História Como (não) ter um Ômega-ABO Universe. - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~VorazOhFodao

Postado
Categorias Block B
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Personagens Originais, Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Taepyo, Ubomb, Zikyung
Exibições 243
Palavras 928
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Como (não) se declarar.


Fanfic / Fanfiction Como (não) ter um Ômega-ABO Universe. - Capítulo 2 - Como (não) se declarar.

-Você precisa me ensinar a dançar.-Jihoon continua aquela ladainha mesmo depois de ter ouvido não por um dia todo.
-Já disse que não.-Falo e sorrio da careta de tristeza que ele faz.
-Hyung... Ajuda ele vai...-Zico fala entediado e cansado de ouvir a voz do mais novo pedindo a mesma coisa por tanto tempo.
-Olá Garanhões!- A voz mais linda do mundo ecoa por trás de meu corpo e as mãos e braços maravilhosos circulam a minha cintura, num aperto maravilhosamente caloroso. Como só ele pode me dar...
-Kwonie...-Pyo fala de maneira animada ao ver quem era.-Me ensina a dançar?-Fala animado batendo palminhas. Rio internamente pela provável resposta negativa.
-Claro! Eu e Bombie vamos adorar te ajudar depois das aulas... Não é Bombie?-Pergunta ficando ao meu lado, me olhando com aquela cara que sempre me convenceu a fazer várias coisas... Merda! Sou uma colegial apaixonada! Cômico.
-Claro Kwon...-Falo e forço um sorriso fraco.
Zico e Pyo só me lançam a melhor cara de deboche e posso apostar que estão se segurando ao máximo para não rirem assim, na minha cara... Até eu quero me matar...
-Ótimo!-Ukwon fala e sorri. Aquele sorriso... Aqueles lábios... A vontade de me perder neles é imensa e se eu pudesse... Já tinha feito há muito tempo...-Podemos treinar aquela coreografia de street que vamos apresentar... O que acha Bombie?
-Pode ser...-Falo meio entorpecido pelo seu sorriso, que ainda era recente em minha memória.
-Vamos para a aula agora... Não queremos nos atrasar...-Zico fala e começamos a andar em direção as nossas salas.
Agora teria aula de teatro. Faço artes cênicas como os outros meninos, mas nossas aulas não são sempre juntas. Tenho aulas de dança com Yukwon, canto com Jiho e instrumental com Pyo... Um saco... Poderia estar fazendo somente dança, mas mesmo sendo ruim em pintura, atuação e tocando qualquer tipo de instrunento, queria ter noção e ter o gosto de saber sobre as artes...
-Que aula você tem agora Bombie?-Kwon me pergunta assim que paramos na ponta da escada, para nos separar.
-Teatro... E você?-Pegunto olhando para a sua linda face, que estava levemente corada e seus cabelos pretos, bagunçados.
-Desenho...Até mais...-Diz e me beija a bochecha, saindo correndo e envolto de uma áurea de vergonha sobre seu corpo. Ele nunca muda, sempre vergonhoso...
Subo as escadas para ir ao auditório onde fazemos as aulas de teatro e encontro as gêmeas na sala. Como sempre, cheias dos seus seguidores Alfas que acham que um dia vão conseguir comer...
-Bombie...-Alana vem em minha direção assim que começo a caminhar para o palco. Como uma boa cadelinha, está envolta de sua falsa áurea de santidade.
-Eai...-Digo sem interesse e passo por ela sem ao menos olhar para aquela cara de falsa inôcencia.
-Nhyukie...-Alina diz vindo como a segunda cadela mais dedicada em minha direção, com a sua pureza fingida me dando nos nervos.
Aceno e subo no palco, o professor já estava lá, porque sempre chegava cedo.
-Bom dia... Acho que já podemos começar.-Fala e sorri.-Vamos fazer um aquecimento rápido... Todo mundo relaxando o corpo...-Falou, e deixei meu corpo relaxar. A única parte boa do teatro é isso: os exercícios de relaxamento...
Já relaxados, o professor passou uma daquelas atividades rápidas de diálogos em duplas. Lógicamente fiquei com uma das gêmeas, que claro, não saiu do meu pé.
-Um de cada dupla vem e pega o papel... Você vai atuar no tema, e o outro vai interagir no modo com que você vai introduzir o assusto.
E assim foi. Cada dupla fazendo um pequeno diálogo sobre traição, morte, términos, amizade, drogas, e mas alguns temas que eu não entendi.
-Minhyuk, você pode vir pegar o papel?-O professor perguntou, levantei-me maquinadamente e andei em direção à ele que me entregou o pedaço de papel.
Declaração amorosa.
Simples e objetivo. Estava ali, no papel o que eu deveria fazer. Mas ao olhar para a cara maquiada e assustadoramente perfeita de Alana, vejo que não é a pessoa com quem quero fazer isso.
Olho atônito para o professor, que sorri e me fala um "finja que é uma pessoa muito amada por você".
Meu corpo tremeu e a imagem de Yukwon sorrindo vem à minha mente. É isso! Yukwon vai ser a minha inspiração... Espero não cagar nisso também.
Ando em direção ao corpo de Alana guardando o papel no bolso. Olho para os bancos e posso jurar que vejo Yukwon ali. Sorrindo. Para mim. Força Minhyuk.
Respiro fundo e olho novamente para Alana, mas não a vejo em minha frente. Em seu lugar, está Kim Yukwon. Um arrepio percorre minha espinha. Tomo coragem e falo, tudo o que está entalado em minha garganta.
-Nem sei por onde começar...-Pego em suas mãos.-É tudo tão diferente quando estás comigo que perco a noção do mundo ao seu lado... É estranho, mas um estranho bom...-Falo e sorrio com a sensação que isso está me causando.-Sinto como se não pudesse deixar-te partir... E não aceito mais ser um mero conhecido... Um amigo para você... Insuportável, é conviver ao seu lado sem poder te tocar da maneira que mais quero...-Digo e me ajoelho.-Quero ser mais... Mais à você e mais ao que temos... Quero que sejas meu tanto quanto quero ser seu... Aceite-me como teu!-Digo por fim me levantando e piscando fortemente quando escuto palmas e me lembro... Que tudo não passou de uma encenação.
-Incrível!-É tudo o que o professor diz enquanto aplaude e olho mais uma vez à minha frente e não vejo mais Yukwon. Vejo Alana sorrindo boba olhando para mim. Droga! O que foi que eu fiz??


Notas Finais


Reviso logo mais.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...