História Como eu odeio te amar... - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Amor Não Correspondido, Espelho, Fantasma, Morte, Mutilação, Navalha, Pedro, Sexo, Suícidio
Visualizações 7
Palavras 1.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


무ㅛ대ㅜ홈ㄴ돼
oi dnv gente.
Então se cheguei até aqui foi pq eu n desisti. Eu desisto fácil das fic, mas nessa estou colocando tidas as minha energias!

Capítulo 2 - Sonho...


Obviamente depois disso tudo, Pedro estava mais cansado que um operário de máquinas - de tanto chorar pela perda da melhor amiga! -, precisava descansar de um jeito ou outro. Já estava de noite, fora tomar um banho e colocar seu amado pijama confortável, para depois deitar em sua cama e dormir.

*Durante o sonho*

Pedro estava caminhando em um cenário totalmente branco sem os seus calçados. Tinha um pequeno jardim de grama densamente verde, com uma cerejeira (ou sakura) enorme no centro, em meio a grama havia várias flores, dentre elas: margaridas, rosas, jasmins, petúnias roxas e a flor preferida da melhor amiga; orquídeas brancas.

Não pôde evitar de chorar.

Se aproximou mais do lindo jardim central, sentou-se na grama e se encostou na cerejeira observando as flores que tinham ali. Mal sabia ele que não estava só.

- Oi, Pedro.

Arregalou os olhos assim que reconheceu a voz doce que conhecia muito bem.

- G-G-Glenda? - ele perguntou gaguejando assustado por saber que ela havia morrido. - é v-v-você?

- Claro, pensou que fosse quem?! O Conde Drácula?

- Lógico que não, aliás, vampiros não existem!

- Rum... - cemiserrando os olhos encarou o mais novo ao seu lado. - como vai a vida? Por quê a minha está 'zerada'! - ela ria do que falou, mas, ao perceber a expressão séria do ser a sua frente, parou de rir.

- Normal, muito normal. Só minha melhor amiga que morreu pra salvar a minha vida de um acidente. S-sua i-idiota! - ele começou a chorar mais uma vez.

- Ei, não chora! Se eu morri, foi porque eu quis. Porque eu quis te salvar, quis que você vivesse mais e conquistasse quem você ama! - ela sorria para ele, um sorriso reconfortante, de esquentar o coração e espantar qualquer tristeza.

 - Mas e-eu n-nunca quis isso! Prefiria ficar sem quem eu amo do que sem v-você! - ele chorava mais ainda, lágrimas grossas escorriam pelos seus olhos vermelhos de tantas lágrimas que já haviam caído.

Ele estava tão triste. Triste por não ter a amiga na vida real por perto, assim como no sonho. Afundou o rosto nas mãos afim de tentar controlar as lágrimas.

- Pedro, eu nunca vou te abandonar. Seja feliz, não impessa de ter a sua felicidade por mim, além disso,  você mesmo disse que eu sou só a sua amiga. Não fique preso a mim. Lembre-se: eu nunca vou te deixar só, sempre vou estar com você! - ela se aproximou do amigo e o envolveu com seus braços. - você está muito magro, tem que comer mais arroz e feijão! - os dois estavam envolvidos nas risadas e nos abraços.

Estava aproveitando o que não teria na realidade.

- V-você sofreu muito por minha causa! 

- Não. Sofri por culpa do amor!

- Amor não correspondido por mim... - disse bem baixo para ela não escutar o que falou.

- De toda forma, siga em frente com a sua vida e conquiste a pessoa que você ama. - ela sorria parecendo crianças de cinco anos quando ganha sorvete nos domingos de verão.

- Eu nunca vou me esquecer de você... - deu um beijo na bochecha da mesma que corou, sorrindo com isso ela se despediu dele. - tchau, Glenda!

- Tchau, Pedro! E fala com a minha mãe que eu a amo! E manda um beijo pra tia Marilda e o tio Otoniel (são os pais do Pedro), e Pedro...

- Sim?

- Eu te amo. Vá a escola e converse com a Nycolle (quem o Pedro ama), ela tem algo a te falar!

- Além de amiga é um anjo que me ajuda todas as vezes. Adeus, Glenda!

- A gente vai se ver, você vai ver...

*Após o sonho*

Depois desse sonho um pouco quanto conturbado, Pedro, acordou com um suspiro.

Olhou o despertador ao lado da sua cama e marcavam sete horas em ponto, acordou na hora certa. Sentou na cama e enfiou os pés nas suas pantufas confortáveis para não pisar no chão gelado, foi a caminho do banheiro para fazer suas higíenes matinais. Olhou-se no espelho do banheiro do seu quarto e fez uma expressão de: "puta que pariu quem é essa pessoa?"

As olheiras intensas se viam de longe.

(...)

- Mãe, eu não sou mais criança! - ele resmungava enquanto a mãe ajeitava seu cabelo.

- Esse seu cabelo tá uma porcaria! O senhor sabia que existe creme de pentear e pentes para cabelo? - ela ria da cara emburrada que o filho fazia.

- Mãe, eu estou atrasado!

- Não mandei ficar no celular na hora de se arrumar! - ela o encarava brava.

- Tá bom, mãe! Tchau, te vejo depois!

- Tchau meu filho, vai com Deus! - ela deu um abraço e um beijo no filho.

(...)

Fez o mesmo percurso, o de sempre, quando olhou a um local que conhecia muito bem.

A antiga casa da amiga falecida.

Suspirou e continuou andando, faria o pedido da amiga depois, a curiosidade sobre o que Nycolle, sua amada, tinha para dizer a ele.

(...)

Estava dentro da sala de aula e percebeu que Nycolle não parava de encará-lo. Desconfiado, decidiu que continuaria à prestar a devida atenção na matéria que estava sendo aplicada.

- Pelo amor de Deus que esse sinal toque logo!

Como desejado foi a hora do recreio. Esperou na porta a garota amada, ela estava se aproximando depois de ter guardado os seus materiais utilizados na aula.

- Nycolle, você quer falar algo comigos? - perguntou a encarando confuso pelo fato da garota o olhar o tempo todo durante as aulas.

- S-sim, mas não aqui!

Ela o arrastou pelos corredores da grande escola. Levou-o até um cantinho que havia no pátio da escola, foi quando ela parou e encarou.

- Pronto, agora eu posso falar! - ela suspirou.

Nycolle era uma garota bem reservada, é a mais inteligente da classe. Não gosta de tirar muitas fotos, não é muito social. Na mente de Pedro era a garota perfeita. Tinha a pele morena e os cabelos cacheados mais brilhosos da classe.

- Queria te dizer que eu... eu... eu gosto... de você! - ela corou intensamente, parecia uma pimenta mexicana.

Pedro ficou sem reação diante das palavras ditas por ela.

- Eu também... gosto de você! 

Silêncio total.

- Soube do que aconteceu com a Glenda. Eu sinto muito por você! - ela abaixou a cabeça em lamentação. - ela era muito importante para você, não é?!

- Obrigado, Nycolle. Ela era sim, a melhor amiga que alguém poderia ter! - sorria ao lembrar de como a amiga era.

- Sobre o nosso assunto... eu queria saber...

- Queria saber...?

- Se..

- Se...?

- SE VOCÊ QUER NAMORAR COMIGO.

O coração de Pedro batia forte como se fosse um desfile de Carnaval no Rio de Janeiro.

"Batidas do coração do Pedro, nota: dez!"

"Pernas trêmulas de ambos, nota: dez!"

"Bochechas em tons rubros, nota: dez!"

- Bom, eu estive esperando por esse momento por muito tempo... É CLARO QUE SIM! - depois de aceitar o pedido de namoro da amada, sem vergonha alguma de quem poderia estar vendo, Pedro beijou Nycolle com amor, com paixão.

Mal sabia os pombinhos que tinha mais alguém observando tudo com um certo ódio nos órbes castanhos mel.

- Vou desmascarar você, sua falsa de décima categoria. E vou ter o Pedro novamente, nem que eu demore anos para isso, vagabunda!









Notas Finais


N postei antes pq tava sem internet e eu estava mtt ocupada. Enfim, como eu disse n tenho dia certo para postar caps, então, já vou avisando pra depois n ter problemas com vcs leitores.
Onrigadp por lerem!
남ㄱ뮤홈ㄷ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...