História Coisos Estranhos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Pwp, Stranger Things
Exibições 461
Palavras 4.343
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey, povo, tudo bem? ><
Aqui está minha pessoa para trazer a vocês mais uma ChanBaek porque o OTP nunca é demais ♡♡
Bem, dessa vez uma tentativa completamente falha de comédia. Espero que não esteja tão micão </3
Ah, e sobre esse Chanyeol:
Ele é um adolescente de apenas de 17 anos, e como todo adolescente dessa idade ele fala merda. E também exagera muito nas coisas que fala akspakso
Enfim, eu espero que gostem dessa outra viagem que eu escrevo e até as notas finais <3
Tenham uma boa leitura.

PS: Pode conter alguns spoilers sobre Stranger Things, minha série favorita, por sinal <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


              E lá estava eu novamente, lutando contra uma ereção em uma hora não conveniente, por culpa de um Byun Baekhyun de quatro, tentando alcançar borracha que havia caído no chão. Eu me perguntava por que diabos essa criatura tinha que apontar tanto essa bunda na minha direção, quando ele podia, simplesmente, esticar o braço que conseguiria pegar o maldito material. Mas parece que Byun Baekhyun adora resolver as coisas de modo que me afetará de alguma forma. Como por exemplo, chupar um sorvete de baunilha – provocantemente, vale ressaltar – no intervalo, enquanto me olha com a melhor cara de inocente que conseguia, e eu todo trouxa, fico com a maior cara de desorientado. Porque eu sei que esse puto só faz essas coisas porque sabe que me atinge. Foram incontáveis as vezes em que tive que me aliviar sozinho no banheiro de casa, lutando para não deixar nenhum ofego alto escapar, já que eu não poderia deixar que minha mãe soubesse que tem um filho punheteiro dentro de casa. Não que ela não soubesse, mas seria vergonhoso o suficiente ser pego por sua mãe enquanto bate uma pensando em seu colega de classe.
 
             Baekhyun era com quem eu passava os dias na escola, pelo fato do resto da turma me julgar como o nerd estranho, cheio de espinhas e que bate punheta assistindo hentai. Puff! Mal sabem eles o que estão perdendo, pelo menos Byunnie – apelidinho carinhoso que dei à minha ninfetinha, risos – soube aproveitar o tesão que eu sou, e adora ficar na minha companhia.

              Mas voltando ao foco principal, depois de muito balançar a raba pra cima e para baixo - sintam o exagero -, Baekhyun finalmente havia conseguido pegar a bendita borracha, e já tinha sentado em seu devido lugar. Esse projeto de demônio sentava na mesa em frente à minha e, como sempre, estava tagarelando em minha orelha. Eu não estava escutando bulhufas do que ele dizia, minha cabeça estava em outro lugar.

         Mais cedo, na aula de biologia, o professor havia passado um trabalho em grupo, e como sempre foi, eu e Baekhyun formamos uma dupla. Sempre foi assim, em todos os trabalhos ou provas em conjunto. Baekhyun sempre me escolhia e eu sempre escolhia Baekhyun. Mas isso também pode ser falta de opção, já que as pessoas da minha turma viviam me escrotizando, e o único que me sobrava era Baekhyun. E não que fosse diferente com ele.
 
             Naquele mesmo dia, iríamos para casa de alguns dos dois – decidiríamos isso por última hora – e começaríamos a fazer o trabalho. O único ponto desta questão, é que Baekhyun, como a maravilhosa putinha - minha forma de demonstrar carinho, não me julguem - que é, faria alguma coisa que me provocasse. Porque eu já conheço esse puto a tempo suficiente para saber quando ele aprontaria ou não. E meio que era difícil se concentar em outra coisa, quando aquelas coxas deliciosas – que nunca tive o prazer de tocar, choremos – e aquela bundona estão bem à minha frente. Eu bem que queria me descontrolar e pegar o Byun de jeito, mas, no fundo, bem no fundo do meu ser, eu tenho o medo dele me afastar e isso acabar com a nossa amizade, aquele blablabla todo. Nunca se sabe se eu sou apenas um adolescente desesperado, louco pra descarregar meu tesão em qualquer pessoa e vejo malícia em tudo. Talvez ele esteja cagando pra mim e eu, todo otário, achando que ele está querendo me atiçar.

              Mas o foda é que, sempre que penso algo do tipo, o Byun faz alguma coisa que contradiz totalmente essa ideia. Esse pedacinho de gente me deixava perdido em pensamentos.

              Minha mente já estava divagando a muito tempo, nem ao menos tinha percebido Baekhyun me olhando com aquela carinha carregando uma fucking carranca por eu não estar prestando atenção ao o que ele dizia.

              - Porra, Chanyeol! Pare de me olhar com essa cara de vários nadas. Pelo jeito, não prestou atenção em nada do que eu disse, né!? - Byun chamou minha atenção.

              - Desculpe, Baek. Pode repetir? - respondi calmamente olhando em seus olhinhos caidinhos. Parecia até um neném quando não estava sendo incitado pelo demônio a me provocar. Ai, que vontade de dar uns tapas nesse coiso só pra poder cuidar depois. Risos.

              - Caralho - o que seu vocabulário contradizia completamente, rs. - Você é muito trouxa! Eu estava dizendo que você necessita assistir Stranger Things! - não necessito, não. - É sério! Pensa numa série foda. - American Horror Story, pensei - Agora múltiplica por dez. - Breaking Bad?

              - Breaking Bad? - dei voz aos meus pensamentos.

              - Yah! Reposta errada! - bradou com um biquinho fofinho nos lábios. Se Byun Baekhyun soubesse as coisas que eu penso quando ele faz essas coisas, passaria a fazer com menos frequência. Ou não.

              Preciso controlar meus hormônios.

              - Stranger Things!! - respondeu a questão a qual eu havia respondido, ao seu ver, errado. - Nós precisamos discutir sobre essa série! O que são os demogorgons? O que aquele maluco fez com a Eleven? Séra que o Will volta pro upside down na segunda temporada?

              Demogorgons? Cara maluco?Eleven? Upside down?

              Mas de que merda esse louco estava falando?

              Baekhyun dizia essas coisas que só ele entendia eufórico e sem pausas.

              Bicha, cale a boca.

              - Yah, Baekhyun!! Eu não faço ideia do que essas coisas sem sentido são!!

              - Aish! É por isso que você deve assistir, assim você entenderá de tudo que estou falando! - revirei os olhos. Baekhyun estava enchendo a droga da minha paciência com essa série a mais de duas semanas. Eu realmente não tinha um pingo de interesse em assisti-la. Quando ele me disse que o elenco era composto por crianças, brotou uma bunda na minha cara na hora. Odeio crianças.

              - Cale a boca, vamos falar de coisa boa agora, vamos falar de Orange Is The New Black. - eu já ia começar a falar o quão hetero eu era pela Piper quando o sinal tocou, indicando o final das aulas daquele dia.

              Arrumamos nosso material e ficamos esperando aquele bando de adolescentes loucos atropelando uns aos outros pra poder ir embora, só então pra começarmos a nos dirigir até a porta.

              Quando chegamos ao pátio principal da escola, falei a Baekhyun que iria no banheiro pra aliviar a bexiga e ele disse que me esperaria no portão.
              Ok.

              Eu só não contava que quando eu chegasse ao seu encontro, o Byun estaria chupando a droga de um pirulito, e sabe daquela maneira que ninguém chupa, só persongens de desenhos animados? Então...

              - O que foi? - perguntou piscando aqueles olhinhos pretinhos com uma falsa inocência tão clara que por um segundo me ocorreu de bater naquela carinha bonitinha. Mas passou no instante seguinte.
             
              - Aonde arrumou esse pirulito? - rebati com outra pergunta, fingindo descaso.

              - Eu comprei, ué. - respondeu me encarando nos olhos apontando pra cantina da escola, enquanto, fora da boca, enrolava aquela linguinha vermelhinha naquele bendito doce.

              Fiquei meio desconcertado com aquelas bolinhas me encarando tão profundamente que pigarreei de leve e desviei o olhar para alguma coisa sem importância à minha volta.

              - Érr... Tá. - cocei a nuca - Vai ir pra minha casa ou eu vou pra sua? - indaguei retomando o assunto da aula de biologia.

              - Nas últimas duas vezes que a gente precisou fazer trabalho fomos pra minha casa. Vamos na sua dessa vez.

              Assenti e logo pegamos o caminho de casa. E eu até diria que o caminho até minha humilde residência foi calma, se não fosse pelos barulhinhos quase irritantes de sucção que Baekhyun fazia ao chupar aquela droga de doce.

              E lá vamos nós. Na verdade, lá vou eu, porque Park Chanyeol é o único que se fode.

                              x

              Já havíamos chegado em casa e estávamos comendo um lanche com ingredientes improvisados que eu tinha feito porque mamãe Park saiu pra trabalhar e nem ao menos deixou uma comida para que eu esquentasse. Achei que ela tinha ciência dos meus dotes culinários.

              Sinta a ironia, por favor.

              Eu só estava esperando o Byun terminar de comer para subir ao quarto e tirar nossos materiais pra fora da mochila e começar a fazer o trabalho.

              Aquele lanche não tinha me sustentado nem um pouco, e o ruim era que eu teria de esperar minha mãe ou minha irmã chegarem para preparar alguma coisa pra eu comer. Meu pai estava fora de cogitação porque ele trabalhava o dia inteiro e chegava lá paras os nove da noite, eu nem via a cara daquele velho direito. Confesso que sinto saudades da época em que ele ia ao meu quarto jogar vídeo-game comigo, e na maioria das vezes me vencia no Mortal Kombat. Foi o senhor Park que me aprensentou o mundo dos jogos, o qual desde os 7 anos sou apaixonado.

              - Terminei. - Baekhyun me trouxe de volta à realidade. - Vamos fazer esse trabalho logo. - já foi se levantando e colocando nossos pratos na pia. Só de ver aquela louça pronta pra ser lavada me dava uma tristeza do caralho, mas ela terá de esperar, eu tinha responsabilidades a ser cumpridas. Risos.

              Subi junto ao meu amigo para o meu quarto e sentamos no chão dando uma olhado no assunto que o professor pedia. Peguei meu notebook e o coloquei no colo, digitando rapidamente o tema daquele trabalho.

              Baekhyun separou as partes de cada um e começamos a passar aquele conteúdo pro papel.

                               x

              Já se passava das 16:00 quando eu e Baekhyun terminamos tudo o que tinha que ser feito. Minha mão latejava de tanto que eu havia escrevido naquela folha branca, eu estava parecendo um condenado todo estirado no chão e com preguiça de fazer tudo.

              Mas pra falar a verdade, eu estava bastante surpreso. Meu Byunnie havia se comportado o tempo inteiro, o que era novo vindo dele. Ou, como disse antes, isso pode ser apenas coisas que minha cebeça de virgem tenha inventado.

              - Finalmente. - Baekhyun comemorou, se jogando do meu lado, olhando pro teto assim como eu fazia. Só concordei murmurando um "é". - A gente podia fazer alguma coisa agora, né?

              - Tipo? - continuei a encarar o teto, sem real interesse em ouvir Baekhyun falar.

              - Assistir Stranger Things?

              - Me poupe, Baekhyun. - fiz descaso mesmo.

              - Aah, fala sério! - levantou da onde estava, e eu não sei porque fiquei supreso e com o cu na mão por isso, mas no instante seguinte Baekhyun já estava sentado na minha barriga e com os braços apoiados no meu peito.

              Socorrinho.

              Ver Baekhyun daquela posição não estava fazendo bem a minha cabeça de cima e muito menos para a de baixo.

              Eu ja estava me esquecendo o quão filho da puta Baekhyun podia ser comigo.

              - O-o que você tá fazendo? - gaguejei, gaguejei mesmo. Igual uma virgem prestes a perder o cabaço.

              - Hã? Não estou fazendo nada, só quero que assista Coisos Estranhos comigo - se fez de desentendido.

              Aaaah! Só meu santo sabia o quanto eu odeio quando Baekhyun finge que nada estava acontecendo. E naquele momento estava! Estava muito!

              Espero que ele não tenha se esquecido o fato que está sentado no meu colo e se for um pouquinho mais pra baixo aquela bundona linda irá de encontro com meu menino.

              E droga, droga, droga! Eu não queria que Baekhyun percebesse o quão afetado eu estava com aquele seu ato repentino. Ele fez com tanta naturalidade que um Park Chanyeol todo tensionado seria ridículo.

              Afinal, isso é só coisa de brother, né?

              Tudo na brotheragem.

              - Érr... - tentei retomar o assunto, eu nem lembrava mais o que a gente estava falando antes disso, socorro - Eu não vou assistir essa série. - falei o óbvio. Eu estava nervouser, me deem um desconto.

              - Por que, Chan?? - fez manha e começou a se contorcer no meu colo, sabe quando você era criança e sua mãe não queria te comprar alguma coisa e você começa a fazer pirraça? Pois bem...

              - Yah! Pare com isso! - direcionei minhas duas mãos a sua cintura tentando conter aquele menino. Porra, mais um pouquinho ele encosta no meu pobre e indefeso pinto.

              - Tô perdendo a fé em você. - jogou a frase no ar ao mesmo tempo em que deixava meu colo. Poxa, já estava começando a sentir falta daquele peso mais do que bem vindo em cima de mim.

              Pigarreei.

              - Byunnie, não há nada no mundo que me faça ter interesse em assistir essa série sem graça. - já ia começar a argumentar quando escutei um bufar alto vindo do menino ao meu lado.

              - Você é um frouxo. - É o que?

              - É o que? - o que esse menino estava dizendo, meu Deus?

              - Você é um frouxo. - repetiu.

              Como é que é, rapaz? Baekhyun estava muito louco nas drogas, eu pude ter certeza disso naquele momento.

              Que audácia desse filho da puta.

              - Do que você tá falando, cara? - perguntei. Eu precisava saber o motivo daquela afronta.

              Não obtive resposta alguma, só vi a hora em que o Byun se levantou e começou a bufar alto vários xingamentos e palavrões.

              Nesse momento eu já havia sentado e apoiado as costas na minha cama. Eu estava apenas observando a loucura do Baekhyun.

              - Eu te odeio, Park Chanyeol. - falou apontando o dedo na minha cara.

              Que moleque mais doido das ideias, precisava rever minhas amizades.

              Opa.

              Minha amizade. Não é como se eu tivesse mais outro amigo além do Byun. Choremos.

              - Você tá bem, mano? - perguntei um pouco hesitante. Baekhyun nunca havia aprensentado nenhum estado de loucura até aquele momento.

              - Argh!! - e bufou pela enésima vez.

              Puta que pariu, o que eu tinha feito? Socorro.

              - Tá assim só porque eu não quero assistir Negócios Estranhos contigo?

              - Será que eu vou ter que ficar pelado na tua frente pra você se dar conta do que eu quero ? - Ignorou completamente minha pergunta e...

              Espera.

              O que?

              - Hã? - eu estava mais confuso do que cego em tiroteio.

              - Eu não vou repetir, Park! Pare de ser virgem pelo menos uma vez nessa tua vida e tome alguma atitude! - eu estava mesmo levando sermão por ser virgem de outro virgem?

              Mas espera aí, vamos recapitular.

              Baekhyun estava falando que eu sou frouxo.

              Baekhyun falou que me odeia.

              Baekhyun falou que só faltava ficar pelado pra eu tomar alguma atitude.

              Ai.

              Meu.

              Ânus.

              Soltei a respiração que só naquele momento percebi ter prendido pra tentar falar alguma coisa.

              - É o que, menino? - pra no final só sair isso. Perdoem meu gafe e não desistam de mim.

              Baekhyun bufou alto mais uma vez e, de novo, me surpreendeu sentando no meu colo, só que dessa vez naquele lugar lá. Aquele lá. Bem em cima.

              Socorro.

              - Pelo jeito, eu que vou ter que tomar as atitudes por aqui. - disse entrelançando os braços no meu pescoço enquanto aproximava aquela boquinha aonde eu achava ser a minha.

              Epa, que menino abusado. Gostei.

              Naquela hora eu poderia ter o afastado facilmente e ter tirado Baekhyun de meu colo. Eu poderia ter negado, mas não o fiz.

              Caralho, eu queria muito aquilo.

              E como descrever a sensação daquela boquinha linda se encostando na minha de maneira tão gostosa? Chanyeol estava desmaiado.

              Baekhyun pressionou ainda mais seus lábios nos meus pra logo após entreabri-los e ir enfiando a língua na minha boca. Que ousadia, ele nem ao menos tinha pedido a droga da passagem, só vou perdoar porque era Byun Baekhyun ali e isso não se discute.

              Entrelacei minha língua a sua e era maravilhosa a sensação de sentir cada pedacinho de sua boca contra a minha, eu senti vontade de beijá-lo pra sempre.

              Mas, infelizmente, o ar se fez necessário e tivemos que nos separar para recuperá-lo um pouco. Enquanto isso, Baekhyun me dava vários selinhos, as vezes os distribuindo em todo meu rosto. Que gracinha.

              Continuamos nos beijando por um bom tempo e, nossa!, como aquilo era bom! Vou acabar me viciando nessa boquinha bonitinha e gostosa que só Byun Baekhyun tinha. E ele beijava muito bem. Não que eu tivesse beijado várias bocas para poder comparar, mas, sei lá, eu sentia um conforto enorme ao beijá-lo e deduzi que essa fosse a sensação de quando se beija alguém que sabe o que está fazendo.

              Se dependesse de mim ficaríamos só naquilo, eu o beijaria até minha boca ficar dormente mas parece que Byunnie tinha planos maiores para aquela tarde. E eu não vou mentir, adoro.

              Eu sentia Baekhyun fazendo pressão com o quadril em cima do meu quase acordado pênis e se ele continuasse com aquilo, logo ele sentiria algo o cutucando, rs.

              E, bom, ele continuou.

              Como vocês já sabem eu era virgem de carteirinha, e não precisou de muito para que eu estivesse completamente ereto e ofegante pela pressão deliciosa que Baekhyun fazia e pelos beijos que ainda trocávamos.

              O Byun claramente já estava sentindo meu pau o cutucando e sorriu ladino em minha direção.

              Ai. Espero que ele não tenha sentido aquela pulsada violenta que meu pênis deu só por causa daquele sorrisinho. Amém.

              Baekhyun direcionou suas mãozinhas até a barra da minha blusa do uniforme da escola - já que estávamos ali para fins unica e exclusivamente escolares, só que esse pingo de gente não tinha entendido isso direito, risos - e a puxou do meu corpo, quase arrancando minha cabeça na hora de passar por ela. Levei um baita susto, porque eu estava tão concentrado olhando pra carinha de safado dele e do nada minha cabeça foi puxada com tudo. Doeu.

              - Ai, Baekhyun! - reclamei. Aquele viado começou a rir, que ódio.

              - Desculpa, Chan! - e se forçou a parar. Nossa, que coisa maravilhosa para se acontecer num momento desses. Que micão, meu Deus.

              Baek deu um beijinho no meu pescoço e se desculpou outra vez em forma de sussurro. Senti meus pelinhos da nuca se arrepiarem inteiros. Porra, ein.

              E foi só nessa hora que eu me dei conta de que só o meu Byunnie estava tomando atitudes ali - como ele mesmo disse mais cedo - e eu não queria aquilo. Droga, dessa forma eu me provaria ser realmente um frouxo. Decidi fazer alguma coisa levando minhas mãos até a barra da sua camiseta para tirá-la e tomando cuidado suficiente para não arrancar sua cabeça como ele havia feito comigo a pouco.

              Consegui tirar aquela peça com êxito e eu devo ter ficado tempo demais encarando aquele peito nu porque ouvi Baekhyun chamando minha atenção com um pigarreio.

              - Eu sei que sou gostoso, mas feche a boca senão baba. - debochou de mim na cara de pau. Nossa, que menino audacioso. Mas ele falava a verdade, ele é realmente gostoso.

              - Cale a boca. - mas eu não ia dar o braço a torcer, é claro.

              Baekhyun riu e deixou um beijo estalado na minha boquinha que já sentia falta da dele colada a minha e se levantou. Byunnie começou a desabotoar a calça e a retirou de seu corpo, juntamente com a cueca boxer azulzinha que ele usava.

              Caralho.

              Que pinto bonitinho que ele tem. Quero.

              Fiquei encantado com a visão a minha frente, óbvio. Baekhyun massageando aquele seu pau duro na minha frente e olhando nos meus olhos era muito para não se encantar.

              - Vem pra cá. - eu disse quase num sussurro, sem desviar os olhos daquela linda visão.

              Achei que ele ia voltar a se sentar no meu colo, mas ao invés disso, Baekhyun se agachou na minha frente, engatinhando até chegar próximo o suficiente para conseguir dar o mesmo destino que sua calça e cueca tiveram, as minhas.

              Sentir aquele ventinho gostoso batendo diretamente na minha ereção foi um alívio. Mas eu precisa de mais. Eu precisa de Baekhyun.

              E ao falar no demônio, ele já se acomodava em minha pernas de novo, só pra poder agarrar meu pau e começar bater punheta pra mim.

              E Park Chanyeol? Bem, como eu disse mais cedo, esse daí estava desmaiado.

              Nem quando eu bati punheta olhando pro meu postêr da Piper (meu mozão em OITNB) me proporcionou tanto prazer quanto aquela mãozinha pequena de dedos fininhos estava me proporcionando. Meus olhos reviravam involuntariamente e eu tive certeza que não tinha coisa melhor no mundo do que me sentir na mão do Byunnie.

              - Me toca também, Chan. - pediu manhoso. Nossa, que vontade que eu fiquei de esfregar a rola na cara dele de tão bonitinho. Mas passou logo.

              E, meu Deus, como eu sou burro! Eu esqueci que Baekhyun também tinha um pinto implorando por atenção no meio das pernas e foquei apenas no meu próprio prazer. Bosta.

              Direcionei minha mão até o seu pinto bonitinho e comecei a tocar punheta pra ele também.

              E a imagem de Byun Baekhyun soltando um gemido mudo ao mesmo tempo que revirava os olhos nunca será apagada da minha mente. Vai servir como um estímulo em outras ocasiões, rs.

              Ficamos naquela masturbação frenética tempo suficiente para dois virgens já sentirem que iam gozar, e eu já estava quase me entregando àquele orgasmo que eu tinha certeza que seria arrebatador quando Baekhyun parou de me tocar do nada.

              Droga, será que eu tinha cagado em alguma coisa?

              Eu já ia fazer o favor de perguntar o que eu tinha feito de errado quando eu senti um tapinha na minha mão que me fez soltar sua ereção. Baekhyun trouxe seu corpo para mais perto do meu e levou sua mãozinha até nossos pintos e começou a bater punheta em conjunto.

              Punheta.

              Em conjunto.

              Me leva, Deus.

              Mentira, me deixa gozar primeiro, aí depois o Senhor resolve o que fazer comigo.

              As sensações que se espalhavam por meio corpo naquele ato fazia cada pelinho do meu corpo se eriçar e meus dedos dos pés se comprimirem. E acho que não era só eu que estava quase sendo arrebatado pelo prazer, porque Baekhyun começou a jogar seu quadril em direção sua mão cada vez mais rápido.

              E foi com a visão do pênis do Baekhyun liberando seu prazer que eu consegui alcançar o ponto alto do meu.

              Baekhyun se jogou em cima de mim enfiando o rosto na curva do meu pescoço, enquanto, aos poucos, recuperava a respiração. E eu fazia a mesma coisa.

              Um silêncio um tanto constrangedor se instalou naquele quarto e tanto eu quanto Baekhyun não sabíamos o que falar.

              Eu queria dizer que aquela foi a melhor experiência que eu já havia tido na minha vida curta de 17 anos e que ele era maravilhoso.

              Mas eu sou Park Chanyeol e acabei dizendo algo que nem ele e nem eu queríamos ouvir sair da minha boca.

              - Levanta esse corpo de cima de mim que você é pesado. Minha mãe vai chegar logo. - tentei soar o mais suave possível. Eu realmente não tinha o que falar naquela hora, me disgurpem.

              - Sério, Park Chanyeol? - foi irônico, mas levantou logo em seguida. Minha barriga tinha resto porra minha e dele. Eca. Precisava me limpar.

              Sorri amarelo e me levantei, jogando suas roupas pra ele para que se vestisse. Fui até o banheiro e com uns lencinhos, limpei tudo o que tinha que limpar e voltei ao quarto vendo Baekhyun vestindo a blusa do uniforme. Estranhei. Eu espero que Baekhyun não esteja vestindo aquelas roupas enquanto está sujo de sêmem.

              - Baekhyun, aonde foi que você se limpou? - dei voz a minha dúvida.

              Ah... e aquela putinha não me respondeu nada, ao invés disso deu só um sorrisinho de lado bem filho da puta - devo ressaltar - e piscou em minha direção. Eu conhecia aquele menino o suficiente para saber que ele tinha aprontado alguma coisa.

              Só então reparei minha blusa do uniforme jogada em cima da cama, lugar este onde ela não estava quando ele quase arrancou minha cabeça. Fui andando desconfiado até peguei aquela peça e vi que estava suja com certo caldo de pau.

              Puta que pariu!

              - Puta que pariu, Baekhyun!! - e começou a rir correndo pelo meu quarto enquanto me mostrava aquela língua. Olhando dessa forma, ele até voltava a parecer uma criancinha. Exceto a situação que o fez se parecer com uma criancinha.

              - É só lavar, Yeol!! - cantarolou.

              - Trouxa. - dei de ombros e levei a blusa até o cesto de roupas sujas.

              E, bom, no final da história o Baekhyun acabou ficando pra dormir aqui por insistência da minha mãe e, por incrível que pareça, meu Byunnie conseguiu me convercer a assistir Stranger Things e, socorro!, aquelas são as melhores crianças do mundo!

              E nem preciso dizer que eu e Baekhyun começamos uma discussão para decidir quem era a Eleven, e no final ele acabou ganhando por falar que a conheceu primeiro e tinha direito de ser ela.

              Bem, eu deixei ele se iludir.


Notas Finais


Gostaram? qq deixem nos comentários o que acharam, babes ♡♡
Até uma próxima, beijinhos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...