História Colégio de Artes de Seoul - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 18
Palavras 977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Passei um tempo sem internet, quase salto da cadeira quando vi a quanto tempo não postava. Mil perdões, espero que a espera compense (sorriso amarelo)

Capítulo 10 - Ela até que é interessante


Fanfic / Fanfiction Colégio de Artes de Seoul - Capítulo 10 - Ela até que é interessante

- Eu quero descer! – Gritou o rapaz alto e esguios ao ser empurrado perigosamente alto no balanço.

- Você disse que queria quebrar meu recorde de altura. – Kim devolveu, usando mais força ainda para impulsionar a cadeira para a frente.

- Não.... Parecia.... Tão alto! – Ele falou, alto, entre o vai e vem no qual se encontrava.

A psicopata por fim deixou Jhope descer, parando o balanço de modo tão súbito que quase derrubava o novo irmão. Os dois se encontravam sem folego, ele por medo da brincadeira enquanto que a ela aparentemente lhe faltava ar devido as risadas que não pode conter ao ver diante da cena.

- Chega de brincadeiras arriscadas! – Declarou Jhope.

Tae Eun era como uma criança hiperativa que conseguia transformar os brinquedos mais bobos do parquinho em um perigo a vida. Quem descia um escorregador sentado de costas? Precisavam pará-la, tinha que devolver Kim com os membros intactos.

- Vamos descansar um pouco ali. – Ele falou apontando uma árvore próxima.

- Sentar? Por quê? – A menina questionou.

- Pra gente poder conversar um pouco.

Com um franzir de sobrancelhas ela o acompanhou, e, felizmente, não se pendurou em nenhum galho, apenas sentou no gramado e imitando Hobi encostou as costas no largo tronco.

- Me conta sobre você. – Pediu o rapaz.

- Hum... – Tae Eun pôs uma mão no queixo como se isso fosse necessário para trazer suas lembranças. - É a primeira vez que saio da minha cidade, eu morava com a minha mãe, mas ela se casou recentemente, mas o meu padrasto... não gostava de mim, por isso decidi ir embora, não era confortável morar lá.

- Qual o problema com ele?

- Prefiro não falar sobre isso.

Seria mentira dizer que Jhope não ficou curioso, mas, mais que isso, revoltado só de pensar no que o homem teria feito para perturbar tanto assim a garota a ponto dela querer deixar sua mãe. Tudo bem, ele poderia estar exagerando, talvez a relação de Kim também não fosse muito boa com a sua mãe, mas algo na hesitação que tomou a voz dela quando falou no padrasto fez com que uma sensação ruim lhe percorresse o corpo. Ainda descobriria o que houve, mas não nesse dia, que já havia sido complicado o suficiente.

- Imagino que Taebaek seja uma cidade bem entediante de se viver. – Jhope falou, puxando outro assunto para amenizar o clima. – Sem cinema, shopping, bons restaurantes.

- Não mesmo! Sempre me diverti, brincava muito com as minhas amigas, subíamos em árvores, dançávamos, montávamos em vacas.

De fato esse era um relato bem anormal, e Hobi novamente deixou passar.

- E namorado, deixou algum?

- Não. – Ela respondeu, desviando o olhar logo em seguida.

- Fala sério! Uma garota tão bonita como você deve ter deixado pelo menos um peguete.

Jhope não exagerou, achava Kim linda, tirando o cabelo curto era basicamente uma garota que fazia o perfil de preferência da maioria dos homens coreanos, magra, fofa, inocente, delicada, feminina, etc, etc, só que ele próprio era uma exceção à regra, curtia as ousadas, provocante e que se destacavam numa multidão.

- Nunca saí com um garoto. – Admitiu Tae.

- Quer dizer que nunca beijou ninguém? – Hobi perguntou, antes de conseguir se conter.

A garota balançou a cabeça negativamente, o rosto corado como nunca. Foi então que Jhope a olhou de forma diferente, enxergando ali ao seu lado alguém que realmente precisava ser protegida do mundo, ela era mais inocente do que ele havia imaginado, agora entendia os cuidados de Jimin. Pondo uma mão no topo da cabeça de Kim, e inclinando o rosto para olhar em seus olhos, disse:

- Você é uma virgem nessa terra de depravados e devassos, a partir de agora vou te chamar de V.

 

***

 

De volta à escola encontraram um Jin preocupado, que ficara sabendo tarde demais dos acontecimentos, juntamente com Kim Tae Eun saíram à procura de Jimin. Andaram por todo o colégio e já estavam começando a ficar desesperados quando o encontraram no terraço, perto da borda. O sol descia no horizonte banhando o garoto em sua luz e fazendo com que seu cabelo parecesse o mais puro ouro.

- No que está pensando? – Perguntou Jhope, vendo o olhar obstinado do irmão.

Jimin sequer se assustou, passavam tanto tempo juntos conversando que em momentos como esse a voz de Jung Hoseok devia soar como a sua própria consciência.

- Estou decidindo a melhor forma de acabar com Jungkook. – O ruivo esclareceu.

- Não! – disse Tae Eun, se aproximando deles. – Esqueça aquilo! Por mim.

Surpreso tanto com o pedido quanto pela pessoa que o disse Jimin olhou para trás.

- Queria poder te prometer isso, mas não posso, aquele idiota precisa aprender uma lição, ou vai continuar nos atormentando.

Parecendo arrasada Kim dá as costas para os irmãos e sai pela porta do terraço, sendo acompanhada por Jin, que até aquele instante apenas observava toda a cena. Jimin assistiu preocupado a irmã ir embora e então se voltou decidido para Jhope.

- A diretora não chamou os nossos pais, ou os de Jungkook. – Falou Jimin, pronunciando a última palavra com desgosto. – Não sei ainda qual a punição que ela planeja, mas é obvio que não vai adiantar, vou ter que resolver sozinho.

- Não. – O mais velho retruca. – Eu vou sempre estar aqui para você.

E com um tom brincalhão adicionou:

- Seja para salvar vidas ou para destruir elas.

Com dois passos Jimin se aproximou e puxou Jhope para um abraço.

- Eu não seria nada sem você, hyung. Obrigado por cuidar da Kim, precisamos fazê-la esquecer do que houve hoje e tratar de Jungkook sem que ela saiba. – Falou o de cabelo colorido.

Em meio a tudo aquilo Jhope concordou e empurrou para o fundo do seu ser uma vozinha que lhe dizia que os problemas só estavam começando.


Notas Finais


Depois do próximo capítulo as coisas vão começar a esquentar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...