História Como (Não) conquistar alguém - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~hosoki

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!yoongi, Crack!fic, Dan&pete, Hoseok, Namgi, Namjoon, Sugamon, Taeseok, Top!taehyung, Vhope
Exibições 39
Palavras 2.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um dia conversando com meu daddy, nós começamos a pensar nas maiores vergonhas que alguém consegue passar pelo crush, e do nada lembramos que isso seria a cara de Taegi . Entooom Voi-lá , Um plot super zoado com os otps. nada melhor que isso pra um debut, ne nom?

eu dei uma olhada rapidinha, então provavelmente tem erros. I'm sorry ;D

Capítulo 1 - Como (Não) conhecer alguém


Eu to aqui não para dar dicas, ou enumerar os passos de tudo que não se deve fazer para conquistar alguém, nem mesmo para fazer o contrário e dizer tudo que se deve fazer para fazer uma conquista bem sucedida do coração de pedra do crush ou do cara mais gato da história. Eu apenas estou aqui para deixar claro que ninguém, ninguém no mundo inteirinho deve fazer o que eu fiz para conquistar o cara por quem eu sempre fui cegamente apaixonado. Jung Hoseok, esse era o nome do meu crush, conheci ele aos 14 anos enquanto dava uma volta de bike pelo bairro. Ele estava saindo da lojinha de doces do fim da rua, acompanhado de sua irmã. Os cabelos pretinhos e escorridos brilhavam, e o sorriso de dentes metálicos fazia inveja até mesmo ao mais bonito diamante por sua beleza, ele carregava um algodão doce grande em suas mãos pequenas e corria rapidamente pela calçada. No momento em que meus olhos encontraram a sua figura foi inevitável evitar o transe. Me perdi em seus traços meigos e delicados e na sua aparência fofa natural de um jeito tão intenso, que eu só pude perceber quando dei de cara com uma árvore e meti a testa com tudo em seu tronco. Por pouco não quebrei alguns ossos, mas em compensação ganhei três pontos na testa, e uma cicatriz no mesmo lugar atualmente. Mas quer saber? Foi o machucado mais valioso que já levei na vida, pois o que foram alguns analgésicos e um pouco de dor comparado a ter visto Hoseok pela primeira vez, não é mesmo?

       E para variar minha cicatriz era até comparada a de Harry Potter, o que de fato nem era tão legal porque zombavam de mim e eu não tinha uma varinha para poder estuporar ninguém por me chamar de Harry Kim falsificado. Mas novamente eu pergunto, o que eram as consequências causadas comparada a ter o prazer de ter visto aquele garoto pela primeira vez não é?

     Depois do dia que o conheci eu não imaginava que no fim das férias de verão eu fosse encontrá-lo na minha turma, no meio de um grupinho de meninas que passavam a maior parte do tempo lendo mangás yaoi, diga-se de passagem as fujoshis da turma. Logo, enquato eu de longe o observava notei que Jung Hoseok era um fudanshi muito, muito, muito hard. Eu sempre quis me aproximar dele, mas descobri que ele criava um medo muito louco de garotos, e apenas se limitava a falar com as meninas do seu grupo. Hoseok parecia ter fobia, pois até mesmo se encolhia quando iria falar com algum professor ou quando era chamado atenção por algum deles. Talvez fosse porque a maioria dos meninos da sala desde o primeiro dia de aula implicavam com ele, o empurravam no chão, derrubavam seus livros, pegavam seus óculos e faziam o coitado quase cego andar tateando as coisas que eles escondiam ou faziam sei-lá-oque. Enfim, era compreensível seu medo absurdo por meninos, ainda mais quando sempre fui muito covarde para defendê-lo ou ajudá-lo. O problema é que… Como um magrelo, alto, que também é zoado pelo resto da turma, iria ajudar outro zoado? Não tinha como, a única coisa aconteceria seria eu pagando mico e não conseguindo nada além de livros rasgados ou um soco no meio da cara na época cheia de espinhas. 

     Assisti Hoseok crescer, vi de longe seu jeito infantil amadurecer um pouco, e sua fisionomia mudando. Continuava o mesma garotinho meigo pelo qual eu me apaixonei, e ainda mantinha o aparelho que sempre mudava de cor em sua boca, a unica diferença agora estava em seu corpo. Meu crush, em pouco tempo havia ganhado coxas roliças e bonitas até demais ao meu ver. Sem contar sua bundinha durinha e o físico magro de sempre, que contrastavam no corpo pequeno. Olhar para Jung Hoseok por horas incontáveis era sem dúvidas o meu passatempo favorito, e eu não me importava em parecer um babaca babão enquanto o admirava. Era difícil apenas nos momentos em que os valentões da turma o ameaçavam, ou até mesmo jogavam seus preciosos mangás no chão, pois ver uma carinha triste naquele rosto radiante era a pior derrota para mim. Eu gostaria de fazer algo, por vezes já pensei em me enfiar no meio daqueles trogloditas e mandá-los à merda - Acreditem, já sonhei várias vezes comigo sendo o Príncipe que salvaria minha princesa. - Mas nada disso adiantaria, e eu possivelmente passaria vergonha.

       O mais próximo que cheguei de ajudar Hoseok, foi quando eu estava passando pelos corredores e o vi de cabeça baixa recolhendo seus livros do chão. Ele parecia se segurar para não chorar, e eu me senti um total lixo por travar na mesma hora e não conseguir chegar até ele. Lentamente ele pegou tudo, e suspirou fundo limpando uma lágrima teimosa que insistiu em cair. Seu narizinho havia ganhado uma coloração vermelha, e tudo o que eu mais queria era poder abraça-lo e dizer o quão lindo estava daquele jeito. Queria ter buscado coragem de onde não tinha quando seu olhar triste cruzou com o meu, mas a única coisa que fiz foi virar para o outro lado respirando rapidamente graças ao nervosismo. Patético. É eu sei, mas o que posso fazer se Hoseok me deixa nervoso? Meu coração bate forte, de um jeito que até mesmo dói. E olha, se isso não for amor, eu não sei o que é.

       E meu amor não pode ser levado em segredo pelo resto da minha vida, estávamos no último ano do ensino médio e tudo que ele devia saber sobre mim é que eu sou o estranhão que senta na janela, só tem um amigo e podia até ser seu camarada no mundo do bullying. Foi pensando nesse lance de não deixar o amor guardado que eu e Yoongi decidimos foder com exatamente tudo e fazer todas as coisas que não se deve fazer quando tenta conquistar alguém. É claro que quando fizemos o tal trato não era nossa intenção fazer tanta burrada e nos sabotarmos com todas as merdas que se sucederam, realmente não passava pela nossa cabeça que seria tão desastroso. 

     Eu e Min Yoongi decidimos que Jung Hoseok seria meu até o final do ano, e Kim Namjoon seria seu igualmente. Decidimos que enfrentaríamos a timidez, que iríamos guardar a covardia lá no fundinho da nossa gaveta de meias ao sair de casa todas as manhãs, que nosso segundo nome seria "conquistador de corações", e que tudo seria diferente. foi a pior ideia que tivemos em todas as nossas vidas de adolescentes desajeitados. 




[...]


       4 anos. Exatamente 4 anos desde que a minha vida foi ligada a Kim Namjoon, e até hoje o máximo de palavras que trocamos, foram exclusivamente voltadas para o trabalho de matemática que fizemos juntos na oitava série. Não me orgulho nem um pouco de todas as merdas que fui capaz de fazer, mas a situação estava de um jeito tão crítico, que a minha única saída foi aceitar os “conselhos” de Taehyung e enfiar a cara de vez nesse lance de conquistar o boy. Por mais que eu sentisse que aquilo tinha tudo pra dar errado, eu resolvi enfrentar, afinal não é todo dia que se tem alguém tão trouxa quanto você pra passar vergonha aos montes como eu. Mas é aquela coisa, quando entramos no fogo é pra se queimar, e seria muito estranho se mesmo com o meu histórico nada curto de má sorte eu conseguisse algo com facilidade na vida certo? 


     O meu crush era um nerd desastrado apagadinho da escola, ele era fã de físicos, e seu maior passatempo era passar o dia inteiro agarrado a um livro de física Velho e Grosso o qual ele tinha tanto apego que até chegara a dar-lhe um nome. Namjoon era talvez o garoto mais inteligente da escola, e pra mim era também o mais bonito. Todo mundo que o conhecia zoava com ele por ele estar sempre usando roupas estranhas, em um tom bege, fora da escola, e nunca trocar a camiseta do flash que usava de baixo de uniforme da escola, era zoado? Era. Pra caralho. Mas eu achava tão bonitinho, era um detalhe só dele, e as roupas que ele usava apenas complementava o seu jeitinho único e perfeitinho a sua maneira. Ele usava um óculos horrível, era quase cego e tinha um cabelão loiro adorável, talvez a coisa que mais me encantasse fosse os cabelos. Mas, tiravam uma por ele usar os óculos e adoravam xingá-lo por ele tingir os fios de cabelo. Passei quatro anos sentado na mesma cadeira atrás do moreno para saber todos os seus costumes na sala de aula. Ele gostava de desenhar, e passava a aula inteira desenhando umas coisas bizarras que, segundo minhas pesquisas eram chamado de gore, eram muito bizarras mesmo, mas também eram conteúdos homossexuais. No começo achei que ele tinha ódio da minha comunidade, mas depois que eu me estiquei pra ver completamente seus desenhos enquanto ele ia ao banheiro e vi vários desenhos com conteúdo mais sexual, descobri que ele tava mais pra um artista emo-gótico-gayzasso. Então foi assim que descobri a sexualidade do cara mais inteligente da escola. Também descobri que o seu livro de física favorito que ele carregava até para ir ao banheiro, era meio que como um bizarro calmante; notei que em todas as vezes que ele teve que falar em público, minutos antes ele lia compulsivamente o tal livro. Pois é, eu tinha um ótimo dedo para escolhas, por isso escolhi ter um crush pelo cara mais desengonçado, estranho e bizarro da escola. E bom, agora tenho objetivo de ser tão bizarro quanto ele.


     Mas em questão de derrota eu não era sozinho. Até porque, enquanto Taehyung vivesse ao meu lado, eu sempre estaria no limite do cúmulo da derrota. Meu primo não só tem um crush super anti-social e cheio de fobias estranhas, como também era um apaixonado daqueles que definitivamente não sabia disfarçar. Ele chegou a um nível de fixação tão grande por Jung Hoseok que perdi a conta de quantas vezes ele ficava totalmente estático e desligado do mundo olhando para aquele ser. E claro, como nada nessa vida pode ser facilitada para Min Yoongi, eu ja fui obrigado a passar por diversas cenas constrangedoras e vergonhosas na frente de Namjoon graças a Taehyung e seu crush. Como por exemplo o dia em que Hoseok estava conversando animadamente entre várias garotas - Provavelmente sobre os incontáveis volumes de yaoi que eles lêem. - E Taehyung resolveu entrar em um completo transe exatamente quando eu necessitava de sua pessoa para criar coragem de chegar no crush e talvez lhe pagar um suco. O maldito ficou parado de um jeito tão estático que não demorou para ser atingindo com força por uma bolada na cara, e óbvio, se assustando e batendo em mim me fazendo derramar todo o suco de uva na minha própria roupa. Além de passar o resto do dia com cheiro de uva, ainda perdi Namjoon de vista pelo enorme pátio. Mas em compensação, ver um lado da cara de Taehyung roxa devido a pancada havia me recompensado, ao menos um pouquinho. 

      Meus episódios vergonhosos com Taehyung já eram suficientes para me fazer querer cavar um buraco no chão e sair do outro lado do mundo, mas depois que começamos a por todo o plano em prática, parece que tudo que passei até agora foram coisas normais do cotidiano. Sim, consegue ser pior do que a vez em que ele quase me jogou para cima do Namjoon quando eu passava por sua mesa no primeiro ano e eu por pouco não cai no colo do coitado, ou quando ele decidiu que eu deveria me confessar como uma garotinha e enfiou uma cartinha dentro do armário de Namjoon como se fosse eu ao me confessar, só que ele não assinou meu nome e ele acabou achando que na verdade era uma garota, eu fiquei até com pena, ele apenas foi perguntar se era a tal suspeita e a criatura abominável das cavernas jogou pudim de chocolate na cabeça dele, deixando muito claro que nunca iria mandar algo assim pra ele, porque Taehyung não só estragava minha vida como a do crush também, claro. Após nosso nome de guerra ter virado “conquistadores de corações” toda vergonha que já passei na vida foi pouca, todo desastre que já cometi eram nada, e todo micão que paguei no crédito estava sendo cobrado em juros.


Notas Finais


Preparados para os maiores micões do mundo? shuaushuahsua

Comentem o que acharam S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...