História Coffee Shop • Kim Taehyung {Hot} - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais, V
Tags Babygirl, Bts, Daddy, Death Fic, Hot, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Menção A Day6, Park Jimin
Visualizações 50
Palavras 1.422
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor



Capítulo 31 - After the End • Bônus •


Fanfic / Fanfiction Coffee Shop • Kim Taehyung {Hot} - Capítulo 31 - After the End • Bônus •

 ~ Nayeon ~ 

 ~ 3 anos depois ~

Depois que Taehyung morreu, eu lembro de ter sido esquecida em uma casa vazia, sem comida, sem água, sem móveis, absolutamente nada, eu estava sozinha, suja de sangue e me sentindo culpada. Culpada por ter deixado Taehyung morrer. Lembro-me bem de suas últimas palavras, elas me perseguem até hoje.

Lembro de ter saído daquele Chalé em busca de ajuda, segui caminho pra uma estrada que tinha ali perto, quase não passava nenhuma carro, mas os que passavam me ignoravam completamente, foi assim por umas 10 vezes. Estava quase desistindo quando um moço muito gentil e doce resolveu parar. 

XXX: Precisa de ajuda?

Nayeon: Você poderia me levar até a cidade, por favor. - Disse chorando. 

XXX: Claro. Pode entrar. 

Fomos o caminho inteiro em puro silêncio, eu não sabia seu nome e ele não sabia o meu, realmente me surpreendi quando ele parou o carro, depois de tanto ser ignorada alguém resolveu me ajudar. 

Nayeon: Eu não quero abusar muito de você, mas eu preciso ir à delegacia, pode me deixar lá? 

XXX: Claro, não é nenhum incômodo. - Diz suavemente. - Oque aconteceu com você? Você está toda suja de sangue e... 

Nayeon: Alguns dias eu e meu namorado fomos sequestrados. Hoje quando nós finalmente tentamos fugir, ele morreu, com um tiro na cabeça. Esse sangue. - Aponto pra minha blusa suja. - É dele...

XXX: Sinto muito... 

Nayeon: Obrigada. - Deixo uma lágrima escapar. 

XXX: Qual teu nome?

Nayeon: Song Nayeon. E o seu? 

XXX: Park Jimin. Muito prazer. 

Nayeon: O prazer é todo meu. 

Não demorou muito pra chegarmos até a delegacia, novamente eu agradeci Jimin, ele queria ficar e me levar pra casa, mas eu não queria abusar de sua boa vontade e então disse que poderia ir, mas ele insistiu esperar e me levar até em casa, então eu aceitei. 

Entrei na delegacia e fiz o boletim de ocorrência, Kwan e Marie não estarão livres por muito tempo. Voltei pro carro e guiei Jimin até minha casa, que por sinal não era muito longe. 

Jimin: Nayeon. Nós não nos conhecemos, e sei que depois disso é difícil confiar nas pessoas, mas por favor me deixa te ajudar, deixa eu cuidar de você. - Diz calmo. - Deixa eu te levar pra um hospital e cuidar de você. 

Nayeon: Jimin, não...

Jimin: Por favor. - Me interrompe, novamente insistindo na idéia.

Nayeon: Okay... Vamos até o hospital. 

Durante o caminho, Jimin fez perguntas sobre mim, meus pais e Taehyung. Eu respondi todas, vi que ele estava realmente preocupado e só querendo ajudar. Chegando no hospital, fiz minha ficha e logo fui levada ao meu quarto, eu não conseguia andar direito por conta da tontura, então Jimin me ajudou a ir até lá, mas no meio do caminho, tudo começou a ficar escuro e eu desmaiei. 

Depois de um tempo acordei em um quarto completamente branco com os móveis e algumas decorações em tons de azul claro, era lindo, mas era de hospital.

Na sala tinha uma enfermeira que estava anotando alguma coisa em algum papel. 

Enfermeira: Boa tarde senhora Nayeon. Vou chamar seu marido, tudo bem? 

Nayeon: Meu marido? Oque aconteceu comigo? 

A enfermeira sai do quarto e chama por alguém, Park Jimin, esse é o homem que me trouxe até aqui, mas... Nós somos casados? 

 
 Jimin: Oi, tá melhor?
 Nayeon: Estou sim, obrigada. Deixa eu te perguntar uma coisa. Eu lembro de tudo, menos de você, a enfermeira disse que nós somos casados, mas não não tenho aliança nem nada, eu nem conheço você direito.
 Jimin: Ah, desculpe por isso. Eu só disse isso pra poder fazer companhia pra você, se eu dissesse que sou um estranho que não te conhece eu não poderia estar aqui.
 Nayeon: Ah, okay então. Obrigada. - Dou um riso nasal. 

Logo entra na sala um homem alto e loiro, ele usava um jaleco branco, deve ser o médico.

Doutor: Boa tarde Nayeon. Eu sou seu médico obstetra, Doutor SeokJin. Você deve ser o pai da criança, certo? - Diz pra Jimin. 

Nayeon: Pai? 

Seokjin: A senhora está grávida. Ele não é o pai?

Grávida? Como assim? Esse bebê, que eu nem sabia que existia, é do Taehyung, mas ele não esta aqui. 

Nayeon: Primeiro que eu nem sabia que estava grávida. 

Jimin: Doutor, o senhor pode nos dar licença por um instante? 

 Seokjin: Claro, claro. Mais tarde eu volto pra avaliar seus exames Nayeon. 

Jimin: Nayeon. Eu não vou dizer que te entendo e que já passei por isso, afinal eu não tenho um útero, mas eu sei que agora você precisa de apoio. Eu sou apenas um estranho que à duas horas atrás estava te dando carona em uma estrada, mas por favor, confia em mim, eu te ajudo com oque precisar. Podemos ser amigos. 

Nayeon: Eu realmente preciso de alguém, e você tem se mostrado muito doce e um homem disposto a me ajudar. Eu aceito sua ajuda. Mas assim que eu puder me virar sozinha, não precisarei mais de você. 

Jimin: Tudo bem. Você só precisa de alguém, e esse alguém sou eu. Estou aqui pra você.

• • • 

Fiquei naquele hospital em observação por três dias e depois Jimin me levou pra casa, ele passou um tempo comigo pra ter certeza que eu estava bem, durante aqueles três dias nós ficamos bem amigos, eu até comecei a gostar dele, mas era muito cedo pra gostar de alguém. Depois da morte de Taehyung vai ser difícil amar alguém de novo. Foi oque eu pensei. Não se passou nem um mês e eu já estava gostando de Jimin. Ele conversou comigo e disse que podia assumir a criança, era apenas um bebê e merecia ter uma família completa. Jimin fazia visitas na minha casa 4 vezes na semana, me ajudando com tudo. E foi assim até o nono mês de gestação, era uma menina linda, Yumi foi seu nome. Jimin convivia com ela sempre e realmente a tratava como filha, sua primeira palavra foi "Appa", pois é, Yumi também ama seu pai. 

Começamos a morar juntos e três meses depois Jimin me pediu em namoro, obviamente eu aceitei, ele era um homem doce e gentil, impossível não se apaixonar. 

Hoje, três anos depois, somos casados, Yumi tem um irmão, Sook, de um ano. Nós nos damos super bem e somos felizes, temos nossa própria casa e eu arrumei um emprego, trabalho em uma das revistas mais importantes da Coréia.

Kwan e Marie? Nunca mais tive notícias, graças a Deus né, não quero nunca mais saber desses dois. 

Graças a Jimin, tenho uma vida feliz, é claro que não esqueço de Taehyung, ele foi o meu grande amor, e até hoje a cena da sua morte me causa pesadelos, repete em minha mente, e isso já me fez ficar internada, quase me matei por isso, não aguentei a dor, e tenho as cicatrizes em meu braço. Eu sofri muito, aquele foi um ano muito difícil, mas não vale a pena ficar relembrando. Vamos apenas viver bem o presente.

Jimin, Yumi e Sook são a minha família, e não poderia ser melhor.

Em poucos meses estaremos fazendo uma viajem de férias para o Japão, estou ansiosa, afinal ir pro Japão sempre foi meu sonho.

• • • 

Finalmente. Japão. Nem sei oque esperar, estou muito ansiosa, e espero que dê tudo certo.

Desco as escadas do avião com Sook no colo e logo vem Jimin atrás com Yumi. 

Yumi: Omma. Chegamos! Estamos no Japão!

Nayeon: Estamos sim filha. Vem, vamos pegar nossas malas.


• • • 

Depois de fazer o Check-in, tomamos um banho rápido e fomos conhecer mais do lugar que estávamos, era realmente lindo, e não me decepcionei nem um pouco. Yumi estava com fome então fomos a um restaurante que tinha lá perto. Nos sentamos em uma das mesas disponíveis e fizemos nosso pedido. O garçom que veio nos atender tinha um rosto familiar, em seu uniforme estava escrito "Kwan" mas eu duvido que seja o Kwan que eu conheço. Ele segue até a cozinha e logo depois uma mulher loira vem até nós, trazendo as bebidas, e por incrível que pareça, em seu uniforme tinha o nome "Marie"... Não penso que pode ser Marie e Kwan que destruíram a minha vida. Não pode ser.

Decido ir ao banheiro, esfriar a cabeça e lavar o rosto, isso deve ser cansaço, não pode ser Kwan e Marie que eu conheço. 

XXX: Lembra de mim, Nayeon? 

Uma voz familiar soa leve, e eu me viro pra trás, afim de ver quem era. 

Nayeon: Marie? Oque faz aqui? 


Notas Finais




Alô Galero, I'm back :)
Como eu havia prometido no capítulo 30, está aqui o bônus ♡ Espero q tenham gostado!
Eu vou postar algumas One Shot q eu escrevi (tem do Hobi e Namjoon, e da Lisa do BLACKPINK) então me sigam pra poder acompanhar ♡ (mas é claro que graças a Deus ngm é obrigado a nada né kakakka)
Saranghae ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...