História Colorful Love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Mamamoo
Personagens Hwasa, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Moonbyul, Rap Monster, Solar, Suga, V, Wheein
Visualizações 15
Palavras 1.210
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, oi! Aqui estou eu novamente!
O capítulo de agora ta meio pequeno e um pouco confuso, mas já to escrevendo a próxima atualização pra tudo ser entendido (ou não, né kkkk).
Por favorrrr não esqueçam de comentar! Podem ser sinceros sobre o que estão achando e mandar sugestões também!
Boa leitura! ♥

Capítulo 7 - We only said goodbye with words, I died a hundred times


Fanfic / Fanfiction Colorful Love - Capítulo 7 - We only said goodbye with words, I died a hundred times

                                                                 ~Yong Sun POV~

 

 

Peguei um caderno velho, meu estojo e me sentei de novo na cama. Não sabia bem o que ia escrever, o que ia dizer... Eram tantas coisas que precisavam ser ditas, mas eu não podia escrever algo tão grande, então mesmo sem saber exatamente o que queria dizer, fui escrevendo o que vinha na minha cabeça.

 

 

“Bom, primeiro me desculpe por ter sumido completamente sem dar notícia alguma a você, a megera quebrou meu celular em vários pedacinhos e o jogou no lixo, e não posso arriscar usar o computador pra falar com você.

Então, vou começar a te explicar o que aconteceu... Depois que eu mandei a mensagem pra ela contando tudo, ela me ofendeu de todas as maneiras que podia, e no dia seguinte assim que todos saíram de casa ela veio pra cima de mim enquanto eu estava deitada. Gritou comigo sem parar, bateu em mim e destruiu meu celular. Então não satisfeita ela voltou pra perto de mim e chutou meu rosto, o que deixou minha boca horrível e machucada. E essas agressões e xingamentos tem se arrastado todos os dias toda vez que todos saem de casa.

Só queria dizer que eu não me esqueci de você nem um só momento, e que os pequenos momentos que passei com você foram os melhores da minha vida e que eu to morrendo de saudade de poder te ver quase todos os dias, de poder falar com você todos os dias. Eu prometo que eu vou dar um jeito nisso tudo e que nós vamos poder ficar juntas de novo, nem que pra isso eu precise sumir de casa.

Não vou deixar que essa infeliz separe a gente desse jeito e faça isso comigo, não mesmo!

Espero que esteja bem e peço que não se preocupe demais comigo... Amo você!”

 

 

 

Na minha cabeça ainda havia muitas coisas as quais eu queria falar, mas já havia usado duas folhas e não queria que ficasse maior que aquilo. Tirei as folhas lentamente para não fazer barulho, dobrei e as coloquei num envelope que achei em minha gaveta e escondi o envelope embaixo das minhas roupas.

Naquele dia eu me arrumei duas horas antes do meu horário de aula e saí de casa o mais rápido que podia, e ao invés de fazer meu caminho habitual, eu entrei em uma rua diferente e fui entrando de beco em beco contornando minha cidade por dentro para poder chegar até onde Yang Mi estava fazendo aula.

Fui por dentro da cidade pois não sabia se minha mãe ainda saía atrás de mim, e hoje teria como eu me livrar dela pelo caminho porque quando saí ela ainda estava dormindo, mas mesmo assim preferi não arriscar mais e fui andando o mais rápido que podia e olhando para todos os lados sempre.

Cheguei até Yang Mi ofegante, cansada e com cara de pavor com certeza. E quando ela olhou pra mim e pro machucado no meu rosto, ela ficou em silêncio e com uma expressão de quem tentava disfarçar a tristeza. Então entreguei pra ela e mandei-a ler e esperar que tentaria falar com ela de novo, então saí correndo de lá e fui pra minha aula.

 

 

 

                                                                         ~1 mês depois~

 

 

Depois da primeira carta que escrevi para Yang Mi, um mês se passou, e nele muitas outras cartas foram escritas e eu continuei passando pela mesma situação em casa, mas eu cheguei no meu limite, então parei de escrever cartas para Yang Mi, parei de ir vê-la e pedi desculpas para minha mãe.

Mesmo que minha mãe tenha me perdoado, ela nunca mais confiaria em mim e eu ainda não podia ter acesso a internet. Mas mesmo isso não tinha me deixado chateada, estava sendo muito melhor não poder mexer na internet e estar bem, do que estar sendo agredida e xingada todos os dias. Mas mesmo assim eu estava sempre com um vazio dentro de mim, apesar de tudo estar melhorando eu ainda me sentia extremamente triste, com medo, frustrada e sem um rumo ou um objetivo na vida, e no fundo eu sabia que também sentia saudades de Yang Mi, mas eu me enganava fingindo que nem lembrava que ela existia.

Depois disso tudo encontrei Moonbyul sem querer mais algumas vezes na lanchonete e nós fomos criando uma amizade boa e que eu sentia que era sincera, e logo ela decidiu me apresentar para seus amigos, então fui passar uma noite na casa dela junto com eles. Mas chegando lá eu tive uma surpresa...

 

 

- Ah não! Não acredito! – Falei rindo.
- O que foi? – Perguntou Moonbyul assustada.
- MEU DEUS! QUE SAUDADE DE VOCÊ! EU NÃO TO ACREDITANDO! – Gritou Whee In vindo em minha direção e se jogando em cima de mim.
- Que saudade que eu estava de você, meu amor! – Falou Namjoon.
- Vocês se conhecem? – Perguntou Moonbyul.
- Sim! Eles são meus amigos há muito tempo! – Falei rindo e com os olhos cheios de lágrimas.

 

 

Desde que tudo na minha vida começou a dar errado, eu me afastei dos meus amigos. Evitava passar po eles no colégio e até mesmo de olhar para eles, então quando não aguentei mais não estar com eles, eu mudei meu turno e fiquei de vez sem vê-los e sem falar com eles.

Depois que todos fizeram um monte de perguntas e me deram um monte de abraços, nós fomos pra cozinha comer. Então foi aí que eu reparei em uma coisa... Embora eu conhecesse e fosse muito amiga de Namjoon, eu não tinha tanta intimidade com os outros meninos, mas ainda assim conversava com eles, porém não com um deles. Na verdade eu nem sabia o nome dele e nunca tinha conseguido reparar totalmente no rosto dele, afinal, ele estava sempre de cabeça baixa ouvindo música e lendo alguma coisa, então eu nunca dei muita bola e na maioria das vezes nem lembrava que ele fazia parte do grupo, e apesar de naquele momento ter achado aquilo estranho, simplesmente deixei pra lá.

 

 

                                                            ~Semanas depois~

 

 

Depois daquele dia em que fui para a casa de Moonbyul e reencontrei meus amigos, tudo passou a melhorar. Voltei para o meu turno no colégio, via meus amigos com mais frequência, estava ganhando aos poucos mais liberdade da minha mãe novamente. Mas mesmo assim eu ainda me sentia vazia por dentro, ainda me sentia triste, ainda pensava em morrer e em chorar todas as vezes que minha mãe acabava jogando uma piadinha sobre o que aconteceu. E às vezes me pegava pensando no que passei com Yang Mi, e em como ela estaria, o que estaria fazendo e se sentia minha falta.

Será que eu estava realmente bem como achei que ficaria assim que abandonasse Yang Mi e pedisse perdão pra minha mãe?

Será que toda a felicidade que eu achei que estava sentindo era só coisa da minha cabeça pra enganar a dor que eu ainda sentia dentro de mim? Porque durante o dia enquanto eu estava com meus amigos, eu sorria. Mas quando eu ficava sozinha no meu quarto a noite, eu chorava sem nem ao menos saber porque, sem conseguir controlar o abismo que tinha dentro de mim, e pensando como seria se de repente eu não estivesse mais ali...


Notas Finais


Eu sei que ta beeem sem sentido, mas como disse ali em cima, talvez eu esclareça as coisas no próximo cap kkk
Não esqueçam dos comentáriosssss
Beijo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...