História Com Vampiros - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB), The Pretty Reckless
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Christian "CC" Coma, Jacob "Jake" Pitts, Jeremy "Jinxx" Ferguson, Taylor Momsen
Exibições 25
Palavras 1.925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amorzenhusss
Que sdd q eu tava de vcs SZ voltei com mais um capítulo SZ
Olá leitoras novas
Obrigada pelos comentários e pelos favoritos SZ amo vcs, são todos de grande importância, obrigada 💜💜💜

Capítulo 8 - Capítulo 8 - Elena -


Fanfic / Fanfiction Com Vampiros - Capítulo 8 - Capítulo 8 - Elena -

stava tão confusa, tão fora de mim que nem percebi naquele momento que estava entrando mais naquela ala da casa em vez de daixa la.
Eu estava correndo quando aquele monstro se pôs a alguns passos à minha frente do nada.

- Deixa me explicar te, por favor - Andrew implorou

Eu neguei com a cabeça enquanto tentava parar o choro.
Ele tentou se aproximar novamente, más meu ódio pelo que ele fez era tão grande que eu não deixei.

- Não encoste em mim !! - Gritei

Então algo ainda mais estranho aconteceu. Um vento frio surgiu do nada, em mim o efeito daquele vento foi só de causar arrepios, más Biersack não tivera a mesma sorte, pois o vento criou força contra ele e o jogou contra à parede.
Se eu já estava assustada antes, imagina naquele momento, então ?!
Eu aproveitei que Andrew se encontrava jogado ao chão e não perdi tempo, me virei e corri o máximo que pude até sair da ala leste.
Ao chegar na escada, encontro Amy pdeixando a ala oeste, nossos olhos se encontraram e pude perceber a expressão de preocupação tomar seu rosto por me ver em prantos.

- Elena, querida, por quê choras ? - Sua voz tão doce perguntou
A raiva me subiu pela cabeça.

- Você também é um monstro, não é? - Gritei secando o rosto com as mãos

- O quê? Do quê estas a falar?

- Não minta pra mim ! - Gritei novamente - Eu sei o que são! Sei o que todos desta família são!

- O que acontece aqui ? - Uma voz masculina perguntou.

Foi então que notei Vladimir e Ruckia ao pé da escada, ambos estavam me olhando.

- O que acontece é que eu descobri o que vocês são! - Respondi enquanto o fuzilava !

- Elena - Amy me chamou- Controle-se.

E no segundo seguinte, Andrew e Festus estavam ao seu lado.
Eu nem sequer me dei ao trabalho de encarar Festus, estava muito ocupada encarando seu filho mais novo.

- Por que esconderam isso de mim? Por quê não me disseram logo ? - Perguntei enterrando os dedos no cabelo

- Se não falamos antes, foi exatamente porquê queriamos evitar isso !! - Andrew respondeu

- Andrew, o quê estás a acontecer aqui ? - Festus perguntou ao filho. Biersack olhou pro teto e pôs as mãos nos bolsos frontais da calça.

- Digamos que Lena me encontraste agora a pouco enquanto eu almoçava - Respondeu.

- Ele estava se alimentando do sangue de uma criança !! - Falei apontando para Andrew e olhando para seu pai.
Festus andou até o filho e o puxou pela orelha.

- Ai pai ! Tá doendo !!! - Andrew queixou se de dor.

- Ele e eu vamos ter uma conversinha no escritório - Festus disse para Amy - Por favor, converse com Lena e explique tudo a ela.

Os dois desapareceram.
Silêncio.
Respirei fundo. Eu estava muito nervosa.

- Ainda há mais coisas que eu preciso saber ? - Perguntei

Ruckia assentiu quando chegou ao topo da escada e se pôs ao lado de sua mãe.

- Tu ainda não sabes nem da metade.

Amy pediu a todos ali presentes naquele momento para acompanha la até a sala de estar para continuar nossa conversa em um lugar mais privado.
Assim que entrei no espaço, avistei um sofá que estava perto de mim e sentei, havia ainda mais dois sofás iguais à aquele e todos possuíam dois lugares, além de serem vermelho... Bufei. Os sofás eram cor vermelho sangue.
Respirei fundo quando a visão de Andrew com os lábios molhados de sangue veio a minha mente. Resolvi estudar o lugar para destrair à mente enquanto Ruckia ascendia à lareira a uns dois metros diante de mim.
A sala era imensa, quase tão espaçosa quanto o salão do térreo, além de dispor do mesmo piso em preto e branco lembrando a superfície de um jogo de xadrez. O teto era branco, possuía o pé direito alto e também um lustre de cristais que era do estilo clássico, talvez um pouco exagerado, porém belo. Eu logo reparei nos candelabros em cada canto da sala, pois esses, diferentes dos outros, possuíam mais braços em formatos de caracóis com velas acesas sobre eles.
Quando a lareira foi acesa, eu logo senti o calor do fogo chegar a mim.
Ruckia se levantou e ajeitou a saia de seu vestido preto.
Vladimir se sentou no sofá a minha direita.

- Elena, eu peço te que mantenha tua mente aberta e que tente se manter calma até eu terminar de dizer te o que tenho à dizer - Amy pediu se sentando no sofá a minha esquerda e ficando à minha diagonal.

Assenti com a cabeça.

- Nossa família pertence à uma raça de vampiros muito poderosa, o alimento essencial para nossa sobrevivência é sangue, porém isso não quer dizer que não possamos nos alimentar de outras coisas.

- Você diz que vocês pertencem a uma raça de vampiros - Comecei interrompendo a - Então isso quer dizer que existem tipos de vampiros diferentes? -assentiu.

- Existem vampiros que se queimam ao entrar em contato com a luz do sol, há os que dormem de dia e caçam a noite, há os que nunca dormem, os que só tomam sangue de animais... São muitas raças diferentes de vampiros.

Levantei as sombrancelhas ao ficar surpresa com o que acabara de ouvir.

- Nossa família pertence à raça de vampiros que pode se alimentar de sangue de qualquer ser vivo.

- Qualquer um mesmo ! - Vladimir confirmou me olhando

- Más nós não nos alimentamos de pessoas - Amy foi rápida em dizer

Agora eu estava confusa !

- E o garotinho que Andrew estava...

- Aquilo que tu vistes que Andrew se alimentava não era humano - Ruckia afirmou - Aquilo era um metamorfo. Tu sabes o quê é um metamorfo, não sabes ?

Fiz que sim com a cabeça.

- Isso também existe ?!

- Tudo o quê tu ouviste em tua infância, as histórias de duendes e sereias, fadas e trols, elfos e lobisomens.. és tudo real ! - Vladimir disse.

Escutamos então a porta se abrir, olhei para trás e vi Festus e Andrew adentrarem na sala.
Eu logo percebi que Andrew tinha se limpado, seus lábios não se encontravam mais sujos de sangue e sua roupa preta estava impecável.
Festus sentou se ao lado de sua esposa, e Andrew, esse se confortou no sofá com Vladimir.
- Então Bug e Gub.. eles são..
- Duendes - Andrew terminou - E à Féxia..
- É uma fada - Completei sorrindo.

Por mais estranho que parecesse, eu estava muito calma. Aquilo tudo me pareceu tão.. normal.

- Agora que tudo está sendo posto em pratos limpos, podem me explicar o porquê de terem me adotado ?
Festus e Amy trocaram olhares entre si, Andrew encostou as costas no sofá e mexeu no cabelo.
- Elena- Festus me chamou enquanto passava a mão no cabelo loiro - Há um pouco mais de dezesseis anos, duas famílias decidiram unir se casando o filho mais novo de uma delas com a filha mais nova da outra. O filho mais novo de uma das famílias cuidaria de sua prometida desde seu primeiro ano de vida até que ela tivesse idade para unir se a ele em uma cerimônia de casamento.

- Porém - Continuou Amy - Após o terceiro dia do nascimento da criança, descobriu se por muitos que a menina não era o ser sobrenatural que todos achavam que seria, ela na verdade, era uma feiticeira absurdamente poderosa mesmo ainda tão jovem.

- E é claro que tanto poder assim atraiste sobrenaturais que começaram a deseja lo a qualquer custo. - Andrew sussurou continuando a história - Os pais da criança, com medo de que algo pudesse acontecer ao maior tesouro que tinham, decidiram entregar à filha à uma feiticeira que apenas eles e à família do noivo sabiam quem era para que escondesse à criança e seus poderes de todos. Os pais da menina foram destruídos logo depois por vampiros da sua própria raça. A feiticeira continuou a cuidar da criança até que depois dela completar dois anos e então - Ele respirou fundo e disse - A feiticeira e a criança desapareceram. Ninguém nunca mais soube do paradeiro de ambas ..

Aquela história estava me dando sono. Admito ! Más eu estava achando interessante. E eu ainda não tinha entendido o que o quê tudo aquilo tinha haver comigo.

- A família do noivo convocou oráculos e feiticeiras na intensão de achar a menina, más o feitiço que a mulher que cuidava da criança pôs sobre ela era tão poderoso, que ninguém conseguia localiza la ou ter uma visão de onde a criança pudesse estar. A família do noivo então acreditou que o pior tivesse acontecido a menina, porém, quatorze anos mais tarde, uma feiticeira amiga da família, caminhava por uma cidade e sentiu uma presença muito poderosa como nenhuma outra..
Eu bocejei.

- Até onde essa história vai ?- Perguntei já ficando impaciente

Todos ali me encararam surpresos com o que eu dissera, mesmo eu não tendo dito nada de mais.

- Elena - Ruckia chamou me fazendo me encara la - A feiticeira contou a família quê a criança se encontrava em algum lugar naquela cidade. E naquele mesmo dia, um oráculo teve uma visão de uma placa com a palavra Orfanato nela.

Até aquele momento, eu estava apenas achando aquela história muito estranha, más quando Ruckia me olhou bem no fundo dos olhos enquanto pronunciava a palavra Orfanato, senti meu coração dar um pulo.

- A família procurou em todos os orfanatos da pequena cidade por uma garota com dezesseis anos que soubesse falar latim, já que o idioma era o primeiro que à menina, por ser o tipo de ser sobrenatural que era, saberia antes mesmo de aprender seu próprio idioma. - Ruckia parou e continuou a me encarar

A minha mente estava confusa, mais confusa do que a uns dez minutos antes quando eu encontrei Andrew daquele jeito. Aquilo não podia ser verdade !

- Eu não posso ser um ser sobrenatural ! - Falei me levantando.
- Más tu és Elena! E tu és uma feiticeira muito poderosa !- Andrew disse ainda encarando o teto.

Agora sim eu iria enlouquecer!
Primeiro sou praticamente sequestrada por uma família de esquisitos, aí descubro que os esquisitos na verdade são vampiros, e pra completar, eu sou uma bruxa!

- Se acalme, Elena ! - Ruckia pediu quando me viu praticamente pirando na sua frente.

- É muita informação !!! - Gritei sem querer

E pra completar a desgraça, Vladimir ainda me lembra :
- Não se esqueças que, além de tudo, tu ainda se encontra noiva do filho mais novo de nossa família, que, no caso, é o Andrew.

Minha atenção foi pra Andrew que me olhou com os olhos arregalados. Ele estava com medo. De mim.
Minha raiva era tão grande naquele momento por aquele idiota ter me escondido algo tão importante, que eu nem prestei atenção quando os vidros das janelas se quebraram do nada e o fogo de repente ameaçou se apagar.
Tudo o que eu queria era matar Andrew naquele momento. Eu queria me jogar sobre ele e apertar aquele seu pescoço pálido com as mãos bem forte, até sua cabeça estar bem distante de seu corpo. E foi isso o que eu fiz.

Notas Finais


Gente, sorry pela história corrida, eu tive que pensar em algo muito rápido para justificar o noivado de Elena e Andrew... Me digam o que acharam, okay?
Vou tentar melhorar no próximo capítulo! ! Bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...