História Colors - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Automutilação, Bts, Daltonismo, Jikook, Jimin, Jungkook, Yaoi
Exibições 134
Palavras 1.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Black


Fanfic / Fanfiction Colors - Capítulo 8 - Black

"  A cor preta consiste na cor mais escura de todo o espectro das cores e simboliza respeito, morte, isolamento, medo, solidão.  "

   °°••°°°••°°°••°°°••°°°••°°°••°°°••°° 

     Jimin olhou pelo vidro Jungkook respondendo algumas perguntas que a enfermeira fazia e engoliu em seco. Estava nervoso sobre como falaria com o moreno, não sabia se ele gostaria de conversar sobre o assunto e contar o motivo.

    Durante o trajeto até o quarto do moreno, Jimin acabou por esbarrar com seu pai que suspirou com a noticia e disse apenas "Não se machuque" para o pequeno Park que já estava confuso demais para atender ao aviso. A verdade é que o ruivo já havia se machucado, nem que fosse um pouco mas estava. A dor de quase perder alguém era forte. E ele rasgava o peito de forma, que deixava a marca. Justo a marca que o pai do ruivo queria que o mesmo evitasse.

- Jimin, acho melhor você entrar primeiro que eu. - Falou o doutor e Jimin assentiu. - Primeiro eu preciso ver as informações sobre o estado dele com a enfermeira..Aproveita e conversa com ele sobre aquele a assunto..

- Ah claro.. - Falou o ruivo assentindo com a cabeça.

     Logo foi ouvido o barulho da porta sendo aberto, saindo assim, a enfermeira que tinha um sorriso no rosto enquanto ia em direção ao doutor Jeon. Jimin acenou para o mais velho, antes de dar espaço para a enfermeira e olhou para o vidro, encarando assim o moreno que o encarava de volta.

    Dessa vez Jungkook não sorriu. 

     O ruivo suspirou entrando no quarto e se aproximando da cama parando ao lado da mesma. Segurou na mão de Jungkook, e sorriu passando a mão nos fios que por sinal estavam castanhos. Jungkook havia pintado o cabelo, assim como havia dito e isso fez Jimin sorri mais ainda.

- Você pintou o cabelo.. - Sussurrou o ruivo e Jungkook sorriu fraco assentindo.

- Eu errei na hora de comprar a tinta..Meu pai disse que está marrom, só que claro demais.. - Respondeu o mais novo.

- Ficou bonito Jungkook, acho que não errou na tinta.

    Os dois ficaram em silêncio, enquanto Jimin continuava acariciando lentamente a mão do moreno. Aquilo era tão estranho, tudo estava acontecendo tão rápido. Não dava para acreditar que Jungkook estava naquela cama de hospital, quando lembrava que naquele sábado o moreno estava consigo rindo e se divertindo. Jimin votou sua atenção para Jeon, quando sentiu o mesmo segurando sua mão.

- Não queria que me visse assim...A última pessoa que eu queria que me visse desse jeito, era você..Mas eu fui fraco, e não consegui..Eu sinto muito. - Murmurou o moreno.

- Jungkook, eu..- 

- Não Jimin, eu juro que tentei parar. Quando eu te conheci, eu tentei parar. Não queria que você visse as marcas, por isso eu parei. - Continuou Jungkook. - Mas ela..Conseguiu de novo, conseguiu me fazer eu perder a cabeça, perder to meu autocontrole, eu não queria eu juro..

    Jimin arregalou os olhos. Jungkook estava prestes a chorar, seus olhos brilhavam por conta da lágrimas que cresciam ali e Jimin não sabia o que fazer ou falar. Não imaginava ser tão importante assim, quando o doutor disse que mesmo com o pouco tempo Jungkook já havia apresentado melhoras, achou que estava no mínimo exagerando.

   O ruivo fechou os olhos e respirou fundo apertando com força mão do moreno, antes de abrir os olhos novamente, e com sua outra mão, limpar a pequena lágrima que escorria na bochecha pálida do mais novo.

- Jungkook, seu pai conversou comigo. Me contou tudo sobre você, sobre a sua história e eu posso te afirmar que ele está realmente preocupado. E eu vou ser sincero com você, ele pediu para mim descobrir o motivo do qual faz isso. E eu imploro para que você me conte. Se não quer que eu te veja nesse estado nunca mais, você precisa me contar e você sabe disso. Sabe que eu não vou me afastar de você, na verdade, quando seu pai me contou eu nem ao menos cogitei essa ideia. Mas eu quero muito te ajudar Jungkook, e para isso você precisa me contar. Porque me parte o coração te ver chorar e não poder te abraçar por ter medo de soltar algum fio que está conectado a você..

     Jimin não sabia se havia feito a coisa certa. Se havia falado a coisa certa. Mas de um coisa tinha, certeza havia falado exatamente o que seu coração havia mandado. Fechou os olhos com força, esperando por qualquer ação de Jungkook. Qualquer movimento ou palavra, enquanto seu coração se comprimia a cada segundo que se passava.

    Isso até..

- Ela me bate. Sempre me bateu. Nunca gostou de mim, e quis me colocar num internato assim que me conheceu. Diz que eu sou um fardo na vida dela e sempre que tem a chance me prende no meu quarto apenas por não querer ver meu rosto durante o dia. Durante as refeições ela me proibiu de dizer qualquer coisa, disse para não me meter nos assuntos porque sou inútil. Ela..tentou me matar uma vez, disse que minha vida era desnecessária e que se eu morresse iria fazer um favor ao meu pai..

    A voz do moreno saia sofrida, cheia de dor, enquanto dessa vez sem demora, as lágrimas caiam de sua face como um pequeno riacho. Os olhos começavam a ganhar um to avermelhado assim como os o lábios do garoto. Aquilo era o único contraste de cor que era possível ver na face do pobre Jeon.

- Quem é Jungkook!? - Indagou o ruivo desesperado ao ouvir aquelas coisas horríveis.

- Minha madrasta Jimin..

    O ruivo arregalou os olhos. Já havia visto casos de madrastas más. Só que apenas em contos de fadas. Nunca achou que viria um caso terrível daquele frente a frente. E o pior era pensar em como explicaria aquilo ao doutor Jeon. Pois uma notícia daquelas, com certeza iria doer.

- Ele a ama muito, nunca iria me perdoar se tirasse dele a chance que teve de recomeçar. Meu pai sofreu muito Jimin. Tendo que me criar sozinho, uma criança que tinha medo da escola, que não gostava das aulas de artes e fugia de todas elas porque não conseguia distinguir as cores primárias. Cansei de ver meu pai indo a escola porque eu fugi de alguma aula, e foi horrível o ver chegar ao ponto de contratar um professor particular para mim..Jimin, talvez ela esteja certa, talvez eu seja um fardo. Até a minha própria mãe eu..

- Jungkook! - Gritou o ruivo fechando os olhos com força. - Eu não vou deixar você se rebaixar assim! Você não é um fardo, você é uma pessoa incrível, ela que não teve a oportunidade de conhecer você, como eu conheci em apenas uma semana! E sobre a sua mãe a culpa não foi sua! Não foi! E eu tenho certeza, que onde quer que ela esteja, ela está muito orgulhosa de você porque você é incrível Jungkook, e não deveria deixar ninguém dizer o contrário nunca..O seu pai te ama..Te ama muito, e tenho certeza que quando você contar a ele o que está acontecendo ele não irá pensar duas vezes em ficar do teu lado..

- Jimin..Ela me destruiu Jimin..A minha cabeça, só pensa o ruim de mim mesmo. Eu sinto vontade de morrer, por que acho que assim a dor que eu sinto no meu peito vai se esvair. Eu acabo por me machucar, na esperança que isso me acalme..Mas não acalma..E isso me frustra..

- Sh.. - O ruivo passou a mão entre os fios de cabelo do mais novo e encostou a testa na dele. - Eu prometo para você que isso vai acabar..Mas você vai ter que me ouvir, e fazer o que eu te pedir agora, sem medo, sem se reprimir. Você confia em mim certo?

- Confio a minha vida a você..

- Então, você vai contar para o seu pai exatamente tudo que sua madrasta fez com você. Tudo Jungkook. Tudo que ele disse e todas as ações. Eu juro amanhã bem cedo, eu vou estar aqui de novo. Vocês vão precisar de tempo e eu não quero atrapalhar..

    Jungkook assentiu com a cabeça e o ruivo sorriu aliviado com aquilo. Era como se um peso enorme tivesse saído de suas costas. E aquela sensação era tão boa que o alegrava novamente. O ruivo separou sua testa dá de Jeon ainda com um sorriso no rosto. Encarou o vidro daquele local vendo o doutor Jeon com um pequeno sorriso. Um sorriso de gratidão por saber que Jimin havia conseguido alcançar seu objetivo.

   O ruivo encarou novamente Jungkook, e secou as últimas lágrimas que haviam no rosto do moreno. Antes de deixar um leve selar na bochecha do mesmo e sorrir.

- Você é incrível Jungkook, não se esqueça disso..

    Jimin soltou a mão do maior, e sorriu largo enquanto caminhava até a porta e abria a mesma. Antes de caminhar para a saída do hospital assentiu com a cabeça para o senhor Jeon e colocou a mão nos bolsos indo até a saída.

    A cor daquele dia, poderia ser definida completamente como o preto.

   Um mistura de coisas faziam Jimin chegar a essa conclusão. Era um dia que precisava ser lembrado com respeito. Era o dia em que a vida de Jeon Jungkook iria mudar de uma só ver.

   Era o dia em que o medo, a tristeza e o rancor iriam se quebrar de um só vez. E levando isso em conta, daria para acrescentar uma característica única aquela cor. Um características que não é dela. Mas que poderia passar a ser.

    A característica do renascimento.

   A cor de Jungkook, era preto. Não dava para negar, mas após aquele dia, Jungkook estava pronto para reescrever sua identidade. Jungkook estava pronto para pintar um nova cor em sua vida. Estava pronto para escolher a cor que definiria a sua personalidade e seu ego.

   Naquele dia, uma nova pessoa iria nascer. E a cor preta que não podia derivar quase nada, acabou por criar a paleta de cores mais linda e brilhante já vista.

    E foi com esse pensamento, que Jimin continuou seu caminho por aquele corredor do hospital.

   Aquele pequeno ponto laranja em meio a todo aquele branco, tinha um coração vermelho enorme que batia forte em seu peito. E esse mesmo coração, queria que Jungkook vivesse, e que fosse feliz até o fim de sua vida.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...