História Como Cuidar de Um Híbrido - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!jeongguk, Bottom!jungkook, Bts, Hybrid!jeongguk, Hybrid!jungkook, Minjoon, Namjin, Taegguk, Taekook, Top!taehyung, Vgguk, Vkook, Vminbrotp, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 450
Palavras 3.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


iai bebes tudo bommm
perdoem os errinhos, por favor!
<3

Capítulo 7 - Capítulo 7


 Jimin limpou a garganta e Taehyung comprimiu os lábios olhando ao redor, como se estivesse tentando encontrar algo mais interessante do que o programa que passava na televisão. Ambos os amigos sentados no sofá, separados por um — dois — Min.


— Entãaaao… — Taehyung esticou os braços, encostando as mãos nos joelhos. — Vocês são irmãos, hm?


Por um momento o loiro pensou que seria ignorado porém Jeongguk, sem sair daquele abraço que trocava com o irmão mais velho, respondeu-o:


— Sim, hyung. — podia “escutar” o sorriso de Jeongguk. — O Yoongi hyung e eu fomos levados para um h-shop quando eu era só um bebê. — o Jeon se virou para o Kim sentado ao seu lado e deu um sorriso triste — Nossos pais não pertenciam a ninguém porém não tinham condições de nos sustentar.


— Nós ficamos juntos até que Jeongguk foi adotado, aos seis anos. — Yoongi explicou. — No começo eu visitava ele… Mas quando eu fui adotado, meus donos não me deixaram vê-lo, sequer me lembrava de onde Jeongguk havia ido morar.


— É… Destino. — Jimin sussurrou e logo depois encarou Yoongi. — Vocês terem se encontrado.


— Sim. — o Min mais velho apoiou a cabeça no ombro do irmão. — Eu estou tão feliz, Jeonggukie. Você cresceu e agora tem… Um dono? — olhou de relance para Taehyung. — Eu me lembrava de que tinha sido adotado por um casal.


— Ah, não. — Taehyung e Jeongguk disseram ao mesmo tempo e se entreolharam logo depois.


— Eu… Não sou dono do Gukie. — Tae disse.


— Minha mamãe morreu, hyung. — Jeongguk disse tristonho. — E o marido dela me abandonou depois disso.


— Isso é sério? — Yoongi abandonou a feição fofa, sentindo o rosto queimar de ódio.


— Sim. — Jeongguk suspirou. — Ele foi embora e eu fiquei em casa durante algum tempo. Só que… Não tinha dinheiro e, aish — corou abaixando a cabeça. —, eu roubei comida do TaeTae. Me desculpa, hyung.


— Já passou, coelhinho. — o mais velho sorriu reconfortante e pôs uma das mãos na nuca de Jeongguk. — Nós o cadastramos em um h-shop.


— Sim mas não precisamos mais disso, não é, Yoongi hyung? Eu posso ficar com você! — o Jeon fez um biquinho. — Você tem donos?


Yoongi virou a cabeça.


— É complicado… — riu sem graça.


— O que…? — Jeongguk tinha os olhinhos arregalados. Como assim “era complicado”? Queria continuar uma vida sem pertencer a ninguém. Achava que poderia fazer isso ao lado de seu irmão e não pode deixar que a surpresa não lhe abatesse, seguida pela confusão que sentira ao escutar o tilintar da campainha.


— Deve ser a Jisoo. — Taehyung deu corridinhas até a porta, abrindo-a e se jogando sobre o corpo feminino que entrara.


— Você é pesado, seu besta! — a garota deu tapinhas nas costas de Taehyung, o qual lhe abraçava apertado.


— Você diz que gosta da minha barriguinha. — Taehyung fez uma carinha fofa.


Jisoo revirou os olhos e passou pelo amigo.


— Tae, seu aegyo não cola comigo. Eu só quero ver o… Jeonggukie! — franziu o cenho. — E Yoongi?


— Todo o mundo conhece meu namorado antes mesmo de eu ter conhecido ele. — Jimin pôs a mão sobre a testa.


Ninguém pareceu perceber quando Yoongi negou com a cabeça loucamente, balançando a mão na frente do pescoço, implorando silenciosamente para que Jisoo não comentasse sobre coisas que deveriam continuar em segredo.


— A-Ah… É, Jimin… — a de cabelos negros riu nervosa. — Eu sempre vejo o Yoongi lá na loja… — essa parte ao menos não era mentira.


— Sim! — o híbrido concordou de maneira fofa, acabando por distrair Jimin com suas orelhinhas balançando.


— Aish, você é tão lindinho, Yoon. — se afastou um pouco para poder ver os irmãos sentados no sofá. — E o Guk atrás, own! Vocês são os irmãos mais fofos!


— Mas… — Jeongguk foi totalmente ignorado.


O híbrido mais novo queria saber do porque seu irmão ter feito tal gesto para Jisoo, parecendo esconder algo e, achando que ninguém havia visto.


— Irmãos? — Jisoo disse surpresa.


— Irmãos. — Taehyung disse depois de fechar a porta. Pôs as mãos nos ombros da amiga e ambos caminharam até o sofá, sentando-se ali.


♡ ]


— Que doidera… — Jisoo comentou depois de escutar a breve história de Jeongguk e Yoongi.


Depois de passar algum tempo no sofá, todos acharam melhor que sentassem à mesa para conversar enquanto faziam bom uso da comida; Jeongguk estava encolhido na cadeira, triste por ter sido desconversado pelo irmão.


Taehyung estava sentado ao seu lado e não demorou para que o mesmo iniciasse uma conversa animada com Jimin e Yoongi. O Jeon se sentiu alheio a tudo aquilo e com o olhar captou o bolo de chocolate sobre a mesa, não demorando para cortar um pedaço generoso e abocanha-lo. Encostou-se na cadeira e fez uma careta ao sentir a calça jeans que era obrigado a usar quando saíam ou quando Taehyung tinha visitas, apertando seu tão precioso e apelidado “pom-pom”.


— E como vocês se conheceram? — Jisoo sorriu para o casal, apoiando o queixo sobre as mãos.


— Ele vai contar a história de novo. — Taehyung sussurrou para Jeongguk em um pânico controlado.


O Jeon permitiu-se rir por um momento, Taehyung fez o mesmo e afagou o cabelo do menor fazendo-o — quase — revirar os olhos ao sentir o carinho.


— Depois de uma exposição que eu fui com o Tae, há um tempo atrás, eu comecei a me interessar por híbridos e tudo o mais. — Jimin disse. — Comecei a fazer um curso em um h-shop e quando o Jeongguk surgiu eu soube que valeria a pena então, continuei.


— Eu faço algumas doações para o h-shop que o Jiminnie frequenta e nós acabamos nos conhecendo. — Yoongi completou. — E, hm, em um dia eu fui visitar o Hoseok no estúdio e acabei descobrindo que ele trabalha lá.


— Hyung. — Jeongguk chamou o Kim baixinho. — Você viu como o Suga hyung completa a história com as mesmas palavras do Jimin hyung usou quando contou pra’ nós? — riu.


— É como se fosse uma música. — Taehyung bufou. — E eu já estou cansado de escutar.


Jeongguk assentiu.


— Eu queria ter passado lá em casa hoje mais cedo. — segurou o braço do loiro, puxando-o. — Me leva enquanto o hyung conta a “história de amor” dele?


Taehyung arregalou os olhos.


— Você foi sarcástico?


— C-claro que não. — Jeongguk corou. O tom poderia ter saído um pouco mais agressivo porém havia sido impensado.


— Foi sim. - o mais velho riu. — Tudo bem, vamos lá enquanto os outros não chegam.


♡ ]


— Eu odeio ter que ver esse lugar vazio. — Jeongguk sentou-se em um canto do que um dia fora seu quarto.


Lembrava-se tão bem de sua cama coberta de pelúcias diferentes, seu tapete branco e fofinho, a estante lotada de livros e bonecos. Sentia saudades até mesmo da mesinha que usou para fazer os deveres de casa até os doze anos — idade suficiente para que se sentisse ameaçado ao sair na rua —. Agora estava tudo tão sem graça.


Suas roupas, sapatos. Até mesmo seu celular fora levado. Se sentia tão materialista porém não era justo que não tivesse ao menos uma foto de sua mãe.


— Está frio no começo de tarde. — Taehyung abraçou o próprio corpo e sentou-se ao lado do mais novo. — Como conseguiu passar aquelas noites aqui?


O Jeon abaixou a cabeça, negando. Passou noites tremendo em cima de um lençol “esquecido” na casa.


— Nem eu sei. — olhou para Taehyung, levantando as orelhinhas até então abaixadas. — Muito obrigado, hyung. — passou os braços pelo pescoço do loiro e o abraçou forte, aproveitando para se esquentar um pouco. — Eu também não sei o que faria se você não tivesse me sequestrado e me levado pra’ sua casa naquele dia.


— Bobo. — abraçou o menor de volta. — Ei…  Você acha que o Yoongi vai querer te levar embora?


— Porque disse isso…? — Jeongguk afastou-se do maior o suficiente para que pudesse o encarar.


— Tem algo de errado?


— Eu acho que ele não pode. — suspirou. — Quer dizer, ele não parecia querer me levar pra’ morar com ele. — tirou os braços dos ombros de Taehyung e apenas apoiou a cabeça no ombro dele. — Será que ele tem um dono ou só não quer, sei lá, “me conhecer de novo”?


— Você deveria falar com ele. — Taehyung comentou. — De qualquer forma, eu vou estar aqui para você.


— Até um rico solitário gostar do meu corpo e quiser me levar embora. — murmurou. Não era burro e sabia o destino da maior parte dos híbridos.


— Ei, não fala assim. — se assustou com o pensamento de Jeongguk. O Kim mexeu o próprio ombro, cutucando a cabeça do menor. — Eu nunca deixaria que alguém com más intenções levasse você.


— E se tiverem boas intenções vai deixar.


— O que eu poderia fazer?


— Hyung, você sabe quantos híbridos com a minha idade são adotados? Por uma família, ainda por cima? Tae, eu… Argh. — esfregou o próprio rosto com as mãos. — Quero bater em alguém.


— Porque você está... desse jeito? — Taehyung perguntou preocupado.


Muitas perguntas para um híbrido abandonado.


Ok, Taehyung sabia que Jeongguk não possuía obrigação alguma de ser sempre tão fofo e adorável. Mesmo que o Kim não tivesse conhecimento da parte extressada do Jeon, o compreendia totalmente. No entanto, não era normal que o híbrido em um momento estivesse tão feliz comendo bolo e o cumprimentando com um abraço, no outro tão irritado e cansado.


— Pode... ser um cio. — comentou envergonhado. — Ou só falta de carinho. — Deitou no colo do hyung. — Você tem que rezar pra’ ser um cio.


O loiro torceu o nariz e murmurou.


— Porque diabos eu faria isso...


— Porque eu não vou te dar descanso se eu quiser carinho. — exibiu os dentinhos salientes ao mesmo tempo em que uma lágrima brotou de um de seus olhos. Estava sentindo tantas coisas, ultimamente.


O de cabelos negros percebeu a umidade e encolheu as orelhas, limpando a lágrima rapidamente.


— Não precisa ficar preocupado. — riu fraco e com delicadeza segurou uma das mãos de Taehyung.


A encaixou com a sua própria e entrelaçou os dedos, fazendo um biquinho ao perceber a diferença de tamanho; os de Tae eram incrivelmente longos.


— Você me assusta. — o Kim suspirou tornando a afagar o espaço entre as orelhinhas de Jeongguk assim como fizera em casa.


— Não faz ideia do quanto isso é bom, hyung. — o Jeon fechou os olhos e entreabriu os lábios em um sorrisinho.


— Parece um pouco mais relaxado. — brincou.


♡ ]


— P-porque sempre me observam enquanto eu durmo? — Jeongguk recuou ao ver tantos olhares direcionados a si.


Suas pernas estavam sobre o colo de Taehyung — o qual brincava com os pezinhos descalços do garoto —, parecia meio desinteressado porém Jeongguk remexeu ao sentir algumas cosseguinhas e um sorriso despontou no rosto do Kim.


Jimin e Yoongi também estavam sentados ali no sofá porém o que incomodava o Jeon eram os quatro seres sentados no chão que o observavam como se fosse o último episódio de uma série realmente muito boa. Talvez ansiosos para que Jeongguk fizesse algo fofo.


Se lembrava de ter deitado sobre o colo de Taehyung e de ter recebido um carinho que acalmou-lhe os nervos lá no chão de seu antigo quarto. Adormecera?


Talvez Taehyung o tivesse carregado até em casa.


— Suas orelhas são uma gracinha! — Hoseok estendeu a mão e tocou os fios pretos de Jeongguk com as pontas dos dedos.


— Quase tão bonito quanto eu. — Seokjin comentou bem humorado. — Mas é fofo.


— Hm? — o Jeon pendeu a cabeça para o lado.


— Sinto como se estivéssemos observando um coelhinho na vitrine de um pet-shop. — Namjoon riu e se levantou.


— Verdade. — Jisoo fez o mesmo.


— Mas é tão bom vê-los dormindo. — Jimin piscou refletindo sobre como aquilo era realmente bom. — É como uma terapia!


— Eu queria ter um híbridozinho. — Jisoo suspirou. — Deve ser como ter um bebê. Só que mil vezes mais fofo. Você tem sorte de ter o Gukie aqui, oppa.


— É…


Taehyung estava um pouco tristonho. Depois da breve conversa com Jeongguk pode perceber que ele não estava nada contente com toda aquela história de cadastro, h-shop ou adoção.


O híbrido mais novo balançou a cabeça. Seu rosto estava inchado e se sentia perdido. O garoto à sua frente era Hoseok?


— Hobi…? — a voz estava meio fraca e rouca sem, de algum modo, perder a maciez.


O moreno envolveu o garoto fofinho em um abraço.


— Acho que meu novo hobby é te abraçar.


— Me sinto como o Jimin agora, sem a parte de namoro e tudo o mais. — Taehyung pigarreou com as mãos ainda brincando com os dedinhos de Jeongguk. — Vocês já se conhecem ou o que…?


— Hyung bobo. — Jeongguk tirou os pés do colo de Taehyung e se sentou ainda ao lado do loiro. — Quando o Jimin hyung cuidou de mim trocava mensagens com o Hobi hyung. Ele é o meu primeiro amigo virtual.


Tae concordou.


— Ah. — cutucou o Jeon com o ombro. — Eu ainda vou te levar lá no estúdio, quero te ver dançando.


— Eu disse a mesma coisa. — Hoseok aproveitou o espaço que o Jeon cedeu no sofá e se sentou ao lado do moreno. — Ele estava com vergonha até pra’ dançar através de vídeo, quando nós conversamos, Tae.


— Eu vi ele dançando algumas músicas de girl groups. — Taehyung disse, quase se gabando.


— Então tem que me ver dançando alguma música do BigBang, hyung. É meu grupo preferido! — Jeongguk pareceu um pouco mais animado.


Nem mesmo se assemelhava àquele garoto que, por um momento teve vontade de estapear quem visse pela frente.


Um pigarreio e se voltaram para Seokjin.


— Oi, Gukie, eu sou Seokjin. — o mais velho deu um breve aceno. — Eu estava muito ansioso pra’ te ver, todo mundo falou que você é um amorzinho.


— Hm, é melhor tomar cuidado hoje. Ele ta’ com vontade de matar alguém. — Tae murmurou.


— Cala a boca Taehyung. — o Kim mais velho deu um tapa na coxa do saeng.


— É, hyung. — Jeongguk pôs uma das mãos sobre o peito fingindo estar afetado. — Eu sou um amorzinho! — arqueou uma das sobrancelhas.


Taehyung estava incrédulo, perguntando a si mesmo se Jeongguk estava apenas brincando ou aquela acidez e fingimento eram propositais.


— É mesmo! O Yoongi parece que já perdeu a graça, até. — Jin comentou desinteressado.


— Ei! — Yoongi corou e movimentou as orelhinhas. — Hyung, porque você é assim?


— Calma, amor. — Jimin deu um selo no canto da boca do namorado e o abraçou.


Havia descoberto que, adivinhe, Seokjin também já conhecia Yoongi!


— Aish, vocês já deviam estar acostumados com ele. — Namjoon revirou os olhos.


— Namjoon, hyung! — Jeongguk sorriu ao ver o maior. — O Tae hyung não tinha dito que tinha um chefe bonitão.


Uma série de “uuuh's" preencheu o ambiente assim como a risada de Hoseok.


— Jeon…? — Taehyung se desconcertou. Tinha toda a certeza do mundo de que Jeongguk era tímido demais para dizer algo do tipo.


Namjoon riu discretamente e por estar relativamente perto do Jeon esticou o braço e acariciou os cabelos do garoto.


— Hm, v-vamos almoçar pessoal? — Jimin levantou em um salto. Puxou Yoongi e o empurrou junto com todos para a cozinha.


A comida já estava pronta, enquanto Jeongguk dormia, Jimin juntou-se a Seojin e fizeram um almoço delicioso.


— Você, leva o Jeongguk lá pro quarto. — Jimin cochichou enquanto passava por Taehyung.


— Que? — não entendeu o que Jimin quis dizer.


— Leva o Jeongguk lá pro quarto, eu já subo.


O Park continuou a guiar delicadamente (empurrar) seu namorado.


♡ ]


— Você ficou chateado quando o Yoongi não quis falar sobre você ir morar com ele?


— S-sim… Mas hyung… Eu tenho certeza que só preciso de descanso e de um pouquinho de carinho. — Jeongguk apertou os lençóis da cama de Taehyung, nervoso por toda aquela situação.


— Isso é alguma coisa de híbrido, hm? — Taehyung fora ignorado.


Estava deitado sobre a própria cama e observava o debate de Jeongguk e Jimin sobre algo que presumia ser da natureza híbrida. Ou seja, não estava entendendo nada.


— Eu tenho a certeza de que você não sabe diferenciar suas atitudes, Guk. Sua mãe que lhe dizia quando estava mais agressivo ou diferente do que é normalmente. — o loiro tentava convencer Jeongguk de algo. — Só precisou de um pequeno incentivo. Ficou chateado com o Yoongi e uma onda maior de emoção ajudou.


Jeongguk abaixou a cabeça e deixou que algumas pequenas lágrimas rolassem.


— É a primeira vez que isso acontece sem a sua mãe estar por perto, não é?


Taehyung ficou alerta porém achou melhor não interferir; Jimin pôs uma das mãos no ombro do híbrido e pode ver as orelhinhas do Jeon se abaixando ainda mais, mostrando o quanto o garoto estava subitamente abatido.


— É sim. — limpou algumas lágrimas. — Depois que tudo acabava ela estava sempre lá, hyung.


— E nós vamos estar para você aqui nesse momento. — sorriu um pouquinho. — Vai dar tudo certo, Guk.


Jeongguk passou quase três minutos em silêncio. Estava se acalmando, refletindo e se preparando para aquele período que causava tanta dor em si. No fim, assentiu concordando. Não tinha ninguém, Taehyung e Jimin fizeram tanto por si ultimamente… Se sentia um pouco melhor por saber que teria um conforto depois de tudo.


— Obrigado. — sorriu fraco, encarando Jimin e Taehyung logo depois.


— Mas, esperem. — Taehyung balançou as mãos. — Eu não entendi.


Jimin revirou os olhos.


— O Jeongguk está no cio. — bufou. — Você realmente não sabe nada sobre híbridos.











Notas Finais


aaaa gente muito obrigada pelos favs e comentários, enos <3

e mil desculpas pela demora toda, sério! era até pra ter att na semana passada mas... enfim, felizmente daqui há alguns dias saio do hiatus ou semi-hiatus que tô *choro de felicidade*

aaaa e esse jk sem fluffy socorro!

pODem eSpeRAr alGo dE hoPeKoOK

e o yOONGI MDS se jjk quisesse ir morar comigo eu o amarrava em um paninho, fazia uma trouxinha e levava no colo pra casa, sem pensar duas vezes! sem falar nesse garoto que todo mundo já conhece aaaaaaa


GALERO, beijinhos pra vocês viu <3

ah e vou deixar link de duas ficzinhas (taekook) minhas aqui, ok? porque não sou de ferro e vou panfletar, com licença.

Hidden:
https://spiritfanfics.com/historia/hidden-9052814
https://spiritfanfics.com/historia/hidden-9052814

Papi:
https://spiritfanfics.com/historia/papi-9224598
https://spiritfanfics.com/historia/papi-9224598

Beijoos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...