História Coletânea Fanfic Game - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Roronoa Zoro, Sanji, Trafalgar D. Water Law, Usopp
Tags Navi, Sanpu, Sanusona, Sanzo, Usona
Visualizações 65
Palavras 1.663
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Fluffy, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee!!

Neste desafio a proposta era continuar a frase "O beijo lembrava o básico sobre química: Quando dois elementos certos se encontram..."

Esta fic tem uma continuação, mas será postada beeeem lá na frente :)

Link do grupo onde acontecem os desafios, nas Notas Finais!!

*A imagem que encapa a fic pertence a prinzack, eu apenas editei*


BOA LEITURA!!

Capítulo 3 - Ciúmes


Fanfic / Fanfiction Coletânea Fanfic Game - Capítulo 3 - Ciúmes

O beijo lembrava o básico sobre química: Quando dois elementos certos se encontram... há uma harmonia perfeita, ou uma explosão, e aquilo era uma mistura perfeita das duas opções, suave, quente, delicado, sensual, avassalador.

Da porta Sanji assistiu silenciosamente quando as mãos de Nami se agarraram aos cabelos da nuca de Usopp, os olhos castanhos escuros do atirador estavam arregalados em surpresa e expectativa, o pervertido de merda teve o desplante de fechar as pálpebras aguardando, temeroso, ansioso... e Sanji também se surpreendeu e engoliu duro quando Nami puxou o moreno para si, era um beijo de boca aberta, ela mergulhava nos lábios carnudos de Usopp, enfiando a língua dentro da boca dele e entrelaçando ambas, era possível mesmo ver quando Usopp escorregou as mãos errantes e tocou o traseiro arrebitado da ruiva.

Com uma sobrancelha encaracolada erguida, Sanji deu um passo à frente fechando a porta atrás de si, a cozinha estava escura, era tarde da noite afinal, ele notou uma receita de bolo abandonada na mesa ao lado de um pote com uma mistura de massa incompleta, provavelmente eram artefatos esquecidos enquanto Nami apertava Usopp contra a beirada da pia, de costas os cabelos ruivos balançavam conforme ela se moldava ao corpo do atirador, rebolando, beijando-o, tocando o peito moreno.

Sanji pigarreou alto, já pateticamente excitado com o show que a ruiva proporcionava, e Usopp deu um pulo que poderia fazer inveja ao Jump Point de Chopper.

— Sa... San... ji... não é... não é nada que você está pensando... — o atirador quase chorou.

Sanji encarou-o, as faces morenas estavam vermelhas e os olhos dele brilhavam, também, o susto poderia ter matado qualquer outro, mas havia algo na virilha de Usopp que corajosamente não fora acometido do mesmo medo que ele.

— Seu... atirador tarado... como ousa atacar a Nami-san na minha cozinha... — Sanji acusou, mas não pareceu tão enfurecido quanto gostaria. — Você... não se envergonha?


 

O loiro apontou com o queixo para a região abaixo do umbigo de Usopp, que assim notou a ereção imensa ameaçando despontar da bermuda, ele voltou os olhos para o loiro e adquiriu uma expressão mortificada, os lábios entortaram em um pedido mudo de desculpas, Sanji se aproximou e o moreno se encolheu um pouco, e então, o loiro foi interrompido.

Nami caminhou até onde Usopp estava e se pôs na frente dele, no pequeno espaço entre os dois homens, ela lançou um olhar caloroso para Sanji.

 

Parecia um ato protetor, e era o que Nami queria mesmo que parecesse.

 

— Sanji-kun... — Nami esticou um braço enfiando o dedo em um refratário que descansava sobre a pia, e apresentou-o diante dos lábios do cozinheiro. — Usopp não tem culpa de nada.

Sanji apertou os olhos, o coração acelerou quando o dedo de Nami invadiu sua boca e encontrou sua língua, a pele dela era quente e o gosto de mousse de chocolate se misturou ao do dedo dela quando Nami o atraiu para si, e o dedo abandonou sua boca, ela tinha um sorriso sujo no rosto quando a mão deslizou pelo peito do loiro, abrindo os botões da camisa informal.

— Na... mi... san...? — Sanji estremeceu quando a mão suave dela escorregou e tocou uma ereção que já estava se formando há um tempo.

Ela levou o próprio dedo aos lábios e chupou-o ruidosamente ao mesmo tempo que apertava o membro duro do loiro com a outra mão, Sanji não conseguiu parar as imagens dos lábios de Nami circundando seu pênis, ela deu um mínimo passo para trás e roçou o traseiro no volume ostentado por Usopp, e anteriormente condenado por Sanji, o atirador mordeu a própria língua para evitar que um gemido escapasse, em seguida jogou um olhar clemente para o loiro.

— San...ji... kun... você deveria se envergonhar também... — Ela disse manhosa, Sanji abriu os olhos a tempo de vê-la se virar de costas para ele. — Não estava prestando atenção em mim? Só tem olhos para o Usopp?

 

“Oh, sim”, ele prestara atenção nela...e respirou fundo quando a ruiva virou-se ficando de frente para Usopp, a bunda empinada de Nami tocou Sanji e moveu-se contra a base do membro enrijecido dele. Nami enredou uma mão por trás das costas e puxou Sanji contra ela, ao mesmo tempo a outra mão brincava na boca de Usopp.

Nami sorriu vitoriosa quando Sanji gemeu com o contato, ele não havia sangrado e ela sabia que isso demandava muita concentração, Usopp também ainda não tinha desmaiado nem fugido, apesar dela estar esfregando a intimidade já molhada contra o volume que ele tentava esconder.

E ela tinha certeza que daqui para frente poderia manipulá-los conforme sua própria vontade.

— Ah, droga... — Ela disse concentrada saindo do meio dos dois e apanhando um recipiente com mousse. — Eu queria tanto comer esse mousse todinho... mas é muito para mim... Usopp, poderia dar um pouco ao Sanji-kun?

— Nami... o... quê?

O moreno parecia dividido entre o desejo e a culpa, e Sanji lançou um olhar de desdém para Usopp.

— Idiota de merda, se a Lady mandou você me dar mousse, faça o que ela quer!

Usopp arregalou os olhos, e com uma ereção absurda exigindo atenção se aproximou pegando o doce que lhe era oferecido pelas mãos delicadas de Nami.

— Tudo bem... hum... — O atirador efetuou a tarefa como se alimentasse uma criança. — Está... bom? Fui em quem fez... Nami meio que me obrigou...

Havia uma sedução implícita na voz de Usopp, Sanji não sabia se era por causa da situação ou se era o sorriso meio tímido, meio safado que o atirador ostentava, ele olhou de soslaio para Nami, ela estava mordendo o lábio inferior, pensativa, excitada.

— Usopp... tem mousse escorrendo dos lábios do Sanji-kun, você pode limpar...? — Usopp ergueu a mão para limpar, mas Nami apanhou a mão dele no ar firmemente. — Com a boca!

Nami empurrou a receita esquecida de algum bolo e sentou-se na mesa de frente para os dois, os observando, ela afastou as pernas e eles viram por baixo do vestido curto que ela não vestia nada.

Usopp desviou os olhos e encarou os pés por um momento, se organizando, juntando suas peças e sua coragem, e quando ergueu a cabeça havia uma expressão decidida estampada em cada centímetro do rosto moreno, Sanji sentia o membro latejar contra a calça de sarja, ele assistiu com o coração acelerado quando Usopp se encaixou nele e apesar da pequena diferença de altura, Usopp pareceu tão másculo e viril que seria um absurdo resistir, especialmente não quando Nami os observava com as faces coradas e os olhos iluminados de desejo.

Usopp lambeu o doce contra o canto da boca de Sanji, e a língua quente penetrou entre os lábios do loiro, um pouco desajeitado o moreno apoiou-se enredando as mãos no pescoço do outro, ele sentiu a boca de Sanji, era quente e convidativa, e Usopp por um momento esqueceu que estava fazendo o que Nami mandara, esquecera que — no início de tudo — estava ali porque ela o atraíra para a cozinha. Ele brincou com a língua no interior dos lábios do cozinheiro, era impressionantemente bom, acolhedor, excitante, entorpecente. Instintivamente Usopp desceu as mãos do pescoço e puxou Sanji, apertando-o contra seu peito, não era macio como os seios de Nami, mas era tentador demais, Usopp mordeu o lábio inferior do cozinheiro, um pouco de dor poderia aliviar a pressão entre suas pernas.

A dentada descuidada reverberou na coluna de Sanji e explodiu em seu membro, incapaz de se conter, o loiro reverteu a exploração de Usopp e pressionou as virilhas dos dois, ele esfregou-se contra Usopp descaradamente, insano por mais contato, louco de tesão, Nami gemeu e os dois interromperam o beijo para olhá-la.

— Não parem por minha causa... — Ela tinha a parte de cima do vestido aberto, expondo os seios perfeitos, e uma mão brincava entre as pernas.

— Maldição, Nami... — Usopp sussurrou, sarcasmo pendurado em cada palavra. — Você quer um showzinho particular?

— Se tiver a chance de eu me juntar ao palco... sim. — Ela lançou um olhar escaldante aos dois, se pôs de pé e apoiou uma mão em cada ombro. — Me mostre o que pode fazer com a sua boca, Sanji-kun...

Os lábios macios dela se grudaram nos de Sanji e o gosto cítrico e doce dela estava por toda a parte, ele sentiu quando os mamilos duros se esfregaram e apertaram-se contra o peito dele, a língua dela açoitando cada canto da boca de Sanji, abrindo e fechando numa dança frenética, mas lenta, torturante, enlouquecedora... ela rebolou e funcionou como um comando, Usopp abraçou-a por trás, apertando-a ainda mais contra o peito de Sanji.

— Nami... estou falando sério... — Usopp murmurou, a voz apertada dele entregava o quanto estava excitado e desesperado.

Ela se virou, os seios gloriosamente tocaram o peito de Usopp quando ela o beijou também, o moreno sentiu o gosto dela misturado ao de Sanji, já era um beijo totalmente diferente do que eles trocaram antes de Sanji chegar, enquanto Nami o pressionava contra a pia, ela lambeu a mandíbula de Usopp e atirou um olhar calculado para o Sanji.

O loiro não pensou duas vezes e se abaixou na frente do moreno, Nami empurrava o cós da bermuda expondo o pênis latejante, manipulando ele com dedos gentis, havia uma crua intensidade sexual na cena toda.

— Ah, porra, isso vai mesmo acontecer... — Usopp falou entredentes, quando a boca de Sanji pairou sobre seu membro. — Sanji vai chupar meu pau, puta... merda.

Nami riu e voltou a beijar o atirador, a língua sutil brincou nos lábios e a virilha de Sanji apertou enquanto ele os encarava, os olhos azuis de Sanji encontraram os castanhos de Usopp brilhando com a promessa, o atirador teve a petulância de piscar para o cozinheiro, e o loiro rosnou sentindo a boca cheia de água e o próprio membro a ponto de explodir quando avistou uma gota perolada na ponta da cabeça do pênis que Nami manipulava erraticamente.

— Cala a boca, atirador pervertido, vamos mostrar para a Nami-san que podemos dar um show inesquecível.


Notas Finais


Oieee!!!

Espero que tenham gostado, como sempre me diverti muito escrevendo, especialmente porque SanUsoNa é meu OT3 MASTER!! 💘

Link do Grupo onde acontece o Fanfic Game ~> https://www.facebook.com/groups/776034249213565/
Se quiserem entrar no grupo, mandem uma solicitação e serão bem-vindos!! 😘

DEIXEM UM COMENTÁRIO!! Só assim vou saber se gostaram... 😊

Mil Bjs,
Vivi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...