História Coming Back to Love - Capítulo 17


Escrita por: ~ e ~sah07Drew

Visualizações 18
Palavras 3.510
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente:TODAS AS DESCULPAS DO MUNDO PRA VCS PELA DEMORA PRA POSTAR ESTE CAP,MEUS NENÊS!
(sei que foi até depois do prometido haushaus sorry)

Segundo:Como vão ver,mudei poucos detalhes quanto ao começo da narrativa de qualquer personagem,mas só pq eu queria uma coisa mais certa e não tão confusa ksksksksk espero que tenham entendido.

Terceiro:As palavras em negrito narradas pela Ash,se tiverem ainda alguma dúvida, todas são referências ao JB.É só que eu achei mais "impactante\legal" assim kkkkkk (mas foi e por enquanto só aconteceu isso neste cap)

Quarto:Desculpe qualquer erro,não tive tempo para revisar o cap todo.

Quinto:Amo vcss!

*Boa leitura.❤
*Espero que gostem.❤
*Comentem,pois vou ficar muito feliz,tá?❤

Capítulo 17 - XV


Fanfic / Fanfiction Coming Back to Love - Capítulo 17 - XV

P.O.V's Ashley Benson.

Califórnia, Los Angeles.

Maio,2017.

[Uma semana depois...]

Tudo ocorreu como eu queria.

De segunda-feira pra cá o tempo pareceu correr a meu favor,fazendo as coisas se acalmarem ao meu redor.O tempo me ajudou muito.

Fui me reestruturando depois de ter que passar por aquela madrugada terrível,a qual a pessoa por quem eu estava me apaixonando me destruiu e agrediu não só fisicamente,mas principalmente emocionalmente também.Na manhã desta mesma madrugada,peguei minha mala e fui rumo ao lugar que eu sabia que era o único que eu poderia me sentir bem novamente.

Fui ao apartamento do meu melhor amigo,Dylan.Claro que provisóriamente,mas ele disse que não haveria problemas se eu quisesse morar ali com ele por um tempo indeterminado.

Eu contei à ele tudo o que aconteceu e a reação dele me surpreendeu um pouco...isso me fez ficar muito mais feliz.

Ele provou o quanto se importa comigo e o quanto me ama quando foi até aquela mansão para confrontá-lo.Tentei contê-lo,mas ele foi mais rápido que eu.Fiquei com muito medo daquele babaca matar Dylan,mas por muita sorte ele não estava lá, apenas Megan,Nick e Chaz.Depois de alguns minutos Dylan voltou para o apartamento e assim eu finalmente tive a oportunidade de acalmá-lo,o que deu um pouco certo.Mas ainda posso dizer que ele tem muita vontade de socar a cara dele por mim.Aliás, quem não tem?

Agora ele parece ser meu segurança.Na maioria das vezes me acompanha para qualquer lugar onde eu vá apenas para ter certeza de que eu estou e vou ficar bem.Mas ele sabe até que limite chegar para que eu não me sinta sufocada com suas atitudes,que sempre são tomadas com as mais boas intenções.

E quando eu sinto falta da companhia da Megan,eu mando mensagens e logo ela me responde,falando quando ele está em casa ou não.Isso me ajuda emocionalmente tanto quanto ela imagina.Não quero voltar a vê-lo tão cedo...

Mas admito que apesar de tudo,por meros minutos a  companhia de Dylan conseguia me fazer esquecer do corpo dele,suas gargalhadas mais sinceras do sorriso sarcástico dele,dos seus abraços mais carinhosos dos beijos depravados dele,de suas palavras amigáveis do silêncio reconfortante dele,do seu perfume do cheiro natural dele,que eu amava sentir de manhã logo quando eu acordava até a hora de dormir.

Tudo ao meu redor parece se tornar pouco insignificante,vazio e sem sentido quando eu me pego sentindo a falta dele...coisa que eu não deveria sentir em hipótese alguma.

Ahh,que raiva!

Sua rejeição e seu desprezo foram o suficiente para eu finalmente perceber o quanto nossos mundos são opostos e que se eu insiste um pouco mais nessa "relação" problemática que tivemos, certamente isso iria me destruir mais ainda.

Por algum motivo,esquecê-lo parece ser quase impossível,mesmo eu usando toda a minha força de vontade para isso.

Contudo,eu não vou desistir dos meus planos.Irei sim esquecê-lo e ainda lhe mostrarei que eu não sou apenas uma loirinha mimada.

[...]

Acordei com o clarão dos raios de sol tocando meu corpo e esquentando-o mais que a coberta que estava enroscada em minhas pernas.

Ah,porque fui esquecer de fechar a maldita janela ontem à noite?

Com muita persistência levantei da cama e fui ao banheiro fazer minhas higienes.Em seguida,arrumei a cama e troquei-me,colocando uma roupa simples. (1)

Estou dormindo no quarto onde Dylan colocava as tralhas dele.Mas claro,arrumamos este cômodo ,de modo que o mesmo ficasse bem aconchegante igual a um quarto de verdade.Não é tão grande quanto aquele que eu ficava naquela mansão,porém a achei ótima.Agora tenho um lugar onde posso ter um tempo sozinha apenas vagueando em meus pensamentos delirantes...e além de tudo,não sou obrigada a ficar escutando o Dylan roncar toda noite.

Depois de arrumar a cama que antes estava toda desarrumada,fui a cozinha á procura do meu melhor amigo e de algo para comer,pois acordei morrendo de fome.

Após alguns minutos,dei de ombros por não ter achado-o pelo apartamento e fui comer.

Hoje sem falta eu vou na lanchonete onde eu trabalhava para tentar explicar o meu sumiço a Jack,meu ex chefe agora.Sei que já perdi meu emprego,mas eu devo uma justificativa a ele que sempre me tratou tão bem e com muito carinho.Claro que não vou contar a verdade,mesmo querendo que ele se ferre,pois não quero fuder com todo mundo também.

Eu queria muito ter ido falar com Jack no começo da semana,mas depois de tudo que aconteceu mais ter que estudar o tempo todo na semana inteira -já que semana que vem minha faculdade vai dar início as provas do segundo bimestre- fiquei esgotada e meu tempo livre se tornou curto demais.

Assim que terminei de comer fui ao meu quarto para pegar minha bolsa para sair,mas assim que peguei meu celular e vi que as horas,me desanimei completamente.Já era 12:00hs,horário que Jack vai almoçar em sua casa e descansar. Ele só vai voltar para a lanchonete quando for provavelmente umas 19:00hs.Bom,vou ter que esperar se eu quiser falar com ele ainda hoje então...

Como eu não tinha mai nada para fazer,decidi ficar na sala colocando minhas séries favoritas em dia,apenas para que o tempo passasse,o tédio diminuísse e a vontade de pensar nele sumisse.

[...]

Não muito tempo depois Dylan apareceu com algumas sacolas na mão.

-Onde você foi?- perguntei.

-No supermercado.Sabe,agora que tem duas pessoas morando neste apartamento,é necessário comprar o dobro de comida.- sorriu brincalhão.

-Sei...Quem mais come aqui é você,então nem vem jogar a culpa toda para cima de mim!- revirei os olhos e sorri.

-Você vai ir na lanchonete hoje tentar falar com o Jack?

-Vou sim,só que mais tarde.Agora ele não está lá.- respondi.

-E o que você vai fazer no resto do dia?- perguntou se sentando ao meu lado.

-Acho que vou ficar por aqui mesmo...talvez estudar um pouco mais.- dei de ombros novamente.

-Quer companhia?- sorriu carinhosamente.

-Se for a sua,eu quero sempre.- disse abraçando-o,como um gesto de agradecimento por tudo o que ele já fez por mim -Você é muito especial para mim.

-Ash,nada disso que eu estou fazendo se compara ao que você faz por mim dia após dia.Você conseguiu me fazer acreditar que existe relação de amizade totalmente sincera,amorosa e protetora entre um homem e uma mulher.- o abracei mais forte ainda.

-Sei que pode parecer muito infantil pedir isso,mas...promete para mim que nós nunca vamos nos separar? Promete que nunca vai me deixar?- me distanciei um pouco,o encarei e sorri um pouco receosa.

Ele abriu aquele sorriso indescritível.

-Prometo.Nem se você mandasse eu iria te deixar...

[...]

A nossa tarde foi tranquila.Revezavámos o que iriamos fazer,hora estudando juntos,hora assistindo filmes e comendo besteiras.

Agora já se passava das 20:25hs e a lanchonete fecha as 21:00hs.

Quero falar com meu ex chefe quando ele estiver sozinho,pois não seria nada fácil para mim falar com ele na frente dos meus antigos colegas de trabalho.

Dylan insistiu em me levar até lá e me buscar depois,o que de maneira nenhuma ele me deixou optar por chamar um táxi.Portanto,acabei aceitando sua carona de ida de bom grado,mas falei que não era preciso que ele me buscasse.Ele acabou relutando,mas depois de alguns minutos aceitou minha decisão.

[...]

Entrei na lanchonete e logo pude ver que ela estava quase fechando,assim como eu queria.Havia apenas um casal pagando sua conta.Jack estava sozinho no caixa,e quando me viu,revirou os olhos e bufou,no segundo seguinte voltando sua atenção para o dinheiro que estava contando.

Assim que o casal saiu do estabelecimento,ele saiu detrás do balcão e veio até a mim.

-Resolveu dar o ar da graça agora?- perguntou ríspido.

-Eu vim aqui para me explicar...

-Se explicar?!- elevou o seu tom de voz -Depois de quase dois meses você resolve aparecer aqui para dar uma desculpa qualquer?!

Agradeci á mim mesma por ter vindo agora,pois não tem mais ninguém aqui para conseguir escutar a nossa discussão.

-Aconteceu muita coisa nesse meio tempo,por isso não vim antes.- falei.

-Eu não quero saber!- gritou -Eu nem sei mais porque te contratei...você não passa de uma garota imatura.

-Deixe-me explicar,me escute Jack...- implorei,me sentindo mal com toda essa situação.

Ele nunca falou comigo assim.

Ele nunca agiu comigo assim.

Jack chegou mais perto de mim,logo pegando no meu braço com certa força.

-Aconteceu o que? Conheceu um cara em uma boate qualquer e agora ele não te quer mais? Espera aí,ou brigou com a sua melhor amiga por um motivo tão bobo quanto você?- riu amargo e sarcástico.

Isso doeu,doeu muito.

-Você não faz idéia do quanto está me machucando. Por favor,me solta.- pedi,ainda com a pouca paciência que me sobrara.

Mas de nada adiantou.Tão logo ele passou a apertar mais forte o meu braço.

-É pra machucar.- ele me empurrou,me fazendo bater brutalmente com uma das mesas que estava a alguns poucos metros distante de mim.

Levei meu olhar de volta para ele,mas dessa vez demonstrando totalmente toda a decepção e nojo que eu estou sentindo dele agora.

-Você sempre foi muito gostosa,sabia?- perguntou chegando perto de mim e passando suas mãos pelas minhas coxas.

Ele não está mais em si.

Não estou reconhecendo-o.

Eu tentava sair de perto dele,mas insistentemente ele me barrava.

Agora não consigo sentir mais que nojo e desprezo dele.

Sem querer,lembranças reapareceram em minha mente,me fazendo revive-las.

Lembrei do momento em que o namorado da minha tia abusou de mim,começando esse ato igualmente como Jack está fazendo.

Não quero e não vou deixar qualquer um fazer isso comigo de novo.

Já chega de traumas em minha vida.

Assim,rapidamente virei um tapa forte no rosto dele,fazendo-o se afastar.

-Não toca mais em mim!- rosnei baixo, mas sei que ele pôde me ouvir.

-Você não devia ter feito isso.- sem que eu pudesse ter tempo de desviar ele logo revidou o tapa,fazendo meu rosto virar bruscamente para o lado.

A ardência era insuportável, mas só não era maior que a minha vontade de acabar com tudo isso logo e ir embora.

Eu já ia saindo dali quando ele finalmente olha nos meus olhos e diz,entre as nossas respirações entrecortadas,para que eu fosse embora.

-Eu não quero mais te ver aqui.- sussurrou e se sentou em uma das cadeiras que estavam perto de nós e abaixou a cabeça,ficando em silêncio.

Achei melhor não falar nada e ir apenas embora aqui logo,até porque eu já não estava mais conseguindo olhar para ele com todo aquele ccarinho e consideração que antes eu sentia por ele.

Passei direto por ele,saindo do estabelecimento e indo até um ponto de táxi que ficava bem próximo dali.

Aparentemente tinha acabado de cair uma tempestade,pois as ruas estavam alagadas.

E pensar que eu nem percebi isso antes,por causa do Jack...

Não demorou para que eu pegasse o caminho de volta até o apartamento de Dylan em um táxi.

Olhei em meu relógio e fiquei feliz por saber que ainda eram 21:20hs.

No meio do caminho liguei para Megan,pois independentemente de estar longe dela na maioria do tempo,eu sinto muito a falta da mesma.

-Ash?- ela atendeu no quinto toque.

-Ah,oi Meg.- suspirei aliviada por finalmente ela ter me atendido.

-O que houve?- perguntou rapidamente,deixando claro que notou minha voz arrastada de cansaço e decepção.

-Nada muito importante,depois eu te conto.- tentei disfarçar a situação.

-Tabom então...- falou,e no mesmo instante eu pude ouvir gritos e música alta sendo tocada no fundo da linha,o que fez ela bufar.

Franzi minhas sombrancelhas, achando um pouco estranho aquilo,mas logo decidi deixar isso de lado.

-Quero te ver.Quero ter nosso momento de melhores amigas de novo.Sabe,estou precisando muito disso.- desabafei.

Por alguns segundos a linha ficou muda,evidenciando que eu não receberia uma resposta dela.

Já ia desistir dessa idéia e mudar de assunto quando ela finalmente se pronunciou.

-Hum...eu adoraria Ash,sério.Mas nesta noite não vai dar.- falou calmamente,fazendo todo aquele barulho que eu tinha escutado antes se tornar ainda maior agora.

-Por que?- perguntei com um certo tom de raiva em minha voz.

Dessa vez ela não me respondeu mesmo.

-Onde você está?- não fiz questão de disfarçar a minha desconfiança -Eu quero que você me responda com sinceridade Megan.

-Merda!- exclamou baixinho.

Não falei nada,esperando que ela me respondesse logo.

Por fim,cedeu.Megan sabia que eu não iria desistir de saber isto tão fácil.

-Em um racha,junto com os garotos e Brooke.- respondeu receosa.

-O que?! Por que não me chamou pra ir junto com vocês?- sim,fiquei brava e com muito ciúmes -Pensei que eu era amiga de vocês todos também...

-Você é nossa amiga,mas só queríamos que não ficasse um clima chato entre nós aqui,entende?

-Não,não entendo.- disse -Que tipo de clima chato?

-Ashley!Entre você e ele né!Da última vez a briga entre vocês foi terrível.Sério,mesmo eu sendo a única que mora naquela mansão que sabe o que realmente aconteceu naquela noite,todos ficaram com medo e receosos em tocar no seu nome perto dele e te chamar para sair conosco.- respondeu, e eu sei que isso é a pura verdade.Eu também causei tudo isso,mesmo não tendo planejado o que aconteceu -Ele é imprevisível demais,Ash.

Ah sim,agora me lembrei.

Foi tão bom essa fração de minutos em que eu consegui me esquecer de tudo isso.

-Dessa vez não vai ser assim.Acredite,eu sou a pessoa que mais quer que tudo isso acabe logo e volte ao normal...menos a parte em que eu e ele ficamos "juntos".Aliás,ele nem precisa saber que eu vou.-_ falei manhosa.

-Pensa bem no que você vai fazer...pelo amor de Deus!- disse -Ele tão está legalzinho hoje,então não deixa ele bravo com a gente e,principalmente,com você.Por favor Ash,toma cuidado.

-Obrigada pelo conselho Meg,mas eu não me importo mais com ele.Agora passa o endereço ai.- falei,saindo sem querer um pouco rude.

-Ai ai...não vou conseguir te fazer mudar de idéia,né?- perguntou retoricamente,pois já sabia qual seria a minha resposta -Então tá.O racha que estamos é naquele que eu te trouxe meio que forçada e que você conheceu ele...você ainda se lembra onde fica?

-Claro.- suspirei,vendo que a situação já estava começando a ser um pouco mais difícil do que eu esperava -Como eu poderia esquecer...?- perguntei para mim mesma em um sussurro.

-O que você disse?- ela perguntou.

-Nada não.Daqui a pouco estou ai,então até mais!- encerrei a chama antes mesmo dela me responder.

Como segundos antes eu estava muito dispersa,nem havia me ligado que já havia chegado no apartamento de Dylan e que estava recostada no sofá.

-Ei,como foi lá com o Jack?- Dylan saiu de seu quarto e veio até a mim perguntando,o que me fez levar um pequeno susto.

-Como sabe que eu acabei de chegar?- perguntei tentando mudar de assunto,pois não queria mesmo falar sobre isso com ele agora.

Eu tenho mais coisas para fazer do que ficar chorando e lembrando dessa mágoa e decepção que Jack me causou.

-Ouvi você chegando.- sorriu.

-Ah sim.- sorri de volta -O que você vai fazer agora...?

-Nada.Provavelmente vou ficar aqui em casa mesmo.- disse simples.

-Ótimo!- pisquei divertida para ele -Então se arruma logo que a gente vai sair.

-Vamos pra onde?

-Você vai ver...

[...]

Nos arrumamos e em seguida fomos no carro dele em direção ao racha enquanto eu o guiava.(2)

Por fim,não demorou muito e rapidamente chegamos.

Ah...a última vez em que estive aqui foi na noite em que pela primeira vez provei o quão bom é o beijo dele.

Droga!

Essa idéia de ter vindo aqui está parecendo tão estúpida agora.

Claro que eu não iria conseguir ser totalmente de ferro hoje,e ainda mais neste lugar.Mas antes que eu pudesse me sentir tão arrependida quanto no momento em que eu cedi todo meu desejo á ele no dia em que nos vimos pela primeira vez,tão logo me recompus.

Minhas estruturas não vão ser mais abaladas por ele...não hoje.

[...]

Chegamos no racha não muito tempo depois.

Ficou bem evidente que Dylan ficou surpreso por eu ter escolhido virmos aqui,porém ele não contestou nada.

Puxei-o para mais perto de mim e fomos procurar a Meg.

Logo avistamos ela,que estava dançando juntamente com a Brooke na maior alegria perto das enormes caixas de som,onde se encontravam mais pessoas também.

Ok,isso me deixou com muito ciúmes.

Fomos para perto dela e quando eu iria chamá-la,Brooke a vira de frente para mim sorrindo.

-Eu não acredito que você veio mesmo!- sorriu,o mesmo sorriso extremamente animado que a ruiva deu para mim.

-Eu falei que eu vinha.- olhei um pouco séria para ela -E não esquece que não é pra falar pra ninguém que estou aqui.

-E o que você veio fazer aqui?- Brooke perguntou -Oh,não era pra soar rude,me desculpa!- olhei para ela,ainda sentindo o ciúmes forte tomar um pouco de mim -Ao contrário,estamos muito curiosas para descobrir o seu mistério de hoje.- ela falou animada,e em seguida Meg concordou puxando nós quatro para um canto mais afastado,onde havia poucas pessoas,mas nenhuma que conhecíamos.

Além de comprimentar as meninas,Dylan se mantinha calado ao meu lado.Isso não estava me assustando,por que eu sabia que ele não estava bravo comigo por estarmos aqui ou algo do tipo.Acho que ele só está tentando entender porque eu nos trouxe aqui,pois à toa ele sabe que não foi.

-Sei lá.Vim para dançar,beber um pouco,ver o movimento,talvez correr...- sorri de lado.

-Sério? Que legal!- Brooke logo se pronunciou -Fiquei sabendo que ainda tem um lugar vago para correr de moto com um cara ai,mas só porque estão dizendo que é impossível ganhar dele.

-Interessante...- sussurrei e sorri divertida -Gosto de novos desafios.

-Não inventa,Ashley.- Meg lançou para mim um olhar de reprovação.

-Deixa de drama Meg!- revirei os olhos -Você sabe que eu piloto muito bem uma moto...

-As vezes é impossível lidar com você.- murmurou em resposta.

-Concordo.- Dylan falou,me fazendo olhar séria pra ele -Estou brincando.Sabe que eu te amo,né?- sorriu e piscou pra mim.Empurrei-o levemente pelo ombro e sorri.

-Mas então...com quem eu falo pra me colocar nessa corrida?- perguntei para Brooke.

Ela apontou para um homem que estava a poucos metros da gente,cercado de mulheres,dinheiro,moto e carros.

Não falei nada,em seguida sai de perto deles e caminhei até esse homem,que quando viu que eu estava indo em sua direção, dispensou as putas que estavam com ele.

-Hey gatinha!- me olhou dos pés a cabeça.

-Oi...- ignorei seu olhar de malicia -É com você que eu tenho que falar para me colocar na corrida de moto?

-Sim.Seu namorado quer correr?- perguntou olhando em volta da gente,logo parando seu olhar em Dylan e apontando para ele.

-Não.- respondi sendo bem curta e grossa -Sou eu mesma que quer correr.

-Você?- arqueou a sombrancelha e soltou um riso,achando graça do que eu disse -Tem certeza?

-Absoluta.- o encarei,e ele rapidamente se recompôs, pois viu que eu falava bem sério com ele -O que eu tenho que fazer para você me inscrever na corrida?

-Nada.- disse sorrindo malicioso,ainda um pouco surpreso com minha atitude -Acho que ninguém mais iria querer ocupar essa vaga mesmo...então só toma cuidado,loirinha.

-Ok.- sorri de lado -Ah,você tem uma moto para me emprestar?

Novamente,arqueou uma sombrancelha e me encarou,me fazendo abrir um sorriso sem graça.

-Pela sua coragem...- ele apontou para uma Harley Davidson -É sua se você conseguir ganhar.- disse jogando a chave daquela maravilhosa moto para mim.

Como resposta,abri um grande sorriso.Subi na moto e liguei-a, coloquei o capacete e fui em direção à partida.


P.O.V's Justin Bieber.

Agora eu já estava na linha de partida,me preparando para correr.

Precisava me distrair de tudo,e nada melhor do que correr com a minha melhor moto,sentir  a adrenalina se apossar de mim e o gosto da vitória quando eu ganhar.

E minutos depois meu oponente se posiciona ao meu lado.

Espera...o que?

É uma mulher,uma oponente.É mesmo uma mulher que quer ganhar de mim?

HaHaHa.

Vai ser ainda mais fácil do que eu tinha imaginado!

A loira estava de capacete,o que tampava totalmente seu rosto.Apenas suas mechas loiras caídas pelo ombros eram visíveis. Aliás,ela é bem gostosa.

-Preparada?- perguntei com deboche.

Como resposta ela acelerou a moto duas vezes,fazendo-a ranger.

Não muito tempo depois uma morena com belas pernas veio até onde estavámos e ficou entre nós para dar a largada.

A loira parecia confiante,mas eu também estava.

Quando a puta liberou a partida,ambos aceleramos fundo.

Eu estava a uns poucos metros de distância na frente dela,quando em questão de segundos ela empinou a moto e em seguida acelerou ao máximo, ficando lado a lado comigo.

Ah,ela ainda acha que vai conseguir me vencer...que iludida!

Acelerei mais e pude ver que faltava poucos metros para finalizar essa disputa, mas no mesmo momento escutei uma sirene atrás de mim.

Rapidamente eu e a loira brecamos a moto e paramos para ver o que estava acontecendo.

Descemos da moto ao ver que a multidão estava apavorada correndo de um lado para o outro,e quando vi que ela estava indo em direção daquela confusão toda,puxei seu braço com força.

-Você está louca?!- berrei por cima dos gritos e dos roncos do motores -A gente precisa sair daqui.- sai puxando ela,que ainda estava de capacete e receosa,deixando as motos para trás e correndo á procura do meu carro,mas como eu não consegui achá-lo,esmurrei a primeira janela que eu vi pela frente,que era de um carro qualquer que estava mais próximo da gente e abri a porta dele.

-Entra no carro.- falei autoritário e ela rapidamente assentiu,ainda com esse maldito capacete na cabeça,que já começou a me irritar.

Após termos entrado nele,resolvi cortar o clima tenso e o silêncio que pairava entre nós.

-Você pilotou bem aquela Harley Davidson.- admiti e sorri de lado -Qual é o seu nome?- perguntei me abaixando para fazer ligação direta no carro,enquanto eu ouvia ela finalmente tirar o capacete.

Quando consegui ligar o carro,subi e voltei ao meu lugar,me virando para o lado e esperando obter uma resposta dela.

Ela era a última pessoa que eu esperava ver aqui...

-Olá Justin.- Ashley abriu um sorriso sarcástico.


Playback is a bad bitch.

A vingança é uma vadia má.


And baby,I'm the baddest.

E meu bem,eu sou a mais má de todas.


Now I'm out here looking like revenge.

Agora estou aqui com cara de vingança.


Feeling' like a 10,the best I never been.

Me sentindo incrível,o melhor que já estive.


And yeah,I know how bas it must hurt to see me like this.

E sim,eu sei o quanto deve doer me ver assim.


But it gets worse (wait a minute).

Mas vai piorar (espere um minuto).


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...