tentou se levantar, Tae o puxou pelo cabelo e acertou a cabeça dele na parede até que perdesse a consciência.
-Agora você é o próximo! -virou-se para o homem que segurava a mulher, porém a cena que viu era totalmente inesperada.
A mulher estava sentada em cima dos caixotes, ao seus pés estava o ser repugnante que a poucos minutos segurava o pulso dela.
- Ah que droga S/n! Se já tinha acabado com ele por que não me ajudou!?
- Porque você é um idiota e estragou meu disfarce mais uma vez. -disse ela apontando furiosamente pra ele, levantou-se e foi em direção a uma moto estacionada próximo a um poste. -Caramba Tae! É sempre assim, um encosta em mim, você surta, e eu nunca descubro quem é o merda que comanda essas gangues! Entenda! Eu também sou policial e sei me cuidar!
-Desculpa S/n. Eu nunca mais farei isso, okay?
-Claro... da última vez você disse a mesma coisa. Affz! Vamos embora logo.
A garota jogou um capacete pra ele.
-Posso dirigir? -perguntou Tae quase dando pulinhos, mas um olhar dela foi o suficiente para colocar pra baixo sua euforia.
Eles subiram na moto e a menina deu a partida, chegaram em um pequeno apartamento.
Dentro a garota puxou uma cadeira.
-Senta! -ordenou para o rapaz. -E tira a camisa, eu vi que vc está segurando seu abdômen.
Ele fez o que ela disse, o corpo de Taehyung era magro, mas atlético, tinha um abdômen definido onde uma grande mancha roxa se fazia presente.
A garota voltou da cozinha com uma bolsa de gelo e um kit médico de emergência. 
-Onde você conseguiu o machucado na barriga? Pelo que eu vi os caras só acertaram sua cara.
- Oh, eu estava treinando me desequilibrei e bati numa estante cai deitado no chão, e uma estátua de buda caiu bem aí.  -respondeu Tae pressionando a bolsa de gelo na lesão.
-Isso é sério!?
-Palavra de escoteiro.
-Você nunca foi escoteiro.
-Detalhe.
A menina molhou um algodão em água oxigenada e encostou-o no corte no canto do lábio supetior  de Tae causado pelo soco que este havia levado. Ele gemeu baixo com a dor.
-Para, para, para! Isso dói!
- Bem feito! - disse a garota abrindo um sorriso.
Ela limpou o sangue e guardou as coisas na maleta. Então a voz do garoto se fez presente:
-Acabei de me lembrar de uma coisa.
-O quê?
-Minha mãe me disse que um beijo ajuda a curar machucados. Então pode vir aqui dar o meu.
-Idiota! -respondeu S/n caindo na gargalhada e dando as costas ao garoto.
Tae colocou no chão a bolsa de gelo e puxou rapidamente a menina, esta caiu sentada em seu colo, ele a ajeitou de forma que ela ficou sentada de lado em suas pernas.
- Você acha mesmo que vai sair daqui sem cuidar direito de mim? -disse Tae envolvendo os braços em torno da cintura da garota.
- Me solta! Você não está merecendo meus cuidados. -ela o empurrou e tentou levantar, mas o rapaz tinha um aperto firme.
O rapaz fixou os olhos nos da garota e de repente o semblante dele mudou, sua feição antes alegre, agora expressava uma tristeza misturada com preocupação. Tae encostou sua testa na dela.
- Desculpa. Mas, eu preciso te proteger. Você não entende!? Caramba S/n, você é a única coisa que me restou, e eu não posso te perder. Por isso sempre que a vejo em algum perigo potencial eu faço merda. Mas, eu te amo. Você é tudo que torna meu mundo bom.
Ele colocou a mão no abdômen dela, bem em cima da pequena cicatriz de tiro que ela tinha abaixo das costelas esquerda. A garota percebeu que ele estava lembrando do dia em que ela quase morreu, naquele dia Tae simplesmente saiu de si, nunca o vira tão preocupado na sua vida. Ele a levou para o hospital, doou sangue, e pelas duas semanas em que ela ficou internada, ele não saiu do lado dela.
- Você não vai me perder. Nunca. -a garota respondeu num sussurro, acariciando o rosto e beijando os lábios de seu amado.
Ela levantou-se para sentar de frente no colo do garoto, Tae a envolveu num abraço apertado, seus lábios sempre em contato e as dores das lesões sofridas estavam praticamente esquecidas. S/n passou seus braços em volta do pescoço dele, suas mãos passeavam pelo cabelo da nuca puxando alguns fios castanhos ocasionalmente, às vezes com força o suficiente para que o garoto soltasse um gemido abafado.
A língua dele explorava toda a extensão da boca dela, seu gosto era inebriante fazendo-o perder toda a sanidade, ele mordia o lábio inferior dela sempre que podia e adorava escutar o som de dor que ela deixava escapar. Parou o beijo e a encarou, o lábio inferior estava levemente inchado e vermelho, os cabelos dela levemente bagunçados, não havia maquiagem, para ele, ela estava perfeita.
A garota olhava no fundo dos olhos de seu amado, ele parecia a avaliar, desceu o olhar para a boca dele, retirou uma de suas mãos do cabelo e a trouxe diretamente para a boca do rapaz passando o polegar por toda a extensão do lábio dele, sentiu a maciez e resistiu a vontade de beijá-lo, naquela noite o deixaria comandar as coisas. Voltou a olhar em seus olhos e o que viu naquele mar castanho era fome, fome em relação ao corpo dela.
Taehyung passou a mão em volta do pescoço da garota a puxando para si, um beijo selvagem se deu início, ele puxava o cabelo dela levemente, controlava o beijo prendendo o rosto dela de encontro ao seu, suas línguas travavam uma batalha, explorando aquilo que já eram tão conhecido entre os dois.
As mãos dele desceram para a barra da blusa dela retirando-a rapidamente e jogando-a para o lado. Em um momento como esse não era necessário palavras, eles se comunicavam com atos. Tae desceu suas mãos por toda a extensão das costas da garota, parando somente para abrir o fecho do sutiã, peças íntimas só atrapalhariam os planos para aquela noite, a vestimenta teve o mesmo destino da blusa e se perdeu em meio a bagunça do pequeno apartamento.
S/n começou a descer beijos pelo queixo do garoto, mordiscando levemente o ângulo da mandíbula do maxilar inferior, os beijos desceram para o pescoço, Tae jogou a cabeça para trás fechando os olhos para apreciar ainda mais as sensações do momento. Chegando na clavícula, ela sugou a pela com força fazendo com que Tae soltasse um gemido, quando afastou os lábios viu ali uma marca vermelha, voltou a subir pelo pescoço, dessa vez passeando toda a extensão com a língua, no entanto foi em direção a orelha, onde mordeu o lóbulo desta com leveza.
-Certeza que está bem o suficiente para continuar? -sussurrou ela no ouvido dele, sentindo-o estremecer abaixo de si.
Tae apertou a cintura dela puxando-a ainda mais para perto de si fazendo-a sentir entre as pernas a pulsação que se fazia presente no meio das calças dele.
-Isso responde sua pergunta? -respondeu sarcasticamente o rapaz, voltando a beijá-la com ferocidade.
Nesse momento ele levantou-se com ela no colo e se conduziu as cegas, sem em nenhum momento parar o contato de suas bocas, para o quarto. Jogou-a na cama, mas sem brutalidade, e puxou as calças dela deixando a mostra uma calcinha verde, antes de se juntar a ela na cama retirou a própria calça, ficando somente de cueca e subiu para cima do corpo da pequena.
Apoiou os cotovelos um de cada lado do rosto dela para que seu peso não ficasse totalmente em cima, e retirou os fios revoltosos que insistiam em atrapalhar a visão, ele só conseguia pensar no quanto era linda e na sorte que tinha por tê-la. Acariciou o rosto da jovem, e a beijou com calma, deixou seu corpo cair sobre o dela e rolou na cama de modo que a mesma pudesse ficar por cima.
Ela estava sentada bem acima do seu membro, suas intimidades separadas por poucas peças de tecido, enquanto se beijavam ela rebolava lentamente e isso o deixava louco, ele desceu as mãos das costas para a bunda dela e ajudou a intensificar o movimento que ela fazia, a cada segundo que passava ele queria mais.
Colocou uma de suas mãos por dentro da calcinha dela e desceu por sua bunda indo para o meio das pernas em direção a intimidade, ainda deitada em cima do corpo dele, ela empinou um pouco para facilitar o contato. Tae sentiu que ela estava incrivelmente molhada, pronta para ser penetrada. Ele acariciou de leve a região sentindo-a estremecer com o toque, então encontrou o pequeno “botão”, pressionou-lhe o clitóris, a garota arqueou as costas soltando um longo gemido e apoiando os braços no peito de Tae. Isso foi o suficiente para que ele perdesse qualquer controle que tinha.
Retirou a mão de dentro da calcinha, rasgando as laterais desta apenas com a força de suas mãos, puxando-a e jogando no chão, sentou-se sem em nenhum momento tirar S/n de cima dele e retirou sua cueca com a ajuda dela.
Um grande membro pulsava em meio a cabelos castanhos, ela segurou-o e sentiu-o por um momento em suas mãos, em seguida posicionou-o em sua entrada e deslizou seu corpo para baixo lentamente, Tae a abraçou sentindo os seios dela de encontro ao seu peitoral, era bom escutá-la gemer em seu ouvido enquanto a invadia.
Quando ele a preencheu por completo ela começou a rebolar em seu colo fazendo movimentos circulares, ainda a abraçando ele puxou-lhe os cabelos fazendo com que suas bocas se encontrassem, mas era difícil esse contato porque a todo momento eles paravam pra gemer, vez ou outra deixando escapar o nome um do outro.
S/n começou a aumentar os movimentos, agora fazendo um vai e vem cada vez mais rápido, empurrou Tae fazendo com que este deitasse na cama, e continuou sentada em seu membro subindo e descendo cada vez mais rápido , Tae segurou em seu quadril ajudando-a a se mover, os dois começaram a ofegar.
-Oppa... eu estou... estou quase lá. -disse S/n fechando os olhos com força.
Tae a segurou, jogou-a deitada ao seu lado e ficou por cima, ela entrelaçou as pernas em torno da cintura dele e o rapaz começou a se mover com velocidade, a garota apertava os lençóis com força, e em poucos segundos os dois soltaram ao mesmo tempo um gemido gutural, ela sentiu-o derramar-se dentro de si.
Depois de pouco tempo ele saiu de dentro dela e deitou-se ao seu lado, a puxou para um abraço aninhando-a de encontro ao seu corpo, sentiu a respiração dela em seu peito se normalizar, beijando-lhe o topo da cabeça, disse:
-Eu te amo.


Notas Finais


Kyahhhhhhhhhhhhhhh ^-^ espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...