História Coldness - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Lauren Jauregui
Visualizações 1.591
Palavras 1.057
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores... Obrigada pelo apoio, vocês são incríveis.... Bora para mais um cap? Mas antes... Dêem uma olhadinha na fanfic da @shippandocamren a história é bem envolvente. Link nas notas finais...

Capítulo 60 - Ela me prendeu


Duas semanas depois de nos mudarmos, a casa estava cheia para o jantar de inauguração. Estava sentindo um apoio muito grande de todos e com ajuda dos meus remédios, tenho controlado bem minhas crises de ansiedade. 

- Dormindo com os olhos abertos, Cabello? – Lucy sentou ao meu lado e eu sorri pra ela. 

- Só analisando, essa casa foi um ótimo investimento.

- Foi mesmo, estamos procurando algo nesse bairro. 

- Confesso que achei ela bem caidinha, mas eram os moveis da decoração antiga que deixava tudo estranho. Com esses que escolhemos ficou muito melhor. 

- E sua casa antiga?

- Vendi. Metade voltou para minha poupança e a abri uma para a Mag. Tudo organizado. 

- Como você está se sentindo?

- É complicado, mas eu tenho elas e agora os gêmeos. Eles precisam de mim. Confesso que me reaproximar da minha mãe tem sido muito bom também e claro, vocês estão sendo muito legais comigo. 

- Você é especial, Cabello. Já está enxergando as coisas de maneira distorcida.

- Talvez. Só quero ser feliz, fiquei tanto tempo arrastando correntes que agora queria estar cem por cento para curtir minha liberdade.

- Estava presa ao que?

- Ao passado. 

- Margot enlouqueceu.

- Ela sempre foi louca, mas acredito que seja coisa pra aliviar a pena dela. 

- Lauren me contou sobre o depoimento.

- Ela é tão forte, contou tudo tão calmamente e eu chorando feito uma criança. 

- Não é culpa sua.

- Mas meio que é. Se ela não estivesse comigo

- Estaria infeliz em algum lugar do mundo. Ela ama você, Cabello. E ela que eu já vi ela apaixonada algumas vezes, mas nunca tão encantada com alguém. 

- Eu a amo demais, eu achava que tinha amado o satã, mas nem perto do que estou sentindo pela Lauren. É uma paz, sabe? É tão bom.

- O amor é assim mesmo. – Ela beijou meu rosto e eu sorri. – Vou procurar minha filha.

- Mag está detonando ela no xadrez.

- Cabello!

- Ah... mas minha filha é muito boa, não tem chance pra sua. Desculpe. – Ela revirou os olhos e foi para a sala de cinema, onde Lauren estava com sua mãe, irmão e com a esposa de Lucy. Dinah e Mani se encarregaram do jantar e Ally está mostrando a piscina para Troy, um colega de faculdade que encontrei esses dias e parece que eles estão se acertando. 

..........................

POV Lauren

Levantei a camisa que estava usando e minha mãe sorriu abobada para minha barriga. 

- Cresce muito rápido.

- Sim. E os enjoos são com muita frequência, mas o médico disse que as reações da gravidez são muito maiores quando são de gêmeos. – Ela tocou minha barriga e sorriu mais.

- Camila está melhor. Fico feliz por vocês.

- Sim, não é uma coisa que passe do nada, as vezes ela cai, mas ela está lutando e nós estamos a ajudando. E estamos indo menos ao psicólogo, pois ela acha muito invasivo. 

- Se ela está tomando os remédios direto, não tem problema.

- Ainda não acredito que aquela nanica está me roubando o boy.

- Chris!

- Fala sério! A Camila tinha que ter mais consideração comigo e me apresentar os amigos primeiro. Essa viagem está um saco.

- Deixa de ser rabo quente.

- Não! Estou nervosa! 

- nervoso! – O corrigi de brincadeira e ele revirou os olhos. 

- Vou ver se a comida vai sair hoje.

- Não vai incomodar ela, pois ela estão sendo muito gentis de ajudarem. – Chris saiu.

- Vou ir com ele para ele não perturbar elas e já ligo para seu pai. Ele já devia ter chegado. 

- Tudo bem, mãe. – Vero estava conversando com Lucy, um pouco mais distante, elas pareciam estar discutindo. – Algum problema?

- Não. Sua amiga está ficando psicótica depois de velha. – Vero falou e foi saindo as sala, mas se virou antes de cruzar a porta. – Posso conversar com Camila ou ela é outra amante minha que eu não sei. 

- Vai se foder, Veronica. – Lucy disse e eu arregalei meus olhos. Era como na faculdade de novo, Vero apenas bufou e saiu. – Desculpe. 

- Foi bom, me sento com dezenove anos de novo. 

- Eu sei que ela mudou, mas todo cuidado é pouco. – Sorri.

- Camila está muito controlada agora, depois que Sam se afastou ela tranquilizou. 

- Camila não cobra nada de você por medo.

- O que?

- Uma vez ela me disse que você está no time da Margot, quando as coisas não estão boas, você foge. 

- Eu ia terminar mesmo com ela naquele dia, você me conhece, sabe como sou regrada quando o assunto é termino. Acabou é tchau e benção. Só que a Camila mesmo quando está errada, tem um jeitinho de virar a cabeça e olhar bem nos teus olhos... É quase como o gato de botas, eu nuca vou comprar um chapéu para ela, pois assim nunca diria não. E ela vem com aquela voz meio rouca e tão calminha que não tem como dizer não. É tarefa quase impossível.

- Céus! Você está amando mesmo essa latina. 

- Ela me prendeu, Lucy. E eu posso garantir que não sou do time da Margot, eu nunca vou deixar ela. 

- Eu sei, mas ela me falou isso e ficou na minha cabeça. 

- Eu estou a deixando bem segura, fique tranquila em relação a isso. 

- Vocês transaram?

- Sim! Aquele estúdio é afrodisíaco, achei que depois de terem atrapalho, ela não tentaria nada por dias, mas nem chegamos em casa e ela já estava com aquele olhar e nossa... Foi uma loucura. Achei que só eu estava com saudade, mas ela estava tão afoita quanto eu, mas aquela casa que morávamos era muito pequena e não dava para certas extravagâncias. 

- E essa?

- Essa casa devia ser de alguém nem ligado nisso, pois o quarto principal é bem afastado e tem isolamento acústico, um espelho no teto. Isso foi muito bom porque esses hormônios de gravida são uma loucura. Eu nem sei me controlar mais.

- Lembro dessa época. 

Segui conversando com ela até meu pai chegar e começar a fazer um milhão de perguntas sobre meu bem estar e Camila ficar com medo quando ele a ameaçou caso eu não esteja me cuidando. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...