História Como (não) se apaixonar por Kagami Taiga - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Hyuga Junpei, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya
Tags Kagami Yaoi, Kuroko
Exibições 137
Palavras 1.225
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Isso não pode acontecer pt 3


Kuroko's pov

Eu estava muito aflito, dirigia o mais rápido que eu conseguia, Kagami estava completamente tenso do meu lado. Assim que avistei o hospital, acelerei. 

-Kuroko você não entrar em desespero. Mantenha a calma.  - apenas ignorei e estacionei o carro de qualquer jeito. 

-Algum gravido chegou aqui? - eu sentia minhas mãos tremerem.

-Sim, ele chegou em estado grave e está em cirurgia agora. 

-Cirurgia? 

-Sim, acho que o marido dele está na sala de espera. - ela apontou a direção e eu fui correndo para a sala. Olhei para todos os lados e finalmente achei Aomine. 

-Aomine - o chamei e ele se levantou, seu estado estava péssimo, os olhos extremamente vermelhos e ele ainda chorava muito. 

-Kuroko eu estou com tanto medo. - eu queria poder ajudar, o puxei para perto e dei um abraço bem apertado, ele se desabou em lagrimas, fazendo meu coração se apertar e não pude mais segurar o choro.  Depois de um tempo tentando me acalmar e acalmar Aomine eu perguntei. 

-Como foi que isso aconteceu? - queria entender de uma vez toda essa história e havia pedido para Kagami ir buscar um pouco de água, assim Aomine se sentiria mais a vontade em me contar. 

-Estava tudo normal quando eu sai para ir ao treino, ele só estava sentindo um enjoo forte. Do nada eu recebi um telefone e ele estava em desespero, eu sai correndo para casa e encontrei ele sangrando muito. Ele disse que havia caído da escada e que estava perdendo nosso filho, depois disso ele desmaio e agora está na sala de cirurgia. 

-Calma, tenho certeza que vai dar tudo certo. 

-Mais meu bebê só tem 7 meses. - me partia o coração ver Aomine nesse estado. 

-Eu sei, mas tenho certeza que eles já sabem o que fazer e que eles estão bem. Hoje em dia várias crianças nascem pre-naturas e crescem saudáveis.  Vamos aguardar o que os médicos tem a dizer com pensamentos positivos. - ele apenas concordou com a cabeça, nesse instante uma garrafa de água apareceu na minha frente, peguei de Kagami o agradecendo em seguida, Aomine fez o mesmo. 

-Você foi mais rápido do que eu pensei? - Aomine perguntou e eu não entendi. 

-Eu falei que ia. - Kagami respondeu simples. 

-O que está acontecendo? - perguntei sem entender nada. 

-Ele não falou? - Aomine olhou para Kagami que apenas respirou fundo. 

-Eu ia falar, mas aconteceu tudo isso. 

-Então você só viu ele hoje? 

-Sim. Kuroko, antes de ir para sua casa, eu já havia ido ver o Aomine. 

-Então faz tempo que você voltou? - perguntei já entendendo o que estava acontecendo, com certeza ele só foi falar comigo por que Aomine pediu. Sorri sem graça ao percebi que já estava criando falsas expectativas.

-Não faz tanto tempo. 

-Eu pedi para ele ir falar com você, caso contrario eu mesmo contaria que ele já havia voltado. - apenas abaixei minha cabeça e ri triste. 

-Eu sabia. 

-Kuruko não é o que está pensando. Eu realmente quero resolver os problemas que ti causei. 

-Como? Causando mais problemas? - levantei minha voz e ele se assustou, Aomine se levantou e respirou fundo. 

-Aqui não é lugar pra isso. Parem agora, depois vocês se resolvam ou se matam, não sei, mas agora não. 

-Tem razão. Desculpa. - disse Kagami e eu apenas fiquei em silencio. 

Horas começaram a se passar e não se tinha nenhuma noticia de Kise, eu estava agoniado, Kagami as vezes andava um pouco, Aomine não parava de perguntar aos enfermeiros se estava tudo bem e eles apenas diziam que a cirurgia não havia acabado ainda e que ele teria que esperar mais um pouco. Depois de horas esperando um medico finalmente chega. 

-Como ele está? - Aomine perguntou desesperado, Kagami e eu apenas nos levantamos e esperamos por respostas. 

-Vocês podem me acompanhar por favor. - todos acenaram e começamos a seguir o medico até um quarto, ao entrar vimos Kise ligado a vários aparelhos e aquilo fez meu coração doer e já senti lagrimas descer pelo rosto. 

-Kisee. - Aomine foi até o lado da cama e segurou a dele e começou a chorar. - Ele está bem, não é? - o medico respirou fundo e ficou de frente para Aomine. 

-Ele não está bem. - essa frase me fez cair em lagrimas e deixou Aomine em desespero.

-Como assim? - Kagami perguntou.

-Ele está em coma, o parto foi de alto risco. Quando ele chegou aqui, ele não estava desmaiado, ele já estava em coma, a criança estava quase falecendo e tinhamos que fazer o parto com cuidado para salvar os dois. 

-E meu filho? Como ele está ? 

-Ele está bem, já não corri mais risco e já foi levado á encubadora, pode ir vê-lo se quiser. 

-Kise vai acordar né? - perguntei com medo da resposta.

-Eu realmente não sei. Ele em extremo risco no momento, não podemos fazer nada com ele em coma, precisaríamos fazer exames para confirmar, mas não podemos com ele nesse estado. A única coisa que peço é que orem por ele, no momento é a única coisa a se fazer. 

-Mais há a probabilidade dele acordar? - perguntou Kagami. 

-Não. Eu lamento. - o medico saiu da sala e eu comecei a chorar muito, foi para perto de Aomine que tinha se ajoelhado perto da cama e me ajoelhei junto com ele. 

-Ele vai acordar, eu tenho certeza que ele não me deixar. - eu concordei e o abracei ele chorou muito e eu também estava chorando. 

-Kise é forte, ele vai voltar para gente. - me afastei de Aomine e cheguei perto de Kise. - Eu sei que você pode me ouvir Kise. Por favor volta, a gente precisa de você, Ichiro precisa de você e Aomine precisa muito de você. - fiz carinho no cabelo dele e deixei um beijo na testa do mesmo, olhei em direção a porta e vi Kagami chorando e ele se aproximou.

-Hey Kise, você tem que voltar, acredito que você não vai deixar seu bebê sozinho nas mãos do Ahomine. 

-Você não presta mesmo. - eu disse e ele apenas abaixou a cabeça, eu o entendia, a situação estava das piores, Aomine se levantou. 

-Loirinho, volta pra mim, eu te amo tanto. Eu não posso te perder agora, principalmente agora, Ichiro precisa de você, eu não vou conseguir sozinho. Por favor Kise. - ele começou a chorar mais descontrolado a cada palavra e apenas sentia a dor dele naquele momento, sabia que estava doendo e que não era pouco. - Eu te amo tanto Kise. - ele beijou a testa dele e fez carinho nos cabelos de Kise. 

-Aomine, vamos ver o bebê, assim você se acalma um pouco. - disse Kagami e ele concordou. Fomos andando até o berçário. 

-Oi, você pode me dizer onde estão os bebês pre-maturo? - perguntei para uma enfermeira.

-Eles ficam numa sala separa. O bebê nasceu hoje? - concordei com a cabeça.  - Vocês só vão poder ver, daqui a algumas semanas, se estiver tudo bem com a criança, poderam tocar de leve, até finalmente poder pegar a criança. - todos concordaram. Entramos na sala e vimos várias encubadoras, todas vazias, tinha apenas o Ichiro de pré- naturo. Chegamos bem perto e Aomine me abraçou chorando muito. 

Continua
 


Notas Finais


Até o proximo capitulo

~Kissus of Moon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...