História Come Back - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, F(x), Huang Zitao "Z.Tao", Jessica Jung, Kris Wu, Lu Han, SHINee
Visualizações 36
Palavras 1.088
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capítulo um: Bons amigos


 

 

 

03/01/10

 

Canadá

 

 

O dia estava dando o ar da graça e o rei sol começava a brilhar em seu esplendor. E no meio daquela floresta um jovem corria desesperado, se esforçava para correr e fugir daqueles que o perseguiam. Não sabia como havia conseguido fugir do seu cativeiro, não sabia aonde estava, não sabia como ainda tinha forças para correr. De repente ele se viu em uma estrada. Havia saído da floresta e antes que pudesse raciocinar um carro apareceu na sua frente e nesse momento ele perdeu a consciência.

 

 

Dois anos depois

 

 

Havia algo em seu rosto o impedindo de falar. Sentia que havia algo ligado ao seu braço, sabia que estava deitado em uma cama. Tentava se levantar mais não tinha forças para tal e de repente ouviu alguém falando.

 

 

— Fico feliz em lhe ver acordado. — e uma figura desconhecida apareceu no seu campo de visão o fazendo fica mais confuso ainda.

 

— Aon-aonde esto-tou? — perguntou com certa dificuldade após a máscara de oxigênio ter sido removida.

 

 

— Você está em um hospital em Montreal, no Canadá. Consegue se lembrar do seu nome?


 

— By-byun Bae-bae-baekhyun. — se sentia confuso. — Qua-quanto tem-tempo es-estou aqui? — perguntou um pouco embolado após o médico levantar a cama em 90 graus agora tendo uma ampla visão do quarto aonde estava.

 

— Você estava em coma senhor Byun. — respondeu para a surpresa de Baekhyun. — Hoje faz dois anos que o senhor foi trazido para esse hospital.

 

— Que-quem é e-e-ele? — questionou ao se deparar com um homem dormindo no sofá no canto do quarto.

 

— Ah, esse é o senhor Park Chanyeol. Ele é o responsável por trazer você para o hospital.

 

 

 E Baekhyun ficou calado.

 

Após Baekhyun acordar ele foi levado para exames e após uma hora sendo submetido a exames voltou ao quarto. Encontrando Chanyeol acordado e conversando no telefone.

 

 

— Fico feliz em te ver acordado.


— Por-porque m-me sa-salvou?

 

— Faria isso por qualquer pessoa. Eu vi que estava sendo perseguido, porém, eu não vou perguntar o que houve. Mais alguma hora eu quero saber o que aconteceu a você. — explicou e mentalmente Baekhyun agradeceu por aquilo.

 

— O-obri-brigada.


 

Sete anos depois

 

 

03/01/2017


 

As risadas ecoavam pela sala, o som baixo tocava alguma música do The Beatles. E os três jovens morriam de rir com as histórias contadas por um deles. Eram histórias contadas por D.O Kyungsoo, histórias de sua família que fazia Park Chanyeol e Byun Baekhyun dores na barriga de tanto rir. Os três amigos moravam em um condomínio de luxo no centro de Seul. Park Chanyeol com seus vinte seis anos era um renomado advogado, Byun Baekhyun aos vinte e três anos estava terminando sua faculdade de psicologia e Kyungsoo na metade dos seus vinte anos era um residente em um hospital.

 

 

 

Baekhyun e Chanyeol que já moravam juntos a alguns anos. Conheceram Kyungsoo em uma balada e logo ficaram amigos e após Kyungsoo ter sido expulso de casa por seus pais descobrirem sobre sua orientação sexual. Chanyeol sem pensar acolheu o amigo e moram juntos até hoje. 

 

 Isso já faz 4 anos.

 

 

A conversa dos amigos é interrompida quando a campanhia ecoa pela sala. Fazendo Baekhyun se levanta e desliga o som, enquanto Kyungsoo ia atender a porta.

 

 

— É a Krystal. — Kyungsoo olhou para Chanyeol.

 

— Tava bom de mais para ser verdade. — Chanyeol exclamou e Baekhyun foi para trás de Chanyeol.

 

 

Era sempre assim.

 

 

Toda vez que Krystal visitava Chanyeol. Baekhyun morria de medo dela. E não era para menos, Krystal fez da vida do mais novo um inferno nos primeiros meses quando foi morar com Chanyeol


 

 

— Pode abrir, Kyungsoo.

 

— Certeza, Hyung? 

 

— Para ela ter vindo até aqui a coisa é séria. Ou não, qualquer coisa eu deixo você esfregar a cara dela no asfalto como você sempre quis. — exclamou divertido sentindo Baekhyun aperta sua cintura.

 

 

Assim que Kyungsoo abriu a porta a ruiva caminhou até o meio da sala. Olhando com asco para a sala e olhando com mais asco ainda para Baekhyun abraçado Chanyeol e as mãos de Chanyeol sobre as do mais novo.


 

— É bom ver você também Krystal. — Kyungsoo exclamou quando a loira passou sem cumprimentar a si.

 

— O que foi?

 

— Vim trazer isso para você. — retirou um envelope das mãos de Chanyeol o entregando.

 

 

Chanyeolol abriu o envelope e gargalhou alto ao ler o conteúdo nele

 


 

— Sério?! Avise a presidente que se ela quiser que eu assine esses papéis. Ela se dê ao trabalho de vim até aqui. Agora ficarei muito feliz se você for embora. — sorriu quando a loira deu de ombros e bateu os pé indo embora. — Baek, ela já foi. — Chanyeol exclamou quando Baekhyun ainda não tinha o soltado. 

 

 — Hyung. — o menor murmurou soltando o mais velho e se sentando no sofá.

 

— Kyungsoo o que tem de errado com ele? — Chanyeol questionou e Kyungsoo se aproximou examinando Baekhyun.

 

 

— Quantos dedos tem aqui? — Kyungsoo colocou quatro dedos na frente de Baekhyun e o mais novo respondeu dois. — Você tomou seus remédios Baekhyun? — Kyungsoo questionou sério e Baekhyun negou. — Chanyeol pega ele e leva ele pro quarto. Eu vou pegar os remédios. — Kyungsoo pediu e Chanyeol assentiu pegando Baekhyun no colo e o levando para o único quarto que fica no andar de baixo. Aonde era o quarto de Baekhyun.

 

 

 

Após Kyungsoo medicar Baekhyun. Chanyeol e Kyungsoo seguiram para sala e ambos sentaram no sofá, cada um perdido em seus pensamentos.

 

 — Hyung — Kyungsoo exclamou e Chanyeol o encarou. — Você nunca soube o que houve com o Baekhyun?

 

— Ele nunca tocou no assunto. E eu não vou insistir, tinha dois homens o perseguindo no dia que eu encontrei em Montreal. — cenas daquele dia passaram na sua cabeça fazendo calafrios percorrer seu corpo. — Eu mandei alguns homens para a floresta, porém a única coisa que encontraram foi uma cabana pegando fogo e um rastro intenso de sangue.

 

 

— Espero que um dia ele consiga superar esse trauma.

 

— Também espero, Kyungsoo.

 

 

 



 

A criança se balançava, seu rostinho demostrava uma tristeza. De repente alguém gritou pedindo para que ela entrasse, após sair do balanço e começou a caminhar em direção a sua casa. 

 

 

— Minsu — e a garota de seis anos olhou para trás.

 

 

— Papai Wu Yifan.

 

 

 

E correu em direção aos braços do seu pai.


Notas Finais


Curiosos? :P


Não sei o que dizer huehue


Mentira, eu tô com preguiça de escrever.



Espero que tenham gostado desse primeiro capítulo. *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...