História Come My Way (Imagine Park Jimin - BTS) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Happy Jimin Day, Hentai, Hot, Jimin, Lnnv, Park Jimin
Visualizações 262
Palavras 2.067
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii anjos!

Hoje é o aniversário do Jimin (Mozão) então eu fiz esse one em dedicação a ele!
É hot, já avisando!

Espero que gostem meus amores!
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Mais uma pilha de papéis foi posta em minha mesa, suspirei, minha vontade era de chutar essa mesa e ir embora sem mais nem menos, mas eu preciso deste trabalho, sorri para Sun a secretária do Sr.Kang, meu chefe.

- Você deveria pedir férias. – aconselhou.

- Eu sei, mas não posso, não agora. – peguei um dos papéis que estava na mesa e comecei a lê-lo.

- Você sempre dá essa desculpa. – falou e ri.

- É apenas a verdade. – sorri.

- Ok. – suspirou frustrada – Eu já vou indo.

- Até amanhã. – a mesma se despediu de mim e deixou a sala.

Depois de um tempo de silêncio, ouvi uma segunda respiração no local.

- Olá Noora. – cumprimentei minha amiga que encarava abismada a pilha de papéis em minha mesa.

- Agora eu sei porque você não vive. – gargalhei – É sério, isso não é vida.

- É trabalho. – desviei meu olhar para a mesma – Sem trabalho, sem dinheiro e sem dinheiro, sem comida, sem comida, sem vida. – bufou.

- Agora eu sei porque você anda tão estressada. – sentou-se no sofá azul marinho que havia em minha sala.

- Não sou como você que não se estressada com nada. – disse pegando mais um papel e começando a ler o mesmo.

- Eu faço yoga e massagem. – sorriu – Que aliás são ótimas, aquela mulher tem mãos de fada.

- Pensei que era um homem. – a encarei, Noora já havia me falado sobre a casa de massagem que a mesma frequentava, ela disse que o massagista que tem lá é maravilhoso.

- Eu nunca fiz uma sessão de massagem com ele, porque pelo que as mulheres que vão lá dizem: ele é a perdição em pessoa. – sussurrou a última parte – Sou fiel ao Yoongi, não vou por meu casamento em risco por um massagista gostoso.

- Se você diz. – sorri sarcástica.

- Vou levar você nesta casa de massagem. – neguei.

- Eu estou bem aqui, sem pessoas estranhas tocando no meu corpo. – falei.

- Você precisa acabar com esse estresse, uma massagem ajuda bastante. – bufei.

- Eu não vou. – disse por fim.

- Você vai sim, nem que eu tenha que te levar a força. – se levantou segurando firmemente sua bolsa.

- Uma massagem, com a massagista que você frequenta. – cedi.

- Claro.

[…]

Eu estava sentada no sofá da sala de espera da casa de massagem enquanto Noora falava com a recepcionista, se não me engano elas são amigas.

- Você será a última a ser atendida. – Noora falou e suspirei assentindo.

- Por que? – perguntei.

- A agenda de hoje da massagista já estava fechada, então eu pedi para a Hyon que é a recepcionista ligar para ela e perguntar se é possível ela ficar até um pouco mais tarde, e a mesma falou que não tem problema. – sorriu.

- Então que horas eu serei atendida? – o sorriso dela se desfez.

- São 13:24, você será atendida as 18:00. – bufei.

- Vai demorar Noora. – suspirei frustrada – Eu ainda tenho que checar uns contratos quando chegar em casa. É melhor eu vim outro dia.

- Não! – falou desesperada – Você vê esses contratos outro dia, hoje você tem que relaxar e curtir.

- Sentada em uma cadeira por 6 horas?! – me levantei irritada.

- Calma. – proferiu – Vamos dar uma volta e quando estiver perto do seu horário voltamos, tudo bem?

- Tudo bem. – saímos do estabelecimento e fomos para o shopping.

[…]

17:50 estávamos de volta a casa de massagem, a próxima ser atendida seria eu.

Eu e Noora fomos no shopping e fizemos algumas compras, ela estourou o cartão de novo. Uma mulher de cabelos vermelhos saiu da sala de massagem com um grande sorriso no rosto, a recepcionista me chamou e falou que eu já podia entrar.

- Me ligue quando terminar, tenho que ir em casa. – assenti e me despedi da minha amiga, logo seguindo por um corredor junto a recepcionista que me deixou em frente a uma porta vermelha, a mesma sorriu e se despediu.

Abri a porta e entrei, a sala era iluminada por velas e pequenas luminárias, a cama de massagem vermelha — que era um pouco grande demais na minha opinião — ficava no centro da sala, o local cheirava a lavanda.

- Você deve ser minha última cliente, certo? – uma voz rouca e suave soou atrás de mim, virei-me dando de cara com um homem mais alto que eu, cabelos e olhos escuros, braços e pernas fortes, lábios carnudos e ombros largos.

Seu olhar assim como o meu, me analisou por inteira, o mais alto mordeu o lábio inferior.

- Acho que a recepcionista se confundiu, minha amiga marcou uma sessão com a massagista daqui. – ouvi o mesmo ri.

- Há apenas eu aqui. – engoli em seco.

- Acho que eu deveria ir embora então. – falei, mas o mesmo negou.

- Você quer uma massagem, eu farei isso, não há o que temer. – sorriu, meu Deus, o sorriso dele é maravilhoso.

- Sempre há o que temer. – dei alguns passos para trás e ele começou a se aproximar de mim, fazendo eu me afastar cada vez mais.

- Confie em mim, uma massagem não irá te matar e foi por isso que você veio aqui certo? Apenas para uma simples massagem. – assenti.

Pensei um pouco e cedi, eu vim aqui para uma massagem e esse é o trabalho dele, e aliás ele não faria nada comigo, não é?

- Você pode se trocar ali. – apontou para uma porta no fundo da sala.

Fui até lá e encontrei um fino roupão branco, tirei minha roupa ficando apenas com minha langerie preta, sai e fui até a cama de massagem me sentando na mesma, procurei o massagista, mas não o encontrei.

- Pode tirar tudo se quiser. – ouvi sua voz atrás de mim.

- Não acho que seja preciso. – riu e assentiu.

- Ok, posso começar? – assenti – Deite-se. – fiz o que ele pediu, o mesmo me encarou e gargalhou – Tem que tirar o roupão.

- Não vou ficar semi-nua em sua frente. – falei incrédula.

- Não há como fazer a massagem assim. – suspirei frustrada e desfiz o laço do roupão, o tirei do meu corpo e coloquei no sofá perto da porta – Bem melhor. – senti seu olhar queimar minha pele – Aliás meu nome é Park Jimin.

- ___________. – disse.

Me deitei de bruços e ele logo se aproximou de mim.

- Vamos começar senhorita __________.– engoli em seco.

Senti um líquido frio em minhas costas e me arrepiei, suas mãos foram postas em cima do feixe do meu sutiã.

- Posso? – assenti, ele o desprendeu e começou a espalhar o líquido sobre minhas costas.

Suas mãos eram macias, fortes e quentes, ele apertou meus ombros tirando a tensão daquela área, suspirei.

- Está vendo, é somente uma massagem. – falou baixo, sua voz rouca me fez arrepiar.

Depois de longos minutos ele havia acabado a massagem em minhas costas, o mesmo colocou meu sutiã novamente e pediu para que eu virasse, fiz o que Jimin pediu ficando com a barriga para cima.

Ele espalhou o líquido por toda minha barriga, suas mãos apertaram levemente minha cintura, fazendo-me fechar um olhos e suspirar.

- Tenho uma surpresa, você quer? – sussurrou rente ao meu ouvido, assenti – Abra os olhos.

Fiz o que ele pediu, Jimin estava ao meu lado, o mesmo sorriu e aproximou seu rosto do meu.

- Vou te fazer uma massagem exclusiva. – sussurrou fazendo-me arrepiar – Preciso que você fique de olhos abertos.

Ele subiu na cama e se aproximou do meu corpo, fiquei tensa.

- Agora você vai relaxar. – falou, o mesmo ficou por cima do meu corpo, com cada perna de um lado sentando-se em minhas coxas, mas sem apoiar todo seu peso ali.

Eu realmente não sabia o que estava acontecendo, mas estava gostando, adorando para ser mais específica.

Suas mãos ágeis foram para minha cintura apertando ali, logo elas subiram para o meus ombros, Jimin se aproximou do meu rosto, poucos centímetros separavam nossos lábios, ele sorriu e desceu seu rosto para meu pescoço onde começou a distribuir beijos e mordidas, ele puxou uma de minhas pernas e apertou fortemente minha coxa, fazendo-me arfar.

- Você tem um ótimo perfume. – falou contra meu pescoço.

- Posso sentir o seu? – ele riu e levantou o rosto me encarando.

- Claro. – sorri e aproximei meu rosto do seu pescoço, onde distribui selares e mordidas.

- Seu perfume é muito bom. – disse e mordi seu pescoço.

Jimin se afastou do meu corpo e bufei, ele riu e levou as mãos até a barra de sua camisa, logo ela já estava no chão.

Park Jimin tinha um físico maravilhoso.

- Vamos continuar com a massagem. – sorriu, suas mãos foram para minhas costas e ele desprendeu meu sutiã, logo o retirando do meu corpo.

Jimin segurou meus peitos e os apertou levemente, gemi baixo e o vi sorri.

- Você gosta disso? – apertou novamente, assenti.

Ele abocanhou meu seio esquerdo, sua boca era quente, entrelacei meus dedos em seus cabelos negros e gemi arrastado, o mesmo prendeu meu mamilo entre seus dentes. Jimin trocou de seio e agora distribuía chupões pelo meu peito direito, fazendo-me gemer mais alto.

- Jimin… – sussurrei.

Park subiu seu rosto e selou meus lábios, sua língua invadiu minha boca, seus lábios tem gosto de cereja e menta.

- Eu não deveria ter te beijado. – sussurrou encarando meus olhos.

- Por que? – perguntei afastando alguns fios de cabelo que caíram sobre seus olhos.

- Não vou conseguir parar. – sorriu e iniciou um novo ósculo.

Suas mãos desceram para meu quadril, ele o puxou em direção ao seu, fazendo-me sentir sua ereção, ele começou a esfrega-la em minha coxa, gemendo baixo rente ao meu ouvido.

Jimin se levantou e foi até minhas pernas, ficando com o rosto entre elas, ele começou a distribuir beijos, chupões e mordidas pelas minha coxas. Suas mãos foram para as laterais da minha calcinha, que não demorou para ser retirada do meu corpo.

- Vou fazer você relaxar. – senti sua respiração quente na minha intimidade.

Jimin deixou um selar em minha intimidade e logo senti o mesmo sugar meu clitóris fazendo-me gritar. Park segurou minhas coxas as apertando, sua língua quente adentrou a minha intimidade, eu gemia cada vez mais alto, minhas mãos foram para sua cabeça, puxando seus fios de cabelo.

Mais chupões foram distribuídos pela minha intimidade, sua língua entrava dentro de mim com rapidez e agilidade, gritei de prazer e me desfiz em sua boca.

- Seu gosto é maravilhoso, minha querida. – Park se pôs em cima de meu corpo, enquanto eu tentava regular minha respiração, o mesmo capturou meus lábios iniciando um beijo feroz.

Nossas línguas dançavam em sincronia, ao final do ósculo Jimin mordeu meu lábio inferior.

Inverti nossas posições ficando por cima de Jimin, beijei seu pescoço e fui descendo com os beijos até a barra da sua calça jeans, tirei seu cinto, logo depois desabotoei sua calça, fui a descendo deixando a mostra sua box preta. Apertei seu volume por cima da box e o ouvi gemer baixo, tirei sua cueca deixando seu membro a mostra.

Jimin me puxou fazendo-me ficar cara a cara com ele, o mesmo me beijou ferozmente e sorriu.

- Vamos para a parte boa. – sussurrou rouco.

Jimin se posicionou entre minhas pernas e me penetrou forte, gritei e ele gemeu arrastado, logo o mesmo começou a se movimentar, arranhei suas costas e braços a cada vez que ele investia mais forte dentro de mim.

- Você é maravilhosa. – sussurrou rente ao meu ouvido, senti o mesmo morder e beijar meu pescoço.

- Jimin... – gemi baixo e senti as mãos de Jimin apertarem minha cintura.

Ele aumentou a velocidade, indo cada vez mais com força, o mesmo me puxou para mais um beijo que foi rapidamente correspondido.

- Ah… – gemeu rente ao meu ouvido fazendo-me arrepiar.

Atingimos nosso ápice e gemi arrastado assim como ele, Jimin se deitou em cima de mim e sorriu contra meu pescoço.

- Gostou? – perguntou.

- Agora apenas quero esse tipo de massagem. – falei e o ouvi rir.

- Pode vim até mim, farei sempre que você pedir. – sussurrou e assenti sorrindo.

- Tenho que ir. – disse, Jimin ficou de pé, pegou suas roupas e se vestiu, fiz o mesmo.

Eu e Jimin saímos da sala e fomos até a recepção, não havia ninguém lá.

- Onde está a recepcionista? – perguntei e ele me encarou com um sorriso malicioso.

- Eu pedi para ela ir embora. – ri.

- Você já tinha preparado tudo o que aconteceu lá dentro, não é? – assentiu risonho.

- Valeu a pena. – sorri e senti minhas bochechas queimarem.

Liguei para Noora e a mesma falou que já viria me buscar, não demorou muito e vi seu carro parado em frente ao estabelecimento.

- Até logo. – falei, Jimin colou meu corpo no seu e selou meus lábios.

- Até. – sorriu deixando um beijo na minha bochecha.

Entrei no carro da minha amiga, eu estava incrivelmente sorridente.

- Parece que a massagem foi boa. – falou e sorriu.

- Foi ótima. – ri – Vou vir aqui mais vezes.


Notas Finais


O que acharam?
Gostaram?
Querem mais ones?

Espero que tenham curtido esse one!
Tenho outros em mente, mas isso é mais pra frente!

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...