História Como (não) ter um Ômega-ABO Universe. - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~VorazOhFodao

Postado
Categorias Block B
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Personagens Originais, Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Taepyo, Ubomb, Zikyung
Exibições 207
Palavras 1.667
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Obrigada pelos favoritos <3
Hoje, mais tarde, postarei mais um! *-*

Capítulo 6 - Como (não) ter amnésia.


Fanfic / Fanfiction Como (não) ter um Ômega-ABO Universe. - Capítulo 6 - Como (não) ter amnésia.

A claridade da manhã estava machucando meus lindos olhinhos. Me mexi na cama e ouvi murmúrios que não entendi muito bem.
-Omma feche as cortinas...-Resmungo e ouço as vozes ficarem mais altas.
-Senhor... Ele acordou.-Uma voz feminina disse num tom calmo. Deve ser a nova diárista daqui de casa.
Mas a claridade não sumia, mesmo eu me virando para ambos os lados de minha cama.
-Omma... Por favor!-Choramingo.-Feche as cortinas... Kwonie me magoou muito ontem na festinha do Zico...-Falo me lembrando da cena que presenciei. Meus olhinhos se encheram de lágrimas e meu peito se apertou.
-O que aconteceu Querido?-Uma outra voz. Mais grave e séria me perguntou. Appa!
-Appa... Ontem na festinha de video-game do Zico, o Kwonie beijou um outro Alfa!-Falo completamente magoado. A cabeça afundada no travesseiro, fazendo a minha voz sair abafada. Meu choro insistia em vir, mas seria forte!
-Que trágico Querido!-Uma outra voz feminina se faz presente. Omma!
-Eu sei Omma! Agora eu estou aqui no poço profundo da falta de amor! Meu coraçãozinho está completamete magoado... Eu nunca mais quero ver aquele traíra!-Falo deixando algumas lágrimas molharem meu travesseiro.
-Quantos anos você tem?-Meu Appa pergunta.
-Nossa! Que pai legal você!-Falo rindo cínico.-Eu tenho 13 anos para a sua informação! Eu sei, já sou um homem para ficar sofrendo! Mas eu não consigo evitar! O Kwonie é meu melhor amigo e meu amor... Omma! Faz alguma coisa!-Falo e me viro na cama ficando de frente para os meus... Espera ai! Que diabos está acontecendo aqui?!
Olhei em volta do local que era completamente branco. As pessoas que estavam falando comigo não são meus pais, e sim uns estranhos vestidos de branco. Eles sorriram para mim. Envergonhado, abaixo a cabeça e coloco as mãos no rosto. Droga!
-Calma Senhor Lee!-A voz da pessoa que achei ser meu Appa fala tentando me confortar.
-O Senhor está no Hospital Central.-A voz da mulher fala e eu levanto meu rosto completamente preocupado.
-O que eu estou fazendo num hospital?-Pergunto temendo o pior.-Por que meus pais não estão aqui comigo?-Falo olhando ao redor e vendo que não tinha nem sinal de meus pais.
-Seus pais estão no Caribe... De férias...-Um rapaz que estava ali sem falar nada até agora me responde.-Eu estou responsável por você no momento.
-Por que meus pais me deixariam com um estranho? Ontem eles estavam comigo em casa depois da festa do Zico!-Falo e dou a língua para o homem, que revira os olhos e fecha a expressão.
-Porque se passaram 10 anos desde a festa na casa do Zico. Você atualmente está com 23 anos...-O homem de branco fala analisando uma prancheta que estava em suas mãos.-O Senhor deve ter batido a cabeça no momento do acidente. Acarretando em uma perda de memória recente.
-Que acidente?-Pergunto preocupado. Olho as minhas mãos e vejo que elas estão bem maior do que costumavam ser. Puxo os lençóis que me cobriam e vejo que as minhas pernas estão cumpridas e que meu pé está grande... Legal!
-Há dois dias atrás você bateu o carro no poste que fica na frente da minha casa, Minhyuk.-O homem explica e eu encaro seu rosto.
-Espera ai... Você parece o Kwonie... Mas é mais velho e mais bonito...-Comento analisando aquele rosto lindo, que lembrava o garoto que quebrou meu coração na tarde passada.
-Eu sou o Ukwon...-O rapaz fala e eu arregalo os olhos. Merda! Ele ouviu!
-Vo...você... Não ouviu nada né?-Falo sem graça, sentindo meu rosto esquentar completamente.
Ele nega com a cabeça, sua expressão era fofa e eu desviei o olhar. Olhei para a enfermeira que estava conferindo o soro e ela sorriu para mim. Retribui o sorriso, olhando para o doutor em seguida.
-Eu estou bem né? Tipo assim... Eu dormi por 10 anos?-Falo e o médico parece analisar um pouco.
-Na verdade, você viveu esses 10 anos, mas não está se lembrando agora, entende?-Explica e eu assinto.
-Ter 23 anos não é tão ruim assim... Te fez muito bem Nhyuk!-O rapaz que se intitulou Ukwon me fala, meu rosto esquenta mais uma vez e eu abaixo o olhar.
-Bom... Já que o senhor acordou, podemos fazer alguns exames não é mesmo?-O doutor fala sorrindo e eu assinto.
( > y < )
Já na recepção do hospital, fico esperando o Ukwon Grande, que estava falando com o doutor.
-Ele vai ficar bem... Qualquer coisa, traga-o de volta para cá.-O médico fala e sorri para mim. Retibuo o sorriso e ele tira um pirulito do jaleco e me estende. Pego sem pestaneijar e sorrio em forma de agradecimento.
-Tudo bem... Tchau doutor, obrigada...-O Grande Ukwon fala e eu confirmo com a cabeça abrindo o pirulito, colocando na boca em seguida.
-Tchau doutor!-Falo feliz e aceno com a mão para ele que retribui o gesto.
Me viro com Yukwon e começamos a caminhar para a saída do local em silêncio.
-Hyung! O doutor é bem legal né?-Falo e dou a mão para ele, enquanto a outra estava no cabo do pirulito, girando-o em minha boca.
Yukwon aperta minha mão com a sua e respira fundo. Olho para seu rosto e ele estava corado, desvio o olhar e sinto meu rosto um pouco quente.
Assim que saímos de dentro do hospital, Kwonie me leva para uma mini van onde tinham uns homens do lado de fora nos olhando.
-Que fofos!-Um homem bem alto, de voz grossa fala abraçado à um outro homem, só que este é bem baixo e fofo.
-Cala a boca Pyo!-Kwon fala para o homem e eu arregalo os olhos.
-Pyo? Como você cresceu!-Falo e abraço o rapaz, que retribui de maneira apertada.-Quem é esse menino? Seu namorado?-Pergunto olhando curioso para o homenzinho que sorria para mim, acenando feliz.
-É sim!-Pyo fala entusiasmado. Abraço o pequeno ômega rápido.
-É um prazer conhecer o namorado do meu Hyung!- Falo sorrindo e me curvando.-Sou Lee Minhyuk!
-Sou Lee Taeil! É um prazer te conhecer...-Fala e sorri fofo. Aperto suas bochechas e ele resmunga.
-Vamos?-Um outro homem pergunta olhando para mim. Pelo tamanho do nariz, arrisco dizer que já sei quem é.
-Zico?-Pergunto vendo o rapaz assentir.
Dou um pulo em seus braços, abraçando-o de maneira apertada.
-Que saudade de você Hyung!-Falo quando separo o abraço e olho para sua cara confusa.
-Por que ele está chamando todo mundo de Hyung?-Pergunta sem desviar o olhar de mim.
-Perda de memória recente... Ele acha que tem 13...-Kwonie fala e eu concordo com a cabeça.-Vamos agora Nhyuk?-Kwon fala e eu rapidamente entro dentro do automóvel, colocando o cinto de segurança e olho pela janela, sorrindo.
-Vamos passear!-Falo e olho para a cara de Kwon, que tinha uma expressão estranha.
-Ele era tão fofo aos 13...- Kwon fala e senta-se no banco do motorista.
Todos entram no veículo e ele começa a se movimentar.
Fico maravilhado com a cidade do futuro, é tão linda e mais iluminada que a de ontem... Quando eu tinha 13 anos nada era tão bonito.
-Ya Bombie! Você está perecendo um ET!-Zico fala rindo.
-Desculpe Hyung... Só que a cidade está mais bonita...-Comento corando.
Todos riem e começam um assunto estranho, enquanto eu ainda boiava vendo a cidade.
A media que o carro avançava pelas ruas eu comecei a ver uma roda gigante enorme e brilhante como fundo.
-Que lindo Hyung's!-Falo apontando com o dedo.
-Jihoonie vai me levar esta noite nesse parque, quer ir conosco Minhyuk?-Taeil pergunta sorrindo para mim.
-Não posso... O Kwonie Hyung que está responsável por mim até meus pais voltarem do Caribe...-Falo um pouco triste e sorrio pequeno.
-Se você quiser... Posso te levar ao parque...-Kwon fala me olhando pelo retrovisor.
Nesse exato momento, meu sorriso se abriu de uma maneira tão grande que achei que fosse rasgar as minhas bochechas.
-Sério Hyung?-Ele assentiu sorrindo.-Você é o melhor!-Falo e olho para o Taeil Hyung, que mantinha um sorriso encantador nos lábios.
-Um encontro duplo!-Pyo Hyung fala e bate palmas. Meu coração pula uma batida. Um encontro com Kim Yukwon? Um Kim Yukwon adulto?
-Meu Deus! Tenho um encontro com Kwon...-Falo um tanto quanto desesperado olhando para Taeil Hyung.
-Calma... Eu te ajudo a se arrumar...-Ele diz baixinho e pisca para mim.
Assinto leve com a cabeça e deixo-me levar pela sensação de êxtase que a ideia de ter um encontro com Yukwon me deu.
O caminho seguinte foi rápido e regado a conversas dos Hyungs sobre um tal de Kyung que provavelmente iria nesse encontro conosco.
Fico feliz que eu ainda tenha meus amigos de infância por perto, mesmo não entendendo muito bem esse negócio de perda de memória... Prefiro pensar que estive inconsciênte por 10 anos e que agora voltei...
-Chegamos!-Yukwon fala assim que para o carro na frente de um sobradinho cor de rosa. Mas não era um rosa forte, era um rosa bem clarinho, um tom pastel eu acho. A casa era bem arrumadinha por fora, tinha um jardim bonito e a porta da casa era de mogno.
Kwon me leva para dentro da casa, enquanto os outros estavam pegando umas coisas dentro do carro.
-Você vai dormir no quarto de hóspedes. A casa é minha, do Kyungie e do Taeilie...-Fala e eu assinto.
-Tudo bem Hyung.-Falo e sorrio para ele.
-Até você voltar ao normal, você vai morar aqui tudo bem?-Perguntou e eu sorri assentindo com a cabeça em resposta.
A casa por dentro é fofa e aconchegante. Tem cheiro de ômega e jeito de ômega. Adorei.
Caminhei em direção onde achava que ficava a sala e estava tudo muito bem arrumado e fofo. Na TV passava um filme de comédia romântica e tinha um homem sentado no sofá.
Aproximei-me e me sentei ao seu lado. Olhei para a sua face sorrindo e ele me retribuiu o olhar.
-Olá! Sou Lee Minhyuk prazer!-Falo feliz e o outro sorri para mim.
-Sou Park Kyung...-Responde e me estende o balde de pipoca.
Aceito e olho para a frente, começando a acompanhar o filme com o rapaz cheiroso ao meu lado.
Talvez ter 13 anos não seja tão ruim...


Notas Finais


Reviso logo mais.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...