História Como Resistir ao Inimigo (Adaptacão Camren) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Exibições 929
Palavras 1.295
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Q bad 😢

Capítulo 9 - 9


Lauren se sobressaltou de seus pensamentos quando percebeu que Camila adormeceu. Estava aninhada a ela que a abraçou o corpo mole, o rosto sem expressões, o cabelo caindo a toda volta. Lauren acariciou o rosto dela lentamente retirando o cabelo dali. O que fez com aquela mulher? Roubou sua inocência, sua pureza em um gesto de puro egoísmo.

Lauren não tinha o direito de estar ali. Se levantou se desvencilhando de Camila com cuidado.

Camila estava tão cansada que nem notou se aninhou com o cobertor. Lauren a cobriu direito e  se vestiu observando-­a e saiu dali em seguida, o castelo estava deserto ela caminhou tranquilamente e despercebida. Passou no quarto de Sofia e checou a filha, a menina dormia profundamente, depois foi pra sua torre.

Chegando lá tirou as roupas vestindo o que usava para dormir e se sentou na cama, olhou pro lado e um porta retrato estava ali com uma pintura. O único retrato que havia no quarto, Lauren o apanhou observando a foto.

Lauren: Alexa o que estou fazendo meu amor? – perguntou em um murmúrio, mas Alexa seguiu do mesmo modo imortalizada em seu retrato.

Lauren pôs o porta retrato no lugar e se deitou apagando as velas. Camila quase chorou quando o apito soou nos corredores, avisando que era hora dos empregados se levantarem, estava tão cansada, ela se esticou na cama vazia, com a sensação de que seus ossos haviam sido substituídos por maria­mole. Foi pro banho e quase dormiu debaixo d’água.

Camila: nada que um café forte não resolva – comentou consigo própria após se vestir, então parou em frente ao espelho e fez uma careta.

Aquilo sim seria um problema, o colo dela tinha marcas claras de boca, sem contar nos seios. Ela puxou mais a aba do vestido pra cima tapando maior parte das marcas, mas não havia como tapar o pescoço, que tinha pontos vermelhos e roxos nas laterais, ela apanhou o cabelo solto e jogou sobre o pescoço, ocultava as marcas. Assim apanhou duas mechas grandes de cabelo uma de cada lado do rosto e prendeu em um mini rabo de cavalo no alto da cabeça.

Mas era só um penteado o cabelo seguiu solto na parte debaixo, não no rabo de cavalo que era parte do uniforme, como foi a única ideia que ela teve, saiu assim mesmo, bocejando.

Jane: bom dia menina – Camila assentiu se sentando – não está bem?

Camila: sono demais – disse respirando fundo.

Jane: vou te fazer um café forte – disse solidária.

Jane era a nova cozinheira, uma pessoa completamente adorável, fizer amizade com Camila logo no início. Jane serviu o café, Camila o bebeu de bom grado sentindo a cafeína obrigando seu corpo a despertar, é café sempre ajudava.

Camila: obrigado – disse pondo a xícara vazia na mesa. Mas ....

Diana: o que significa isto? – perguntou incrédula.

Camila: bom dia srta. Diana – respondeu se levantando.

Diana: bom dia – disse debochada – onde crê que esta, Camila? Em uma festa, um baile?

Camila: não senhora – disse respirando fundo, estava tão cansada.

Diana: pois trate de arrumar o cabelo como ordenado.

Camila: não – disse e inconscientemente deu um passo pra trás.

Diana: como? – perguntou como se não houvesse ouvido direito.

Camila: não posso, perdoe – disse na defensiva.

Diana: vou lhe mostrar se não pode – disse avançando em Camila.

Veronica e Lauren andavam no corredor, Lauren despertou com um humor muito mais agradável e Veronica notou isso.

Laur: vamos me deixe em paz – disse rindo do deboche da outra.

Vero: é claro, não está mais aqui quem disse. Mas que está alegrinha está, não sei porque isso me lembra aquela criada... como era o nome..? – disse cinica. Lauren riu do deboche.

Laur: cale a boca – disse consertando o colete, as duas eram uma linda imagem a se ver, andando pelo corredor, as camisas brancas impecáveis e os coletes negros por cima, o reino de Vero distante do de Laur mas ela já conseguiu se adaptar.

Vero: falando em criada, não aparecerá nenhuma? – perguntou franzindo o cenho e olhando para trás procurando por alguém – alguém precisa ir levar o café de Lucy.

Laur: que gritaria é essa? – perguntou com o cenho franzido.

Vero parou olhando pro nada e ouviu também, vinha da cozinha.

Voltando a Cozinha...

Camila: NÂO OUSE  POR A MÂO EM MIM – disse do outro lado da mesa acuada.

Diana: E TU BAIXA TEU TOM DE VOZ, NÂO ESTÁS EM TUA CASA – Camila
revirou os olhos – prenda o cabelo agora ou prendo eu.

Jane: não brigem – pediu inultilmente.

Camila: MEU DEUS, quantas vezes eu vou ter que dizer que não posso? – perguntou exasperada.

Diana: o que é isto? – perguntou parando por um instante.

Camila seguiu o olhar dela, na correria para fugir das mãos da outra a aba do vestido voltará pro lugar certo, revelando um pedaço de pele vermelha, marcada, Camila imediatamente puxou o tecido pra cima novamente na defensiva.

Diana: o que tu fizeste? – perguntou escandalizada.

Camila: me. Deixe. EM PAZ – exigiu se irritando.

Nunca achou que teria coragem de enfrentar Diana, mas acabou de descobrir que tinha, Diana partiu pra cima de Camila de novo, que recuou bruscamente, uma cadeira da cozinha caiu com um estrondo, havia a mesa grande entre as duas e era o que Camila usava como escudo.

Diana: ou tu prendes este cabelo como deve agora ou podes ir embora. – ordenou – volte de onde veio, é tua escolha.

Camila: pois não farei nenhum dos dois – disse cruzando os braços petulante.

Camila estava diferente e ela própria percebia isso, parecia mais forte, mas madura mais segura de si.

Diana: como é?

Camila: não prenderei o cabelo e tampouco irei embora, tu não és a dona desse castelo é uma criada como eu e não tens o direito de me por pra fora – disse ainda de braços cruzados.

Diana: petulante – rosnou indo pra cima de Camila de novo.

Dessa vez Camila levou a pior, tropeçou e quase caiu, Diana a apanhou pelo braço nessa fração de segundo, Camila se desvencilhou da cadeira puxando o braço mas o ato destapou  dos lados de seu pescoço. Ela viu o choque da compreensão no rosto de Diana na hora e puxou o braço com tudo libertando­-o e pôs os cabelos no lugar.

Diana: sua.....

Camila: ME DEIXE EM PAZ, EM NOME DE DEUS – disse agora com raiva

Lauren: eu posso saber que alvoroço é esse? – perguntou a voz baixa tranquila e observadora, parada na porta da cozinha com Veronica ao seu lado.

Houve um instante de silêncio, Diana espumava de raiva era até anormal.

Camila: não foi nada senhora – disse abaixando a cabeça ela apanhou a cadeira no chão pondo-­a no lugar – apenas um mal entendido.

Lauren: qual o motivo dos gritos? – perguntou olhando Diana.

Diana: ela desrespeitou minha autoridade senhora –Camila respirou fundo virando o rosto, Lauren observou o ato – tentou me agredir.

Camila: é mentira – disse incrédula – não obedeci sua ordem isso é certo, mas em hora alguma tentei agredi-­la, pelo contrário.

Lauren: qual ordem foi lhe dada? – perguntou paciente.

Veronica olhava de um rosto pro outro com o riso preso no rosto, Camila levou um instante para responder, então ergueu o rosto corada e a encarou.

Camila: ela mandou que...que eu prendesse o cabelo – disse mortificada, Deus por favor que Lauren não confirme a ordem, Lauren a observou por um instante, buscando entender mas não conseguiu.

Lauren: muito bem, Diana vá levar o café da sra. Lucy no quarto, ela está esperando – Diana arregalou os olhos em choque – Camila me acompanhe.


Notas Finais


Oque será que vai acontecer agora?
Só eu que já odeio Diana? Hushaus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...