História Como Sobreviver A Justin Bieber - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Justin Bieber, Máfia, Nina Dobrev
Exibições 158
Palavras 1.508
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiee amorees...
Está aí mais um capítulo da fanfic, espero que vocês gostem...
Boa leitura e nós vemos lá em baixo..

Capítulo 3 - The Proposal


~ Pov's Rebekah ~

 

Já tinha alguns minutos que Justin e os garotos desceram, e eu não fazia ideia do que estava acontecendo lá em baixo, queria descobri mas aposto que os seguranças não iriam deixar eu sair e sinceramente ficar ali com a Emma, que não era nem um pouco simpática, já estava me irritando. Queria que os garotos voltassem logo, pelo menos eles eram simpáticos comigo. Esperei mais alguns minutos e logo eles apareceram, mas Justin não veio com eles. Eles estavam um pouco tensos ainda, mas não como antes.

 

– Aquele cara é louco ? - Brian se manifestou, assim que se jogou na poltrona vermelha, ao canto. – Como ele teve coragem de vir aqui e falar aquelas coisas ? - Perguntou, se ajeitando.

– O que aconteceu ? - Perguntou Emma curiosa.

– Nick, enfrentou o Bieber. - Adam disse dando de ombros, como se aquilo fosse normal.

– Nick Pettyfer ? - Perguntei arqueando uma sobrancelha.

– Esse mesmo. - Matt respondeu, assim que tirou o copo de whisky da boca. – Conhece ele ? - Perguntou me fitado.

– Alguns anos atrás, meu pai e ele trabalharam juntos. - Dei de ombros. – Mas depois disso, nunca mais ouvi falar nele, até agora.

– Não acredito, que não vi isso. - Emma bufou revoltada, ao lado de Nolan. – O Justin, deve ter ficado puto com essa conversa. - Afirmou, com um sorriso safado no resto.

– E, ficou. - Confirmou Nolan, dando de ombros logo depois.

– Beleza, chega dessa história. - Matt se levantou, chamando atenção de todos. – Viemos aqui para curtir a noite, certo ? - Perguntou, olhando para os rapazes, com um sorriso malicioso. – Então, se me dão licença, gostaria muito de curtir a minha noite. - Continuo com um sorriso malicioso no rosto. – E se permitem dizer, acho que vocês deveriam fazer o mesmo. - Pegou uma taça com conhaque. – Afinal amanhã estaremos acordando as seis da manhã com os gritos do Bieber, para acordarmos e colocarmos em ação algum de seus maravilhosos, plano de vingança contra Nick.

 

Assim que Matt terminou de dizer aquilo, os garotos logo começaram a relaxar, voltando a beber e conversar, como se estivessem seguindo o conselho que ele deu.

Algumas strippers seminuas entraram, sentado em seus colos, Emma desceu sem dizer nada, e eu fiquei ali sobrando, então desci descer também, quem sabe eu encontrava o miserável do Bieber. Comecei a andar no meio de toda aquela multidão, recebendo as vezes alguns olhares maliciosos, ignorei e continuei a minha procura. Ele não estava em lugar nenhum, então tentei achar seu escritório, quem sabe ele estaria lá, olhei para cima procurando por alguma coisa, não foi tão difícil assim achar já que no meio do primeiro e o segundo andar, se via um enorme vidro, como se fosse a janela de uma sala. Porém não se via nada lá dentro, então deduzi que fosse o escritório dele, passei pelo bar avistando uma enorme escada, que com certeza levaria ate onde eu queria. Subi observando os detalhes das paredes, que eram realmente lindos e luxuosos.

Quando a escada finalmente acabou, vi uma grande porta branca, com o nome Justin Bieber, revestido de ouro. Me aproximei da porta e quando ia abri-lá, pude ouvir gemidos, mais não gemidos de dor, gemidos de prazer. Não seria possível que aquele desgraçado estava ficando com uma puta qualquer, nas minhas costas.

Sem pensar duas vezes, abri a porta rapidamente, me deparando Justin sentando em sua cadeira com uma stripper nua sentada em seu colo, os dois se beijavam loucamente, enquanto o Bieber passava a mão pelas coxas da vagabunda. Assim que a porta se abriu, ele e a vadia logo pararam o que estavam fazendo para me olhar, Justin me fitou com ódio, provavelmente por eu ter acabado com sua diversão. Mas se ele acha que eu vou ficar com fama de corna, ele está muito enganado, porque se ele irá me trair nesse casamento de fachada, eu também irei trair ele.

 

– O que está fazendo aqui ? - Perguntou irritado trincando o maxilar. – Vai embora, garota. - Ordenou, mas não liguei.

– Vai embora ? - Repeti indignada, fazendo a stripper dar um sorriso triunfante. – Olha aqui, Bieber, seu você acha que eu vou ficar com fama de corna, você está muito enganado. -Tentei o enfrentar, deixando ele mais puto que antes. – E você, sua vagabunda. - Apontei para stripper, me aproximando e agarrando seus cabelos, à puxando para longe de Justin, sem dar chances para ela se defender. - Nunca mais, apareça aqui. - Tentei arrasta-la para fora do escritório, porém antes que consegui-se fazer isso, ela revidou me dando um meio tapa no rosto, mas como eu estava em vantagem, dei um chute no meio de seu estômago, fazendo ela cair e dar um grito de dor, então finalmente a tirei de dentro daquele maldito escritório, fechando a porta logo depois e voltando minha atenção do Bieber, que não estava nem um pouco feliz, pelo que eu tinha feito.

– Garota, quem você pensa que é ? - Gritou enfurecido, levantando rapidamente de sua enorme cadeira e couro. – Acho que se esqueceu, de quem eu sou, do que eu posso fazer. - Se aproximou agarrando meu braço o apertando com força. – É melhor, você seguir minhas regras, ou a coisa vai ficar feia pro seu lado. - Me ameaçou friamente.

– Eu não tenho medo de você, Justin. - Respondi friamente, tentando fazer ele não notar meu nervosismo, mais lá no fundo, eu estava com, certo medo. Afinal, eu estava enfrentando um dos maiores mafiosos. – E, se eu ficar com fama de corna, você também vai ficar com fama de corno. - Me soltei meu braço, dando um passo para trás.

– Olha, ela está me desafiando. - Se aproximou, mas logo eu recuei. – Que, fofo. - Ironizou. – Escuta aqui, pirralha. Se você fizer, isso eu acabo com você. - Me prendeu contra a parece, fazendo nossos rostos ficarem centímetros longe.

– Então, veremos. - Sorri maliciosamente, passando por debaixo de seus braços.

 

Sai do escritório rapidamente, descendo as escadas correndo. Sabia que Justin não me alcançaria, pelo simples fato de estar nu, então teria tempo para fazer o que queria.

Entrei no meio da multidão que dançava freneticamente, me desviei de algumas pessoas, até chegar a um loiro, sem dar tempo ao mesmo de alguma reação, coloquei meus braços ao redor de seu pescoço, o puxando para perto de mim, rapidamente o beijei o mesmo se assustou, mas retribuiu o beijo.

Logo senti suas mãos, passando pelas minhas costas, nós beijávamos loucamente, acompanhados do ritmo quente da música, estava tudo maravilhoso até, eu ser puxada por uma mão forte e quente, ou melhor, pelo Bieber, que logo deu um soco na cara do rapaz, fazendo o mesmo quase o cair no chão se não fosse pelas pessoas ao redor o segurando.

Justin me fitou com ira, como se quisesse me matar, as pessoas olharam para cena sem entender absolutamente nada. Justin logo segurou novamente meu braço com força me tirando dali. Passamos pela porta de entrada, indo em direção ao seu Bugatti, saímos dali. Ele corria rapidamente, quase voando, não obedecendo os sinais de trânsito e quase batendo nós outros carros, olhei para trás e novamente vi três Renault Fluence, seus seguranças. Justin olhava fixamente para as ruas, ele estava totalmente nervoso, quase surtando de raiva. O caminho foi silencioso, o que era bom, estava apreensiva do que o Bieber poderia fazer, poderia fazer. Afinal eu beijei outro cara, o desafiei, eu agi com impulsividade, mas ele não sabia disso e não iria acreditar se eu dissesse.

 

– Não, devia ter beijando aquele idiota. - Justin quase gritou quebrando o silêncio, o olhei rapidamente, porém ele mantinha sua visão fixa nas ruas.

– E você, não devia ter beijando aquela prostituta. - Retruquei, olhando para a rua.

– Olha, se você acha que eu vou ficar sem sexo, por um ano, só por causa de um acordo patético, está muito enganada. Então acho melhor, você ir se acostumando. - Deu de ombros, como se eu tivesse que aceitar isso.

– E ficar com fama de corna ? - Ri ironicamente. – Nunca, meu amor. - Respondi, já começando a ficar furiosa, pois sabia onde essa conversa iria dar.

– Sinto muito, mais não tem outro jeito. - Me fitou rapidamente, com o cenho fechado. – A não ser que... - Disse em ar de suspense, me fazendo o olhar.

– Que ? - Incentivei a continuar.

– Que você faça, sexo comigo. - Sorriu de lado e voltou atenção ao trânsito.

– O que ? Ficou maluco ? Nem morta. - Respondi rapidamente. – Se meu pai descobrir você...

– Calma, Rebekah. - Me interrompeu bufando. – Ninguém, precisa ficar sabendo dessa minha proposta, a você. - Continuo calmo, ou pelo menos tentando. – Será um segredo nosso. - Fez um pausa. – E então ? - Me olhou com um sorriso safado no rosto. – Você aceita minha querida proposta ? - Voltou a perguntar, bufei e virei minha atenção para rua pensando no fundo eu sabia que resposta daria, mas seria a certa ?


Notas Finais


Fim do capítulo !
Ouo, esse capítulo está bem quente, não acham ?
Jus “traindo” a Rebekah, ela o enfrentando...
E essa proposta do final.. Ixii.. Será que ela vai aceitar ? *-*
Curtam minha página no facebook : https://www.facebook.com/Anny.Blanco.03/
Se quiserem falar comigo mandem mensagem para lá...
Nós vemos no próximo capítulo, eee..
Beijinhos amorees....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...