História Como ser um assustador - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monstros S.A.
Personagens James P. "Sulley" Sullivan, Michael "Mike" Wazowski
Tags Mike, Romance, Sulley, Yaoi
Visualizações 150
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey!
O capítulo era pra ter saído ontem, mas este foi um final de semana complicado e houveram imprevistos. Mas aqui estou novamente!
Esse capítulo era, inicialmente, para mostrar a reação do Mike e do Sulley a expulsão, mas no final achei melhor fazer um capítulo para cada um para que vocês não fiquem confusos.
Sendo assim, vamos ver como o Sulley reagiu a tudo isso \o/

Capítulo 6 - A perda de si mesmo


Fanfic / Fanfiction Como ser um assustador - Capítulo 6 - A perda de si mesmo

A primeira reação de Sulley foi incredulidade. As palavras de Hardscrabble rodaram por sua cabeça, até que ele finalmente compreendesse o real significado delas. Ele ficou em choque, jamais na história de sua família um Sullivan havia sido expulso do Programa de Susto, desde sua criação. Já conseguia imaginar a expressão de seus pais quando soubessem.

Decepção.

Assim como Hardscrabble havia lhe dito.

Escutou algumas piadas sendo sussurradas e, quando olhou em direção a pessoa que as fazia, pode ver Johnny e os demais membros da ROR saindo da sala e levando sua jaqueta junto com eles. Ele se lembrou do que Johnny havia falado antes que entrasse na sala de aula. A ROR possuía apenas os melhores assustadores, e ele havia sido expulso do Programa. Consequentemente, ele foi expulso da fraternidade também.

Quando olhou para o lado e viu aquele tampinha verde o encarando com igual surpresa, percebeu de quem era a culpa de tudo aquilo estar acontecendo. O maldito Wazowski. Sua expressão mudou quase que instantaneamente de choque para raiva e, antes que pudesse fazer qualquer uma das coisas que passavam por sua mente naquele momento, ele saiu da sala.

Embora não fosse possível descontar toda raiva e frustração que sentia em cima daquele que considerava ser o principal culpado de sua desgraça, Sulley fazia questão de descarregar a raiva em qualquer coisa que encontrasse em seu caminho.

O campus, àquela hora da manhã, estava quase que completamente vazio, já que grande parte dos monstros estavam em aula. Sulley estava mais aliviado por isso. Não queria que ninguém o visse naquele estado de quase descontrole.

Foi quando parou em frente ao prédio dos dormitórios que percebeu que não sabia o que fazer. Agora que já não era mais um membro da ROR, ele sabia que precisava tirar suas coisas da casa antes que alguém resolvesse jogá-las fora, como ficou sabendo que ocorreu nas raras vezes em que um estudante foi expulso da fraternidade. Com toda certeza, ele acabaria voltando para o quarto que possuía no dormitório universitário. Pelo que se lembrava, seu antigo colga de quarto se chamava Brad ou talvez fosse Brac, ainda não sabia ao certo, mas ele era um estudante de algum tipo de engenharia.

Soltou um longo suspiro, torcendo para que conseguisse arrumar suas coisas de volta em seu antigo quarto.

A cada momento em que pensava sobre tudo o que estava perdendo, sua raiva aumentava. Simplesmente não era justo! Ele vinha de uma longa e antiga família de assustadores, toda sua vida ele sempre soube o que seria quando crescesse... E agora tudo havia sido destruído por culpa de um projeto de monstro que acreditava mesmo que era um monstro de verdade. Se aquele maldito houvesse ficado em seu devido lugar, nada daquilo teria acontecido, e sua vida estaria perfeita como sempre fora.

Ele ainda estaria no programa.

Ainda seria membro da melhor fraternidade da universidade.

Ainda seria o assustador que sua família esperava que ele fosse!

Apenas se não fosse a maldita presença de um minúsculo monstro verde! Agora, perdido entre a raiva que o consumia e a incerteza que começava a surgir, Sulley não sabia o que fazer primeiro. Ele queria voltar para sala e descontar toda sua raiva em cima do Wazowski, mas também sabia que precisava ir até a casa da ROR pegar suas coisas. Precisava falar com o responsável pelos dormitórios, para que pudesse voltar para lá ou acabaria tendo que dormir ao ar livre. Queria ir atrás da reitora Hardscrabble e convencê-la de que ela estava errada ao expulsá-lo e que, por isso, ele deveria ser aceito novamente.

Mas, acima de tudo, ele sabia que precisava dar a notícia para seus pais. Apenas não sabia como conseguiria fazer isso. É claro, sempre poderia dar a notícia por telefone, mas ainda sim não se sentia preparado para ouvir o que quer que seu pai lhe falasse.

O vento frio passou por seu corpo, fazendo-o se lembrar que logo começaria as férias de inverno. Os pelos que cobriam todo seu corpo balançaram com o vento, fazendo-o agradecer por estar em sua forma monstros e tê-los o protegendo do frio, mas de qualquer forma ele ainda precisaria das suas roupas quando mudasse novamente.

Voltou a andar, virando-se e indo em direção à onde ficavam as casas das fraternidades. Pensava sobre as férias que se aproximava, em uma tentativa de distrair sua mente de todas as novas formas que ela criava de causar dor e sofrimento a outro monstro sempre que se lembrava do Wazowski.

Sua mãe o havia feito garantir que faria o possível para estar em casa em todas as férias. Sulley sabia que havia sido difícil para ela quando chegou a hora de ele sair de casa e ir para universidade, mesmo que isso já fosse esperado. Ele era filho único, sendo assim, conseguia compreender essa falta. Afinal, não era como se ele também não sentisse falta de casa ou de seus pais.

Mas não podia voltar para casa.

Não podia dizer a seus pais que havia fracassado.

Chegou próximo à casa da ROR quando viu alguns calouros jogando suas coisas na rua.

ᅳ Ei! ᅳ Gritou, enquanto corria. ᅳ Essas são as minhas coisas! ᅳ Suas malas, meio abertas e claramente com as suas roupas jogadas de qualquer jeito dentro delas, estavam próximas as latas de lixo. Sulley não esperava que eles fossem tão rápidos. Caramba, até meia hora atrás eles agiam como se fossem grandes amigos!

Johnny apareceu, sendo seguido por Chet e Javier. Sua expressão era calma e aparentou certa surpresa ou ver Sulley ali.

ᅳ Sai fora! ᅳ gritou Chet, com sua voz esganiçada. ᅳ Aqui é só pra assustador!

Sulley apertou suas mãos em punhos, resistindo a vontade de bater em Chet.

ᅳ Só vim pegar minhas coisas ᅳ disse Sulley, em um rosnado.

ᅳ Fique à vontade ᅳ Johnny finalmente disse, apontando para pilha de lixo na qual sua mala fora colocada. Deu um leve sorriso ao perceber o olhar de Sulley sobre si. ᅳ Não é nada pessoal, azulão. Como sabe, a ROR tem apenas os melhores assustadores. Você não apenas deixou aquela bola de pingue-pongue nos envergonhar, como também jogou o nome da sua família na lama, Sullivan. ᅳ A voz de Johnny mantinha um tom calmo e levemente perturbador. ᅳ Você foi um grande decepção para ROR, rapaz.

O olhar que Johnny lhe dava, fez Sulley se sentir como se tivesse apenas dez centímetros. Totalmente insignificante. Suas palavras fizeram seu estômago se revirar. Johnny apenas pronunciava tudo aquilo que já passava por sua mente, tudo o que ele decididamente não queria escutar de ninguém.

Se dirigiu as suas malas, evitando olhar novamente para os membros da ROR ali presentes. Jogou uma enorme mochila sobre os ombros, pegou as outras duas grandes malas e rodinhas e começou a andar para longe dali. Ia dar um jeito de voltar para seu quarto no dormitório logo que chegasse ao prédio.

Sulley ignorou as provocações de Chet enquanto se distanciava da casa da ROR. As piadas sobre todos os tipos de coisas que ele poderia fazer agora que não seria mais um assustador o fez pensar que não sabia mais o que faria de sua vida. Ele havia sido ensinado desde que era criança a ser assustador. Foi o que todos sempre esperaram dele. Foi o que ele sempre quis.

Nunca havia passado por sua cabeça que um dia teria que escolher outra coisa. Havia se focado tanto em uma única coisa, que não sabia ser mais nada.

Ele era um Sullivan.

Sullivans são assustadores desde sempre.

Não eram médicos ou dentistas. Eles assustavam, era um dom que sua família possuía. Agora, entre toda raiva e incerteza, Sulley se sentia, pela primeira vez, perdido em relação a seu futuro. Ele não tinha ideia do que faria agora.

Parecia que sua vida estava indo ladeira abaixo, fazendo com que ele perdesse tudo pelo caminho e nada mais fosse dar certo. Todos os seus desejos de grandeza estavam sendo pisoteados e esmagados e ele não desejava nada mais além de acabar com o maldito que havia provocado tudo isso.


Notas Finais


Espero que tenham conseguido captar a confusão de pensamentos e sentimentos que o Sulley estava sentindo, porque essa era a intenção.
Bom, qualquer erro visto, me avisem... e nos vemos sábado que vem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...