História Cold (Paulícia) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel, Lucas Santos
Personagens Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Firmino Gonçalves, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Personagens Originais, Valéria Ferreira
Tags Carrossel, Darkfic, Lufer, Marilina, Paulicia, Romance
Visualizações 611
Palavras 764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capítulo tá beeem curto, mas é intencional. Ele tava fofinho demais pra mim acrescentar qualquer outra coisa nele❤ acho que vocês vão gostar.

Capítulo 10 - Dengo


Paulo Guerra

Eu andava junto com Sara e Marcelina em direção à escola. Enquanto as duas conversavam e riam, eu caminhava em silêncio, ouvindo minhas músicas. 

- Paulo! - Marcelina cochichou. Removi meus fones e a encarei. - Por que você mal ligou pra Sara ontem? Ela ficou chateada.

- Cala a boca, Marcelina! Ela tá alí do lado, você acha que esses seus cochichos não são audíveis? - ela revirou os olhos.

- Responde logo!

- Eu tava cansado, pô, a festa tava daora! - ela me encarou, sem acreditar em nada do que eu havia dito.

- Sei... se fosse o antigo Paulo, não tinha canseira nesse mundo que impedisse ele de ficar um tempinho com a crush. 

- Antigo Paulo? Para de falar asneiras, Marce! - coloquei meu fone de volta e andei uns passos na frente, ainda podendo ouvir ela reclamando sobre mim.

Depois de longos minutos de caminhada, finalmente chegamos na escola, que por incrivel que pareca, é melhor que a minha casa.


Alícia Gusman

Eu me encontrava sentada na grama do jardim da escola, encostada em uma árvore. Poucas pessoas se encontravam alí, e as poucas que tinham, aproveitavam o silêncio do ambiente para ler livros, ouvir musica, ou namorar. 

 Chat: Dengo            

[07:51] - Dengo: Tá aonde?

[07:51] - Você: No jardim, vem aqui! 

[07:51] - Dengo: Tô indo❤


Sorri e bloqueei a tela, largando o celular na grama. Alguns segundos depois, Paulo passa pela porta de vidro e caminha até mim com um sorriso envergonhado no rosto. Senti minhas bochechas esquentarem enquanto observava ele vindo até mim.

- Oi - ele disse, se sentando no meu lado e beijando o canto da minha boca.

- Oi. 

- Minha madrasta vai se mudar lá pra casa... - se encostou na árvore. - Não sei se fico contente com isso. 

- Eu não sabia nem que você tinha madrasta! - ele riu de leve.

- Tenho. Mãe da minha irmãzinha. 

- Caramba, Paulo! O que mais você esconde de mim? Um gnomo que cuida de nenês?

- Ei, eu não escondi! - rimos. - Eu só esqueci de contar, pô. 

- Enfim... ela é ruim pra você?

- Não, é que... uma "estranha" vai se mudar pra minha casa, então... minha privacidade vai pra puta que pariu! - bufou. - E eu ainda briguei com o meu pai ontem, e a Sara ficou chateada porque eu mal falei com ela. Ela foi dormir lá.

- Ah... e porque você brigou com o seu pai? 

- Porque meu pai, ele... eu não sei explicar. Ele veio com um papo de querer me entender, e resgatar todo o tempo perdido comigo, só que poxa, ele nunca esteve lá quando eu realmente precisei! - suspirou. Encostei minha cabeça em seu ombro e segurei sua mão.

- Você não deu sorte, hein? Mas talvez ele tenha se arrependido. Deixa ele conversar com você pra ver no que dá.

- É, eu vou - ele se abaixou e deitou a cabeça no meu colo. Comecei a acariciar seus cabelos enquanto ele fitava o nada.

- E você já decidiu aonde vai levar a Sara amanhã? - perguntei, mesmo sem querer saber a resposta. 

Paulo se virou de barriga pra cima e me encarou. Parecia estar confuso.

- Não... nem lembrava disso. Aonde você gostaria de ir se fosse com você? 

- Isso não importa. Nós duas somos diferentes, acho que deveria perguntar a ela - tirei minhas mãos de cima dele e desviei meu olhar, passando a encarar um pássaro que comia algo no chão. 

- É isso mesmo? - riu pelo nariz. - Está com ciúmes? - voltei meu olhar para ele, incrédula. 

- Por que eu estaria? Nós somos só amigos! Eu só acho que essa não é a pergunta perfeita pra mim - ele sorriu e segurou minha mão.

- E qual é a pergunta perfeita? - entreabri meus lábios, procurando algo que eu pudesse responder, mas antes o sinal toca, interrompendo nossa troca de olhares.

- O que acha de ficarmos aqui mais um tempo? - mudei o assunto.

- Claro - levantou do meu colo e se sentou de frente pra mim. 

As pessoas saíam devagar do jardim, nos deixando a sós, o que me assustava um pouco. Não queria ficar sozinha com ele. 

- Para de fazer essas perguntas - pedi, encolhendo minhas pernas contra o meu corpo.

- Que perguntas?

- Aquelas perguntas! Para - bufei.

- Ok, vou fingir que eu entendi. Agora me dá um abraço - sorri, deixando-me levar pelo seu sorriso, e me joguei nos seus braços abertos, sentindo eles apertarem meu corpo.




"Meu dengo

Eu consigo planejar todo um futuro

Do teu lado e parece tão seguro

Me envolver

E sentir

E querer

Teu dengo"


Notas Finais


Essa música é muito perfeita❤

O Paulo é lerdo pakarai, que vontade de matar!
A Marce já tá percebendo que tá rolando alguma coisinha entre os dois, haha💜

Sobre a fanfic que foi excluída, decidi recriar ela quando eu ganhar meu celular, assim vou conseguir atrualizar ela do jeitinho que eu quero!

Até mais, 20 comentários?❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...