História Como CyG - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Tags Comedia, Novela, Romance
Exibições 146
Palavras 4.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 36 - Na bad


Me lembro perfeitamente de uma fase adolescente que tive.
Quando era apaixonada pelo garoto mais lindo da turma, e mesmo ele não me dando bola, ou melhor, nunca sabido da minha existência eu era loucamente apaixonada....
Até que um dia ele me chamou pra sair e eu obviamente aceitei...  Em seguida saímos mais vezes e foi tudo maravilhoso....
Nunca havíamos ficado nessas saídas... Eu sempre fui muito resguardada... Afinal, nem nunca tinha beijado ninguém aos 16.. 
Até que um dia, ele me beijou... Em uma sala de cinema.... E depois outra e outra vez.  Foi totalmente especial para mim...
Vivia no mundo da lua, meu caderno todo pichado com nossos nomes...   Porém uma regra ele me deu, disse que na escola, na sala principalmente, deveríamos fingir que não nos conhecíamos,... Nesse tempo não foi tão óbvio, como é hoje quando penso nisso. Eu era feia, não tem porquê espalhar pra sala toda que me conhecia. Ou melhor, que saia comigo..

O nosso "lance" nunca ficou bem claro pra mim, mas na época, já o considerava como meu namorado, afinal ele fazia tudo o que um namorado faz, então eu achei que mesmo sem ter feito o pedido, era assim que as coisas funcionavam.

Até um certo dia, quando peguei meu lanche no refeitório, e andei com a minha bandeja até minha mesa, o vi de longe vindo em minha direção.
Eu sorri, e ele sorriu de volta, porém quando me levantei ele passou por mim, assim que virei, vi ele abraçando outra garota de uma outra sala, e seguido do abraço, um beijo que chamou a atenção de todos que estavam lá...
Fiquei estarrecida...

Quando me aproximei dele e o toquei no ombro chamando a atenção do grupinho pra mim... Perguntei o que tinha sido aquilo.... Ele ficou meio confuso, e não respondeu...  Então comecei a fazer um drama, exigindo respostas... O que levou ele a emudecer por alguns segundos e em seguida a rir...  Todos em volta riram também...  Daí ele falou coisas que meu cérebro bloqueou até hoje....  Me deixando arrasada.

Quando cheguei em casa, passei várias semanas na deprê... Já não tinha amigos, e piorou tudo, até as zoações ficaram piores por conta disso...

O que levou a me fazer querer parar de ir pra escola... Inventar desculpas esfarrapadas aos meus pais... Comer e comer... Ficar de pijama o dia todo...E ouvir músicas melancólicas...

Foi um período negro da minha vida.... Mas sabe o que me fez lembrar disso? .. bom o fato de eu estar do mesmo jeito que essa adolescente de 16 anos estava...

Era sábado. A noite. E eu havia acabado de tomar banho e pôr um pijama.... Sem vontade desci as escadas e fui até a cozinha...

- dona Lety, precisa de alguma coisa?

- Preciso... De muitas coisas... - olhei para Caroline antes de abrir a geladeira. -   Mas nem uma você pode me dar..

Tirei um pote de sorvete de creme com chocolate, e em seguida abri a gaveta pegando uma colher...

- Mas...  A senhora precisa jantar...  Não comeu nada...

Apontei para meu pequeno pote...

- Sorvete é para sobremesas, não para a janta....

Dei de ombros...

- Caline, não me chame mais de senhora por favor.... Só Lety.

Passei por ela voltando para meu quarto.

***
Narr.

Caline estava confusa sobre o que faria com a comida feita....
Desde que Fernando havia viajado, Lety nunca mais jantou, em casa pelo menos...

Até dispensou a cozinheira chefe, deixando o trabalho da moça só em cozinhar coisas básicas, os serviços domésticos eram de outros empregados que iam lá quatro vezes na semana..

Mas Caroline nem estava mais cozinhando, pois a chefe já nem comia... No máximo tomava um café pela manhã....

Reflexiva, preocupada com a patroa e temendo por seu emprego... Ela decidia o que faria....
Até seus pensamentos serem interrompidos pela campainha da porta...

Se apressou em ir atender....

Assim que abriu levou um susto... Com os olhos esbugalhados ficou muda por segundos...

- Eu sei que sou bonito querida, mas eu tenho pressa em entrar!

- .... S-se-seu.... Fernando????

- Tá louca? Claro que não moça! - Entrou passando por ela....

- Quem é você?? Eu... Não sabia que o seu... Fernando tinha um irmão... Gêmeo...

- Se esse Fernando no qual você está tagarelando aí é o marido da Letícia, Não... Não sou nada dele...  Graças a Deus... E não queira me comparar em...

- Meu Deus... Até a voz.....

- E quem é você? - perguntou indgnado.

- Sou Caroline, a assistente de cozinha da Lety, mas ajudo em tudo um pouco...

-  Rum....Se você trabalha aqui deveria ter mais modos...

Caline deu por si e logo resolveu intervir..

- É... Quero dizer, por favor senhor... Me diga o seu nome e o que quer....

- Meu nome é...  Rogelio de la Vega - falou pomposo.  - E quero falar com Letícia Padilla....

- A...a, a dona Lety disse que... Que não está disposta a receber ninguém... Ela quer descansar.... Trabalhou a semana toda e...

- Quando ela disse isso?- pôs as mãos na cintura.

- Hoje... De manhã...

- Então vai lá em cima e diga que sou eu...  Se ela quiser, ela vem, se não, eu vou embora...

- Eu não quero incomoda-la... volte amanhã... Vai ser melhor...

O homem revirou os olhos....

- Está bem! Volto outra hora... - ele já estava caminhando até a porta, mas parou antes. - Pelo menos pode me servir de um copo com água ou terei que dizer à sua chefe que a mocinha aí não é nada receptiva?

- Perdão... Vou pegar... - virou-se.

- Espera! Não vai perguntar que tipo de água eu bebo?

-  é... Que tipo de ag...

- Com gás... Por favor...

Assim que Rogélio viu que ela havia saído de vez, ele em passos rápidos subiu as escadas... E se deparou com um imenso corredor...

- O quarto principal só pode ser o último...

Ao chegar ao final, viu duas portas.. uma de cada lado... Abriu o da sua esquerda e viu um quarto vazio, mas com alguns móveis...  
E antes de abrir o da direita, colocou o ouvido na porta, e ouviu uns ruídos de televisão ligada.

- Achei.... 

Abriu o quarto, ele estava com a luz apagada. E assim que Letícia o viu, ela pausou o que estava assistindo na tv...

- O que faz aqui?

Ele ascendeu a luz e se aproximou.

- Vim tirar você dessa depressão...

- Não estou depressiva...  Droga Rogério apague a luz...  - falou cobrindo-se com o cobertor por completo.

- Pelo amor de Deus... Você está assistindo série de romance agora? - olhou para a TV.

- Não é de romance! - falou de dentro do cobertor... - É Romance e drama...

Rogélio revirou os olhos....

- Anda Letícia! saia dessa cama e ponha um vestido  que vamos sair para jantar!

- Não. tô. Com. Fome.

Ele olhou para o pote de sorvete ao lado da cama.

- Ah, agora anda se entupindo de sorvete... Nada original... 

Caminhou até a TV e a desligou pelo botão. 

- Eu estava assistindo sabias! - Desembrulhou o rosto.

- Ah é? Não me interessa...

- Grosso! E olha, eu já disse que não vou a lugar nem um... Estou cansada e preciso dormir...  Então, se você pode me dar licença gostaria que fosse embora e saísse pela mesma porta que entrou sem ser convidado!

- E eu é quem sou o grosso?

- Rogério é sério! - choramingou... - Você já me arranjou problemas demais....

-  Letícia! - Falou firme a encarando.

Ela o olhou.

-  Para! Chega disso! Quantos dias faz que você está assim? E outra pergunta, adiantou alguma coisa? Fez o seu maridinho voltar? Em? Não! Mas se quiser ter um resultado no seja lá qual for o trato que fizeram, ficar nesse sofrimento todo não vai dar em nada! Então por tudo que é mais sagrado levante-se daí e vista-se ou eu mesmo te arrastarei de pijama mesmo!  E você sabe que sou capaz...

Letícia o ignorou e deitou de bruços fingindo começar a dormir...

- Roge, quando sair apague a luz por favor...

Ele bufou e encarou o relógio... Se demorassem mais perderiam a reserva....

- Letícia vou contar até três...

Nada...

- 1......

......

- 2..... - Se aproximou do pé da cama...

.......

- Ah então é assim? Okay... 3! -

Puxou o cobertor do corpo dela. Mas antes que o tirasse por completo ela o puxou também....   Deixando o mesmo como uma corda e dois adversários em um jogo de Cabo-de-Guerra
Porém óbvio, que ele era mais forte e ela vendo isso desistiu caindo de costas novamente na cama.

- Agora vem?

- Você está sendo um insuportável... Sábia? Está estragando o meu dia programado para ser melancólico! 

- Dê graças a Deus por isso! E vamos...

- Não!

Ele suspirou novamente. E se inclinando a puxou pelos dois tornozelos tão rápido que quando Letícia percebeu, já estava na beirada da cama.

Ela sentou o encarando enviesada.

- Agora vamos? Como pode ser tão teimosa?

- Eu só não estou acostumada a ser obrigada a fazer algo que eu não quero.

- Okay. Onde fica seu closet?

- O quê?

Sem espera-la responder, Rogério começou a abrir algumas portas do quarto... Até achar o imenso guarda roupa dela.

- Dá pra você deixar de ser abusado e sair! - Levantou-se - Do meu closet?

- Aqui... Vista isso e vamos por que você está nos atrasando... E se tem uma coisa que eu não suporto é atrasos... Claro, quando não sou eu.. 

-  Claro, o rei da Inglaterra...

- Não, só um artista famoso e desejado por todas as mulheres...  E você está com sorte de me ter para ajuda-la... Claro, não é o mesmo tipo de ajuda que ofereço para as outras, mas ainda tá valendo... Por sermos amigos....

- Não pedi sua ajuda. Mas tudo bem, você venceu. - Pegou um dos vestidos que ele tinha a oferecido. - E eu não vou vestir isso...

- Então vai lá e pega qualquer outra coisa. Eu só quero que você vista e desça em cinco minutos. Vou estar esperando....

- Cinco? Me dê pelo menos dez, eu ainda tenho que arrumar o cabelo e a maquiagem... Espera... Vinte é melhor...

- Dez minutos! E não me faça subir até aqui novamente.

Caminhou até a porta e saiu.

*****

Estava chegando de uma tarde de pesca com meu tio...
Já era noite, mas nunca havia me divertido tanto... Encontrei uma paz interior que me deixou até de bom humor...

Assim que chegamos na casa, fui logo tomar uma banho e me trocar. 
Estava tendo um festival lá perto, e me deu vontade de ir...
Olhei meu celular como de costume e me surpreendi ao ver que não tinha ao menos 10 chamadas perdidas da Lety, e nem mensagens dela...
Justo hoje. Que a retornaria. Eu tinha que falar com ela... Fiquei triste por pensar que ela talvez poderia ter se esquecido de mim, mas feliz por achar que talvez ela possa finalmente ter entendido e dado nosso tempo.
Mesmo assim... Teria que falar com ela a respeito da Conceptos...

- Fernando o que tá fazendo parado aí?!!!

Levantei o olhar para Jess.

- Oi?

- Você vai ou não para o festival? Vamos ele já começou... Antes que acabe, as coisas aqui não duram até tarde.

- Eu já vou..

- Vamos logo... Estamos esperando por você...

- Está bem! Está bem! Preciso tomar um banho...

- Então vai...

- Eu vou. E você por acaso vai ficar aí parada?

- Se quiser eu fico... - Sorriu.

Revirei os olhos e a peguei pelo braço a levando até a saída do meu quarto. Batendo a porta logo em seguida.

- Essa menina vai acabar me arranjando problemas... - Balancei a cabeça indo até o banheiro.

***

- Viu Letícia! Perdemos a reserva...  - falou Rogério enquanto voltavamos para o carro.

- Sinto muito... Se eu não tivesse demorado tanto... - Falei, porém estava um pouquinho  feliz por dentro. -Agora, você pode me deixar em casa e...

- Nem pensar...  - Abriu a porta do carro para mim. E também entrou em seguida. - Eu sei que você fez de propósito...

- E... Não está zangado?

- Não... - Falou pensativo. -  Posso fazer uma pergunta?

- Desde quando você pede permissão pra alguma coisa? - Respondi sorrindo.

-  Você acharia muita loucura ir para o litoral agora?

- Quê?

- Acapulco. Agora.

Comecei a rir...

- Tenho quase certeza que sim...

- Então vamos?

- Você tá louco? Não podemos... Não nos organizamos para isso... E aliás vamos chegar tarde... Ja viu que horas são?

- Lety!  Amanhã é domingo você não trabalha!

- Mas... Não... Definitivamente não.

- Você precisa se divertir... Sair um pouco da rotina.. ter fortes emoções...   Vamos à praia...  Você tem que se distrair um pouco...

O olhei meio contrariada.

- Olha eu sei... infelizmente eu sei quem você gostaria que estivesse aqui agora, no meu lugar... Mas quer saber... Eu também posso ser divertido.... Às vezes...

- Eu adoraria... Mas, não trouxe nem roupa...

- Não importa... Não precisamos pensar nisso agora... Apenas vamos...

- Será....?

- Se você não gostar... Eu faço o que você quiser....

- É uma proposta tentadora... O que eu quiser?

- Apesar de já está arrependido... Sim...

- Então.... Vamos logo... Antes que eu me arrependa... - Sorri apreensiva.

Ele sorriu de volta e logo avançou com o carro.

*****

Omar estava em seu apartamento milagrosamente em um sábado à noite.
Ele lia uns documentos e estudava a empresa em seu status atual.
Estava prestes a ligar para Fernando para saber sobre algumas questões quando sua campainha toca.

Ele franziu o cenho e foi atender...

- Márcia?? - perguntou confuso.

- Não pensei que o encontraria mesmo em casa, hoje...

- É. ..entre...

Ela entrou...E ele fechou a porta em seguida. .

- É...e a que devo o privilégio da sua visita?

- Você conseguiu falar com o Fernando?

- Sim... Mas sente-se...

Os dois sentaram cada qual em um sofá frente a frente.

- Pediu para ele voltar?

- O quê? Não... Por quê?

- Preciso falar com ele.

- Então por que não liga pra ele?

- Já liguei... Ele não me atende.

- É tão importante assim? Por que se quiser eu posso mandar o recado....

Ela tentou falar... Abriu a boca três vezes...Mas não conseguiu.

- Ele está na fazendo só tio Alberto certo?

- Sim....  Você está bem?

- Omar... Eu amo o Fernando...

- .... Eu imaginei que sim.... Mas por que tá me dizendo isso?

- Pode ser só coisa minha.... Mas, sem querer fiz algo que não devia na hora da raiva. Se eu contar... Promete que não contará a ninguém ainda? Principalmente à ele. Pode ser tudo um engano eu...

- Então me conta... O que houve?

Márcia contou tudo a Omar apreensiva. E assim que terminou ele ficou pensativo.

- Mas se isso for certo... Você tem que contar à ele... O mais rápido!

- Eu sei... Mas você acha que ele vai me ouvir...?

- Acho que não....

- E nem a você... Ele vai achar que é besteira minha... Ele não vai acreditar . 

- E o que faremos?

- Provas... Precisamos de provas...

-  Sim... Mas como? Eu não posso viajar tenho coisas a fazer na empresa.... E Letícia. ..

- Isso Omar... Letícia!  Ele só acreditaria nela...

- Mas no momento eles não estão nem se falando...

- Isso é o de menos... Precisamos fazer ela ir até lá.

- Como? E o porquê? ela perguntaria.

- Você contará a ela o porquê.

- Quer mesmo que eu fale a verdade? À ela?

- Eu disse que eu amo ele.... O resto não importa. E a propósito.... Não sabia que trabalhava de verdade. - olhou para os papéis em cima da mesa. - Parabéns.

*****

Rogério e eu pegavamos estrada enquanto ouvíamos um CD com várias músicas agitadas e alegres...
Realmente estava me sentindo bem... Como a tempos...  Sentia o vento balançar meus cabelos e apesar de ser noite e não poder contemplar a paisagem, dava para sentir o cheiro das árvores... E era algo que me deixava tranquila....

Nós conversamos sobre vários assuntos ..e cantávamos as músicas que conheciamos... 
Mesmo eu tendo que ter paciência com meu amigo, por ser tão... Digamos que, ele tenha uma alta estima super elevada, e por ser ator, ele acaba se gabando de mais... , Mas ele é uma boa pessoa no fundo... 
As vezes ele me lembra o Fernando... Na aparência são praticamente idênticos, porém Rogério é mais velho que ele, tem por volta de uns 40 anos... Mas com mente de 18...   E no jeito, meu marido é mais é mais sério, só quando precisa ser.... Porque os dois tem o mesmo gênio.

Eu aqui comparando os dois e me lembro de que a saudade dele nunca sai de mim.
Porém expulso esse pensamento antes que me deixe triste... E volto a prestar a atenção em algo que Rogério falava.

- Aqui... Ainda tenho umas balas aqui você quer? - Falei abrindo minha bolsa.

- Quero por favor querida....

Abri o doce de menta e dei à ele... Quando vi que meu celular vibrava no fundo da bolsa.

Ao pega-lo, me espantei ao ler o nome.

-... Fernando....

- O que disse?

- Fernando... Ele está me ligando.... - Falei assombrada....

- Você vai atender?

Era o que eu queria... Desde quando ele saiu. Uma ligação... Uma mensagem qualquer.... Uma foto. Qualquer coisa... Ouvir a voz dele... Mas agora, parece que eu não sabia se queria mesmo atender.  

A ligação parou. Quando vi no visor, umas quatro chamadas perdidas dele.
Me apavorei... O que será que teria acontecido?

Antes que o retornasse, meu celular voltou a vibrar.... E logo o atendi com o coração acelerado.

- .... Alô?...

Houve um silêncio por alguns segundos.... E antes que eu pensasse que ele poderia ter desligado eu ouvi responder....

#- Lety....

Era tão bom ouvir sua voz... Achei que começaria a chorar alí mesmo...

- Fernando.... Meu amor... Finalmente... Como você está? O que ac....

#- Desculpe o horário... Estou bem... E, só liguei para falar da empresa.

Fiquei muda por instantes....

- Empresa...?

#- Sim eu....  Fiquei sabendo que você anda tendo problemas com Márcia. 

Eu ouvi isso mesmo? Cadê o "Como vai meu amor? Eu também sinto sua falta." ?

- Sobre o quê exatamente você quer saber?

#- Se esses problemas são sérios...  Pois se são voltarei amanhã mesmo para resolvermos.

- Olha Fernando... Não preciso da sua ajuda para me mover na empresa. E não se preocupe, não há problema algum. Se foi isso que Omar deu a entender a você, sinto muito por fazê-lo se preocupar a toa.

#- Que bom... Saber que não precisa da minha ajuda... E aliás a ligação está péssima... Aonde está?

- Estou na estrada....

#- O quê? Com quem? Indo pra onde? A essa hora?

- Não preciso dar satisfações a você. Como você pode fazer isso? Não me atende... Não dá notícias... E quando finalmente resolve dá as caras vem logo me acusando de irresponsável, falando de Conceptos e nem se quer pergunta se eu estou bem...

#- Você está bem?

-  NÃO! EU NÃO ESTOU BEM! Eu estava, até dois minutos atrás antes de você me ligar pra falar de porcaria de empresa!

#- Letícia calma! Eu quase não estou ouvindo dá pra falar aonde... Caramba... você está?

- Estou em uma estrada indo para Acapulco!

#- O QUÊ? Ficou maluca? Com quem?

- Rogério... Fernando.... Com o Rogério de La Vega...

...........

#- O cara da carta?

- Sim...

......

#- Faça uma boa viagem então... Você precisa se divertir....

- É... Eu preciso... Cansei de ficar chorando por você em casa sozinha....

#- Como eu disse, só liguei para saber da Conceptos, como não ha problemas então tchau...

Doeu aquilo... A maneira fria na qual ele falava...  Eu queria desligar na cara dele, ou xingar todos os nomes que apareceram em minha mente... Só que a realidade é que eu não queria parar de ouvir aquela voz... 

- Aonde está o homem que me jurou amor antes se ir embora?.... Me diga que não é ele que está falando agora...

...........

- Porque se for....  Ele não precisará nem voltar para casa. E muito menos para minha vida.

#- Letícia... Por favor....

- Adeus Fernando...

#- Não faça isso Lety...  Por favor.. não desliga....

Encerrei a ligação enquanto encarava meu celular...

Rogério me olhou de lado e parou o carro no encostamento.

- Quer que eu a leve de volta para casa?

Mordi o lábio o encarando com os olhos lacrimejantes...

- Não... - balancei a cabeça... - Quero estar em qualquer lugar, menos em casa. 

*****

Ela desligou.... Desligou meu peito... Minha cabeça... Tudo o que eu pensei ter conseguido.
Respirava pesadamente e andava nervoso de um lado para o outro...
Resolvi ligar de novo mas só dava desligado agora.

- Ela terminou comigo? - me perguntei horrorizado.

Não... Ela não fez isso.... Eu não permitiria.

Mas... Eu permiti... A tratei daquela maneira estúpida que na hora em que pensei não parecia ser tão.

Eu não queria saber como ela estava... Porque eu sei que partiria meu coração ouvi-la dizer que não está bem por minha causa. Mas adiantou? Ela não apenas disse que não estava bem... Ela praticamente gritou isso...
E o que era pior? O que fazia meu sangue ferver nas veias e meu coração querer explodir? Era saber que agora... Nesse momento, ela está em uma estrada... No carro, junto aquele homem..... O da carta... O idiota... O que quer tirar minha Lety de mim.... Quem ele pensa que é?

- Porque se a Letícia teve coragem de terminar comigo... Naquele momento... Quem vai consolar ela? Só poderia ser ele... E se aquele desgraçado ousar por as mãos nela eu....mato!... Juro que mato...Mas o que que eu ainda estou fazendo aqui?

Fui a passos largos e saí da casa... Por sorte dei de cara com Jorge, o filho do capataz...

- Jorge!!

- Sim seu Fernando?

- Me diga... Quantas horas é daqui para Acapulco?

- Acapulco seu Fernando? - perguntou rindo. - Não tem rota daqui... O senhor precisaria voltar para a cidade, ou dar um balão tão grande que chegaria lá só daqui a três dias...

- Três dias é muito tempo!! Até lá, ele já deve ter dado todos os tipos de consolos....

- O que disse?

- Tem aeroporto aqui perto?

- Tem não seu Fernando....

- Mas que Droga aqui não tem nada??!!

- Sinto muito senhor...

- O Tio Beto tem helicóptero?

- É....sim, ele tem um... É o que ajuda quando acontece alguma emergência...

- Aonde está? Você sabe pilotar?

- Se eu sei?... Bom.... Sim... Mas... Acho bom o senhor falar com ele primeiro... Parece meio nervoso...

- Não tenho tempo pra isso homem!!

- Fernando... O que faz aqui fora? - perguntou Jessy ..

- Agora não Jess.... Você poderia pegar a chave do helicóptero do seu pai?

- O que ele usa para Emergências?

- Tem outro?

- Não..

- Então é esse né...

- Bom... Mas qual é a emergência... Não é tão fácil assim... Não é como pilotar um carro não Nando..- falou sorrindo...

- É por isso que o Jorge. Vai. Pilotar.

- Eu vou?

- Olha... Fique aqui que eu vou chamar o meu pai...

Não demorou para meu tio aparecer vindo em nossa direção...

- Fernando... O que houve? Aconteceu alguma coisa?....

- Sim... E se eu demorar mais vai acontecer algo pior ainda...

- Acalme-se.... Olha, Jess me falou que você precisa usar o helicóptero.

- Sim... Eu preciso...

- E sabe pilotar? Tem licença para isso?

- Não, mas Jorge é quem vai pilotar. .

- Está bem... Então vamos fazer o seguinte, eu faço o que quiser.... Se primeiro você se acalmar e me contar qual a urgência, e prometer que vai me ouvir em seguida...

- Mas.... - Bufei. - Está bem...

- Vamos à minha sala... Conversaremos só você e eu.

*******



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...