História Como Não Sobreviver A Um Apocalipse Zumbi - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7, TWICE, UNIQ
Tags K-pop
Exibições 67
Palavras 1.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii, não vou me demorar aqui.
Obrigada a quem favorita e lê e desculpa não ter postado antes, minha criatividade ta 0.
Sem mais de longas....
Boa Leitura <3

Capítulo 7 - Tem Uma Maquina?


Fiquei deitada na cama de olhos fechados, tentando relaxar e processar tudo que aconteceu hoje. Realmente foi muita coisa... ah, como eu to exausta. Foram tantas coisas em um só dia, vou precisar dormi uns 3 dias seguidos, mas quem consegue dormi em uma ocasião dessas? Eu. Sim eu consigo. E se a Aiko não sair desse banheiro agora eu vou acabar dormindo. Abri os olhos e fiquei olhando pra o teto pra não correr o risco de dormi.

Reparei que havia alguns desenhos no teto, parecia uma menina em algum tipo de campo de flores, talvez flores de varia cores alegres no passado, mas no momento eram flores desbotadas. Senti um conforto no peito ao olhar aquele desenho, que mesmo sem vida me trazia uma sensação boa. Eu estava em algum tipo de transi, perdi meu olhar naquele desenho, mas fui interrompida por uma Aiko só de toalha.

- Aaah tão relaxante! – Ela disse parada em frente a porta do banheiro de olhos fechados e um sorriso no rosto. – Sua vez. – ela olha pra mim.

- Tem toalha? – Pergunto me levantando e indo pro banheiro

- Tem uma.

- Tá.

Entrei no banheiro, me despi de minhas roupas, liguei o chuveiro e fiquei em baixo do mesmo só deixando a água cair em mim. Era realmente relaxante. Depois de um tempo, comecei a tomar banho de verdade. Quando terminei o banho, coloquei uma roupa e me deitei. Fechei meus olhos e depois de poucos minutos adormeci.

                                                                            . . . 

Acordei com um risco de luz bem nos meus olhos, tantos lugares pra essa bendita luz ficar e ela vai ficar justo nos meus olhos. Me levantei, fui até a janela, abri um pouco a cortina e vi umas pessoas, ou melhor: zumbis, andando pela rua. É claro que eram zumbis, quem seria o tapado de ficar zanzando pela rua á toa em um momento como esse? Claro que ninguém é idiota de sai... espera. Vejo um ser de cabelos verdes, escondido atrás de uma parede e logo depois correndo pra trás de outra parede.

- Que imbecil. – Falo pra num sussurro pra mim mesma.

- Que foi Sakura? – Ouço a voz da Aiko, e me viro pra olha-la. Ela estava sentada na cama com a cara toda amassada. – O que você ta olhando?

- Um idiota fazendo idiotices. – Falo saindo de perto da janela e indo pro banheiro.

- Eu que ia. – Ela diz irritada

- Ia.

Fiz minhas necessidades e higienes bem devagar só pra irritar a Aiko. Só que ela pareceu não ter se importado, já que não ficou batendo na porta na porta nem ter enchido meu saco.

- Aleluia. – Ela fala a sim que eu saio.

Pego uma das ultimas peças de roupa que e trouxe, já que não dava pra trazer tudo. Coloco uma calça escura que parece ser jeans mas não é; na verdade é um tecido bem confortável, uma blusa de manga curta bem soltinha e confortável, o tênis que eu estava usando e só. Bem simples. Espero a Aiko sair do banheiro pra poder pegar as roupas que nós duas havíamos jogado lá. Vou lava-las, precisamos de roupa limpa pra continuar a “jornada”.

- Se troca, vamos embora. Espera só um pouco aqui. – Digo enrolando as roupas em um lençou formando assim uma trouxa. – Se quiser comida tem uma bolacha na minha bolsa. – Vi que ela ia falar alguma coisa só que eu sai do quarto antes que ela pudesse começar a dizer.

Olhei pro corredor que estava, não sabia onde estava todo mundo. Talvez estejam dormindo, acho que ainda é cedo. Lembrei do Tae falando que todos os meninos costumavam falar que ficavam lá em cima naquela sala, então vou até lá.

Começo a subir a escada estreita que tinha naquele lugar, quando por fim cheguei na sala vi que só um dos meninos estava lá, sentado de olhos fechados, será que ele esta dormindo?

- Oi. – Falo um pouco alto já que percebo que ele não notou minha presença, e ele logo abre os olhos assustado e se levanta. – Jin, não é?

- Ah?! Sim. – Ele diz com um sorrisinho fofo. – Tudo bem?

- To... é eu queria saber se aqui vocês tem algum lugar onde eu possa lavar minhas roupas? – Pergunto chacoalhando levemente a trouxa de roupa .

- Ah... claro, se quiser eu posso lavar pra você...

- Não valeu, e não insista se não eu vou aceitar. – Acrescentei vendo que ele ia se contrapor.

- Tudo bem. – Ele diz dando um risinho fraco. – Vem.

Ele me guia até uma porta que dava em uma sacada, e na sacada tinha uma escada que levava pra o telhado da casa. Ele se oferece pra levar a minha trouxa de roupa e eu aceito. Nós subimos as escadas e lá em cima tinha uma lavanderia protegida por um telhado bonitinho.

Na moral? Lá era muito fofo, tinha uma pequena horta umas cadeiras e uma mesinha, a única coisa que estraga a beleza desse lugar é as flores mortas iguais a da pintura, e a visão dos zumbis andando arrastados.

- Aqui é bonito. Tirando a visão. – Eu digo e ele da um risinho abafado. – E essas flores. Coitadas.

- Quer que eu te ajude a lavar as roupas?

- Quero. Mas não com a roupa, aqui tem peças intimas. Não seja pervertido Jin. – Aponto meu dedo indicador pra ele e balaço negativamente, e uma mão eu coloco na cintura.

- Eu?! Jamais. – Ele diz realmente nervoso, o que me faz rir.

- To brincando. Você tinha que ver sua cara. – Ele ri. – Ta vamos lá.

- O que quer que eu faça?

- Pode pegar u sabão em pó e o amaciante?

- Claro.

- Eu vou colocando as roupas na maquina. – Ele me entrega as coisas e eu agradeço, coloco a roupa pra lavar e me viro encarando ele. – E ai? Gosta de água? – Que que e to falando?!

- Gosto. E você? – Ele pergunta rindo

- Curto bebe de vez em quando. – Isso nos faz rir. – Essa casa é sua?

- Não, é do Hoseok.

- Ah, o que me levou no quarto ontem né?

- Esse mesmo.

- Me responde uma coisa?

- Sim.

- Vocês são loucos?

- Talvez, por que? – Eu rio soprado

- Eu e minha irmã entramos na sua casa... – Ele me interrompi

- Acompanhadas do Suga.

- ...e não nos fazem pergunta nenhuma. – Continuo como se não tivessem me interrompido, e isso o deixa um pouco envergonhado.

- Acredite, o Suga não ficou sem não nos falar nada mais de uma vez.

- Ahh...

- E pode deixar que hoje na hora do almoço, vocês não vão nem conseguir comer de tanta pergunta.

- Então, não vai dar, sabe?!

- O que? Por que?

- Eu vou embora assim que essas  roupas secarem... você tem secadora?

- Não. Vai ter que secar pelo sol mesmo. Parece que agora vamos almoçar sim.

- Olha eu tenho que ir embora pra... pra...

- Pra?

- Não sei pra onde ainda, ok? Mas eu não posso ficar aqui, preciso ir pra um lugar onde não tenha zumbis.

- Não vai encontrar nenhum lugar assim.

- Claro que vou. O Brasil. Lá é bem longe daqui.

- Primeiro: como você iria pra lá? E segundo: não dá porque já tem zumbi em todo o mundo, não é só na Coreia.

- O que? O mundo todo? Como?

- Sei lá, vi na tv.

- Mas isso aconteceu ontem. – Não podia ser verdade, não.

- Aconteceu ontem pra nós, sabe-se lá a quanto tempo o governo tava escondendo isso da gente.

- Merda. E agora? Como fica a vida de todo mundo? Como vamos viver assim? Nem uma cura existe ainda.

- Não vamos viver, vamos sobreviver.

- Sobreviver. – Repeti suas palavras baixinho pra mim mesma.

- A roupa.

- Que? – Perguntei me despertando dos meus pensamentos.

- A roupa ta pronta. – Me virei pra olhar a maquina estava realmente pronta.

Ele me ajudou a estender a roupa, na verdade eu não estava mais lá, eu viajava em meus pensamentos. Que droga ta acontecendo? Um apocalipse zumbi. Vamos ter que sobreviver a um apocalipse zumbi.

- Jin o que você estava fazendo deitado lá? – Pergunto me desvencilhando dos meus pensamentos.

- Droga, Suga.

 

. . . 


Notas Finais


Voltei... enfim, eu queria muito colocar o Jin pra conversar com a Sakura em um momento melhor, mas como eu disse, minha criatividade ta 0. Porem terão muitos outros momentos pra ele aparecer, assim como o pessoal dos outros grupos, mas primeiro eu quero mostrar melhor a vida da Sakura com os meninos do BTS pra depois, quando o povo aparecer a história correr do jeito que eu quero.
É só isso por hoje, novamente desculpa por não posta.
Tchau....
P.S: Eu te amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...