História Coisas da Vida - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, J-hope, Jihyo, Jimin, Jin, Jungkook, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Rap Monster, Sana, Suga, V
Visualizações 79
Palavras 3.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Desejo e atração


* Mina*

Estava animada em ir conhece um estúdio de televisão, sentia meu coração batendo forte em animação e excitação durante todo caminho falada da minha empolgação para Suga, que não parecia tão animado quanto eu do lado do passageiro.

- Estou tão animada, e se conhece alguém famoso como devo agir? - Lancei um olhar para Suga, tinha passado a chamar ele pelo nome artístico.

- Da mesma forma como você fala comigo, quando me conheceu você não pareceu tão animada assim.

Olhei para Suga entendendo o motivo de seu mal humor, tudo era por eu não o ter reconhecido como alguém famoso.

- Sinto muito Suga, deveria ter o reconhecido como um famoso e implorado por um autógrafo. - Disse com sarcasmo.

- Você não é uma garota nada legal.

- Qual é, eu sou um amor e você sabe disso.

Quando chegamos no estúdio de TV ajudei Suga a sair do carro e ele foi me guiando pelo caminho, na recepção receber minha identificação de visitante, o local era maior do que eu esperava e tinha placas indicando a localização de tudo, vir de longe alguns famosos e controlei a vontade de dar uma de fã maluca e correr até eles.

Quando chegamos ao local de gravação do filme que Suga faria, tinha um grande grupo de pessoas alguns rosto conhecia outros não.

- Vou lhe apresentar ao diretor do filme - Disse Suga.

O acompanhei até um pequeno grupo e fui apresentada ao diretor e as outras pessoas que estava ali com ele.

Foi indicado que poderia ficar observando tudo de longe e quieta, fiquei sentada em uma cadeira desconfortável e vendo Suga fazer e refazer a mesma cena algumas vezes, até sair perfeita. Achava que seria uma experiência mais empolgante, só que no final acabei sentada olhando tudo de longe, mudamos para outro lugar para a cena seguinte que levou mais tempo do que eu esperava para ficar pronta, momento e outro ela era interrompida e tinha que voltar tudo do começo, como ficou muito tempo em pé e se movimentando já dava para notar que Suga começava a sentir dor. 

Quando teve um momento para uma pausa fui direto falar com Suga que foi logo em busca de uma cadeira.

- Como estar se sentindo e não minta?

- Em uma escala de zero a dez estou cinco e meio - Suga passou a mão na perna, puxei outra cadeira me sentando na frente dele, levantei sua perna a colocando em meu colo.

- Melhor você parar por hoje. - Disse começando a messagear a perna dele.

- Essa é a última parte, não vai demorar muito tempo, vou fazer de tudo para ela sair perfeita.

- Você é bem insistente e teimoso - Fiz um movimento com a perna de Suga o fazendo reclamar.

- É meu primeiro grande trabalho, tenho que dar tudo de mim.

- Mas tem que se cuidar ou será o último.

- Você fica linda, quando fica assim toda preocupada comigo - Disse Suga com um sorriso de lado sínico e charmoso de lado. 

- Você é o pior bajulador que eu já vir, nem parece que é ator.

- Posso ser mais conveniente - Suga falou passando a língua no lábio inferior de forma mais sedutora. 

- Estar tentando me seduzir senhor Min Yoongi?

- Não, por que estar se sentindo seduzida?

Suga curvou um pouco o corpo na minha direção.

- Não mesmo, seus truques de sedução não funciona comigo, não sou do tipo fácil de se seduzir. - Disse arqueado a uma sobrancelha.

- Isso é um desafio?

- Não, é uma realidade. - Abaixei a perna de Suga e levantei dei uma volta ficando atrás dele, apoei minhas mãos na cadeira que ele estava sentado e encostei um pouco perto de seu ouvido. - Desculpas ferir seu ego, mas... seu pouco charme não funciona e nunca irá funcionar comigo.

Me afastei de Suga que mordeu o lábio inferior.

- É mesmo espertinha? Depois não venha me falando que estar completamente apaixona por mim.

- Que convencido, vai sonhando isso nunca vai acontecer.

Suga foi chamado para retocar a maquiagem, voltei a sentar em meu lugar e o diretor veio pergunta se estava tudo bem com Suga se poderia continuar, disse que sim mas, caso ainda fosse levar mais tempo era melhor parar.

 

* Jihyo *

 

Batia meus dedos nervosa na mesa esperando Jin chegar, estava muito curiosa para saber qual seria a resposta dele, era como se fosse ter um treco de tanto nervosismo, quando o vir dei um sorriso nervoso e ele parecia decidido, se sentou na cadeira em frente à minha.

-Então tem uma resposta? - Perguntei indo direto ao assunto que importava.

- Sim tenho. - Jin fez uma pausa dramática. - Sim, eu aceito casar com você.

- Sério isso é muito bom - Levantei animada e o abracei em meio a minha empolgação, alguns olhares veio em nossa direção. - Vou casar, ele disse que ia se casar comigo - Disse animada e alto e os presentes foram contagiados com minha animação e receber até os parabéns por meu noivado.

- Você é bem louca - Jin parecia com vergonha.

Voltei a sentar, contendo minha animação, depois de um tempo um garçom nos ofereceu vinho, era um presente de um dos clientes, agradecemos e Jin fez o pedido do que iríamos comer.

- Começamos bem nosso noivado - Disse animada.

- Ainda não acredito que me metir nisso - Disse Jin depois que o garçom saio.

- Temos tanto a combinar, a data a festa, tem a lista de convidados compra a aliança, meu vestido de noiva, tem que ser o mais perfeito de todos e....

- Como assim? Achei que não teria tudo isso. - Jin parecia confuso.

- Se vou casar vai ser do jeito certo.

- Se vamos nos separar para que tudo isso?

- Se a comida que você come vai ter tudo o mesmo destino, porque você sempre escolhe tanto qual comer - Falei, se iria me separar logo depois isso não importava, se ia casar seria algo grandioso

- Essa foi uma comparação nojenta. - Jin bebeu um grande gole de vinho.

- Se vai ter tudo isso meus pais vão querer vir e minha mãe vai querer lhe conhecer para ver se aprova ou não, minha família é bem tradicional.

- Tudo bem, sem problemas melhor ainda, assim meu advogado vai ver que meu casamento é sério e não desconfiarar que é só negócio. E vou amar conhecer seus pais, e sou alguém adorável sua mãe vai me amar.

- Você é muito convencida.

- Vai se acostumando, pois em breve estaremos casados só o tempo de marca a data organizar algumas coisas.

- Amanhã mesmo vamos marca a data, tenho que ligar para meu advogado, tanta coisa e tão pouco tempo, estou muito nervosa e ansiosa.

Não via a hora de chegar em casa e contar as meninas que iria casar.

Passei a tarde pensado em meu casamento, seria algo moderno, e ocorreria no hotel da família de Jin no final da tarde, teria um jantar apenas família e amigos, no meu caso mais amigos que família, mesmo sendo um casamento de mentira fiquei triste por meus pais não estarem comigo em um momento importante da minha vida, se bem que se estivesse com eles estivessem, não estaria indo me casar. Afastei os pensamentos tristes e liguei para meu advogado contando que iria casar, no primeiro momento ele estranho e desconfio que aprontava algo, pois a poucos dias atrás não tinha nem namorado e nem queria casar, contei uma história bonitinha que namorava com Jin, mas planejava casar apenas quando ele voltasse do exército, mas como ele pediu antes pois não aguentaria ficar longe e me tendo apenas como namorada e queira me te como esposa.

A explicação furada funcionou muito bem.

...

Quando cheguei em casa Nayeon e Mina já tinham chegado só tinha que aguenta minha vontade de conta tudo as garotas até Momo chegar e como estava muito ansiosa parecia que ela demorou uma eternidade.

- Finalmente chegou Momo - Disse dando um pulo do sofá ao ver Momo entrando, ela parecia cansada e apenas lançou um olhar desanimado na minha direção.

- Tenho algo importante para contar. - Falei toda animada.

- Ainda bem que você chegou, essa louca tá toda cheia dos mistérios. - Disse Mina.

- O que foi? - Momo jogou a bolsa em cima do sofá e seguio para a cozinha, fui atrás dela, assim como Nayeon e Mina.

- Tenho boas notícias, vou casar. - Assim que falei as três garotas me encarou ao mesmo tempo com a mesma expressão no rosto.

Contei para elas que tinha pedido Jin em casamento e que ele tinha aceitado.

- O Jin vai entrar nessa loucura com você? - Disse Mina.

- Você não pode se casar sem amor - Disse Nayeon.

- Vou casar e ninguém tira essa idéia da minha mente e vocês vão me ajudar ou não.

- Agora estou confusa, seremos boas amigas apoiando ou não as loucas dela?- Momo falou e olhou para Mina e depois para Nayeon.

- Ela vai fazer isso com não provação ou não. - Disse Mina.

- Não vou fazer parte disso. - Disse Nayeon.

- Só quero vocês em meu casamento me apoiando ou não.

 

* Chaeyoung *

 

 

Acaba de organizar minhas coisas, ainda não acreditava que minha mãe tinha realmente casado, dei uma última olhada para meu quarto e peguei minhas malas, minha mãe e Dahyun já me esperavam no carro. 

Ao sair de minha casa a olhei sabendo que não retornaria, impedir as lágrimas de vir ao meu rosto e foi para o carro onde era aguardada.

Entrarei em sentei ao lado de Dahyun, minha mãe falava como iria ser legal moramos todos juntos, me mantinha distante, nossa nova casa ficava bem localizada e era grande, sentia como se pudesse me perder dentro dela e olha que só tinha visto a frente dela, Jimin veio ajudar a pegar as malas e apesar do rosto amigável, sentir um sinal de alerta que não deveria confiar totalmente nele.

- Sejam bem vindas - Disse Jimin.

- Obrigada - Disse minha mãe e irmã juntas.

- Vou mostra o quarto de vocês duas - Disse Jimin. 

O seguir pela grande casa, era toda em tons claros e tinha uma piscina, Dahyun parecia animada com o via e encantada, preferia minha outra casa; subimos uma escada e Jimin indicou onde era o banheiro, onde ficava o quarto de nossos pais o dele e depois mostrou a Dahyun o dela, minha irmã foi entrado em seu quarto o meu ficava depois do quarto de Jimin.

- Obrigada.

- De nada se precisa de algo é só falar.

- Certo.

Entrei em meu quarto e ele era muito grande, um quarto dos sonhos de qualquer pessoa, tinha um closet e nem sabia se tinha roupas o suficiente para colocar nele.

Comecei a organizar minhas coisas, e quando terminei me joguei na cama, iria descansar um pouco antes de ir para o teatro.

...

Minha noite seguiu como de costume, Momo perguntou sobre a mudança, disse que até agora estava tudo normal, e depois ela foi trocar mensagens com o Taehyung, os dois estavam em uma fase de pre namorado, em que iam se conhecendo melhor e ela não parava de falar dele, estava ficando completamente apaixonada.

Momo me deu carona até minha nova casa, estava tudo escuro pelo horário todos já deviam estar dormindo a casa era tão grande que fiquei com medo de acabar perdida.

Usava a luz da lanterna do celular para iluminar o caminho, subir as escadas com cuidado já estava chegando em meu quarto quando a porta do banheiro foi aberta.

Vir Jimin saindo do banheiro ele estava com o cabelo molhado e com a toalha em volta do corpo, fiquei parada sem palavras e tentando não olhar muito para a barriga bem dividida dele, que belo corpo ele tinha.

- Achei que todos estavam dormindo - Disse Jimin.

- É que... - Tentava fazer meu celebro volta a pensar novamente, mas era difícil com Jimin ali na minha frente só de toalha. - Acabei de chegar agora do meu trabalho.

- Claro, lembrei que termina tarde o musical. - Disse Jimin dando um sorriso convencido e safado ao notar que eu não conseguia desviar muito o olhar do corpo dele, tentava mas não dava. - Boa noite. - Ele bagunçou um pouco o cabelo. - E tenha bons sonhos. - O tom de Jimin era um tanto provocante, ele estava me torturando e estava amando. 

- Para você também. - Disse dando uma última olhada para Jimin antes de ir para meu quarto, agora eu precisava de um bom banho.

 

* Dahyun *

Estava ajudando Sana a estudar para uma prova importante que ela teria, já estávamos estudando a horas e sentia minhas costas doendo, me estiquei alongando meu corpo.

- Melhor paramos hoje. - Disse Sana levantando, ela estava sentada na cama e eu no chão encostada na cama.

- Tem certeza? Podemos fazer uma revisão.

-Amanhã a gente estuda mais, por hoje já chega.

- Então tá - Comecei a arrumar as coisas assim como Sana, apesar de não termos as mesmas aulas sempre que possível uma ajuda a outra na hora de estudar.

- Vou fazer alguma coisa para a gente comer.

- Estou morta de fome.

Estava na casa de Sana onde iria dormir também, era a única que tinha esse liberdade morrendo com um irmão e outros dois homens Sana não gostava muito de convidar outras amigas.

Ajudei Sana a fazer a comida, quando já estava terminando apareceu Hoseok e Suga na cozinha.

- Que cheio bom - Disse Hoseok.

- Que coincidência vocês chagar justo agora - Disse enquanto colocava as coisas na mesa.

 - Ate de mais. - Disse Sana no mesmo tom irônico que eu tinha usado.

Depois do jantar ficamos conversando bobagens e Hoseok foi limpar tudo, e Suga falou que não dava para ajudar pois tinha que ensaiar suas falas, ele pediu ajuda a Sana que negou, como estava acostumada a ajudar minha irmã disse que o ajudaria. 

Fui com Suga para o quarto dele assim iriamos ensaiar sem interrupção. 

Sentei na cama de Suga e me deu umas folhas onde tinha as falas, Suga sentou encostado na cabeceira eu estava sentada um pouco mais afastada e de frente para ele. 

Suga ia falando as falas e eu ia conferindo como ele estava se saindo e se estavam certas, dava algumas opiniões, Sana foi avisar que já ia dormir, falei que iria mais tarde. 

- Tem só mais algumas parte, e a pior de todas a cena romântica não sou muito bom com isso. 

- É tímido que fofo - Disse bagunçando o cabelo de Suga. 

- Trocar palavras melosas na frente de outras pessoas, e ainda parecer apaixonado. 

- Não é tão complicado assim, vai vamos lá - Disse me ajeitando jogando o cabelo para o lado. 

- O que foi isso? 

- Estou tentando parecer uma garota meiga e linda, tenho que entrar no personagem. 

- Deixa de graça, você não é meiga e muito menos bonita. - Suga disse para me irritar. 

- Sou os dois, agora vá para suas falas - Disse em um tom mandão. 

- Esta bem, mas para de fazer essa cara. 

- Que cara essa? - Disse fazendo uma cara fofa - Ou essa - Disse fazendo uma careta. 

- As duas. 

- Tudo bem. - Disse ficando seria. - Vou falar as falas da garota. 

- Pode começa. 

''- Você - Disse fazendo uma pausa como quem engolia o choro. - Você não é capaz de demostra seus sentimentos, nunca. 

- Não sou bom com as palavras e você sabe. - Disse Suga de forma robótica. 

- Ao menos diz uma vez que você me ama, é muito simples só uma palavra. 

Suga parou como quem pensava nas palavras, ele umedeceu os lábios e pegou na minha mão fazendo carinho nela. 

- Oh amor, eu gosto tanto de você que você está me deixando louco, só de pensar em você isso me faz sentir bem este sentimento, só você pode me fazer sentir esse sentimento eu quero sentir isso até morrer fique perto de mim, eu posso cuidar de você, eu posso cuidar de você.  - Disse Suga e eu puxei minha mão e comecei a dar risada. ''

- Você fala de uma maneira muito falsa, tem que passar verdade. 

- Não é tão simples como parece. 

- Logico que é vou lhe dar uma aula grátis de atuação. - Disse de forma convencida prendendo meu cabelo em um coque. 

- Que convencida, quero ver você fazer melhor. 

- Vai levanta, temos que entrar no clima dos personagens, você é uma garota doce e inocente e eu sou o cara rebelde e sem solução - Disse com um sorriso travesso. 

- Tenho mesmo que levantar? 

- Claro - Disse pegando Suga pela mão e o levantando, ele não pareceu muito feliz mais mesmo assim ficou em pé. 

- Fecha os olhos e mentaliza a cena, nos dois em um parque, você querendo que o amor de sua vida tome uma atitude, sente medo e nervosismo sabe que pode o perder mais não quer isso, seus sentimentos confusos e todo que você deseja é que ele diga que a ama e a abrase carinhosamente - Disse para Suga que mantinha os olhos fechados, quando acebei de falar ele abriu. - Vamos tentar agora. 

- Sim professora - Disse Suga. 

 

''- Você - Disse Suga engolindo a seco - Você não é capaz de demostra seus sentimentos, nunca. 

- Não sou bom com as palavras e você sabe. - Disse olhando no fundo dos olhos de Suga.

- Ao menos diz uma vez que você me ama, é muito simples só uma palavra. - Suga olhava para o chão.

Respirei fundo, passando a língua em meu lábio inferior, olhei para Suga e peguei no rosto dele alisando sua bochecha e depois seguir para o queixo, dei mais um passo ficando perto de Suga a distancia entre nosso corpos era pequena. 

- Oh amor, eu gosto tanto de você que você está me deixando louco, só de pensar em você isso me faz sentir bem este sentimento, só você pode me fazer sentir esse sentimento eu quero sentir isso até morrer fique perto de mim, eu posso cuidar de você, eu posso cuidar de você.  -  Disse e Suga deu um passo para trás. 

- Essas palavras é de uma musica, achou que eu não reconheceria? - Suga disse tentando parecer aborrecido, dei mais um passo na direção dele. 

- Não sei, expressar meus sentimentos, com palavras, mas tem outras maneiras de mostrar que lhe amo. 

- E qual seria? 

- Essa - Dei mais um passo em direção a Suga e passei minha mão pelo pescoço dele o puxando para mais perto, sentir meu coração acelerando com a proximidade de nossos corpos, ele olhou nos meus olhos e depois seu olhar seguiu para minha boca, e sua respiração ficou um pouco ofegante, mantive minha mão na nuca de Suga estava entre o desejo de um puxar para mais perto e o medo de fazer isso, então Suga que tomou a atitude e passou a mão por minha cintura, sentir meu coração bater mais rápido e levei minha outra mão a nuca dele o puxando para o beijo, primeiro foi apenas um toque delicado dos nossos lábios que se tornou mais intenso, meu corpo contra o dele quanto mais o tinha mais o queria. 

Quando nos afastamos para respirar notei a merda que tinha feito. 

- A aula termina por aqui - Disse ofegante. 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...