História Como ser um assustador - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monstros S.A.
Personagens James P. "Sulley" Sullivan, Michael "Mike" Wazowski
Tags Mike, Romance, Sulley, Yaoi
Visualizações 63
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu disse que voltaria sábado sem falta e aqui estuo eu ლ(´ڡ`ლ)
Como havia dito no capítulo anterior, esse vai mostrar como o Mike agiu após a expulsão do Programa de Susto. Eu, particularmente, adorei o resultado. Como nessa fase da história o Mike é mais novo e tal, tentei ao máximo manter a atitudes mais condizentes com ele nessa faixa etária.
Espero que gostem também ◕‿↼

Capítulo 7 - O fim de um sonho


Fanfic / Fanfiction Como ser um assustador - Capítulo 7 - O fim de um sonho

Aquele era para ser o dia em que ele mostraria que ele era tão bom assustador quanto qualquer outro monstro que estava naquela sala. Ele havia dedicado todo o seu tempo, sacrificado tudo o que podia para aprender tudo o que pudesse sobre assustar. Seus pais o haviam apoiado quando lhes contou o que queria ser quando crescesse, apesar de todos os outros duvidarem dele. Lembrava-se de quando seu pai um dia ao voltar para casa de seu trabalho em uma construtora tarde da noite, trouxe consigo seu primeiro livro sobre sustos.

Desde que era criança, escutava que ele deveria escolher outra coisa, talvez ser como seu pai e trabalhar em um escritório. Diziam que isso combinava mais com um monstro do seu tipo. Ele jamais havia se deixado levar pelos comentários, pelas piadas feitas pelas outras crianças.

Quando estava doente, seu pai o fez prometer que jamais desistiria de qualquer sonho que tivesse, independente do que qualquer outro monstro falasse. Ele deveria sempre tentar seu máximo para tornar seus sonhos realidade. Seu pai havia prometido que sempre estaria do seu lado seja qual fosse sua decisão do que fazer com sua vida, seja ser um assustador, um secretário ou um atendente de lanchonete.

Mike se lembrou exatamente dessas palavras no momento em que recebeu sua carta de aceitação no Programa de Sustos da Universidade Monstros. Ele lamentava apenas que seu pai não estava mais consigo para que ele pudesse ver com seus próprios olhos que Mike estava dando o seu melhor para ser um grande assustador, assim como ele havia prometido a seu pai que faria. Mas ele ainda tinha sua mãe, e Mike lembrava-se perfeitamente da felicidade estampada em seu rosto quando ele lhe mostrou a carta. Ela ligou para toda família, contou a novidade a todos que conhecia, agiu exatamente como Mike sabia que seu pai faria.

Agora, ele via tudo ruir diante dele.

Todos os sonhos que compartilhou com seu pai, todo o tempo que gastou estudando noite após noite. Mike sempre enfrentou as barreiras que encontrou pelo caminho, mas as palavras finais da reitora Hardscrabble construíram uma grande barreira que parecia ser impossível de ultrapassar agora.

Um leve toque em sua cabeça o fez voltar a si e perceber que todos ainda o encaravam. Mesmo o professor Knight aparentava estar surpreso pelos recentes acontecimentos. Mike olhou para cima e viu Randy olhando para ele.

ᅳ Mike... ᅳ Começou Randy. Ele o olhava preocupado, com certa surpresa e incredulidade como todos os outros ali.

Seus olhos começaram a arder e, antes que pudesse derramar qualquer lágrima na frente de todas aquelas pessoas, Mike correu. Por um segundo, ele se sentiu estúpido por correr daquela forma, mas a sensação de falta de ar crescendo em seu peito tornava cada vez mais difícil de respirar. Logo que passou pela porta, escutou a voz do professor Knight pedindo para todos sentarem para que pudessem retornar a prova, então ele sabia que Randy não viria atrás de si pelo menos por mais algumas horas.

O vento frio bateu em seu corpo fazendo-o tremer, logo que sua visão ficou embaçada e a primeira lágrima caiu.

Mike ignorou tudo que via pelo caminho e seguiu diretamente para os dormitórios. Ele não queria ver ninguém e muito menos falar com qualquer um. Sua mente repassava todos os planos que havia feito desde o primeiro dia em que pisou no campus da Universidade Monstros e nenhum deles conseguia explicar como aquilo havia acontecido. Mas Mike sabia exatamente quem havia sido o culpado por tudo aquilo que estava acontecendo. James Sullivan e sua estúpida crença de superioridade haviam provocado sua expulsão. Ele havia destruído o cilindro da reitora Hardscrabble.

Entretanto, acima de qualquer raiva que Mike poderia sentir, havia uma sensação assustadora de vazio que começava pouco a pouco a dominá-lo.

Se um assustador foi algo que Mike desejou desde que poderia se lembrar, ele havia feito todo o possível para conseguir realizar isso. Ele havia estudado mais do que qualquer outro que conhecesse, desistindo de tudo o que pudesse distraí-lo de seu objetivo.

Mike sabia que nunca havia sido popular durante o colegial, mas mesmo ele havia recebido um ou outro convite para sair, todos sempre recusados pelo mesmo motivo - Ele precisava estudar. Claro, ele não era um completo e total puritano, já havia beijado um ou dois monstros durante sua vida, mas nunca havia sido nada de tão incrível que o fizesse se desviar do caminho que traçou para si mesmo.

A caminhada para o dormitório foi mais rápida que o comum, e Mike se sentiu aliviado por não ter encontrado ninguém pelo caminho, tendo sido encarado apenas pelo responsável pelo dormitório, que estava lendo o jornal na recepção. Ele não perguntou nada, apenas olhando para Mike como se já estivesse acostumado com aquela situação.

Mike trancou a porta logo que entrou no quarto. O lugar estava exatamente igual ele e Randy haviam deixado mais cedo, mas ainda sim, era como se algo no ar estivesse diferente. Ele olhou para os vários livros de susto que estavam em sua parte da prateleira.

O vazio dentro de si cresceu ainda mais. Olhando para aqueles livros, Mike começou a pensar no que faria agora. O que, aliás, ele poderia fazer? Ele havia tido um único objetivo durante toda sua vida e, agora que seu sonho fora arrancado dele, era como se não sobrasse mais nada.

Pegou seu velho boné azul da universidade. Ele havia depositado tudo de si em um único objetivo.  Não havia plano B. Ele havia traçado um único plano, uma linha reta com as metas que ele ultrapassaria e o permitiriam a chegar até onde queria. Mike nunca havia pensado que tudo poderia dar errado, e isso mostrou-se ser seu pior erro.

Junto com sua expulsão, ele perdeu quem ele era. Ele não sabia o que fazer de sua vida agora, que rumo tomar. Não conseguia sequer pensar em um plano para isso! Assim, pela primeira vez em anos, a saudade de seu pai surgiu de forma dolorosa e crescente. Mike sabia que ele saberia o que dizer, iria conseguir ajudá-lo a encontrar uma solução.

A saudade se misturou a vontade de escutar a voz de sua mãe. Mike sentia que precisava do consolo que apenas ela poderia lhe dar naquele momento.

Olhou para o telefone em seu criado mudo e, antes que a coragem o abandonasse, Mike o pegou e discou o número de sua antiga casa. Levaram apenas três toques para que a Sra. Wazowski atendesse o telefone. Mike se sentiu instantaneamente mais tranquilo logo que escutou a voz de sua mãe, soando animado por saber que era ele ligando.

Mike falou, devagar, num tom de voz triste e lento, tudo o que havia acontecido.

ᅳ Eu fui expulso, mãe ᅳ sua voz adquirira um tom triste, choroso. ᅳ A reitora me disse que não sou assustador. Eu...

Sua mãe o consolava, o dava palavras de apoio que, por mais que ele não acreditasse totalmente, ainda sim, o fazia se sentir melhor. Ela não tocou no ponto do que ele faria a partir de agora, se iria continuar na universidade e estudar oura coisa, se voltaria para casa para recomeçar ou se apenas daria um tempo para se reorganizar e descobrir o que queria fazer a partir de agora, e ele ficou agradecido por isso. Entretanto, ela o fez prometer que estaria em casa para as férias que logo chegariam.

Logo que desligou o telefone, Mike voltou a olhar para seu boné. Ouvir sua mãe o tinha feito se sentir um pouco melhor, mas aquele vazio ainda persistia dentro de si.

Não soube dizer quanto tempo ficou ali apenas parado sem fazer nada, sem pensar em nada. A porta se abrindo chamou sua atenção e, olhando para ela, viu Randy, ainda em sua forma monstro, entrando carregando todos os seus livros que havia deixado para trás.

Ele não disse nada, apenas colocou os livros sobre a mesa, pegou algumas roupas e saiu, voltando minutos depois já novamente em sua forma humana. Randy não perguntou nada, não ficou dizendo frases prontas de consolo, apenas se sentou ao seu lado e deixou Mike liberar suas emoções, sabendo que não estava sozinho agora.


Notas Finais


O Mike tinha um pai tão legal, mas achei que ele ficaria melhor morto mesmo ┬┴┬┴┤(・_├┬┴┬┴
Bom, espero que tenham conseguido captar as emoções do Mike. A partir do próximo capítulo começaram a ser introduzidos os demais personagens e os baby da Oozma Kappa vão finalmente dar as caras
(づ。◕‿‿◕。)づ
É isso ai, vejo vocês nos comentários (ou aos fantasminhas, semana que vem hahaha).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...