História Como Irmãos - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias NCT Dream
Personagens Jaemin, Jeno
Tags Crianças Inocentes, Eu N Sou D Deus, Jaeje, Jaemin, Jemin, Jeno, Meio Incesto, Meio Lemon(?), Yaoi
Exibições 204
Palavras 2.810
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIA EU AQUI CIM ESSE BONUS QUE PARECIA QUE NUNCA IRIA MAIS SAIR!!! FIU FIU!.

desculpem pela demora, é que eu estava com preguiça de escrever um lemon, admito, mas eu consegui. Não sei se ficou fofo o bastante, espero que vocês consigam ver a Fofura desses dois, igual a Fofura do primeiro cap.

É isso, obrigado por esperarem e espero que gostem.

OBRIGADO PELOS +100 FAV E OS +10 COMENTARIOS SÓ COM O CAPITULO ANTERIOR! NUNCA imaginaria que um dia isso poderia acontecer, eu estou muito grata por tudo, obrigado mesmo ♥♥♥

~desculpem minha falta de atenção, pq eu sempre começo no presente e termino no passado. Ex: Está/estava~

Capítulo 2 - Bônus - Eu te amo, ok?


Fanfic / Fanfiction Como Irmãos - Capítulo 2 - Bônus - Eu te amo, ok?

Jaemin estava mal, muito mal. Antes mesmo daquele dia estava sentindo muita dor no corpo, não imaginaria que ficaria com uma gripe daquelas e de cama! Não podia ficar deitado o dia todo em sua cama, mesmo ele querendo muito isso. Tinha que ir sem falta para a festa de aniversário do seu amigo de classe, o menino é muito dramático e se o amigo não fosse é bem capaz dele dizer que Jaemin é um falso sem sentimento, que não liga para as amizades e provavelmente ficaria sem falar consigo.

Pensou em até ligar para o aniversariante para avisar sua situação, mas fazer o que se tudo doía e não conseguia levantar direito da cama? - por partes isso era só incensação, conseguia sim levantar, e fazer outras coisas a mais, mas um pouco de drama não mata ninguém, né?.

– Oh, meu filho, você tem que tomar um xaropinho! – Sua mãe aparece do nada no quarto e sentou ao seu lado, colocando sua mão na testa do garoto.

– Eu... Estou bem, mãe – Começou a tossir desesperadamente. – Vou tomar um banho e sair nesse frio para ir sem falta na festa do Renjun – Ameaçou a se levantar, mas sua mãe não deixou e o empurrou de volta.

– Você não vai sair assim! Menino, você só não está morrendo porque você está deitado ai nessa cama! Portanto, eu irei antes do meu serviço levar o presente daquele moleque e avisar que você está um horror – Ela é um pouco diferente das outras mães. Jaemin e Jeno adoravam o jeito divertido dela ser mãe.

– Eu consigo ir... – Tentava se levantar de novo, mas sua visão embasou na hora e tudo ficou preto.

Droga.

– Seu irmão vai ficar aqui cuidado de você, vou deixar com ele um xarope; dipirona; e chá pronto. Tu está um ó!. E não levante dessa cama! Não abre a janela! Não saia dessa montanha de cobertas, se eu descobrir que você fez alguma coisa dessas, você vai ver quando eu chegar – Falou, Beijando o topo da cabeça do garoto que sorria com tudo que a mãe falava.

Droga, Jeno não!.

– Posso levantar para fazer xixi? – Perguntou todo manhosinho, fechando seus olhinhos cansados.

– Vou pedir para o Jeno te ajudar. Tchau, meu bebê, se cuida – Sorriu, saindo do quarto.

Droga! Não, Jeno não, por que ele me ajudaria a fazer xixi? Credo.

Depois do ocorrido daquele dia, bem... Não trocaram carícias e nem conversas intimas. Jaemin evitava ao maximo seu irmão, sentia vergonha sempre quando via o maior o olhando de um jeito diferente, seu rosto esquentava na hora e o fazia lembrar naquele dia.

Já Jeno, se sentia frustado por estar sendo ignorado quase cem porcento pelo seu irmão. Pensou claramente que depois daquele ocorrido tudo ficaria mais intimo entre os dois, mas percebeu que nada iria acontecer com os dois tão cedo. Já tentou lançar olhares misterioso e carregados de malicia - talvez assim o provocasse ou sei lá -; abraços do nada; sussurros no ouvido do menor dizendo que sentia falta dos lábios alheios. Mas nada o fazia mudar de ideia ou aceitar sua proposta de repetir o ocorrido na noite semanas atrás. 

Mas também, Jaemin não era de ferro, estava se segurando ao máximo para não aceitar as investidas de Jeno. Era difícil sempre negar e fingir que nada aconteceu entre os dois.

E até hoje ninguém descobriram ou desconfiaram de nada, coisa que os irmãos agradecem por isso.

– Você cuidará do seu irmão hoje, não é para tirar os olhos dele! Você você fizer isso eu mesmo arranco eles de você. Te amo, fica com deus – Depositou um beijo na testa do filho mais velho, saindo de casa com sua bolsa e com o presente do aniversariante em mãos.

Jeno sorriu por alguns segundos. Até que enfim ficaria a sós com o irmão mais novo. Dessa vez ele não teria como fugir de si.

– Miniee...? – Subiu as escadas já chamando o menor, sabia que ele não o queria por perto, estava com vergonha ainda para olhar na sua cara.

Abriu a porta do quarto o vendo enrolado nas cobertas e só o rostinho cansado pro lado de fora. Adorável.

– Você está bem?.

– Estou.

– Vou te fazer companhia, OK?.

– N-não precisa... – Sussurrou.

– Mas eu quero – Sorriu vendo o irmão terminar de se cobrir todo pela vergonha. Andou até a cama e pensou em deitar ao seu lado, mas estaria fazendo tudo com muita pressa. Primeiro ficaria conversando com o menor, depois talvez pensaria em fazer aquilo que sentia falta. 

Sentia muita falta, para falar a verdade.

– O que você tem? – Perguntou o mais velho, avançando para acariciar alguma parte do corpo do menor para te dar conforto, mas não sabia em que parte estava acariciando.

– Tira a mão dai... – Quando Jaemin se mexeu, Jeno percebeu que estava com a mão bem encima do bumbum do garoto. Sorriu e continuou com a mão ali. – Eu estou com gripe... Meu corpo está mole, meu nariz entupido e dor de cabeça... Huum... – Falou tudo em sussurros, logo sentindo uma pontada forte na sua cabeça.

Jeno ao ouvir seu resmungo ficou extasiado, sentia saudades de seus gemidinhos manhosos. Ele iria ficar louco se ele continuasse a falar daquela maneira.

– Meu bebê está dodoi... – Jeno falou de uma maneira fofa e foi para debaixo das cobertas com o irmão, não recebeu xingamentos e nem hesitações.

– Sai daqui... Você vai ficar doente também – Resmungou novamente, mas parou quando sentiu os braços do maior rodar seu corpo e um selar no topo de sua cabeça.

– Não ligue para mim, o mais importe é você melhorar, pequeno – Sorriu, percebendo um aceno positivo do outro.

Ninguém falou nada por alguns minutos, só queriam aproveitar o momento e matar a pouca saudades que tiveram em ficarem juntos. Bom, só Jaemin não estava falando nada, já Jeno estava diferente.

– Ei, reparou que estamos agora exatamente iguais naquele dia? – Começou Jeno, sussurrando e se aproximando mais seu peitoral das costas do menor. 

Jaemin tentou sair as pressas de seus braços e correr pra longe. Não queria voltar a lembrar daquele dia, era muito vergonhoso, ainda mais quando seu irmão começa o lembrar. 

– E-Eu... Droga, Jeno me solta – Tentou aumentar sua voz, mas desistiu sentindo sua garganta arder. – Saco...

– Calma, não vou fazer nada que você não queira, bebê – Repetiu a mesma frase que disse naquela noite.

– Mas eu não quero nada... – Se cansou rápido de tentar se mexer, até porque estava mole de mais para insistir em algo. 

– Você não sente falta?.

– De quê?.

– Dos meus toques... Eu sinto tanta falta dos seus gemidinhos manhosos e seus beijos... – Mordeu de leve a hélix do seu ouvido e o sentiu jogar a cabeça para trás como dizendo para o parar.

– Não quero falar sobre isso...

– Lembro quando você me pediu um beijo... – Beijou sua nuca; – De você sem calças... – A lateral e seu pescoço; – De cueca... – Sua bochecha; – Suado e todo encolhido quando você gozou em minhas mãos... – E por fim seus lábios.

Jaemin não protestou, nem se remexeu, sabia que o mais velho não se cansa tão rápido das coisas, Jeno o venceu pelo cansaço. Não Diferente daquela noite calorenta, Jaemin não havia ainda aprendido a beijar; não praticou com ninguém; não tinha ninguém para o ensinar. Jeno foi seu primeiro beijo para falar a verdade. Jeno adorava isso no menor: sua inocência, sua falta de experiência, seu jeito tímido... Jaemin é só dele e sempre será, não importa com julgamentos, o pequeno sempre será; somente seu. Só ele iria lhe ensinar as impurezas que seu corpo é capaz de receber ou dar; só ele saberá os pontos sensíveis.

Havia língua no beijo vindo de Jeno, Jaemin não sabia o que fazer, então virou de frente para o menor e segurou seu rosto os separando daquele beijo com segundos de duração. Respirou pesado, não estava conseguindo respirar pelo nariz. O mais velho sorriu com aquilo, até doente, não conseguindo respirar pelo nariz, Jaemin era uma perdição.

– Você é meu... Só meu – Voltou a beijar seu pescoço ficando por cima do garoto. Segurou sua cintura com uma mão e a apertou de leve.

Seus selares desciam lentamente para sua clavícula deixando também mordidas que estava arrancando uma respiração mais pesada do menor.

– Je-Jeno... Na-Não podemos... – Sua voz saiu ofegante quando sentiu a mão do mais velho ir direto ao seu mamilo direito. 

– Não foi isso que você disse na noite passada – Sorriu rodeando o pontinho agora durinho. O garoto novo quase estava tirando a mão do irmão de lá, queria o espancar por estar o fazendo sentir isso novamente. Mas ele mesmo admitia internamente que queria isso tanto quanto o outro. Nunca esqueceu dos seus toques, da forma em que Jeno o acariciava... Ah! Poderia ficar excitado só de imaginar tudo aquilo novamente.

Jeno ainda com seu corpo desconfortável encima de Jaemin, abriu as pernas no menor e se ajoelhou ali, voltando a beija-lo. Jaemin apoiou suas mãos nos ombros do outro e se deixou levar, afinal, não queria e nem conseguia o mandar parar.

Gemeu baixinho ao sentir seu lábio inferior ser mordido e puxado.

Jeno levou sua mão até estar dentro da cueca do outro e ficou com a mão parada, só admirando a carinha franzida com os olhos fechados do que estava deitado. Sua respiração estava mais desregulada ainda. Queria os seus toques; os seus carinhos, mas Jeno não estava colaborando com isso.

– O que você quer, bebê? – Se curvou até estar bem próximo do rosto alheio, sentindo a respiração quente e rápida bater no seu. – Me fale... 

Jaemin não queria falar que estava necessitando dos toques do mais velho, o outro mesmo sabia o que ele queria por que queria que ele o falasse?.

– Não vai falar? – Jeno ameaçou tirar sua mão ainda parada dali, mas surpreendido quando Jaemin puxou seu rosto e o beijou, para logo em seguida segurar a mão do maior dentro de sua cueca.

– E-Eu quero que vo-você me toque... Aqui... – Forçou a mão do maior até seu membro e o fez se mexer. Sua vergonha estava há mais de mil porcento; com febre de trinta e nove graus, mas ele não estava ligando para sua febre, só queria Jeno.

– Aonde? Aqui? – Moveu sua mão de cima para baixo, ouvindo Jaemin suspirar.

– É...

Sua mão se mexia com um pouco de velocidade no membro do menor, estava adorando ver as expressões manhosos e envergonhadas que ele fazia. Sentia aquilo pulsar em sua mão, já percebendo que o garoto estava quase chegando ao seu ápice em tão pouco tempo.

Jeno tirou as roupas do irmão e fez a mesma coisa em si. Jaemin sabia muito bem o que o outro queria, não era tão inocente assim para saber que ele queria... Sexo.

Ah, essa palavra abominava o menor, sempre fantasiava-se fazendo esse tipo de coisa, mas fazendo isso na prática... Era assustador! Sim, ele já pesquisou coisas relacionadas só por curiosidade... 

– Jeno... Va-Vamos Fa-Fazer... Sexo? – Sussurrou com as mãos no seu rosto, escondendo sua vergonha. E se ele dissesse não? Que não iria fazer sexo com ele? Que só estaria ali por... Sei lá, ver até onde ele iria?. Essas eram as perguntas que atormentava seus pensamentos.

– Não, pequeno... Vamos fazer amor – Selou de leve a mão ainda tampando sua vergonha. Jeno disse tão confiante... Não poderia dizer que achava que o outro estava mentindo. – Você não quer?.

– Que-Quero...

– Vou cuidar de você, não fique com medo, OK? – Sorriu ao ver o menor o olhando com lágrimas nos olhos.

– Promete q-que não vai me ma-chucar? – Soluçou ao meio de sua fala.

– Prometo, meu amor.

Jeno voltou a beija-lo ainda com toda a calmaria de antes. Jaemin admirava isso nele, Jeno sempre cuidou ben de si, nunca o machucou ou deixou alguém o machucar, ele era carinhoso e atencioso; fofo e malicioso. Ele amava o meio irmão mais que tudo, não poderia negar isso e nunca iria, até porque amava também Jeno.

Jeno tentaria o máximo possível em deixar o menor confortável, séria calmo e paciente. Levantou da cama e trancou a porta do quarto, depois indo até o guarda-roupa de Jaemin e pegando um tubinho de creme (usaria isso para lubrificação, já que nenhum dos dois tinham lubrificante ou algo do tipo).

Voltou a cama, ficando novamente no meio das pernas parcialmente abertas do outro. Pegou o creme e passou uma quantidade um pouco exagerada em um dedo. Nunca havia feito isso, mas já viu alguns videos na internet então se considerava dentro do assunto.

– Vou te preparar, ok? Se doer você manda eu parar – Falou calmo, vendo o outro concordar.

Jeno levou o dedo cheio de creme até a entradinha do irmão para logo em seguida adentrar seu dedo ali. 

Jaemin se contraiu quando sentindo aquilo entrando, era desconfortante, mas Jeno estava sendo paciente consigo então não poderia dizer que estava sentindo dor.

– Está doendo? – O menor negou. – Só relaxa, isso vai melhorar.

Começou com o vai e vem lentamente, ouvindo Jaemin agarrar o coxão com as mãos. Adentrou o segundo dedo e agora sim Jaemin sentia um pouco de dor. Mas logo passou quando Jeno movimentou os dedos, causando gemidinhos baixos do menor.

Ficaram naquilo em torno de cinco minutos, Jaemin as vezes dava alguns gemidos manhosos, outros um pouco altos que eram tampados pelos lábios de Jeno.

– Eu posso ir? – Perguntou o mais velho, tirando seus dedos da entrada do outro e já direcionando seu membro ali. 

– Vai com calma... 

Jeno foi introduzindo bem devagar para não causar dores no menor. Viu que o outro estava começando a sentir dor, passou mais creme no seu membro e no orifício do mais novo, logo voltando a introduzi-lo.

Quando já estava por completo dentro dele, se deitou encima de Jaemin esperando alguma confirmação para continuar.

Jaemin derramava lagrimas pelos cantos dos olhos, abraçou o pescoço de Jeno e sussurrou um "vai". Sentiu o quadril do outro se mexer para trás e introdu-lo depois. Na primeira lenta estocada, os dois gemeran um no ouvido do outro. Aquilo era muito prazeroso para os dois.

Jaemin puxou a coberta para cobrir o corpo do irmão, logo sentindo Jeno o estocar com um pouco de velocidade. Estavam segurando gemidos altos por conta do medo de que a mãe estivesse na casa e descobrisse o que eles estavam fazendo. Isso daria problema se acontecesse.

Jeno começou a descontar seu prazer mordendo o outro do outro, ouvindo gritinhos baixos e resmungos que Jaemin segurava para não sairem altos.

Jeno segurou a cintura do menor, os virando fazendo Jaemin agora ficar encima de si.

– Sua vez...

– E-Eu não sei o q-que fazer...

– Só rebola – Sorriu travesso. Jaemin quando muito esforço deu uma rebolada tímida. 

Estava deitado encima do irmão, com as pernas de cada lado da cintura do mesmo. O Abraçou e afundou seu rosto na curvatura do pescoço do maior.

Jeno segurou sua cintura, o incentivando a continuar. Jaemin mexia seu quadril para frente e para trás, quase lentamente, já que aquela sensação era muito boa para ir lentamente. 

– Você... Está indo bem... Aah... – Segurou forte sua cintura quando o menor subiu e desceu, retirando metado do membro dentro de si por alguns segundos e voltou a sentar de uma vez. Os dois deram gritos controlados e Jeno sorriu com aquilo. Seu pequeno estava se soltando, até que enfim.

Jaemin agora rebolava rápido, nunca imaginou que um dia iria ser assim: desesperado. 

Não aguentou nem mais dois minutos e expeliu o seu liquido viscoso no abdômen do mais velho. Sua entrada apertou mais do que o normal, fazendo Jeno gemer um tanto quanto alto. Remexeu a bunda do menor mais algumas vezes no seu membro e já havia acabado de despejar seu gozo na entradinha de Jaemin.

Estavam ofegantes, cansados e suados. Jaemin sentiu seu corpo todo mole; dua garganta doer junto com sua cabeça. Estava completamente acabado.

– Você foi muito bem... – Jeno sussurrou fazendo um carinho nos cabelos de Jaemin. – Eu te amo, Ok?.

– O-Obrigado... Eu acho. Eu também, Hyung...

.

.

.

Alguns dias se passaram, Jaemin estava melhorando da sua gripe horrenda, seu corpo não doía mais e bem... Estava feliz por ter feito aquilo com Jeno, foi uma noite especial para si.

– Jaemin! – Sua mãe gritou entrando na sala. – A culpa é sua do Jeno estar quase morrendo lá no quarto. Não devia ter deixado ele chegar muito perto de você, agora ele está lá que nem você esses dias atrás, só que um pouco pior! – Ela falava um pouco alto, mas não estava completamente com raiva.

– Des... Culpas(?).

– Você vai ter que cuidar dele, vou ter que visitar sua vô, ela está enchendo meu saco e do seu pai para irmos lá – Sorriu indo abraçar seu filho com um sorriso travesso nos lábios. – Tchau, meu bebê, fiquem bem!.

Após a mulher sair de casa, Jaemin ainda sorrindo subindo para o quarto de Jeno o vendo dormir tranquilamente. Iria fazer ele melhorar rapidinho, que nem Jeno fez consigo.

É, talvez ficar doente não fosse tão ruim assim, ainda mais quando se tem um irmão para cuidar de si de uma maneira... Diferente.


Notas Finais


Desculpem os erros e desculpe-me se eu decepcionei alguém. Estava fazendo esse cap a mais de dias e espero mesmo que pelo menos alguém tenha gostado desse bônus.

Aceito sugestões para fic's novas com couples novos, quem sabe eu não faça, né?

OBRIGADO DE NOVO SEUS XUXUS ♥♥ BJS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...