História Coming...Back to life... - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Lesbian, Lesbicas, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 266
Palavras 835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 37 - Capítulo 37


Fanfic / Fanfiction Coming...Back to life... - Capítulo 37 - Capítulo 37

   Alguns dias depois de toda aquela tensão meu pai David realmente cumpriu as promessas que ele me fez, ele passou a trabalhar menos e passou a ficar mais tempo com a família o que deixou a todos felizes, mas Killian estava tenso pois segundo ele havia alguma coisa errado com os balancetes da contabilidade da empresa e que assim que ele tivesse alguma coisa concreta ele diria, mas Regina não estava nem ai pra empresa já que ela sabia que estava em boas mãos.

Zelena estava totalmente confusa  já que Ruby e eu voltamos para a escola totalmente alegres, desinibidas como se nada tivesse acontecido, como se nada do que ela disse tivesse nos atingido por mais que ainda estivéssemos um pouco abaladas, Ruby então nem se fala, de vez em quanto eu a pegava com um olhar perdido ou a ouvia chorando de madrugada e sempre que isso acontecia eu ia pro quarto dela e ficava lá até que ela pegasse no sono e aos poucos com a nossa ajuda ela estava se reconstruindo.

Ruby, Dorothy e eu estávamos saindo do vestiário depois de um treino pesadíssimo, treinar as novatas para saber quem seria a melhor escolha pra ocupar a posição de Zelena era uma tarefa difícil e chata já que nenhuma delas conseguia fazer a pirueta tripla  que a vadia da Zelena faz e sinceramente estava quase considerando a ideia de chama-la de volta pra equipe, assim que chegamos no corredor principal, Regina veio ao meu encontro e beijou levemente em meus lábios e fomos para a casa, Ruby e Dorothy foram pro quarto já se pegando no caminho, o que me fez ficar com um pouquinho de inveja, mas tentei não transparecer. Já estávamos subindo as escadas quando ouvimos alguém entrando.

- Regina – ouvi a voz do meu pai Killian chamando-a com um tom preocupado, olhamos para ele que se aproximou rapidamente, me deu um beijo na testa e então olhou serio pra minha namorada e disse – Podemos conversar por um minuto? É sobre a empresa.

- Claro, aconteceu alguma coisa? – perguntou ela preocupada, ele me olhou de forma intensa e eu comecei a me retirar, mas ela segurou meu braço – fica, por favor.

Apenas assenti e fomos para a sala, assim que nos sentamos sofá meu pai abriu a pasta que ele carregava, entregou um documento a ela e disse.

- Esse foi o último mês de Cora na presidência – falou ele calmamente, Regina olhou para o documento sem entender ele  continuou – tem um desfalque de 5 milhões.

- O QUE – disse espantada – Pai isso é muito dinheiro.

- Pra Regina isso é só dinheiro de um lanche – disse ele rindo do meu espanto, mas pude ver que Regina também estava espantada e ele continuou -  Mas a questão é que o dinheiro não foi descontado ainda, só foi transferido e ele por enquanto não pode ser descontado, existe um período de tempo...

- 1 mês não é? – perguntou ela com raiva, meu pai assentiu e ela começou a rir sem humor e disse me encarando – Cora estava me implorando para que eu esperasse por um mês para que ela pudesse usar o dinheiro que ela roubou da minha impressa.

- O que você vai fazer agora? – perguntei pegando em sua mão. 

- Na verdade não tem o que fazer – disse meu pai, nos o encaramos e ele continuou – quando se tem um rombo nas finanças desse jeito, automaticamente temos que comunicar a receita federal.

- O que isso quer dizer? – perguntou Regina.

- Quer dizer que se isso for provado e a Cora for culpada – ele respirou fundo e então disse calmamente – Se ela for culpada, ela será presa.

Pensei que Regina ficaria pelo menos um pouco abalada, mas ela simplesmente deu de ombros e disse pro meu pai fazer o que tinha que fazer, fomos tomar banho e quando eu voltei pro meu quarto ela estava sentada na cama, me sentei ao seu lado, peguei sua mão e perguntei.

- Como você está amor? – perguntei seriamente

- Estou ótima – disse ela calmamente, ela respirou fundo e continuou – fico feliz que você tenha me convencido a não me vingar dela, mas não posso dizer que estou triste por ela  ir presa.

- Se ela for presa – corrigi – meu pai disse “Se” for provado.

- Emma você não pode ser ingênua e achar que Cora não tem nada haver com isso – disse ela seriamente, eu dei de ombros e ela continuou – Cora é um monstro então nada do que ela fez ou faz me espanta, agora tudo o que temos que fazer é esperar para que a perícia seja concluída e ela pagará por seu crime.

Por mais que eu soubesse que Cora era uma cobra, não queria que Regina passasse por mais uma decepção, mas não tive como dizer nada positivo para dizer, e comecei a pensar, se tudo isso realmente for provado a vida de Cora vai piorar muito e eu não estava nem um pouquinho triste com isso. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...