História Como se fosse a primeira vez - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Cat Grant, Kara Zor-El (Supergirl), Maggie Sawyer
Tags Alex Danvers, Cat Grant, Kara Danvers, Supercat, Supergirl
Visualizações 233
Palavras 1.898
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - O quarto da Ellie


O sol se expandiu através das janelas de vidro altas e largas que rodeavam toda a cama iluminando o quarto. Raios macios pousaram sobre Kara. Seu cabelo brilhava sob as ondas quentes, deixando sua pele brilhar.


 Ela se moveu na cama. Kara reconheceu o cheiro instantaneamente. Lavanda e baunilha encheram os pulmões. Seu braço não encontrou a pele morna e macia como estava acostumada.


 Ela encontrou um travesseiro vazio e frio em vez disso.


 Kara colocou o cobertor no nariz. O perfume da esposa era calmante e natural. Acalmou a percepção e a verdade de Kara. Kara lembrou de ontem à noite. Respirando fundo, mantendo os olhos fechados.


 Depois de alguns minutos sob o sol quente, Kara ficou de pé. Ela caminhou até a janela removendo sua camisa de manga comprida.


 Ela sorriu quando sua pele foi recarregada pelo sol.


 Passos pegaram a atenção de Kara através de sua audição normal. Ela rapidamente pegou seus óculos e abriu a porta do quarto de hóspedes.


 Cat piscou de surpresa com a rapidez com que Kara abriu a porta. Ela virou a cabeça, reconhecendo que já não estava mais sozinha no corredor.


 Para sua surpresa, a visão era inovadora e intrigante, claramente fora do comum. Ela se manteu rígida, no controle da situação com um rosto neutro. Os olhos verdes de Cat foram para o chão e depois pra cima. Ela viu as calças de algodão que pararam diretamente nos quadris de Kara. O abdomen, estridente, visível e bíceps bem formado.


 Cat terminou suas observações, apressando seus olhos através de um sutiã de esportes preto. Seus olhos brilharam pelo sorriso ensolarado de Kara e viajaram sobre cabelos dourados radiante e elegantes ombros.


 Ela não precisava olhar muito. Anos de aperfeiçoamento de seus métodos de observação foram suficientes. Cat só olhou para o corpo de Kara não mais do que dois segundos. No entanto, a imagem foi gravada na mente da magnata da mídia.


  - Bom dia. - Kara disse deixando para trás qualquer palavra afetuosa.


 A mente de Cat viajou para o incontável tempo em que seu sobrenome foi incluído nessa frase. Isso era diferente e ela estava concedendo as mudanças sem pressa. - Se eu não pudesse ver a semelhança da minha filha no seu rosto, eu diria que essa foto era falsa. - Falou Cat brilhante e normal. Ela pensou que o tema seria apropriado para a ocasião, já que ela estava trabalhando na imagem detalhada. - Você não está com frio? - Ela disse com facilidade.


 Kara entendeu o significado por trás das palavras de sua esposa, então ela mexeu os óculos, voltou no quarto e colocou a camisa.


  - Bom dia. - disse Cat quando viu Kara.


 Kara ficou impressionada com o quão sutil e atraente sua esposa poderia ser. Ainda assim, hoje, após sete anos, os métodos e encantos de sua esposa eram extremamente impressionantes e verdadeiros. A elegância e a beleza que Cat possuía estavam além das palavras que ela poderia expressar. Mesmo quando sua esposa usava um suéter de manga comprida branca e seus óculos de leitura.


  - Não é - Disse Kara, apoiando seu corpo contra o batente da porta. - Falso.


 Cat zombou brincando. - Achei - Disse ela com indiferença. - Eu ficaria devastada se fosse. - Seu tom mudou, perdendo nas sutilezas da imagem.


 Kara moveu um passo para fora do quarto de hóspedes, observando a foto sobre o ombro da esposa. O apartamento era brilhante, decorado para o Natal. A barriga de nove meses estava espreitando abruptamente de seu casaco e sua camisa de maternidade foi enrolada, revelando todo o estômago. As mãos de Carter estavam ambas em seu estômago, enquanto Cat estava beijando a barriga dela.


 Ela sorriu para a foto.


 Cat olhou para Kara, notando a distância. - O que eu queria dizer era ... como você pode ter um corpo assim depois da gravidez? - Cat revirou os olhos e virou para a foto. - Levando em consideração Ellie tem cinco. - Ela inclinou a cabeça para Kara. - Ainda assim ... me levou inúmeros encontros com um banco de bicicleta rígido e um tapete de yoga após Carter.


 Kara riu, aceitando o rolo menor dos olhos de sua esposa e a inclinação de sua cabeça. - Eu... não sou deste planeta. - Disse Kara sorrindo.


 Cat voltou-se para a foto. - Você parece ... espetacular. - Disse ela casualmente. - Grávida, é claro. - Ela acenou com a mão para descartar qualquer emoção.


 Kara baixou a cabeça, não havia nada que ela desejasse mais do que ouvir os batimentos cardíacos da sua mulher agora.


 Ela sentiu falta do gesto.


 A sala proporcionou o espaço correto e Kara proporcionou o conforto. Cat apreciou a distância concedida por Kara. Seu espaço pessoal ficou intocado pela mulher ao lado dela. Mais uma vez, Cat estava agradecida, mas egoísta por não expressar seus sentimentos.


  - Você gostaria de ver o quarto de Ellie? - Kara bloqueou o silêncio sincero, apontando para uma porta a alguns passos do corredor.


 Os olhos de Cat acendeu com entusiasmo, suas mãos se encontraram, usando-as para apoio, enquanto seguia Kara.


 Uma vez dentro da sala colorida, seus olhos arregalaram instantaneamente. Ela nunca imaginou seu futuro com salas coloridas e brinquedos. O coração de Cat bateu rápido. Seus métodos de observação trabalharam imprudentemente na área.


 A cama pequena horizontal colocada contra a parede fez o quarto parecer maior. Cat notou uma capa vermelha deitada sobre as cobertas roxas, seguido de almofadas vermelhas apoiadas na cabeceira da cama. À sua direita, uma estante de livros multicolor chamou sua atenção, mas o impressionante mural à sua esquerda, chamou sua atenção rapidamente.


 A lua cheia brilhante no céu escuro iluminou o que parecia ser um grande penhasco. Árvores altas estavam próximas umas das outras. A cor verde escuras e os detalhes tornaram a imagem real quando ela se aproximou. Folhas excepcionais e cautelosamente formadas entre os ramos de árvores. Cat estava positiva que nunca tinha visto antes. 


 Cat sorriu para a pintura. E depois olhou para o canto de brinquedos de sua filha. 


  - Lindo. - Ela disse. Sua voz era macia, pura quase melódica.


 Kara observou curtindo a esposa calma e sem stress.


  - Ela é muito particular sobre as coisas que ela gosta. - As palavras de Kara contaram Cat quanto a mulher a conhecia. Não surpreendeu Cat que Kara sabia o que estava pensando. Em menos de quarenta e oito horas, ela conseguiu impressionar Cat como nunca. Kara estava atenta, compreensiva e atenciosa. Cat engoliu em seco, forçando a culpa que sentia por não agradecer a Kara. Por não pedir desculpas.


  - Feche os olhos. - Cat encontrou olhos azuis familiares. Kara tinha as duas mãos em sua cintura e um sorriso impecável que adornava seu rosto. O tom de Kara era brincalhão, ou assim pensou Cat. Ela aprendeu algo novo sobre a jovem e a mãe de sua filha toda vez que ela a encarava. Sentia-se como uma descoberta graciosa, única e encantadora das formas mais simples. Paradas estranhas e normais, ela evitou devido ao seu profissionalismo. Observações que estavam indubitavelmente lá, mas nunca reconheceu.


 Cat zumbiu, fechando os olhos, confiando em Kara com facilidade. Era estranho ao mesmo tempo não.


 Ela imaginou a mulher mais nova passando por ela. Cat ouviu o que soou como o rolo de uma pequena cortina e passos.


  - Você pode abri-los agora. - Disse Kara com uma risada.


 Cat obedeceu. Seu coração se aqueceu ao ver uma raposa de pelúcia do tamanho médio nas mãos de Kara. Estava ansiosa agora. Energética e esperando ver Ellie. Ela sentiu falta dela. Além disso, a raposa branca, fez com que ela compreendesse a personalidade espontânea da filha. A piada de Ellie estava clara em sua mente. Sua filha era fascinante e muito inteligente.


  - Killu - Cat disse, alarmado por seu tom repentino. Em um segundo, tudo clicou. Ela virou-se para a parede, olhando para o mural. - A raposa Killu caminhou até o penhasco gigante para observar a lua. - Cat murmurou e Kara ficou agradecida por sua super audição. - Ela é incrível. - Ela disse sorrindo, de frente para Kara.


  - Bonito ele não é? - Kara zombou, passando em Cat com o brinquedo fofo.


 Cat riu sem esforço, espremendo e cheirando a raposa Killu.


 As expressões corporais de Cat foram suficientes para aliviar as de Kara. Ela decidiu se aproximar de sua esposa. Mantendo a distância desejada de Cat quase que a perfeição. Kara esperou, esperando qualquer constricção dos músculos de sua esposa. No entanto, ela ficou confortavelmente na frente da esposa.


 Cat sorriu para Killu mais uma vez antes de olhar para a capa vermelha em cima da cama de Ellie. O material parecia forte e real.


  - Essa é uma peça original? - Ela perguntou, esperando que Kara respondesse a frase.


 Mas Kara estava perdida na figura de sua esposa. Ela observou como sua esposa segurava a raposa perto de seu peito enquanto caminhava até a cama. Ela sentou ao lado do material vermelho em lençóis roxos, e lentamente respondeu sua pergunta sem a necessidade de Kara.


 Kara reconheceu a forma como os dedos de sua esposa dançavam em cima do tecido, apreciando cada pequeno detalhe. Ela viu a admiração, a alegria que Cat sentiu ao sabe que sua filha amava Supergirl e que a heróina provavelmente deu isso a Ellie.


 Cat respirou fundo. Ela não conseguia entender por que sua mente viajou rapidamente para a heróina, no entanto, o que ela fez para ela na noite passada.


 Cat precisava agradecer-lhe também.


 Supergirl.


  - Você gostaria de um café? - Perguntou Kara sutilmente. Ela sabia a resposta, sabia que era dez minutos da hora do café de sua esposa. No entanto, sua esposa era diferente, mesmo que ela não a olhava com os mesmos olhos, Cat estava confortável ao redor dela, e isso era algo que Kara queria fortalecer. Ela precisava de Cat para se contentar em todos os aspectos.


 Na noite passada, ela descobriu coisas novas sobre sua esposa. Novas informações sobre os sentimentos de Cat. Talvez sua esposa fosse uma pessoa inteiramente diferente. Sim, Kara poderia descrever sua linguagem corporal, ainda assim, seus arredores e todas as novas informações estavam tornando Cat diferente. Sua esposa seria diferente e Kara respeitava isso.


  - O café parece perfeito, obrigada. - disse Cat, balançando a cabeça.


  - Tudo bem - Kara disse caminhando para trás. - Eu estarei na cozinha. Esta com fome?.


  - O café esta bom, Kara. - Cat caminhou até a casinha do Killu e virou para enfrentar a mulher.


 Kara estava congelada, sua boca aberta e suas bochechas vermelhas. Kara respirou fundo, levantando as sobrancelhas e sorriu lentamente como se ela simplesmente reconhecesse o que a esposa fez.


  - Meu ... você ... disse? - Cat inclinou o quadril e olhou para a mulher nervosa. Kara limpou a garganta, bateu palmas e mexeu com os óculos. - Café. Fazer. - Ela apontou para o corredor e continuou caminhando de volta até atingir o batente da porta do quarto de Ellie. - Desculpe, ok.


 Kara saltou, flutuando no ar por três segundos, antes de se virar para ver se sua esposa a seguiu do quarto de Ellie. Ela manteve as mãos forte, sorrindo para o sucesso. Seus pés pousaram no tapete, e seu sorriso era largo e cheio de sentimentos antigos.


Notas Finais


O capítulo demorou mas chegou. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...