História Colégio Interno - Interativa - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Interativa
Exibições 73
Palavras 971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


HELLO HELLO TURMA❤
TENHAM UMA ÓTIMA LEITURA❤❤❤

Capítulo 18 - O Hospital part I: O Médico Gostoso


— ME EMPURRA PRA VOCÊ VER ISABELLE! — gritou Brooke que tentava entrar dentro do ônibus. O passeio aconteceria agora pela manhã, todos os alunos estavam pensando que era para descobrir quem tinha "problemas" mentais.

— TAMBÉM OLHA ESSA SUA GORDURA! NUNCA QUE VAI CONSEGUIR PASSAR! — gritou de volta Izzy, enquanto arrumava seu óculos escuros.

— SUA CADE... — não deu tempo de Brooke terminar, já que ela foi empurrada por Izzy, caindo assim de quatro no chão. Dylan mordeu os lábios inferiores ao ver aquela cena que para ele, era muito sexy.

— Olha lá! Tá fazendo o quadradinho de oito! — disse Patrick rindo da cara de Brooke.

— ANDA LOGO AÍ, CARALHO! EU QUERO ENTRAR. PORRA! — gritou Margot que estava atrás deles.

Brooke bufou enquanto se levantava e se sentava no fundão. Dylan também passou e se sentou ao lado da garota. Izzy entrou no ônibus e se sentou ao lado de Cameron o puxando e o beijando.

— Essa garota não pode ver macho! — reclamou Candy encarando aquela ceninha.

— É safada! Tá querendo incesto, né? — disse Cali brincando com a cara de Candece que bufou e se sentou em um dos lugares. Cali riu e se sentou ao lado de Patrick.

Louis se sentou ao lado de Candece e então a ruiva grudou nele o beijando.

— Que putaria esse ônibus — Murmurou Patrick incrédulo.

Margot entrou e se sentou ao lado de Luna que estava com fones de ouvido. Roxy se sentou com Mia, Alec se sentou com a garota que ele tinha trombado no dia anterior, Pietra se sentou com Bella, Annie se sentou com Rhianoon. Aquelas duas já estavam até se pegando. Lizzie entrou passando o dedo em seu curativo. Suspirou e se sentou ao lado de seu irmão.

— O que diabos você fez no braço, Ana Elizabeth? — questionou Enzo, encarando a irmã.

— Moon me unhou — falou Lizzie lembrando de sua loba. Enzo a encarou e suspirou, não iria força-la a contar.

— AS RODAS DOS ÔNIBUS RODAM E RODAM, RODAM E RODAM... PELA CIDADE — cantava Patrick balançando os braços com Cali .

— BOTA O COPO PRO ALTO VAMOS BEBER! NÓS VAMOS CURTIR A VIDA VAMOS BEBEEEER! — cantou Izzy entre o beijo com Cameron.

— TAPA NA CARA EU SEI QUE VAI DOER, MAIS NÃO DOI MAIS QUE PERDER VOCÊ! — cantou Patrick.

— TEORIA DA BRANCA DE NEVE, POR QUE SÓ TER UM SE EU POSSO TER SETE?

— CALA A BOCA CARALHO! — gritou Brooke irritada com aquela cantoria. Dylan sorriu de lado ao ver que a garota era igual a ele, em termos de temperamento.

— Não acredito que vão nós levar para um sanatório! — disse Ivy para Petrus.

— Como se nós estivéssemos loucos! — disse Petrus revirando os olhos.

— Nem deve existir sociopata no colégio. Isso é doidera da Lorraine! — a loira revirou os olhos e Petrus assentiu.

— Você está gostando do Daniel? — Amanda perguntou para Emily que encarava o garoto

— O que? Não!

— Me engana que eu gosto! — Amanda riu e Emily corou.

— Já vamos sair crianças! — disse Peter, o motorista

— Graças a Deus! — mumurou Pietra.

O caminho estava ótimo... Até Patrick começar a cantar novamente.

(N/A aconselho a começar ouvir Rolling in The Deep da Adele)

— Velho usei,

Pai é, História é em marrom

Vitinho a fivela

Pitty, os programinhas, dedal

Vai ler Lia

Conheci o cristo, Clio

Gol era, e o céu mia, nana há,

Leão chupei

Se há alho, Edu, Eva era pinça, ouviu

Doendo estrumei,

Docinho que zerará vodu

Velho usei,

Pai é, História é em marrom

Vitinho a fivela

Pitty, os programinhas, dedal

Fuscas olhou,

Lá vai ma-mi-lo

Faço Nike, bifinho que não, e o Omo cerol

Fuscas olhou,

Eu lavo dele, me vê

Louça quer é o "filhim"

Ui, curo velho então,

Olhe DIDI

Dou ré na roliça

Limpei ele

Tudo bí

Baby, ar, ré vê neston tio bidu

Pra fera o Juan não riu,

Na gana, mengão rayban

Pinga minha,

Não bebo cereal, despi

Meio gay,

Honda deu o machão ronco e cheio

Fuscas olhou,

La vai ma-mi-lo

Faço Nike, bifinho que não, e o Omo cerol

Fuscas olhou,

Eu lavo dele, me vê

Louça quer é o "filhim"

Ui, curo velho então,

Olhe DIDI

Dou ré na roliça

Limpei ele

Tudo bí

Ui, curo velho então

Olhe DIDI

E o ré na roliça

Botou pra ele, iluminem!

<<<

O ônibus parou em frente ao enorme Sanatório. Aquele lugar não tinha muito jeito de sanatório, mas fazer o que iriam fazer?! Os alunos saíram no ônibus e Izzy foi empurrada por Brooke..

— Vagabunda, eu vou te bater! — antes de Izzy conseguir fazer qualquer coisa, um médico dono de uma beleza extraordinária apareceu.

— OMG! Tenho interesse! — disse Patrick e Roxy ao mesmo tempo. O médico riu.

— Olá, alunos. Sou o Dr. Johnson mas podem me chamar apenas de Robert. - Ele disse dando seu melhor sorriso.

— Sobrenome igual ao sabonete — disse Luna rindo junto com Pietra e Margot.

— Silêncio! Vamos entrar — Todos os alunos passaram e Roxy foi a última, mas antes apertando a bunda do Médico.

— Aí que delícia de carne! — mumurou a garota suspirando ao entrar.

<<<

— Aqui é a onde realizamos os procedimentos de tratamento — Robert disse mostrando uma sala totalmente branca.

— Coisa estranha — mumurou Megan agarrando na mão mais próxima da sua. Que por ironia era a do James.

— Estranho é pouco — mumurou Emma.

— Olá gente. Sou Elise. Sigam-me — Disse uma mulher de cabelos castanhos. Os alunos saíram e novamente Roxy ficou.

— Hello Daddy! — a garota disse apenas isso antes de atacar a boca do Médico. As línguas se encontravam, e Robert chupava os lábios da garota. Era um beijo incrivelmente quente. Tinha um ritmo rápido, e os dois se separam apenas por causa da falta de ar. Roxy sorriu ao ver a boca do professor borrada de vermelho. A garota passou a mão no rosto para limpar o batom, e então sorriu saindo. Robert então, deu um tapa na bunda da garota a fazendo soltar uma risadinha.

Até que aquele hospital não é tão ruim. E o médico é muito gostoso!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...