História Colorful Ômega - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lu Han, Rap Monster, Sehun, Suga, V
Tags Abo, Chanbaek, Dirtytalk, Hunhan, Jikook, Jimin!bottom, Jungkook!top, Kookmin, Long-fic, Namjin, Taegi, Taeyoonseok, Vhope
Visualizações 1.373
Palavras 2.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de mais nada... Não me matem.

Sorry, sorry, sorry. ♬♪

Eu realmente sou uma pessoa enrolada, já era para ter postado esse capítulo a muito tempo, but, eu adiei e só fui postar agora.

Não critiquem meu Lemon!! Ele esta levezinho, porque eu só escrevo lemon pesado e Colorful Ômega é uma fanfic fofinha, com uma lição de vida valiosa – que não descobri ainda qual é –, então eu coloquei uma dirty talk levezinha pra vocês.

Boa leitura xuxus!

Capítulo 12 - Colorful Blood ²


Fanfic / Fanfiction Colorful Ômega - Capítulo 12 - Colorful Blood ²

A mais bela tela, merece a mais bela marca. – Colorful Ômega


Park YeJun sempre foi conhecido como “Alfa de pavio curto”, se estressava fácil com coisas simples e não levava desaforo para casa – e era uma das muitas coisas que seu filhote tinha incomum consigo –. Arrumava confusão na faculdade por tudo e recebia muitas reclamações de seus vizinhos, nunca ligou para opiniões alheias, e sempre fez o que quis, até se apaixonar por JiEun, uma beta que o colocou na linha instintivamente. JiEun sempre procurou apoiar seu marido e alfa, o compreendia e o aconselhava, constantemente reconhecia os esforços de seu marido para liderar a alcatéia.


  YeJun era um alfa batalhador, lutou para conseguir manter seu amor pela beta e a liderança da alcatéia.


   Mas naquele momento, JiEun não conseguia reconhecer as ações de seu marido, o alfa havia ameaçado matar seu único filhote e não demonstrava nenhum tipo de emoção. Estava acompanhado do ancião Lee, conversavam intimamente sobre uma melhoria na alcatéia do sul. Lee Seung Woo achava que construir um muro ao redor da alcatéia ajudaria a protegê-los, a beta podia ver de longe a maldade que o outro emanava, as intenções do Lee não eram boas, disso ela tinha certeza.


  Seu marido não passava de uma marionete nas mãos daquele que mais confiava.


   — YeJun, precisamos conversar. – a beta se levantou do sofá desgastado da cabana do ancião e cruzou os braços na frente do alfa. — Agora mesmo.


  O líder arregalou os olhos assentindo, o semblante sério da beta o assustou completamente, apesar de ser uma beta e não possuir uma classificação distinta, JiEun tinha uma autoridade que se igualava a de um alfa e muitas vezes, era confundida como tal.


  Saíram da cabana do beta e andaram para longe da mesma, JiEun não estava satisfeita, as ações de seu marido começavam a lhe assustar, primeiro tentou arrumar um casamento arranjado para Jimin e agora ameaçou matar o mesmo.


   Aquele com certeza não era o homem que amava, estava sendo cada vez mais manipulado por Lee e fazendo coisa que não eram do seu feitio. YeJun estava querendo acabar com o primeiro amor de seu filhote, Jimin estava feliz – mancando, mas feliz –, era perceptível a felicidade do jovem casal, Jungkook parecia ser um nove de boa índole, sem contar que sua mãe e seu irmão tinham um dom fantástico na cozinha, podiam ensinar algo ao seu filhote preguiçoso.


  — Você tem algo a me dizer? – A beta parou em frente a seu marido, dava para perceber o quanto estava zangada, o nariz abria constantemente deixando lufadas de ar saírem do mesmo,lembrando a um touro enfurecido. — Acha certo o que está fazendo com nosso filhote?


 — JiEun não se meta nos meus assuntos.– O alfa rosnou, JiEun se assustou, não reconhecia mais seu marido.


  — Eu não te reconheço mais, você mudou YeJun. – as lágrimas já formadas em seus olhos ameaçavam cair, os olhos da beta brilhavam em pura raiva e decepção. — Parece que finalmente a liderança lhe subiu a cabeça, você está rosnando pra mim.


  — Não diga asneiras JiEun, eu estou fazendo tudo isso pelo Jimin e por você. – O alfa puxou a mesma pela cintura, resmungando baixinho quando a beta o afastou. — Eu te amo JiEun, e amo o Jiminnie, eu só preciso que ele se afaste daquele alfa.


 — Achei que você seria diferente, que entenderia. Droga alfa, seu filho está apaixonado, é o primeiro amor do Jiminnie e você está tentando estragá-lo. – A beta já chorava copiosamente, enquanto empurrava o peitoral do alfa.


— EU ESTOU TENTANDO PROTEGÊ-LO. – Gritou usando a voz de alfa.


 — NÃO, NÃO ESTÁ, VOCÊ ESTÁ TENTANDO TRANSFORMÁ-LO EM VOCÊ. – A voz gritou, assustando seu marido e atraindo algumas atenções. — MAS EU YEJUN IREI PROTEGÊ-LO, IREI PROTEGÊ-LO DE VOCÊ. 


 A beta se afastou, andando em passo rápidos e decididos, e se precisasse iria virar as costas para seu marido, apenas para proteger seu amado ChimChim.



As mãos do ômega tremiam, sentado na cama do alfa ele tentava manter a calma e fazer com que seu coração se acalmasse, as palavras severas de seu pai rondavam sua mente como um mantra amaldiçoado, a dor do cio voltava aos poucos, seu corpo começava a ficar quente e sua entradinha estava molhada, logo seu corpo estaria clamando por um alfa. 


    Pelo seu alfa. 


  Mas naquele momento isso não o afligia, sequer estava ligando para dor em seu ventre, o suor escorria pelas suas têmporas até sua clavícula. Respirou fundo quando a dor se iniciou novamente, dessa vez mais forte, fazendo com que o ômega se curvasse sobre seus próprios braços. 


   A porta foi aberta por um alfa preocupado, Jungkook estava na sala com seus pais e seus amigos quando sentiu o cheiro forte do ômega, pediu para que todos saíssem e subiu as escadas pulando os degraus. Nervoso ele adentrou o quarto vendo o ômega grunhindo. 


   — Deite-se Jimin. – O alfa murmurou enquanto tentava aconchegar o ômega sobre a cama. — Vai ficar cada vez pior meu anjo, eu sinto muito. 


  O ômega assentiu, seus cios eram bastante intensos, ele sempre acabava desmaiando de dor e angústia. Jungkook se sentou na beirada da cama acariciando as costas do rosado e suspirou pesado. 


   Queria conversar com Jimin, saber como ele estava se sentindo, saber se ele realmente estava acreditando no que o pai dele disse. Jungkook quis rir quando Park YeJun ameaçou matar Jimin, o líder era um alfa e um pai babão, estava dizendo aquilo apenas para amedrontar Jimin e fazer o mesmo se afastar de si, Jungkook entendia YeJun, ele não era nenhum tipo de vilão, era apenas um pai muito protetor, afinal Jimin é seu único filho. 


  — Jungkook, abre a janela. – Jimin pediu ofegante, o ômega se abanava. Apenas para o omega estava tão quente naquele quarto, o rosado se sentia mais perto do sol escaldante. — Está quente Kookie-ah, muito quente. 


  — Não é uma boa ideia bebê. – Jungkook falou subindo sobre o corpo do ômega. — Um ômega com o cheiro tão gostoso quanto o seu, no cio, resultaria em vários alfas tentando escalar a parede para vir até você. – O alfa sorriu quando escutou o ofego do rosado, tocou o nariz na bochecha do ômega e distribuiu selares pelo maxilar do mesmo. — Eu quebraria cada osso do alfa que tentasse tocar em você. 


  — Kookie-ah, p-por f-favor.– O ômega implorou por algo que sequer ele sabia o que era. 


— Shiu.. – O alfa repreendeu o ômega, virou o corpo do mais novo de bruços e acariciou as nádegas fartas. — Eu vou cuidar de você bebê, não se preocupe.


  O alfa desceu a cueca do mais novo com cuidado, analisou a pele com as marcas feitas pelo mesmo a algumas horas atrás e então sorriu, beijou a nádega esquerda e apertou com força a direita, logo escutando um arfar do rosado. 

 

O alfa se levantou e tirou a calça moletom que usava, suspirando em alívio quando seu falo teso teve liberdade, Jimin resmungava, sentido a falta do calor do alfa e de suas carícias. Se pôs de quatro sobre a cama e olhou por cima do ombro vendo que o alfa o assistia com volúpia. 


  — Se toca pra mim Jiminnie-ah, seja um ômega bonzinho, sim? – O alfa se masturbava lentamente, enquanto observava as feições de pura luxúria do ômega. Esse que assentiu ao pedido do alfa. 

 

  O ômega prontamente atendeu ao pedido do alfa, introduzindo seu dedo indicador pequeno e gordinho, em sua entradinha quente e molhada, resmungou pelo incômodo mas logo passou a rodear o dedo dentro de si. Gemeu quando começou a movimentar o dedo dentro de sua entradinha apertada, não satisfeito, o ômega colocou mais dois dedos dentro de si, agora com três dedos o fodendo de forma afoita. 


  Resmungou por seus dedos serem pequenos e não alcançaram o seu ponto de prazer, o ômega agarrou o próprio falo esquecido e passou a se masturbar no mesmo ritmo em que estocava a si mesmo. Jungkook estava satisfeito, se masturbava de forma lenta, observando as nádegas fartas do omega virada para si, adorou ver o cuzinho do ômega devorando os dedos minúsculos do mesmo. Ofegou quando escutou Jimin proferir seu nome em meio a um gemido. 

 

 Andou em passos lentos até a cama, observando o ômega como se o mesmo fosse uma presa para si. E ele era! 


Jungkook mal podia esperar para estar dentro da cavidade apertada, sentindo as paredes esmagando o seu pau com tamanha maestria. Tirou os dedos do ômega de dentro de si, ao perceber que Jimin estava quase gozando, o alfa desferiu um tapa sobre a nádega do mesmo.


O ômega largou o próprio membro, assustado com o tapa que havia levado, estava tão perto do orgasmo, as pernas estavam bambas e as mãos trêmulas. Virou de barriga para cima observando o alfa com o olhar faminto, Jimin segurou abaixo de suas coxas e abriu as pernas, levando novamente seu dedo indicador até sua entrada.


  — Está me provocando ômega? – O alfa rosnou subindo na cama, Jimin estremeceu, tirou o dedo de sua entrada e largou as mãos sobre o colchão. 


  Jungkook sorriu, pincelando sua glande inchada na entrada do omega.


— Kookie-ah, p-por favor, o Jimin quer o Kookie-ah. – Jungkook soltou um palavrão ao escutar aquela palavras, Jimin quer jogando sujo, usando a sua “inocência” daquela forma tão suja. — Fode o meu cuzinho, Kookie-ah. 


Jungkook engasgou, acariciou seu falo ereto e posicionou a glande sob o cuzinho do ômega, ambos gemeram com o contato das peles, o ambiente começava a ficar quente e na visão do alfa, mais erótica. Pendeu a cabeça para trás assim que a glande entrou na cavidade quente.


Jimin gemeu, desceu as suas mãozinhas até seus testículos acariciando-os devagar, a boca se abriu em gemido mudo quando sentiu todo o mastro do alfa dentro de si. A primeira estocada foi lenta, movendo o corpo do mais baixo para cima.


Jeon observava seu pau ser engolido aos poucos pelo cuzinho do ômega, tirava todo o seu pau logo para enfiá-lo com força dentro da entradinha do mesmo. Estava adorando ver como as preguinhas se alargavam na medida em que entrava fundo dentro dele. Mas as estocadas lentas já não satisfaziam mais os corpos sedentos.


O alfa passou a estocar de forma bruta, arrastando a cama e a fazendo bater na parede, o Park grito em deleite, o prazer percorria pelo seu corpo o enviando vibrações no lugar certo, a mãozinha pequena agarrou o próprio falo de maneira firme, movimentando a mão pra cima e pra baixo em sincronia com o alfa. Gritou manhoso quando o seu atingiu seu pontinho de prazer.


— Achei. – O alfa sussurrou no ouvido do ômega. — Eu estou quase gozando meu anjo, vai querer receber minha porra quentinha dentro do seu cuzinho?


— S-sim Kookie-ah… – O ômega gemeu, jogam a cabeça pra trás.


As pernas do ômega bambearam, mordeu o lábio inferior sentindo seu orgasmo próximo, tirou a mãozinha do seu falo e testículo e levou até as costas do alfa, cravando suas unhas curtas na mesma. Jimin gozou quando sua próstata foi surrada novamente.


Resmungou se remexendo quando não sentiu o nó do alfa, empurrava seu quadril para baixo em busca de mais conta e de seu tão necessário nó. Jungkook gemeu manhoso, estava quase chegando ao orgasmo, já sentia seus testículos pesados acumulando todo o seu sêmen.


— Você vai querer bebê? – Indagou sussurrando perto da orelha do omega. — O seu leitinho está quase chegando, você quer que eu preencha seu cuzinho com a minha porra, certo?


Jimin assentiu afoito, estava sensível por seu orgasmo recente, só queria a marca e o nó do alfa. Jeon gozou em jatos fortes, logo a glande inchou, atando os dois corpos no nó, as presas do alfa cresceram abriu a boca ao redor da clavícula do ômega, e sorriu ladino.


Ainda atado no nó do alfa, Jimin ofegou cansado com Jungkook sobre si, o alfa respirava ofegante, sentindo o gosto metálico do sangue em sua boca. Agora já não tinha mais volta, Jeon Jungkook havia marcado Park Jimin. 


Um estrondo alto foi escutado, fazendo com que ambos os corpos sedentos parassem com seu momento de reflexão. Jimin saiu de cima do alfa assim que o nó se desfez, sentiu um ardor sobre sua clavícula e resmungou choroso se enrolando nos lençóis. 


 Jeon bufou irritado, se levantou pegando a calça moletom e a vestindo novamente, saiu do quarto escutando os resmungos do omega sobre o ombro dolorido, suspirou esperando chegar na sala e encontrar Yejun ou qualquer um dos anciões. Mas o que encontrou foi algo totalmente diferente, a sala se encontrava toda quebrada e os móveis revirados. 


  Desceu os degraus de maneira cautelosa, farejou o ar sentindo o cheiro de um alfa, ao virar o corredor se deparou com um lobo negro sentado no chão, ele observava tudo e soltava alguns sons que pareciam resmungos, Jeon parou de súbito, observou bem o lobo e sorriu sádico ao reconhecer o mesmo.


    — Ora ora a quanto tempo, á que devo a honra dessa sua visita. – Jungkook cruzou os braços com um sorriso debochado estampado em seu rosto.— Park Chanyeol, meu velho amigo.








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...