História Com você no coração - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inojin Yamanaka, Iruka Umino, Kakashi Hatake, Konohamaru, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Temari
Tags Narusasu, Sasunaru
Visualizações 225
Palavras 1.931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, meus amores!
Não demorei tanto dessa vez, para atualizar essa fic!

Boa leitura!

Capítulo 11 - Décimo primeiro


Fanfic / Fanfiction Com você no coração - Capítulo 11 - Décimo primeiro

— Mas que merda! – praguejou Naruto mais uma vez. O Hokage estava cheio de serviço, porém se quer podia sentar-se em sua cadeira sem sentir seu traseiro latejar. Quando acordou, depois do curto período de sono, tomou um novo banho e seguiu para a torre, e foi nessa caminhada que ele sentiu os efeitos da noite intensa que havia passado com Sasuke. Achou que sua fiel raposa o ajudaria, mas estava redondamente enganado, Kurama não se manifestou, bem, até aquele momento.

— Não sei como lhe passou por sua cabeça que eu te ajudaria Gaki? – retrucou a raposa.

— Aah! – Naruto ergueu as mãos. — Resolveu me agraciar com sua presença, sua traidora!

— Eu? O único traidor aqui é você, ao se envolver com aquele Uchiha arrogante! – Naruto não estava junto de Kyubi, mas podia imaginar a enorme raposa de cor alaranjada com os braços cruzados e olhar de descaso.

— Se não vai me ajudar pode voltar a dormir!

— Hahahaha se depender de mim vai continuar com o traseiro ardendo!

— Arg! Maldito Sasuke! – grunhiu tentando andar pela sala. Se alguém o visse provavelmente diria que estava assado, andava com as pernas afastadas, estava até mesmo sem cueca. Embora estivesse naquela situação lastimável, a noite valera a pena, as diversas sensações que experimentou não se comparava a nenhuma outra, fazer amor com Sasuke, sim eles haviam feito amor era isso que ele acreditava, mesmo que aquele bastardo tenha quase o aleijado, fora a melhor coisa que podia ter feito. Ainda sentia perfeitamente as mãos do moreno sobre seu corpo, os gemidos e sussurros ao seu ouvido, pele contra pele, nunca, em toda sua existência, imaginaria passar uma noite com Sasuke. Não podia negar que desde criança ele sempre fora muito bonito, na verdade o clã Uchiha sempre foi formado por pessoas bonitas, quando conheceu Madara, quase surtou com a beleza daquele homem, claro que soube esconder perfeitamente. Era incrível a genética deles, Itachi era outra coisa maravilhosa, aquele ar de mistério o deixava ainda mais belo, suspirou encarando a janela perdido em seus pensamentos. — Isso só pode ser brincadeira, eu Uzumaki Naruto pensando nos antepassados daquele teme, quando foi que você começou a pensar tanto em homens Naruto, hein? – perguntava-se para si mesmo. — Droga, eu nunca vou terminar meu trabalho se ficar pensando nele, por que você tinha que me pegar de jeito Sasuke? Meu corpo fica esquisito quando penso em você! – pegou alguns papéis e começou a ler em pé mesmo, porém outra coisa começou a incomodá-lo. — Por Kami, eu tô com meu cu todo fudido e ainda consigo ficar excitado só de pensar naquele imbecil, eu mereço! – choramingou.

— Merece o que dobe? – se assustou e acabou movimentando-se bruscamente fazendo seu corpo inteiro latejar. — está tudo bem? – perguntou Sasuke vendo a expressão de dor do outro.

— NÃO! Não está! Por sua culpa meu... Meu... Meu – não saia nada.

— Seu o que Naruto.

— Meu – apontou com o dedo para sua bunda. — está extremamente dolorido! – suspirou.

— Ah, é isso! – como “Ah, é isso?” – pensou Naruto. — Achei que Kurama já tivesse feito o seu trabalho! – sorriu de lado.

— Aquela raposa traidora não quer me ajudar e agora eu não consigo nem mesmo sentar na minha cadeira dattebayo! – seu dia seria longo e dolorido.

— Eu posso te ajudar! – Sasuke se aproximou com um sorriso de predador. — Quer que eu de umas lambidinhas lá? – “Mas o que aquele idiota tava dizendo Kami-sama?”, perguntava–se Naruto. — Aposto que vai gostar, já que você está duro mesmo! – dito aquilo o Uchiha apontou o volume do loiro que estava bem visível.

— Aaaah! Suma daqui Sasuke! Seu pervertido, nunca que eu imaginei que você fosse assim, não quero lambidinha nenhuma! – retrucou, mas não evitou imagina Sasuke com a cara enfiada em sua nádegas, “céus estava se tornando um pervertido também”. Sasuke apenas sorriu e como havia chegado desapareceu logo a porta do loiro foi aberta.

— Naruto? Está tudo bem? Ouvi alguns gritos vindos daqui? – questionou seu assistente.

— Sasuke estava aqui, não sei o que ele queria, acho que só me atormentar mesmo! – fez bico indo até sua cadeira.

— Hm! Eu conversei com ele a pouco, lhe dei alguns relatórios e documentos da ANBU, ele realmente está interessado. – comentou Nara.

— Fico feliz! – fez careta ao tentar se sentar. — Ele se sairá muito bem, nisso eu tenho certeza!

— Também acho... Mas me diz uma coisa? – Naruto encarou Shikamaru. — Você e ele... Vocês dois fizeram aquilo? – Naruto sentiu seu corpo inteiro ruborizar.

— D-Do q-que, d-do que você está falando? – se reprendeu por gaguejar.

— Você está andando esquisito e mal conseguindo se sentar suponha que tenha, você sabe!

— Sim, nós fizemos! – não adiantaria mentir para seu assistente.

— Sério? E como eu disse foi você que foi enrabado! – gargalhou.

— Que bom que minha situação te diverte! – disse fazendo bico.

— E me diz como foi? – acomodou-se no sofá um pouco afastado.

— Você não que saber disso Shikamaru! – tentou desconversar, até parece que ficaria expondo sua intimidade com Sasuke.

— Claro que quero, fiquei curioso!

— Não vou contar!

— Vamos Naruto, eu quero saber! Foi pelo menos bom? Valeu a pena ficar desse jeito ai?

— Mas que saco Shikamaru! Certo, certo! Foi bom tá, na verdade foi ótimo eu jamais imaginei que sentiria tanto prazer em um lugar tão desconhecido por mim. Sasuke é incrível, a maneira como ele me possuiu me fez ficar querendo mais! Sentir ele dentro de mim foi incrível, seu corpo, sua pele, Kami ele é gostoso demais Shikamaru! – confessou nem mesmo se dando conta. Shikamaru engoliu em seco, não pode controlar sua imaginação, no inicio achou estranho, mas depois, imaginar Sasuke e Naruto juntos acabou lhe causando um desconforto no meio de suas pernas. Saco, não podia se excitar por culpa de dois homens.

— Imagino! – foi tudo que disse. — Naruto eu preciso ir! – disse rapidamente saindo da sala, não podia deixar o Hokage ver sua excitação.

Naruto encarou a porta se fechar e voltou aos seus devaneios, seu dia de trabalho não seria nada promissor.

 

 

Sasuke seguia pelas ruas de Konoha com um mínimo sorriso, enquanto observava os papéis que Shikamaru havia lhe entregado. As pessoas que por ele passavam estranhava aquele ar descontraído do Uchiha, não parecia em nada com aquele homem sem expressão.

— Sasuke-kun! – o moreno parou ao ouvir o chamado de Sakura.

— Sakura!

— Que bom que te encontrei não te vi sair hoje de manhã! – a rosada esperou para ver se recebia alguma resposta, mas como o outro não disse nada continuou. — Lembra que combinamos de fazer um piquenique com Sarada. – tá Sasuke havia se esquecido. — Comprei algumas coisas! – ergueu a sacola com alguns mantimentos.

— Hum! – não disse nada e seguiu com a rosada para a casa.

Sakura ajeitou alguns sanduiches e frutas dentro de uma cesta com alguns outros intens., estava feliz dificilmente tinha esses dias em família, por sorte hoje era seu dia de folga do hospital e como haviam planejado fariam um piquenique.

Sasuke estava aguardando Sakura junto a Sarada em frente a casa, tinha se esquecido daquele passeio, quando combinaram o mesmo nem havia aceitado o convite de Naruto para o cargo na ANBU, agora já estava matando o primeiro dia de trabalho.

— Tou-san, está treinando o Boruto ainda? – perguntou  Sarada com as bochechas corada. Sasuke ignorou a feição da garota e respondeu:

— Sim.

— Você gosta dele? Digo acha ele um bom garoto? – o moreno não entendeu aquelas perguntas, mas acabou por responder.

— É mais usuratonkachi que Naruto!

— Usuratonkachi? – sussurrou a garota.

— Podemos ir! – disse Sakura toda feliz interrompendo a curta conversa de pai e filha.

 

A tarde estava agradável, ambos conversavam amenidades e sempre o nome de Boruto vinha à tona, por parte de Sarada, Sasuke não estava entendendo o porquê sua filha falava tanto no filho de Naruto. Estava tão focado em seus pensamentos que não percebeu a aproximação do dito cujo.

— Sarada, tia Sakura, tio Sasuke! – aquela voz tão, ou mais, irritante que a de Naruto invadiu seus ouvidos, mas o que lhe chamou a atenção foi o rubor no rosto de sua pequena.

— Boruto! – disse Sarada em voz baixa. Sakura vendo a reação da filha e a expressão de Sasuke tomou a frente.

— Boruto-kun, que bom lhe ver, como está?

— Bem tia Sakura!

— E Hinata e Himawari? – perguntou à rosada.

— Estão ali! – apontou o loiro em direção à mãe e irmã que se aproximavam.

— Boruto-kun, não pode sair correndo desse jeito! – repreendeu Hinata, somente depois se dando conta de quem estava ali. — Ah, Sakura... Sasuke-kun! – estranhou a presença do moreno.

— Hinata! – levantou-se a rosada cumprimentando-a. Sasuke apenas acenou com a cabeça, observou atentamente Hinata, não tinha nada de especial, o que Naruto havia visto nela? Sentia seu corpo estremecer ao imaginar que era ela que passava as noites com o loiro, que sentia o calor de seu corpo, que acordava toda manhã com a visão de Naruto babando, sorriu ao imaginar aquilo, com certeza ele devia fazer isso ainda. Não demorou e ouviu a despedida da outra e de seus filhos, continuou conversando com Sakura e Sarada, ainda precisava descobrir o que acontecia com a pequena Uchiha.

 

 

Naruto apoiou a cabeça sobre os papeis, finalmente conseguiu se sentar, Kurama devia ter tido pena dele, pois de repente sentiu suas dores sumir, agradeceu mentalmente sua amiga. Ficaria até mais tarde para adiantar o serviço que ficou acumulado na parte da manhã. O sol já se punha, avisará Hinata que chegaria tarde, a mesma havia lhe feito uma visita, junto com as crianças, não gostou de saber que Sasuke e Sakura estavam fazendo piquenique, aquilo não era típico do moreno, bem provavelmente ele queria agradar sua filha ou... Até mesmo sua esposa! Parou o movimento quando ia carimbar a próxima folha ao pensar naquilo, balançou a cabeça e carimbou o documento, Sasuke disse que o amava, não podia desconfiar daquilo.

— Não posso ficar pensando besteiras! – dizia para si mesmo. — Ele tem sua família como eu tenho a minha! Kami isso está ficando insuportável! – ouviu leve batida na porta, estranhou, pois Shikamaru já havia ido embora e para ajudar a pessoa por detrás da madeira escondia seu chackra, arregalou os olhos imaginando ser algum ninja desordeiro, mas logo suavizou se fosse o mesmo não bateria na porta, ordenou a entrada se deparando com o moreno dono de seus pensamentos. — Sasuke?

— Boa noite, Naruto! – entrou tranquilamente sentando-se a frente do outro. — Muito trabalho?

— Estou quase terminando! – disse frio, ignorando o moreno.

— Era apenas um piquenique, Hokage-sama! – falou sabendo o porquê do bico nos lábios alheio.

— Não disse nada! – continuou o que fazia.

— Nem precisa eu sinto seu ciúme daqui! – provocou o moreno.

— Não tem ninguém com ciúme! – elevou um pouco a voz.

— Sua esposa é bem fofoqueira, hein? – Naruto bateu a mão sobre a mesa e levantou-se.

— Não permito que fale assim de Hinata! – retrucou com os olhos faiscantes.

— Porque não? – perguntou Sasuke também se levantando, porém mantendo a postura calma.

— Porque não oras! – Sasuke seguiu até Naruto e o agarrou pelo colarinho, aproximando sua face na dele.

— Me diz Naruto por quê? Você a ama, não é mesmo?

— Amo! – Sasuke sentiu suas pernas fraquejarem, mas se manteve com a mesma postura. — Amo Sasuke, mas te amo ainda mais bastardo. – confessou. Sasuke sorriu e selou seus lábios, aproveitando invadir a boca do loiro com língua.

— Vejo que já está melhor! – sussurrou ao pé do ouvido. — Adoraria te possuir na sua sala, de preferência em sua mesa Hokage-sama!

Naruto sentiu seu membro vibrar, só de imaginar que sentiria aquelas sensações novamente e se esquecendo de onde estava agarrou o moreno e o beijou, precisava sentir que ele era seu, da mesma forma que o Uchiha queria sentir que Naruto também lhe pertencia.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Beijosss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...