História Como Resistir ao Inimigo (Adaptacão Camren) - Capítulo 73


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Exibições 560
Palavras 1.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Surpresa!

Capítulo 73 - 73


O dia estava frio. Todo o reino estava reunido em frente ao castelo. Um palco foi montado em frente as escadarias. Haviam 8 tronos ali. Os primeiros a chegar foram Demi e Ally, seguidas por Veronica e Lucy, logo por Lauren, por último Justin e Ariana. Apenas um trono ficou vazio. A cada vez que alguém chegava, todos se curvavam. Lauren, sentada no trono do centro, tinha um sorriso de canto no rosto. Todos aguardavam, sem fazer ideia do porque haviam sido convocados ali. Até a guerra havia parado para esse anuncio; Apenas permaneceram guardas nas fronteiras. Lauren quis o máximo de pessoas possíveis.
 

Sofia: Estou nervosa. – Disse, passando a mão no vestido. Seu vestido era preto, os cabelos bem penteados.
 

Camila: Não vejo porque. Está linda. É a princesa. – Disse, dando de ombros. Sofia sorriu. Camila usava seu vestido de criada, cinza e branco, e tinha os cabelos presos no tradicional rabo de cavalo baixo. Ela ajeitou o vestido de Sofia, olhando os sapatos – O sapato está machucando? – Perguntou, e Sofia negou – Sente algo?
 

Sofia: Fora a vontade de sair correndo? – Perguntou, apertando as mãos, e Camila sorriu, beijando-­lhe a testa.
 

Camila: Vai ficar tudo bem. – Prometeu – Eu vou lá fora espiar pra você, certo? – Sofia assentiu, ansiosa.

 

Camila sorriu, caminhando até a plataforma, pela lateral, espiando escondida pela sombra do trono de Ally. Ela arregalou os olhos. Havia gente até o horizonte, de todos os lados, pessoas paradas, olhando. Ela tentou contar, mas não havia como. Até a linha do horizonte, e além, haviam pessoas. Ela respirou fundo, procurando se acalmar. O reino todo estava ali, era gente demais, não cabia no alcance dos olhos. Ela olhou para Lauren, mas ela olhava para frente. Camila observou. Era a primeira vez que via Lauren usando a coroa. Ela sabia que, se estivessem a sós, Camila riria dela. A coroa dela era de prata, com algumas pedras que ela não podia distinguir pela distância, envolvendo a cabeça a partir da testa. Ela olhou em volta. Todos da realeza usavam coroas. Diferentes, é claro, mas todos usavam. As rainhas também. As delas eram mais delicadas, cada uma a seu formato. A de Ariana tinha diamantes cravados, Camila reconhecia pela cor e pelo brilho. Se prendia na raiz dos cabelos negros, e era grande, bonita. Prendia a visão. Todos estavam muito bem vestidos. Ariana de preto, como sempre. Lucy de vermelho e Ally de azul turquesa. As`` rainha e o rei´´ usavam ternos longos, negros, tudo muito luxuoso. Até que Lauren se levantou. Havia uma pequena caixa preta no trono vazio ao lado dela. Camila tropeçou de volta, correndo pra Sofia.
 

Sofia: E então? – Perguntou, ansiosa.
 

Camila: Er… Vai ficar tudo bem. – Disse, tentando conter o rosto.
 

Sofia: Venha comigo. – Pediu, agarrando a mão dela. Camila arregalou os olhos.
 

Camila: Não posso, está louca? – Perguntou, exasperada. Mas a voz de Lauren soou. Silêncio total se fez. Camila olhou em direção ao “palco”. Lauren estava de pé, bem na frente, com as mãos a costas, e todos observavam atentamente.
 

Lauren: Creio que todos nós conheçamos as bases da guerra em que vivemos. – Começou, séria. – Há seis anos minha… – A boca dela amargou – Minha esposa, Alexa, foi assassinada. Minha filha sobreviveu, porém jamais pôde andar. – Todos esperavam. Todos conheciam aquela história, onde ela queria chegar? – Eu tentei de tudo, desesperadamente, e me vi como uma mãe frustrada. Não consegui ajudá-­la. – O silêncio reinou – Quando eu achei que tudo estava perdido, entretanto, um raio de luz nos alcançou. – Ela sorriu consigo mesma – Houveram controvérsias, problemas, desentendimentos, mas não se pode tapar o sol com a mão. A luz chegou até mim, até minha vida, até meu castelo… Até minha filha. – Ela sorriu novamente, e respirou fundo – Então hoje eu os chamei aqui pois tenho considerações e apresentações a fazer.

 

Sofia se agarrou ao braço bom de Camila, que nem sabia o que fazer. Era demais pedir a uma criança para encarar aquilo.
 

Lauren: Em primeiro lugar, lamentavelmente com seis anos de atraso, eu quero lhes apresentar vossa princesa. – Ela se virou e franziu o cenho vendo Sofia agarrada em Camila. Camila a explicou com um olhar e ela entendeu. Caminhou até a escadaria e estendeu a mão pra Sofia, que não conseguiu se mover. Camila apanhou a mão dela, levando-­a até a mãe. Sofia pegou a mão de Lauren, e respirou fundo, sorrindo. Um murmúrio começava a nascer entre o povo. Lauren caminhou com Sofia até a beira do palco, e um silêncio violento se abateu – Esta é minha filha, Sofia Jauregui, a princesa herdeira de meu trono. – Encerrou, e sorriu para filha.
 

Todos olhavam a menina de pé. Era um milagre. Então um rugido nasceu e a multidão estava gritando, batendo palmas, comemorando. Sofia se assustou, mas Lauren a acalentou, e ela sorriu, se inclinando brevemente para agradecer os aplausos. Lauren se afastou por um instante, apanhando a caixa negra e abrindo-­a. Havia uma coroa ali. Pequena, no mesmo estilo que a dela, mas ainda assim uma coroa. Camila observava tudo. Quando Lauren se voltou para Sofia, levando a coroa, todas as rainhas e o rei, ainda batendo palmas, se levantaram em reverência. Sofia sentiu a coroa tocando-­lhe os cabelos, e sorriu para a mãe. Os aplausos aumentaram. Camila batia palmas, sorrindo. Até que Lauren pediu um pouco de silêncio, e os aplausos cederam.
 

Lauren: Por último, mas não menos importante, eu quero lhes apresentar a luz. – Disse, sorrindo. Ela se virou e viu Camila com os olhos arregalados, já com um passo atrás pra correr. Lauren ergueu a sobrancelha pra ela – Minha noiva, futura esposa, e vossa futura rainha: Camila Cabello. – Lauren estendeu a mão para ela. Camila estava branca – Camila, por favor. – Chamou. Camila nem sentia as pernas, pra começar. Como aquilo havia ocorrido?
 

Camila apanhou a mão dela, e se viu ser levada até a frente do palco. Estava gelada. Lauren apanhou um anel delicado na caixa onde estivera a coroa. Havia um diamante cravado nele. Lauren apanhou a mão direita dela, sorrindo de canto.
 

Lauren: Você me prometeu uma vez que quando a guerra acabasse, se eu te repetisse esse pedido, você me diria sim. – Disse, e Camila a encarou – Bom, nossa guerra acabou. – Disse, dando ênfase ao “nossa” – Case-­se comigo, Camila. – Pediu.
 

Camila a encarou por um instante, tendo mil coisas pra falar e não dizendo nada. Então apenas sorriu. Lauren entendeu e a aliança fria deslizou pelo dedo dela. Ela beijou a mão de Camila, em seguida se afastando, segurando-­a na palma da mão.
 

Lauren: Vossa futura rainha. – Repetiu, mostrando a aliança recém colocada.
 

Houve um instante de murmúrio, então aos poucos todos se curvaram. Não perante a presença opressora de Ariana e Justin nem a de Lauren; Se curvaram perante Camila. Ela nem acreditava em tudo aquilo, mas a encarou e Lauren sorria. Sofia, radiante, apanhou a outra mão dela, sorrindo. Parecia impossível, mas aconteceu.
 

Naquele dia, mais tarde…
 

Todos haviam comemorado o dia inteiro, com direito a muito vinho e champanhe. Sofia adormeceu há uma hora, cansada. Uma criada a levou para cama.
 

Camila: Podemos subir? – Perguntou, aninhada no abraço de Lauren. Ela a olhou, acariciando-lhe o cabelo, e assentiu.
 

Lauren: Bom, com a licença de vocês. – Começou – Eu vou me retirar. Foi um longo dia.
 

Veronica: É claro. – Disse, vendo Camila se levantar com Lauren. Parecia achar graça em algo.
 

Demi: Boa noite. – Disse, e uma mão fria apanhou Camila pelo braço, afastando-­a de Lauren. Não se soube qual foi o olhar mais indignado: O de Lauren ou o de Camila.
 

Lauren: O que está fazendo? – Perguntou, erguendo a sobrancelha.
 

Demi: Você disse que ia dormir. – Lembrou. Justin riu gostosamente, pondo a mão na barriga.
 

Camila: Eu… – Ela hesitou. Falar diretamente com uma rainha era uma completa novidade. – Eu vou com ela.
 

Lauren: Pois é, ela vem comigo. – Disse, debochada.
 

Veronica: Não, eu acho que não. – Disse, prendendo o riso.
 

Ariana: Vamos, não torne isso tão obsceno. – Disse, enquanto Justin brincava com sua mão.
 

Lauren: Eu não estou entendendo a piada. – Disse, se irritando. Tentou apanhar Camila, mas Demi a tirou do alcance rapidamente.
 

Ally: Ela é sua noiva agora, não sua esposa. – Lembrou.
 

Lauren: E…?

 

Lucy: E… Que sendo sua noiva ela não pode estar em seus aposentos com você. – Disse, como a mulher, prendendo o riso – Não até ser sua esposa.
 

Lauren: Isso é brincadeira, não é? – Perguntou, lentamente.
 

Ariana: Como eu disse, não torne isso tão obsceno. – Disse, sorrindo.
 

Justin: Vá dormir, Lauren. – Aconselhou, tranquilo.
 

Lauren encarou Camila, exasperada, mas Camila piscou pra ela, muito timidamente. Lauren se despediu de todos e saiu. Uma hora depois Camila estava em seu quarto, não o de empregada, o outro, em seu banho. Ainda sentia o perfume de Lauren, o calor de sua pele… E ela se aprontou, pondo a camisola e um hobbie. Apagou as velas, e saiu descalça, na ponta dos pés e rapidamente. Mas na curva do corredor...
 

Veronica: Cuidado com a pressa. – Disse, parada, encostado na parede. Estava encostada preguiçosamente na parede – Pode cair em um corredor escuro. – Ela riu levemente – Evite acidentes, vá para o seu quarto, Camila.
 

Camila: Veronica… – Apelou.
 

Veronica: Nanana. Não no meu posto, nem no meu plantão. – Camila suspirou – Farei um favor, mandarei avisar a ela que você não vai. Viu? Eu sou um anjo.
 

Camila: ARGH! – Disse, e Veronica gargalhou. Ela correu. Colocou tanta força que suas pernas doeram… Mas então, do nada, Veronica estava parada a sua frente, trancando o corredor. Ela ofegou pela breve corrida, derrotada – Estou indo, estou indo. – Disse, voltando pro quarto.
 

Veronica não poderia ficar lá a noite toda; era uma rainha. Camila esperou até a madrugada. Veronica foi embora… Mas deixou um guarda. Não tinha jeito de sair. Ela olhou pela janela, mas era alto demais para pular. Lauren quase matou a criada que foi lhe mandar o recado de Veronica. Desceu para ir buscá-­la, chegou a dispensar o guarda, mas Demi apareceu, e a levou. Por fim as duas dormiram, sozinhas e separadas. Era o inferno.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...