História Colega de quarto. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 11
Palavras 1.240
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá.
Sim, hoje eu posso lhes afirmar que tomei meus remedinhos.
AGJVJMROIJT SQN ( Parey )
É, desculpa os errinhos de português ( se houver algum, é claro )
E... não sei o quê escrever aqui.
EEEEEEE, boa leitura c;
Tô tentando melhorar "minha escrita" esses dias. E fazer capítulos longos, por quê?
Por quê eu quero. U.u

Capítulo 2 - Primeiras Aulas.


________ PV

Seul, 06:10 .   18/02/17

Hoje era o primeiro dia de aula, eu já estava com desânimo por ter que lidar com o meu despertador durante quatro anos. Comecei bem mal hoje.

Me dirigi ao banheiro para fazer minhas higienes matinais, e acima de tudo, me arrumar.

Claro que nada exagerado, eu não vou usar maquiagem ou coisas do tipo, pra mim isso é coisa de patricinha! Pelo menos, eu considero.

Ri de meus devaneios e logo saí do banheiro, pelo visto a "bela adormecida" ainda estava dormindo, mais eu preferi me trocar no banheiro, para não passar por certas situações "CONSTRANGEDORAS".

Eu peguei a minha mochila e desci até o andar térreo. Eu sei, seria maldade deixar seu colega dormindo até tarde e faze-lo se atrasar no primeiro dia de aula. Mais a culpa não é minha se ele não sabe como se configura um despertador. E mesmo que soubesse.

Sentei em um banco marrom com um tom bem escuro, e fiquei observando as pessoas passarem, e conversarem sobre algum assunto qualquer.

Eu decidi desenhar qualquer coisa que viesse à minha cabeça, então peguei o lápis e o meu caderno de desenhos.

Eu pensei em trazer minha pasta, mais depois desisti, pois saberia que se não deixasse ela em segurança eu poderia perder todos os meus desenhos... por isso deixei em casa com a Omma, e disse que se ela deixasse que algo acontecesse com a minha pasta nos próximos quatro anos, quando eu chegasse em casa ela iria se ver com o minha versão "demoníaca".

Ri sozinha com meus pensamentos, e comecei à esboçar qualquer coisa, não estava concentrada naquilo no momento.

Eu ouvi o sinal bater, guardei minhas coisas e logo saí correndo para a sala.

Uns cinco minutos depois quando uma garota estava se apresentando, alguém bateu na porta. Provavelmente o senhor "atrasado".

Ele entrou na sala com o cabelo um pouco bagunçado, eu achei que ficou um tanto quanto fofo, confesso. 

- Atrasado? Logo no primeiro dia de aula? Que isso não se repita senhor __________ .

- Perdão professor, prometo que isso não vai acontecer de novo. 

- Sente-se ao lado da ________ .

Ele veio até mim com uma expressão de raiva e se sentou ao meu lado, até que exclamou baixinho enquanto a outra se apresentava :

- Por quê  você não me acordou?! - Dizia ele ainda com sua expressão de "raiva".

- A culpa não é minha se você não faz a mínima ideia de como se configura um despertador, a não ser que você acorde  tarde por naturalidade. E a culpa também não é minha, se o senhor não tem um despertador, e se o senhor não tem uma BOA AUDIÇÃO. - Exclamei de volta.

- Aff... você estraga o dia de qualquer um. - Disse ele deitando sua cabeça sobre os braços.

- A culpa não é minha se você quer brigar por assuntos fúteis. - Sussurrei me virando e deitando a cabeça em cima dos braços, observando as paisagens que haviam lá fora, todas as árvores, as pessoas, tudo ao meu redor.

Voltei minha atenção no que a outra aluna dizia.

Alguns segundos depois o professor anunciou quem seria o próximo.

- Senhorita Lee, venha se apresentar.

Eu bufei, sorte que ele não percebeu, girei meus calcanhares até me aproximar de sua mesa e me virar para todos.

- Olá, eu me chamo Lee Yun-Seo, eu tenho dezoito anos, e espero que possamos nos dar bem. - Fiz uma breve apresentação e voltei ao meu lugar. Rapidamente, sem permitir que o professor dissesse alguma coisa.

( NOTAS : ESSA É A PRIMEIRA E ÚNICA VEZ ONDE O NOME DELES  VÃO APARECER ) .

O professor foi anunciando os próximos até chegar na "bela adormecida", acho que vou começar à chamar ele assim. Até que é um bom apelido. Por mais que ele diga a típica frase "Se você me chamar disso mais uma vez, eu arranco a sua cabeça".

Evitei rir com os meus pensamentos e comecei à prestar atenção na apresentação do mesmo.

- Olá, meu nome é Park Ye-Jun, eu tenho dezenove anos e espero que possamos nos dar bem. Se quiserem um conselho é só falar comigo, e podem me tratar com um irmão, principalmente vocês, meninas. - Ele direcionou seu olhar pra mim e disse "meninas" com um certo ênfase. Depois voltou sua atenção à classe. Olha só, parece que além de atrevido, ele é galinha. Essa é nova viu. Agora se ele chegar toda noite com uma garota no dormitório pra fazer sei lá que arte, eu vou ser obrigada a dar um pé na bunda nele e expulsar ele do dormitório. Por mim, ele que procure outro lugar, pois eu não vou ajudar. 

- E se tiverem alguma dúvida em algum assunto nas vésperas de prova, é só falar com o irmãozão aqui que ele vai ajudar! - Disse ele logo se sentando em seu lugar.

O professor tentou dizer da melhor forma possível :

- Bom senhor ________ , a sua apresentação foi um pouco... presunçosa.

- Nisso eu concordo com o senhor. - Sussurrei comigo mesma.

- E aí, curtiu minha apresentação? - Sussurrou me olhando com uma expressão de vitória.

- Odiei, acho que todos os outros garotos também odiaram. Você, é muito presunçoso, que horror! Se eu tiver de lidar com esse treco mais conhecido como "Ser humano" ou "você" por quatro anos, eu vou estar ferrada.  - Sussurrei pra ele com uma expressão de nojo.

- E você muito superficial - Disse ele de volta.

- Prefiro ser superficial do que me achar por uma coisa que eu não sou. Cabeça de castanha. - Exclamei pra ele, será seu novo apelido. "Cabeça de castanha". ( NOTAS : ALTAS REFERÊNCIAS AO CASTIEL. NOSSO QUERIDO CABEÇA DE TOMATE. OU NÃO... )

Ele abriu a boca e fez uma expressão de raiva. Depois voltou sua atenção ao professor.

Seul, dormitório. 04:55, 18/02/17

Eu estava fazendo meus deveres, ouvindo Dope, até alguém tirar o meu fone.

- Argh, o quê foi, estraga prazeres?

- Posso ouvir música com você?

- Não. Ouve pelo seu celular. - Disse voltando minha concentração nos meus deveres.

- Porfarvorzinhooo .... - Disse ele fazendo bico.

- O diminutivo de "por favor" não vai ajudar. - Disse já perdendo a paciência. Não sou uma pessoa muito paciente para se lidar com "outras pessoas". Mais também não nasci de sete meses.

- Calma... também não preci... - Eu o interrompi.

- EU TÔ CALMA! E se eu disse não, é não e pronto! Se quiser, pega seu fone de ouvido, e o seu celular, ao invés de me perturbar.

- Aii... grossa! - Exclamou ele indo ate o armário.

- Sou mesmo. - Disse me voltando para o trabalho.

Seul, dormitório, 10:09 , 18/02/17.

Eu ia dormir até ouvir um barulho de porta abrindo, logo me levantei e acendi a luz pra ver quem era.

- Aff, você? Vai sair à essa hora? Só você mesmo pra fazer isso viu.

- Eu vou comprar comida. Eu não jantei ainda, por quê? Quer que eu traga algo pra você?

- Aff, tá. Duas lâminas.

- Lâminas? Pra quê?

- Não é da sua conta. Só trás as lâminas. Só isso que posso te dizer. Isso é um assunto pessoal.

- Ok... - Disse ele logo saindo e batendo a porta calmamente. Eu logo voltei a dormir.


Notas Finais


Eu atingi minha meta? Sim? Não? Ok, minha criatividade não tá das melhores hoje. É sério, vou ver se uma treta faz brotar alguma coisa.
ATÉE MAIX! *u*

Beijos da Titia Tsu! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...