História Colors - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zayn Malik
Personagens Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Descobertas, Drama, Família, Mudanças, Romance
Exibições 59
Palavras 1.661
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Colors - Capítulo 13 - Capítulo 13

No dia seguinte, Zayn foi me buscar em casa para levar a escola. Ele conseguiu isso com muita luta, pois não queria que as pessoas na escola soubessem, mas ele bateu o pé e mesmo com meus muitos não nas mensagens, ele apareceu na porta de casa. Suspirei e entrei no carro.

- Você vai me deixar na rua antes, assim ninguém vai nos ver. – avisei colocando o sinto.

Ele acenou para minha mãe que estava na porta, com um enorme sorriso e então manobrou para sair dali e seguir para a escola.

- Qual a vantagem de você ter um namorado bonito e não poder esfregar na frente de toda a escola? – brincou.

- Você se acha né? – ri revirando os olhos – Pois saiba que você não é tudo isso.

Menti. E menti feio, porque apenas o olhar de lado que ele me deu fez minhas pernas tremeres e eu sentir a pulsação entre elas. Desviei o olhar dele e olhei o caminho.

- Se sou feio, porque está comigo então?

- Você é bem persuasivo. Só isso. – segurei um sorriso.

- Bom, pelo menos não disse que era pelo meu dinheiro ou por minha mãe ser famosa.

- Tem isso também. Quero ficar conhecida, sabe?

Dessa vez não segurei o riso e ele balançou a cabeça, rindo com diversão também.

- Acho que mesmo que isso fosse verdade, eu realmente não me importaria. – ele pegou minha mão e deu beijo na costa, olhando pra mim e logo pra rua – Você mexe comigo como ninguém.

Senti o corpo inflar e esquentar. Ele também não devia fazer ideia do quanto ele me afetava.

- Tudo bem. Pode me deixar na frente da escola.

- Com direito a beijo na boca quando estivemos encostados na lateral do carro? – ele me olhou divertido.

Segurei o sorriso.

- Talvez.

A quem eu queria enganar? Ele conseguia tudo de mim. Juro que quando ele estacionou, e todos olharam para gente saindo do carro, ele me puxou antes que eu sumisse entre os alunos e juntou nossos corpos, nesse momento esqueci onde estávamos e lembrei na noite em meu quarto, então o beijei, sem receio, apenas um beijo apaixonado, deixando de lado minhas reservas e demonstrado que estava totalmente na dele.

Nos soltamos um pouco depois e o mundo pareceu voltar ao normal, todos olhavam pra gente, embasbacados. Principalmente Amy Logan, que estava parada na porta, olhando pra trás como se um cachorro de três cabeças estivesse ali. Zayn sorriu, me deu mais um selinho enquanto acariciava meu rosto e então me afastei dando um “até depois” e segui pra dentro da escola de cabeça baixa.

Não preciso dizer que fui alvo de fofocas e olhares durante todas as aulas. E muito menos que fui encurralada por Amy Logan e suas odiáveis amigas, no banheiro durante o intervalo.

- Só quero que me explique o que foi aquela cena na entrada. – disse muito seria e indo direto ao ponto.

Olhei entre todas, sentindo um frio na barriga. Será que conseguiria passar por elas se me abaixasse? Ou pular o basculante era melhor?

- Você não vai sair daqui enquanto não falar, sua esquisita.

- Isso mesmo. Estranha. – disse uma das meninas, Michelle

- Cara, o que o Zayn viu nessa coisinha insignificante? – comentou a outra, Lucy

- Quietas. – bradou Amy, sem tirar os olhos de mim. Ela cruzou os braços e me olhou com ar superior – O que foi, ta com vergonha de falar agora? Porque isso é bem engraçado, pra quem quis pagar de gente na porta da escola. – ela se inclinou mais pra mim e falou mais baixo – Fala logo porque estava beijando o Zayn.

Me mantinha imóvel, como quando fazemos quando um cachorro irritado vem pra cima da gente. Mas eu não tinha sangue de barata, e ouvi aquelas coisas me fez ficar bem irritada. Sabia que aquilo com o Zayn ia dar nisso, mas não esperava me sentir dessa forma. Era ridículo e horrível. Então ergui meus olhos para os de Amy e a enfrentei.

- Foi o que você viu. Um beijo. Um loooongo beijo de língua. – minha voz era firme e debochada.

Amy piscou e ficou ereta, mas não se deixou abater.

- E porque estavam se beijando? Você o pagou pra fazer caridade?

Trinquei meus dentes.

- Não. Ele é meu namorado, por isso nos beijamos. – cruzei os braços sem tirar meus olhos dos dela.

Mas apesar o choque inicial, ela desviou o olhar e começou a ir, assim como as hienas que eram suas amigas. Não fiz nada. Apenas fiquei as fitando, enquanto sentia o bolor na boca do estomago enquanto as via rir feito retardadas.

- Se não acredita, pergunta a ele. – falei dando de ombros – Ele é seu vizinho, não é?

Ela parou de rir e me encarou por um instante, então balançou a cabeça ainda debochada.

- Está se achando demais, coisinha. Se eu fosse você baixava a bola. E deixava Zayn de lado, porque ele é meu. – então se virou e saiu com suas amigas.

Me mantive firme, como que não se importava com as ameaças delas. Mas assim que a porta do banheiro fechou atrás de dela, me recostei na pia e respirei fundo, me acalmando. Aquilo não era nada bom. Nada bom mesmo.

Depois de um momento para voltar a mim, sai do banheiro e seguia distraída para meu armário quando dei de cara com Toddy. Ele tinha os olhos vermelhos e meio inchados. Franzi a testa.

- Você tá bem?

Ele ficou me olhando por um longo momento e percebi seus olhos marejarem. Ele olhou para o lado e eu já sabia que ele havia visto Zayn e eu na entrada. Ótimo. Um pouco mais drama nunca era demais.

- Porque não eu? – perguntou com a voz embargada – O que ele tem melhor do que eu? – ele virou o olhar pra mim e uma lagrima escorreu – Tudo bem que ele é bonito e mais velho, e com certeza tem muito mais dinheiro. Mas jamais achei que você se interessasse por aquele tipo. Caramba! Fomos o primeiro um do outro, achei que gostava de mim.

Mordi a parte interna do lábio e olhei ao redor. Poucos alunos passavam, mas olharam pra gente, e eu queria muito que eles não tivessem ouvido sobre a parte de termos sido o primeiro um do outro. Não precisava de mais uma fofoca sobre mim.

- Toddy, desculpa, mas eu nunca gostei de você. – falei baixo e sem muita coragem de encarar ele e ver suas lagrimas.

- Então porque transou comigo?

- Eu... – molhei o lábio e remexi meu pé alisando o chão, ponderando o que dizer – Achei que seria uma boa ideia fazer aquilo com alguém que não significasse nada pra mim.

Ouvi ele fungar e ergui a vista, vendo toda a triste e o coração partido dele.

- Então apenas me usou. – disse com a voz ainda embargada – Sabe. Esperei que minha primeira vez seria legal, especial. E acreditei que havia sido por todo esse tempo. – ele balançou a cabeça começando a se afastar de mim – Me enganei com você, é igual a todas as outras garotas dessa escola.

Abri a boca para dizer algo, mas fechei em seguida. Que se dane. Ele está apenas magoado. Um dia supera. Não precisava ficar me angustiando mais do que me angustiava. Estava preocupada demais com as pessoas ouvindo a conversa, com as fofocas que vinham e com a intimação de Amy Logan.

Mal prestei atenção nas ultimas aulas e demorei em sair da sala. Estava dando um tempo pros alunos dispersarem mais, pois sabia que Zayn estava na porta a minha espera. Fui ao meu armário peguei minhas coisas e então sai. Mas talvez eu devesse ter ficado dentro da escola, até ser a noite, assim não teria que ter visto Amy Logan dentro do carro com Zayn.

As amigas dela me viram e sorriam com superioridade. Apertei a alça da minha mochila, sentindo o peito apertar. Amy olhou pra frente, parecendo exasperada, então virou pra Zayn e o colou a boca na dele no meio de uma frase. Fiquei estática. Parecia que eu havia saído do meu corpo. Meus olhos arderam e eu queria correr, mas minhas pernas não se moviam.

Porem, Zayn a empurrou com surpresa, sem ter retribuído o gesto dela. Os olhos dele se voltaram pra frente e ele me viu. Seu semblante fechou e olhou irritado para Amy, falou algo pra ela e saiu do carro, vindo até mim. Eu não sabia se corria, se ficava, se chorava, ou se gritava.

- Marisa, tá tudo bem? – perguntou incerto. Não respondi nada, apenas desviei meu olhar do seu, sentindo um aperto no peito – Marisa, fala comigo. Eu sei o que viu, mas quero que me diga se está tudo bem, porque sabe que não a beijei.

Balancei a cabeça segurando o maldito choro que parecia querem irromper por mim.

- Marisa. Por favor. – ele segurou meu rosto com as duas mãos e erguei meu rosto pro dele e então não consegui segurar as lagrimas que escorreram pesadas e com um soluço – Oh droga! Não chora, por favor. Não sei lidar com isso.

Ele me apertou contra sim e me forcei a me controlar e não o abraçar enquanto controlava o choro, mas era difícil. Todos os sussurros e risadinhas que ouvi durante o dia giravam pela minha mente, a conversa e ameaça de Amy, as lagrimas do Toddy e suas palavras duras.

- Não, posso... com isso... – solucei contra sua camisa.

- O que? – perguntou me afastando um pouco e limpou minhas lagrimas – O que foi?

- Não posso continuar com você. – falei sem o encarar, me afastando dele – Nós dois... Nunca vai dar certo.

- Marisa...

- Não. – o cortei – Somos diferentes demais pra continuar com isso. É melhor acabar agora antes que fique forte demais e eu me magoe mais.

Virei às costas e fui voltando pra dentro do colégio.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...