História Como (não) ter um Ômega-ABO Universe. - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~VorazOhFodao

Postado
Categorias Block B
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Personagens Originais, Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Taepyo, Ubomb, Zikyung
Exibições 218
Palavras 1.489
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Como (não) tirar satisfações.


Fanfic / Fanfiction Como (não) ter um Ômega-ABO Universe. - Capítulo 4 - Como (não) tirar satisfações.

Depois de ficar vegetando naquele corredor estúpido. Sendo encarado por todos que presenciaram a vergonhosa gritaria que os Ômegas fizeram. Vi que estava completamente sozinho e abandonado. Aqueles vira-latas estúpidos e sarnentos. Estava em pé naquele corredor, sozinho, e com a maior cara de tacho que alguém poderia estar.
Ainda tentava processar o nome de Ukwon naquela confusão toda. Será que ele gosta de mim? Será que ele me ama? Será que eu passei todo esse tempo pensando que ele não queria nada comigo à toa? Quer saber? Vou atrás de Yukwon agora!
Pego minha mochila que estava jogada no chão ao meu lado e desço as escadas mais rápido que um dia descerei novamente. Corria por todos os corredores o mais rápido que podia e sentia meu corpo pedir por descanço, afinal, as únicas atividades físicas exercidas por meu corpinho são a dança e o sexo...
Ainda correndo saco o celular do bolso e digito o número de Ukwon, ligando para ele em seguida.
-Alô?-A vozinha inconfundível se faz presente do outro lado da linha e meu coração falha.
-Onde... Você está?-Falo em meio a respiração descompassada.
-Estou em casa...-Responde-me entediado. Meu corpo se aquece e eu corro ainda mais rápido.
-Fica ai!-Gritei e desliguei o celular. Tirando com rapidez a chave do meu carro do bolso da minha calça.
Entrei no carro e liguei o mesmo, começando a dirigir feito um lunático. A verdade é que eu tenho a esperança de que Kim Yukwon goste mesmo de mim...
As ruas estavam ligeiramente vazias e o trânsito estava leve. Levei cerca de 8 minutos para fazer o percurso de 30 minutos que leva até a casa de Yukwon. Pelo menos a multa vai valer a pena...
Parei o carro e desliguei o motor. Saltei quase que correndo. Parecia até que eu estava em uma maratona. Cômico...
-Yukwon! Abre a porta!-Falei enquanto socava a porta de entrada de mógno.
Em um solavanco, a porta se abre, revelando um ser vestido apenas com uma samba canção estampada com sorvetinhos e uma regata super cavada-no estilo Yukwon- com desenhos de florzinhas. Seus cabelos estavam mais bagunçados e ressecados e sua face amassada e inchada, denunciava que ele estava dormindo, e que provavelmente tinha chorado. Ele provavelmente estava chorando por mim? Cara que felicidade... Mas a tristeza me envolve, e eu encaro aqueles olhinhos brilhantes que me encaravam de volta curiosos.
Em um ato desesperado, busco seu corpo em um abraço apertado. E ele retribui sem pensar duas vezes.
Naquele aperto sinto seu corpo quente se apoiar em mim, sua respiração na curva de meu pescoço, seus lábios roçando minha pele involuntáriamente, seu cheiro de frutas citricas e rosas me alucinando... Ele é com toda a certeza do mundo o amor da minha vida!
-Entra Bombie...-Ukwon fala separando o abraço, sorrindo pequeno para mim e dando-me passagem.
Assim que entro, Kwon me encaminha para a sala de sua casa e eu posso ver o poço da bad instalado com sucesso naquele lugar. A mesa de centro lotada de doces e salgadinhos, refrigerantes, sucos e sorvetes também estavam sobre o sofá e chão. Na TV, um romance clichê estava sendo reproduzido, e no sofá, um cobertor estava enrolado de qualquer maneira.
Parece que alguém estava sofrendo...
-Yukwon... Eu queria saber se você está bem...-Começo assim que ele se senta no sofá e coloca o pote de sorvete no colo.
Me sento ao seu lado e ele suspira pesadamente.
-Kyungie e Taeilie foram falar com você né?-Pergunta receoso e eu afirmo com a cabeça.-Bom... Então eu acho que tenho que esclarecer algumas coisas...-Completa e respira fundo, colocando a TV no mudo e o pote de sorvete na mesinha que estava cheia de guloseimas.
-O que eles me disseram... É verdade?-Tento ser cuidadoso e ao mesmo tempo direto, a curiosidade matando a minha linha de raciocínio e a espectativa rondando o ambiente de maneira assutadora.
-Nem tudo...-Fala e respira fundo.-Eu fui sim lá para ver alguém no teatro, mas saí de lá aos prantos assim que vi ele abraçado à outra pessoa com tanta afinidade e romântismo...-Começou a explicação e meu coração se apertou. Então não era eu...-Eu meio que entendi que essa pessoa não me quer do jeito que eu quero ela...-Falou e eu me lembrei do crush que ele tinha na aula de teatro. Maldito!-Eu posso ser até infantil de não achar que era atuação, mas eu senti que não era...- Pois é realmente não era eu... Mas quem será? Enquanto Yukwon continuava seu discurso, me afundo em pesamentos.
Quem poderia ser o Amor de Kwonie? Quais foram as pessoas que se abraçaram?  Cléo e Lucas! Não, eles são ômegas... Britney e Shawn? Não, eles são um casal há séculos... Pode ter sido o Clóvis? Mas ele e Kwon nem se conhecem... Ahn Jaehyo!?
-Eu juro... Tentei evitar, mas não podia simplesmente não sentir nada...-Kwon fala e eu consigo captar.
-Eu acho que entendo...-Como eu nunca percebi antes? Ahn Jaehyo e Yukwon sempre se falaram... Sou tão imbecíl!
-Nós nos conhecemos há varios anos já e, eu me envolvi demais...
-Há tempo demais...-Minhas mãos querem matar você Ahn Jaehyo... Arrancar cada dente seu e quebrar seu nariz de todas as formas possíveis.
-Eu juro... Não tem como não pirar com o sorriso, os lábios, o olhar...
-É... Não tem mesmo...-Convenhamos né? Não tem como competir com um cara como Ahn Jaehyo... O cara foi escúlpido pelos anjos... Enquanto eu... Deus estava com raiva dos meus pais quando me criou...
-Eu quero que sejamos mais que amigos...
Se eu matar Ahn Jaehyo... Posso tê-lo para mim... Posso enfiar Ahn Jaehyo no fundo do Oceano e Kim Yukwon será meu! Mesmo que na minha eterna Friend Zone...
-Se eu matar Ahn Jaehyo te terei para mim...
-Você está me entendendo Minhyuk?-Kwon me cutuca e eu paro de pensar nas maneiras que Ahn Jaehyo poderia morrer lenta e dolorosamente.
-Estou...-Soa mais como uma pergunta do que uma afirmação. Ukwon revira os olhos.
-Eu aqui me espondo e você ai com seus devaneios?-Ele fala num misto de mágoa e nervoso.
-Eu não estava em devaneios!-Minto tentando me defender, mas Ukwon ri irônico.
-Eu te conheço Minhyuk! Você faz caretas quando está nos seus devaneios!-Acusa me fazendo perder a linha.
-Eu não faço careta quando fico em devaneios!-Uso a voz de alfa e Kwon se assusta, mas não baixa guarda.
-Não usa essa porra de voz de Alfa comigo!-Ele grita e me empurra.-Vai embora! Agora!-Grita mais alto e se levanta, saindo da sala, provavelmente indo para seu quarto.
-Kwon... Desculpa...-Falo me levantando e começando a caminhar atrás dele.
Quando estava prestes a subir as escadas, a campainha toca e sinto o cheiro de Ahn Jaehyo. Parece que tudo está ao meu favor na ideia de te matar Ahn Jaehyo... Veio dançando até a morte... Arqueio a sobrancelha e vou mais que voando em direção a porta de entrada.
Abro a mesma e vejo a figura de Ahn Jaehyo parada em minha frente. Ele abre a boca para falar algo, mas sou mais rápido e solto tudo o que tenho vontade de falar antes de matá-lo.
-Seu namoradinho está lá no quarto...-Falo e ele faz cara de quem não entendeu. Foda-se! Vou falar é tudo!-Eu o amo... Demais! Então, para com esse caralho de palhaçada e valoriza o meu Kwonie, se não eu arranco toda a sua beleza na porrada!-Falo e o mesmo mantém aquela cara de não entendi...-O negócio é o seguinte: eu amo o Yukwon desde que ainda estávamos no.primário, mas ele nunca me viu da mesma maneira... Eu acho... E agora que você está com ele eu devo te dizer que você também é corno, porque o Kwon já dançou agarradinho comigo várias vezes... Já dormiu na mesma cama que eu... E eu sei que não é traição, mas eu quero deixar claro que: se você não valorizar o Kwonie, eu vou roubar ele de você, nem que eu tenha que sequestrá-lo para isso!-Falo e Jaehyo faz uma espressão de riso.-Ele me expulsou da casa dele por culpa sua! Porque eu estava em devaneios tentando achar formas de matar você e não prestei atenção no que ele estava me falando...-Nesse momento, sinto uma mão bem no meio das minhas costas e um arrepio corta a minha espinha. Yukwon está aqui... Ouvindo toda a minha falha declaração de amor...
-Então... Você me ama?...-Sua voz sai doce e calma, fazendo-me arrepiar. Meu coração falha uma batida.
-Desculpa... Eu... Sinto muito...-Falo da maneira mais fiasquenta possível e saio correndo dalí. Praticamente voando ao meu carro, abro a porta e bato ela travando desesperado enquanto ligava o motor e ouvia os gritos de Kwon pedindo para que eu não fosse.
A vergonha me consumindo, engatei a marcha e saí à toda velocidade, olhando pelo vidro seu rosto belo pela última vez.
Olho para frente e vejo que já é tarde demais, sinto um impacto forte e minha mente se desliga.


Notas Finais


Reviso logo mais.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...