História Cold Soul - TaeGi - Capítulo 8


Escrita por: ~, ~Shin_Hee e ~Sojin_Min

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lu Han, Mark, Rap Monster, Sehun, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Menção Vmin, Menção Yoonseok, Namjin, Taegi, Vsuga
Visualizações 71
Palavras 1.694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee.
Tudo bom?
Mais um capítulo ae.
A @Shin_Hee fez o capítulo comigo como sempre.
Boa leituras duendes e elfos. <3

Capítulo 8 - Blood & Tears


Fanfic / Fanfiction Cold Soul - TaeGi - Capítulo 8 - Blood & Tears

                

                 Taehyung 




Acordei e me deparei com uma poça de suor em minha cama. Eu estava chorando lágrimas grossas e tremendo muito.

Novamente sou atacado por esses pesadelos. Mas dessa vez parecia tão real que eu realmente fiquei com medo. Muito medo.

Cada lágrima.

Cada cicatriz.

Cada lembrança.

Minha respiração estava descompassada e eu ainda não conseguia diferenciar sonho de realidade. Eu estava apavorado.

Eu me perguntava por que isso sempre vinha à minha mente. Eu devia simplesmente esquecer mas não dá. Dói aqui dentro. Dói.

Decidi ir tomar um banho. Entrei debaixo do chuveiro, logo depois de tirar minhas vestimentas. Ah. Como eu queria que tudo mudasse. Seria especificamente ótimo. 

Não é nada legal ter uma mente que te assombra. Uma dor que continua sempre ali me incomodando. Uma  lágrima que desce por causa da dor. Um passado doloroso. 

Como é ser uma pessoa normal? Eu queria ser normal. Por que existem pessoas falsas nesse mundo? Por que todos me deixam? Por que eu sou um fracasso? Por que eu sou tão inútil? Por que eu sou um nada? Por que eu não me matei ainda? Talvez seja porque sou fraco demais para fazer isso. Eu queria ser uma daquelas pessoas que estão sempre dispostas a lutar. Mas não.

 Eu sou apenas aquele que ao dar um passo, ao invés de ir pra frente, vai para trás.

Saí do box do banheiro. E fui me olhar no espelho. E céus, eu estou horrível. Com grandes olheiras. Olhos e rosto inchados.

Mas o que me assustava mesmo era a palidez que o mesmo se encontrava. Tão sem cor. Tão sem vida. É difícil você se olhar no espelho todos os dias e se ver como um lixo. É difícil quando você vê a sua imagem e não reconhece a si mesmo.

Olhei as horas e vi que era exatamente 05:10pm. 

Eu dormi tanto assim? Aquele pesadelo durou tanto assim?

Fui para o meu quarto e me vesti. Eu me encontrava com um moletom preto, uma calça jeans escura e minhas botas pretas.

Fui para a cozinha. Fiz um café e uma torrada e comi.

Olhei as horas novamente e agora marcava 05:50pm.

Peguei meus livros e coloquei na mochila e saí em direção à escola.

Sei que está cedo ainda, mas eu fui.

No caminho vi vários tipos de situações. Homens de grande porte indo para suas empresas. Mulheres que fazem de tudo para ter comida dentro da casa indo correndo para o seus respectivos trabalhos. Alunos com maior preguiça. Mas o que me surpreendeu foi ela. A garotinha.

A garotinha do meu sonho. Ela estava ali sorridente com uma mulher ao seu lado.

Eu não posso estar louco. Já não basta ele agora eu?

Acelerei meus passos em direção à faculdade.  

Quando cheguei, estava do jeito que eu esperava. Sem ninguém.

Me sentei nos cinco pequenos degraus do grande portão.


                           -x-


Quando o porteiro chegou, me deu bom dia e abriu o grande portão.

Entrei. E fui em direção à sala.

Fiz alguns desenhos. Ouvi algumas músicas. E logo a sala começou a se encher assim como a escola.

Yoongi chegou e me deu um sorriso. No qual eu olhei e desviei.

Nas aulas, eu me lembrei de tudo o que eu passei. De tudo o que eu sofri. De tudo que eu permitia deixar.

Mas eu não poderia chorar na aula. Não. Eu não poderia. Sou fraco demais, mas não quero que vejam as minhas fraquezas. Imagine como seria se essas criaturas me vissem chorar?

Quando o intervalo acabou eu corri para o banheiro. Me olhei no espelho e chorei. Chorei muito. Mas muito.

Me encostei na parede fria. E fechei meus olhos. E tudo veio em meus pensamentos. Todas as dores. Todos as palavras que foram mal ditas para mim. Todas as lágrimas. Todos os meus pecados. Todos os erros.

Ah. Como eu queria que as coisas mudassem.

Eu queria tanto um abraço. Tanto uma pessoa ao meu lado. Alguém que me ajude.

Peguei minha lâmina na mochila. Levantei as mangas da minha blusa. Trilhei um caminho no meus braços e me cortei. Isso dói. Mas não tanto como a dor em meu coração.

Cada pingo de sangue que descia juntamente com as minhas lágrimas eram os meus sentimentos.

 Me perdoe Deus. Me perdoe.

Mas por que é tudo tão difícil? É tão clichê se cortar, ainda mais em um banheiro na faculdade. Eu quero apenas ser um anjo que voa vendo pessoas que sofreram ou sofrem igual à mim e ajudá-las.

 Eu me sentia livre.

Eu sei que tudo que eu estou fazendo aqui não vale nada.

Mas a angústia de viver é tão horrorosa.

 Eu sou tão falho.

 Eu sou tão inútil.

Peguei a lâmina e aprofundei os cortes. Quero ser puro. Quero ser sem problemas.

 Eu...só quero ser feliz.

A porta se abriu. Não notei quem era pois estava sem forças.

- Taehyung!  – Exclamou.  – O que aconteceu contigo?

- Não finja. Não finja que se importe comigo.

- Você. Você. Você não fez isso.  – Pegou meus braços aflito.

- Yoongi. – Susurrei sem força alguma.

- Taehyung.Taehyung! – Ele me pegou em seus braços em estilo noiva.

- Me perdoe. – Eu ditei muito baixo antes de finalmente desmaiar.

                           

                        -x-


Quando acordei me deparei com um lugar totalmente branco.

Será que eu morri? Será que meu pedido se realizou? Eu me tornei mesmo um anjo?

Não...na verdade eu estava na enfermaria da faculdade.

Quando tentei me levantar, percebi que estava com os braços enfaixados e com uma agulha enfiada em um deles, a qual me dava uma boa quantidade de sangue.

Logo a porta foi aberta por uma enfermeira, que se prontificou em checar se eu estava bem.

- Oh, você finalmente acordou, que bom!

- Por quanto tempo eu dormi?

- 4 horas.

- 4 horas? Oh não, eu perdi todas aulas. Mas que droga. 

- Se acalme. Eu avisei ao diretor que você estava aqui na enfermaria. – Disse rindo do meu desespero.

- Ok então. Já posso ir embora agora?

- Ah sim. Por favor não faça isso de novo, o garoto que te trouxe aqui estava tão aflito que pensei que ele iria ter um ataque.

- O Yoongi? – Perguntei surpreso.

- Sim, ele mesmo. Bom, você já pode sair agora, espero não te ver aqui de novo por causa disso ouviu mocinho?

- Claro, me desculpe e…até logo. - Disse por fim saindo da sala.


                         -x-


O Yoongi realmente havia me ajudado? 

Não achei que ele faria isso. Afinal, ninguém se importa comigo mesmo.

Fui tirado de meus devaneios ao ouvir uma voz me chamando no final daquele extenso corredor.

- Taehyung, espere aí! – Essa voz. Sim. Era ele. Era incrível como sempre aparecia em momentos assim.

Logo Yoongi me alcançou e já estava andando ao meu lado.

- Antes de tudo, quero te levar a um lugar. – Dito isso, me puxou delicadamente, indicando que era para eu seguí-lo.

Andamos um pouco até chegarmos em uma espécie de parapeito. Yoongi se sentou ali, pedindo para que eu me sentasse também. E logo começou as perguntas.

- Hey Garoto Silêncio. Preciso que me responda algumas coisas, afinal eu te ajudei, mereço pelo menos uma explicação do porque estar fazendo aquilo.

- Tudo bem, primeiramente, me desculpe por ter feito isso. – Disse cabisbaixo. – E bom, eu estava tendo mais um dos meus surtos. Fazia tempo que isso não acontecia, mas parece que a sorte não está ao meu favor hoje.

- Espera, você tem surtos? – Me perguntou perplexo.

- Sim, mas como eu disse antes, faz tempo que não acontece.

-Mas qual foi o motivo disso ter acontecido?

- Tive um pesadelo – Respondi dando um suspiro.

- Hum... – Ele sabia que eu estava escondendo alguma coisa. Droga. – Taehyung, você se corta somente quando tem surtos?

- S-Sim – Mas que merda, porque eu tinha que gaguejar logo agora?

- Você mente muito mal sabia? Deveria parar de se cortar, você só está machucando a si mesmo – Isso foi demais pra mim. Como ele pode dizer uma coisa dessas sem nem saber ao certo o motivo de tudo isso? Como pode simplesmente ficar dando palpites sobre a minha vida, sendo que ele nunca passou pelo mesmo que eu? Como pode Yoongi?

- Você não sabe de nada. – O vejo arregalar os olhos ao ouvir minha frase de indignação. – As pessoas vêem meus cortes, mas não vêem minhas dores e me julgam mesmo assim. – Eu já estava começando a elevar o tom. – Elas dizem que isso é estupidez, mas eu vou te dizer o que é estúpido: machucar tanto alguém emocionalmente que você venha sentir que precisa se ferir fisicamente também. – Eu disse por fim já com lágrimas nos olhos.

Eu não queria chorar na frente dele, deveria ser forte, deveria aprender a lidar com isso, mas...eu não consigo. Eu odeio ser tão frágil. Eu odeio me ferir tão facilmente.

Eu me odeio.


Até que fui surpreendido com um abraço seu, eu estava estático.

 Não sabia como reagir. 

Então eu simplesmente chorei ainda mais em seu ombro, deixando sua camisa toda molhada com minhas lágrimas de dor e sofrimento. 

O apertei ainda mais, como se a qualquer momento ele fosse sumir de meus braços.

Eu estava sensível, precisava desabafar com alguém e o único que estava ali naquele momento para me ouvir era Yoongi.

- Shii. Vai ficar tudo bem, não chore – Disse calmamente limpando minhas lágrimas que ainda insistiam em cair.

- Não vai ficar tudo bem, nunca fica tudo bem. – Ainda estávamos abraçados, mas de certo modo ele me trazia tranquilidade.

- Apenas se acalme, huh? – Dito isso, ficamos mais um tempo na mesma posição, até que eu me acalmasse totalmente.

- Vou te levar pra casa. – Fomos andando pelo caminho todo em silêncio, não um silêncio incômodo, muito pelo contrário, estava até que agradável.


                          -x-


Enfim chegamos a minha humilde casa. 

Porém não havia ninguém me esperando.

Não havia ninguém para se preocupar com minha saúde ou bem-estar. Minha família estava pouco se importando comigo.

Então, que diferença faz voltar para aquele lugar sombrio e cheio de negatividade?

Fui tirado de meus pensamentos ao ouvir novamente a voz de Yoongi.

- Bom, você já está entregue, agora eu preciso ir. Tchau Garoto Silêncio. – Se despediu acenando pra mim

- Tchau Gênio do Inverno.

Entrei em minha casa e logo me joguei na cama, estava esgotado.

É, talvez não seja tão ruim assim dar uma chance ao Yoongi.



“ Não sou de demonstrar sentimentos, mas sou cheio deles. Eu sofro em silêncio, amo com um olhar e falo por sorrisos que podem ser falsos ou verdadeiros. " 


Notas Finais


Eae. Tentamos fazer um capítulo pesado.
Então esperamos que vocês gostem.
até o próximo capítulo. <3
MAS GENTE O NOVO ÁLBUM DO BTS VAI SER COM O TEMA : " AME Á SI MESMO." SOCORRO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...