História Como foi que aconteceu? ... (scorbus drarry) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Draco Malfoy, Harry Potter, Scorpius Malfoy
Tags Albus, Drarry, Scorbus, Scorpius, Sociopata
Exibições 180
Palavras 1.889
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


oii voltei, graças a deus tudo de volta a os seus conformes! não me julguem ja vou avizar que é meu primeiro lemon

Capítulo 8 - E se eu sumir, e se eu quiser fugir


Fanfic / Fanfiction Como foi que aconteceu? ... (scorbus drarry) - Capítulo 8 - E se eu sumir, e se eu quiser fugir

Sentiu as bochechas queimarem enquanto procurava alguma reação no rosto do outro, e lá estava ela assustado, scorpius assustado era muita novidade pra mim, ele olhava para tudo que é quanto, mais não olhava no meu rosto

   – oque foi scorp, o gato comeu sua lingua? – não deu pra segurar

- cala boca!

- so isso, não vai me chingar de idiota ou talvez imbencil? – Serio, estou adorando isso.

- não dah!

- porque?

- pra isso é preciso olhar olho no olho mano!

- então olha ué!

- não dah!

- porque???

- já disse que não dah!

- olha!

Ooo

 – não consigo te encarar! �� – scorpius meio desajeitado empurra albus de cima dele e  tenta se levantar apoiando em uma cadeira

– como assim? Porque?

– É assim que deve ser, não posso sempre ficar no vou !!!

- “vou” vou oque??

- vivendo
Sofrendo e querendo
Esse amor doentio... querendo... é.... – sim scorpius estava falando oque era pra ficar guardado – Você.

Albus realmente não estava pronto para a reação do Scorp que se jogou em cima dele o derrubando no chão.  Infelizmente o tapete do bar não tinha feitiço de amortecimento batendo as costas de albus fazendo-o grunhir de dor. As bocas se encontraram famintas.

albus gemeu inclinando a cabeça, sentindo a boca do mais velho contra a pele. Beijos... Mordidas... Mãos abrindo sua camisa, querendo encontrar a pele.

– Você está tão quente... – scorp murmurou enquanto o tocava, as roupas de ambos sendo violentamente tiradas pelos dedos afoitos do dois. – Eu... Estava lutando tanto...

albus estava embriagado por todas aquelas sensações, diferente de albus que estava embriagado por causa as bebida. Scorp o tocava e beijava como se nunca tivesse feito isso antes (e não tinha mesmo), e era tão bom... Queria tocá-lo também, beijá-lo, amá-lo como nunca tinham feito. Mãos passeavam pelos corpos e parecia tão certo.

– Aaahhhmmmm... – O mais novo só conseguia gemer... Nada de palavras ou mesmo qualquer som que fizesse sentido, somente gemidos. Gemidos, calor, pele contra pele. Arrepios que percorriam o corpo. O perfume adocicado de colônia misturado ao aroma característico de bar. – Eu... Hummm... Eu também... – Suspirou. – lutei... Também...

albus não conseguia articular as palavras, nenhum pensamento coerente se fixava em sua mente. Sentia seu corpo absurdamente quente. Um desejo insano, uma vontade imensa de descobrir e marcar cada pedaço do corpo do outro como seu.

Cada beijo que Scorp dava em seu corpo queimava como fogo. A língua em seus mamilos, os dentes puxando os biquinhos eriçados, o fazia perder o fôlego. Respirava aos arquejos, isso quando se lembrava de inspirar o ar... Não sabia como o mais velho abriu o botão  do zíper da sua calça. Só sentiu os dedos entrarem pelo cós dela e a puxarem pelas suas pernas.

– Eu pensei que só estava alimentando
Uma loucura da minha cabeça – O sussurro de scorp chegou aos  ouvidos de albus, suas pernas se entrelaçando nas dele, as ereções se tocando. Os quadris de ambos se esfregando, línguas numa disputa por controle, em meio aos gemidos languidos dos dois. – So-sonhei tanto com... Hummm... Com... Isso...

– Então ve-eeem... – albus gemeu em meio às carícias urgentes do outro. – Faz... Faz tudo que você... Aaahhhh... Sonhou...

As mãos de albus se embrenharam nos cabelos do mais velho, acompanhando a medida que a boca descia mais, passeando pelo seu corpo, gemidos, sussurros incoerentes que não sabia mais se eram seus ou dele...

– Aaahhhh...! O grito deixou a garganta de albus, surpreso e deliciado, com o toque dos lábios se fechando em seu membro, deslizando ao longo dele, para cima e para baixo, quente, frio e o suor se misturando. Abriu as pernas o acomodando entre elas, sentindo as mãos dele acariciando suas coxas, a outra entrando por baixo de suas nádegas, apertando.

Eram tantas sensações se sucedendo que o deixavam atordoado. Seu coração batia tanto e tão forte que parecia que ia explodir, ouvia o ribombar alto em seus ouvidos, e o prazer era tanto que seu corpo se contorcia e se arqueava, suas mãos puxavam os cabelos firmemente enroscados nos seus dedos, até quase não aguentar mais...

– Scorp... Scorp...! – Puxou os cabelos dele com mais força, tentado fazê-lo parar. – Pa-para... Para... – Gemeu, tirando a boca dele de si, puxando-o para cima do seu corpo. – Assim eu não aguento...

– Mas... Mas eu... desculpe – Scorp disse, a respiração falha, os lábios vermelhos, os olhos brilhantes.

– desculpa, desculpa nada ... – Beijou-lhe a boca, sentindo o quadril dele pressionando o seu, a saliva dele e o pré-gozo que escorria do seu membro tornando tudo mais escorregadio, os membros úmidos se esfregando e os fazendo arfar de tanto desejo e necessidade.

– Então me toma... Vem Al...

– Não... Assim...

– Vem... Assim... Agora... – Enlaçou a cintura do mais novo com as pernas, exigindo que ele fizesse o que pedia, sentindo o corpo arder. – Aaahhhhmmm... – Gemeu, sentindo o mais novo se encaixando em seu corpo, a boca dele cobrindo a sua, o corpo dele invadindo o seu.

Albus arremeteu devagar, entrando lentamente, sentindo as unhas do mais velho se cravando em seus ombros, as pernas dele o apertando o puxando mais, o fazendo se enterrar no corpo sob o seu até o fim, o gemido dolorido vibrando dentro de sua boca. Deixou-se ficar ali, parado, o beijo se aprofundando, até precisarem respirar.

Scop sentia-se dolorido, mas não queria que ele parasse, queria que se movesse, queria desesperadamente que ele se movesse, que matasse aquela fome insana que sentia dentro de si, remexeu os quadris, ofegando com a sensação dolorida e prazerosa que percorreu seu corpo, estremecendo, gemendo alto no ouvido do mais novo.

– Mais... Mexe... Vem... – Foi só o que conseguiu dizer, mordendo e sugando a orelha dele.

E Albus o fez, se retirando e entrando lentamente, ouvindo o gemido longo em seu ouvido, se arrepiando por completo. Arremeteu de novo, as pernas em torno de sua cintura o puxando, o obrigando a impor um ritmo mais rápido e mais forte, seus próprios gemidos se juntando aos dele. E então tudo ficou fora de controle.

Corpos se chocando, o aperto levando seus corpos e mentes próximos ao delírio. Beijos em meio aos tremores, os corpos se tencionando, as ondas quentes e fortes os levando numa torrente de sensações até que não aguentaram mais.

– AAAHHHHHMMMMM...! – Os corpos se arquearam ao mesmo tempo, albus gozou tudo dentro de Scorp, as vozes soando quase em uníssono, movendo-se em sincronia perfeita até pararem lentamente, até finalmente o cansaço atingi-los, aquietando-se sobre o tapete. A sensação de plenitude fazendo-os se abraçarem ainda mais.

– Eu... Te amo Scorp... – Albus sussurrou, os olhos fechados, o corpo sobre si ainda fundo no seu, acariciando as costas suadas dele.

– Eu não se... desculpe  – respondeu   mordiscando o pescoço do al.

- você não gosta de mim – eu precisava necessitava saber

- eu não sei oque sinto!

- vamos embora daqui malfoy!

Mesmo sabendo que ele não gosta de mim era tão bom que nem parecia real.

♡☆

Ooo

- professor neville!

- Will você é pontual em! – neville Disse divertido, depois fica com a cara muita seria – achou o Scorpius, Will?

- infelizmente não! – Will abaixa a cabeça – talvez o potter tenha sorte!

- ali vem ele! – ele fala com um sorriso, mais depois fica com a cara de quem chupou limão e não gostou – oque aconteceu?

- o Scorpius foi... – albus  tentou raciocinar uma desculpe pelo menos razoável – as pessoas barra pesada de hogwants o fizeram beber bebida alcoólica depois foi azarado, e ainda por cima o deixaram em uma lata de lixo!

- Merlin, vamos leva-lo para a ala – Mandei bem, sou um gênio de ☆☆☆☆☆, neville acreditou definitivamente na minha desculpa

 - Tudo bem, vamos senhor

-“- -“-

No dia seguinte

-“- ^,^

Que dor de cabeça é essa?

PERAI, dor de cabeça!?

Ai de novo não, so pode ser brincadeira.

Estou com uma louca vontade de vomita, tenho que tentar conter-me

Dessa vez não Consegui Conter o vomito que veio como um carro de fomula1, ardeu muito, muito mesmo!

Quantas horas deve ser dessa vez, 7:00 da manhar ainda da tempo de participar das aulas só preciso vestir o uniforme no dormitorio

Levantei da cama e corri para o dormitorio, chegando la eu simplesmente cair no chão

- QUE ISSO? – ah que otimo, acordei o “não gosto de violencia” o “ tirador de todas as graças”,

- não grita Storm, vai acorda todo mundo – parece idiota – me ajuda a levantar!

 (não sou de pedir ajuda, mais agora é outro caso)

- você esta muito pesado! – ele olha para a cama de ... oque ele pensa que vai fazer – ALBUS ACORDA E VER SE PRESTA PARA AJUDA AQUI!

- NÃO WILL, não o acorde! – acho que fiquei um idiota, eu acabei de gritar aff

- oque esta acontecendo? – que otimo, o Storm me paga quando essa maldita ressaca for embora, perai não é ressaca, reconheço uma! eu não sei oque é porque a minha ressaca nunca me causou tontura!  – porque você esta no chão?

- estou procurando elefantes minúsculos Extras terrestres ! – sim eu fui sarcástico – eu cair seu idiota!

- caiu porque?

- porque! – sera que eu digo - eu não sei... – melhor não – não é da sua conta...

- serio!?

- sim !?

- então vou voutar a dormir! – que estranho ele falou ironico

- já vai tarde Imbecil!!

- seu jeito de falar comigo ontem estava bem melhor!

- QUE!? Oque eu falei?

- AH! Nada – sera que ouço risos, que merda eu disse!? – sera alguma coisa relacionada a o que o doutor disse?

- oque o doutor disse? – ah, O storm deu sinal de vida agora, esqueci que ele estava aqui!

- nada Storm, pensei auto sô isso ! Vou dar uma volta estou meio tonto blz!

- Blz!

Ooo

Eu vi o tempo passar
Mas não vi muita coisa mudar, Ás vezes esqueço como o tempo passa, Tinha tantas perguntas, mais, e ser Se as perguntas não tivessem Respostas! Tenho que achar um jeito de mudar
esse meu caminho, é Também errei, errei muito, mas tudo bem
Sempre podemos tentar! Tentar de novo! neh? Eu não pedi pra nascer
Eu não nasci pra perder
Nem vou sobrar de vítima
Das circunstâncias, A carne é fraca, coração é vagabundo
E mesmo assim ainda bebo, Eu tô plugado na vida
Eu tô curando a ferida
Às vezes eu me sinto
Uma mola encolhida, O que aconteceu eu não me lembro mais! Que merda eu fiz!?

Todo mundo tem segredos para contar
Todo mundo tem que ter alguém para confiar
Alguém que possa desabafar
Alguém que o destino pois pra ajudar, mais eu não! Eu tenho a mim mesmo e pra mim já esta bom! Eu posso ser meu confinado! Eu! Sigo minhas regras, goste ou não! “agora meu desejo e fugir” e se eu sumir, se eu quiser fugir
Livre pra viver o que eu sou ser dono do que é meu, Ninguém pode me julgar sem antes Deixa eu falar eu sei o que é bom pra mim
E nada vai mudar o que eu sou é como penso vou fugir dessa escola, do meu pai, e do albus.

Vai ser agora vou deixar tudo para tras e vou sempre olhar pra frente
Viver sem medo de ser verdadeiro
Jogar para fora o que tem por dentro
Sem desistir

Adeus coisas que agora são do passado

 

 


Notas Finais


me falem oque vcs acharam please!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...