História Como Resistir ao Inimigo (Adaptacão Camren) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Exibições 943
Palavras 1.496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - 7


 

Camila dormiu pesadamente aquela noite cansada, mas Lauren não voltou a dormir, mesmo as acomodações dela sendo bem melhores que as de Camila, ela pensou muito durante aquela noite. O dia amanheceu e ela estava parada a cabeça entre dois travesseiros entre o próprio perfume e o perfume dela, pensando no que era certo e no que queria fazer. Camila acordou se banhou se vestiu e penteou os cabelos, e foi apanhar suas atividades. Tudo como o rotineiro, mas...

Lauren: srta. Diana? – chamou entrando na cozinha.

Diana se virou sobressaltada. Lauren não costumava ir ali... a não ser com um propósito.

Diana: senhora?

Lauren: a garota que me serviu ontem... –interrompida.

Diana: Camila senhora – entregou vitoriosa, com certeza ela mandaria colocar Camila para fora.

Lauren: eu sei seu nome –disse quieta – onde ela está?

Diana: na... na lavanderia senhora – informou.

Lauren: vá atrás dela – Diana ia sorrir vitoriosa mas... – eu quero que ela sirva o almoço hoje – Diana ficou quieta um instante. Essa atividade era sua, ela processou por um instante e Lauren ergueu a sobrancelha aguardando.

Diana: como preferir senhora.

Camila estava recolhendo roupas secas colocando­-as em uma cesta para levar para engomar tranquila. Logo choveria, o céu estava nublado, fechado, mas ventava. Quando parasse de ventar choveria e ela queria já estar abrigada.

Diana: você – chamou Camila deu um pulo a cesta escapando de suas mãos. Ela se
apressou apanhando-­a antes que caísse no chão.

Camila: que susto – disse pondo a mão no peito.

Diana: não sei o que fizeste naquela torre ontem mas deu certo – disse amarga.

Camila: como?

Diana: não te faça de sonsa, eu não tenho tempo pra isso, termina logo com isso e vai te aprontar vais servir o almoço hoje.

Camila: mas porque? – perguntou confusa.

Diana: apenas obedeça – disse virando as costas e sumindo dali.

Camila olhou Diana se afastando com uma careta no rosto. Aquela mulher de certo tinha problemas, ela só não sabia que Lauren observava a cena de longe pensativa. Viu ela apanhando suas camisas já limpas e secas dobrando­-as e pondo-­as na cesta que estava no chão, Lauren pensou em se aproximar porém ela era mais bonita de se observar sem aquele olhar de pânico no rosto, Ficou ali por minutos observando. O vento levava e trazia os cabelos dela, Lauren gostava dos cabelos dela, chegou a desejar que o vento desfizesse o delicado laço de fita preto que os seguravam para ver como seria os cachos livres ao vento mas não aconteceu. Camila apanhou todas as suas roupas dobrando-­as e pondo-­as na cesta, ela inclinou checando as camisas e as calças de Lauren no cesto e novamente a cabeça de Lauren tombou pro lado admirando a barriga dela mesmo sobre o espartilho era incrivelmente reta. Era farta em todos os ângulos em que uma mulher poderia querer ser.

Após checar tudo ela apanhou a cesta e saiu caminhando tranquilamente sumindo dentro de uma porta, ela deixou as roupas lá. Lauren estava quase saindo voltando aos seus afazeres quando ela saiu fechando a porta, o laço de fita estava em sua mão, Lauren aguça a visão mas ela já fazia o rabo de cavalo de novo, frustrada e instigada Lauren viu ela sumir dentro do castelo novamente e deu as costas muito mais pensativa que antes.

Veronica: então o único modo é aguardar – disse olhando Lauren.

Lauren: aguardar até quando? Ele não avança nem retrocede é impossiv... – Camila havia entrado na sala, colocava as terrinas na mesa em silêncio – impossível – completou.

Vero olhou de Lauren para Camila em seguida tomou um gole de bebida disfarçando um sorriso, Lauren olhava Camila como se nunca houvesse tido tempo para reparar nos detalhes.

Veronica: você – disse e Camila ergueu os olhos, Lauren não se lembrava que eram tão lindos – quando terminar vá até a torre e avise a minha esposa de que ela já pode descer.

Camila: sim senhora – disse e Lauren permaneceu calada, Camila terminou de por as terrinas no lugar e pediu licença indo buscar Lucy. Alguns instantes depois que ela saiu...

Vero: você tem problemas? –Lauren a olhou despertando de seu transe – primeiro manda matá-la e depois a devora com os olhos? – ela riu consigo mesma bebendo novamente.

Laur: ora, fique quieta – disse mas sorria.

Vero: deve-­se reconhecer que é bonita…

Lucy: quem é bonita Veronica? – perguntou entrando na sala, Veronica e Lauren se levantaram. Camila passou por trás das três voltando a suas tarefas, Lucy era morena clara, os cabelos de preto escuro lisos até a cintura, os olhos eram pretos, ela usava um vestido claro branco com coral.

Veronica: tu – corrigiu galante beijando a mão dela. Lauren se sentou de novo revirando os olhos – pensei que não virias mais.

Lucy: perdão pela demora – disse se sentando na cadeira que a esposa puxava pra ela.

Lauren assentiu, Camila servia a todos, Lucy foi a que menos aceitou, Veronica foi normal. Já Lauren.... ela parou ao lado dela servindo-­lhe o prato mas Lauren olhava o braço dela, não a quantidade do almoço, um cacho dela delicado caiu por seu braço enquanto ela a sérvia. Lauren queria tocá-­lo ver se era tão macio quanto aparentava, Lauren olhou da pele branca dos braços dela subindo pelo ombro passando pelo colo e chegando aos seios, estavam mais perto do que nunca haviam estado, ela podia ver pela abertura de cima o inicio do decote. Camila estranhando porque o prato estava quase cheio ela não a mandara parar a olhou e se arrepiou ao ver como ela a olhava, ela viu a pele dela se eriçar se arrepiando e ergueu os olhos até encontrar os dela. Houve um instante de silêncio.

Camila : senhora? – perguntou meio desestabilizada.

Lauren: basta – disse sem nem ter olhado o prato e ela se afastou.

Lauren viu ela se afastar e viu que o rosto dela corou, sorriu com isso mas o sorriso morreu ao olhar pro prato com uma carreta, estava quase transbordando. Uma coisa era certa: nada de bom sairia daquilo.

Semanas se passaram e Lauren impunha a presença de Camila em todos os lugares que podia, era ela que arrumava sua cama, servia a mesa e fazia tudo o que tivesse que ser feito perto dela, era como se fosse algo que ela não cansasse de observar, mas cada noite quando ela ia se deitar sozinha ela tinha uma certeza, ela queria tocar-lá, Camila já tinha percebendo o que estava acontecendo e nem acreditava, Lauren nunca quis mulher alguma. Ela sabia que era colocar a própria cabeça na forca se aproximar até que fosse por um olhar mas quando tinha que chegar perto de Lauren seu corpo se alterava como se a presença dela fosse capaz de alterar sua pulsação só de saber no que ela estava pensando quando a olhava.

Camila: é claro, o faça de novo, mais uma vez, não está bom, blablabla – disse imitando Diana que mandara ela refazer o cabelo de novo alegando que estava bagunçado sem estar – está fora do lugar, tu não deveria... ai – disse tomando um senhor esbarrão com alguém.

Lauren: cuidado – disse segurando-­a para não cair – falando só? – perguntou divertida.

Camila: perdão senhora – disse já alerta pela presença dela – apenas pensando alto.

Mas as mãos dela ainda a segurava pelo braços possessivamente, as duas se encararam o silêncio esmagando o corredor onde estavam.

As mãos dela pareciam queimar em seus braços, Lauren olhava os olhos dela com uma expressão estranha, parecia querer ver além do que podia.

Camila: senhora... – disse e já ofegava brevemente – meus braços.

Lauren: és uma mulher encantadora Camila – disse a elogiado-a apanhando de surpresa.

Camila: s­s­sou? – Lauren assentiu sorrindo de canto com a inocência dela.

Lauren: em todos os sentidos, até quando estás com medo de mim – completou e ela corou violentamente – principalmente quando tua pele se arrepia deste modo, por que? – perguntou meia intrigada, meia fascinada.

Camila: t­tua voz – respondeu ciente de que o sangue havia subido completamente pro rosto.

Lauren: minha voz te arrepia? – Camila assentiu, já tremia – e só acontece comigo? – perguntou cada vez mais próxima.

Camila: s­só – disse alerta pela aproximação de Lauren.

Lauren: me encanta – disse olhando a boca dela uma das mãos de Lauren se ergueu, soltando o braço dela indo em direção ao rosto, ela não havia tocado o rosto dela mas sua pele inflamada pela proximidade, Lauren foi se aproximando tanto o rosto quanto a mão enquanto os olhos estavam fixos nos dela, os lábios se tocaram minimamente e Camila tremeu mas a mão forte de Lauren em seu outro braço a forçou a ficar no lugar, porém....

Veronica: Lauren? Maldita seja, onde está? – perguntou e pela voz já estava irritada, Lauren se afastou de Camila respirando fundo, era claro que não podia fazer aquilo, não agora, mas a decisão estava tomada.

Lauren: a noite – foi só o que disse encarando-­a e saiu gritando em resposta para Veronica.

Camila arfou sozinha no corredor pondo uma mão no peito. A noite.

Camila: ai meu Deus – gemeu consigo mesma se amparando na parede
 


Notas Finais


Gostaram ? hsaushias


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...